Circuito dos Lagos Andinos no Chile
Américas Chile

Circuito dos Lagos Andinos no Chile

Se lança pro Circuito dos Lagos Andinos no Chile – Lago Llanquihue (Puerto Varas, Frutillar, Vulcão Osorno)

Guest post por Rodrigo Matos

Dicas para viajar no Chile

O Chile é um país bem diferente com 4300km de extensão e somente 175km (média) de largura. Ao norte começa com o Deserto do Atacama, lhamas e salares gigantes, passando ao centro com maravilhosas vinículas, a capital Santiago e descendo ao sul encontram-se vulcões, geleiras, baleias e pinguins.

A moeda local é o peso chileno e os preços de comida, transporte etc é padrão São Paulo/Rio, portanto, caro. Para quem gosta de vinhos, esta é a terra das uvas cabernet sauvignon e da carmenére, uva essa que esteve extinta no mundo por mais de um século devido a uma praga e foi redescoberta no Chile em 1994, se adaptando às terras chilenas e hoje é conhecida como uma das mais importantes uvas do país. Os vinhos no Chile são baratos, portanto, não deixe de degusta-los e visitar algumas vinícolas.

No Chile existe uma opção de almoço mais em conta que é o “menu del dia”. É um valor fixo com entrada, prato principal e bebida ou dependendo do lugar, sobremesa inclusa. O menu del dia costuma variar entre 3500 a 7000 pesos e sempre tem placa na frente do restaurante com o preço e o cardápio do dia. No Chile não tem comida farta como no Brasil. Os pratos são servidos prontos e geralmente uma carne com 1 acompanhamento. Sempre é servido antes uns pãezinhos com manteiga e o pebre, molho típico chileno que se equipara ao nosso vinagrete, porém com muito coentro (cilantro em espanhol). Portanto, é aconselhável que sempre coma os pães para não ficar com fome. Para os que não gostam de coentro, é bom perguntar antes se vem na comida, pois tudo leva coentro.

Em quase todas as ruas é necessário pagar para estacionar o carro. Os preços variam de acordo ao horário, e sempre sai entre 1.000 e 4.000 pesos uma parada, dependendo de quantas horas você vai ficar.

Roteiro pelo Sul do Chile

Nessa viagem resolvemos sair um pouco do trivial do que eu chamo de “passeio basicão ao Chile
(Santiago – Viña Del mar – Valparaíso)” e nos aventuramos ao sul do país na região do Lago Llanquihue. Região conhecida como Região dos Lagos, “abraçada” pelos vulcões Osorno e Calbuco e começo da patagônia chilena.

Algumas pessoas gostam de fazer o passeio de toda a volta ao lago. O caminho é lindo, com paisagens maravilhosas, mas nós preferimos dividir o passeio ao lago em 2 dias concentrando nosso ponto focal em Puerto Varas.

1_mapa_lagos (541x342)

O ponto negativo é estar atrelado aos horários e lugares de almoço que as empresas de turismo têm acordos. E por essas duas razões, é que nós optamos pelo aluguel de um carro, o que indico fortemente. Nós usamos a RentCars para alugar carro. Assim você pode aproveitar mais a beleza das estradas locais, fazer paradas onde desejar e não ficar atrelado a horários.

Puerto Montt

Puerto Montt é a capital da Província de Llanquihue. Ela é uma cidade portuária, sendo a porta de entrada ou saída para as regiões mais austrais. É dela que sai o passeio de Cruce de lagos (a travessia dos lagos andinos até a Argentina) e algumas excursões a locais mais ao sul como a ilha de Chiloé.

Chegamos com tempo nublado e uma leve chuvinha no estilo “chove-não-molha”. Clima bem típico da região e que nos acompanhou por outro dia de viagem. Como a visão do vulcão Calbuco estava ofuscada pelas nuvens, demos uma passada pela orla da cidade e fomos almoçar no Mercado Angelmó, conhecido pelo artesanato e restaurantes com pescados e mariscos.

foto3_puerto_montt (581x390)

Puerto Varas

É a principal cidade no entorno do Lago Llanquihue. Situada a somente 20km de Puerto Montt, é o lugar perfeito para se hospedar. Com sua arquitetura alemã, tem uma orla linda na beira do lago com vista nítida para os vulcões Osorno e Calbuco, muitos restaurantes, comércio, feiras de artesanato e para quem quer tentar a sorte, um cassino. Nos hospedamos no hotel Casa Kalfu onde ficamos em um quarto com vista para o lado, super acessível, pagamos 60 USD a noite.

Vista da Janela do quarto
Vista da Janela do quarto

Frutillar e Puerto Octay

Frutillar é uma cidadezinha de colonização alemã imperdível, super tranquila, com muitos restaurantes e bares na beira do lago Llanquihue, inspirada na música. É nela que ocorre anualmente – entre o final de janeiro e começo de fevereiro – as “Semanas Musicales de Frutillar”.
Como atrações turísticas tem o Museo Colonial Alemán e o Teatro Del Lago.

