É seguro viajar para a África do Sul?

Muita gente ainda me pergunta: É seguro viajar para a África do Sul?!

A resposta curta é SIM. 

Como morei 1 ano e meio em Joanesburgo, pude conhecer bem a realidade desta cidade, e da África do Sul em geral. Fazer turismo por lá é bem seguro no geral – mas não é Suécia né gente!? Então vou recomendar os seguintes cuidados:

1. Polícia de trânsito e rodoviária

O meu maior medo no país sempre foi ser parada por policiais. Por vários motivos. Tem histórias de policiais falsos que roubam as pessoas, mas até mesmo os verdadeiros policiais podem ser motivo de dor de cabeça.

Tem o caso dos policiais que ficam na saída do aeroporto de Joanesburgo e param os turistas que acabam de alugar carros. Estes vão tentar te intimidar como se