7_puerto_orlay (794x556)

6_frutillar (814x589)

A surpresa boa ficou por conta do almoço com menu del dia no restaurante Duendes del Lago. Pelo valor de 7.000 pesos, comemos cordeiro assado acompanhado de vinho tinto e sobremesa. O detalhe ficou pelo charme e atendimento do local, que é todo trabalhado em madeira artesanal com vista para o lado.

Nosso passeio a Frutillar ficou prejudicado pelo tempo nublado, que tirou o charme da vista dos vulcões ao fundo do lago, mas valeu a pena.

O percurso de carro até Frutillar e estendendo até Puerto Octay é uma atração à parte, passando por pequenas fazendas de gado leiteiro, ovelhas, plantações de flores e casarões antigos.

Saltos de Petrohue – Vulcão Osorno – Lago Todos los Santos

Esse foi o passeio mais aguardado de nossa viagem. Agora indo a sentido sul de Puerto Varas. O caminho ao vulcão passa pelo vilarejo de Ensenada, onde tem vários restaurantes na beira da estrada com vista ao vulcão, e cada vez que nos aproximamos dele a paisagem se torna mais linda.

Mirante na estrada com vista ao vulcão Osorno
Mirante na estrada com vista ao vulcão Osorno

Logo após Ensenada já se vê a bifurcação para o Lago Todos los Santos. Fomos sentido a ele primeiro, com a parada nos Saltos de Petrehue.

Os saltos são os deságües no Rio Petrohué das águas do Lago Todos Los Santos, as quais caem entre rochas de origem vulcânica formando poças naturais. A cor da água é esmeralda, que combinadas com a vegetação local e a vista para o vulcão, se torna um lugar maravilhoso com visita imperdível. A entrada custa 2.000 pesos por pessoa mais 1.000 de estacionamento.

O inconveniente de ir a essa região em janeiro é por causa de um inseto chamado tábano. Ele é um pouco maior que uma abelha, na verdade BEM maior. Voa sempre em bando e adora picar a gente apesar de não ser venenoso. O pior não é o vôo e a picada, mais o zunido no ouvido. Não contente em picar, ele se enfia ate no meio das fotos. Portanto, se for fazer esse passeio em janeiro, se prepare para brigar com os tábanos. A dica dada pelos locais é usar roupas brancas, pois eles são atraídos pelas cores escuras.

15_Rio Petrohué_2 (803x601)

Lago Todos los Santos

Seguindo mais 6km pela estrada que leva aos Saltos você chegará ao Lago Todo los Santos. Vale a pena fazer o passeio de barco pelo lago. Tem a opção do passeio em grupo, ou privado. O preço varia e tem que negociar com os donos das embarcações. Conseguimos por 10.000 pesos o passeio de 50min para duas pessoas. Para quem quer almoçar, na outra margem do rio próxima a saída das embarcações tem alguns restaurantes. É só avisar que quer ir lá que tem alguns barquinhos para te levar.

19_Vulcão Osorno (1024x768)

Vulcão Osorno

O Osorno é um vulcão ativo com 2.661 metros e faz parte do Parque Nacional Vicente Perez Rosales. Ao contrário do vulcão Villarica onde constantemente se vê fumaça saindo do cume, esse é coberto de neve. Na estação de inverno funciona uma estação de esqui, que é aproveitada no verão usando os teleféricos para levar os turistas mais próximos à neve do vulcão. Na temporada de verão também ficam abertas algumas tirolesas.

O preço da subida aos teleféricos (são 2) é de 18.000 pesos por pessoa. Mas tem opção de subir só no primeiro, nos 2, subir nos 2 com descida em tirolesa e opção de subida em trecking.
Sem dúvida, uma vista maravilhosa.

20_teleferico_vulcao_osorno (1024x768)

Caso você volte do vulcão para Puerto Varas na parte da tarde, indicamos fazer uma parada estratégica no Km 32 no restaurante e cabañas “Once Bella Vista”. La once é o típico café da tarde chileno, com bolos e pães típicos acompanhado de café ou chá. Nesse restaurante, além de apreciar um pouco mais da vista do local, eles oferecem um café da tarde bem completo. Optamos por provar uma torta típica alemã e muito conhecida nessa região, a Kuchen (pronuncia-se kúrren).

Vista do restaurante
Vista do restaurante

Como sugestão para quem vai com mais tempo, fica o passeio a ilha de Chiloé e o Cruze de Lagos – que é um passeio de barco de Puerto Montt a Bariloche, Argentina. Esse ficou guardado para a próxima!!

Se lança…

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Seguro de Viagem Internacional – vale a pena?
Do Atacama ao Salar de Uyuni
7 Passeios em Santiago e Região
Roteiro de duas semanas no Chile + Dicas de viagem
Roteiro de 4 dias – Cuzco e Machu Pichhu
Como ir de Machu Picchu para o Deserto do Atacama

Dá uma olhada nestas excursões pelo Sul do Chile:

Comentários

comments

LEAVE A COMMENT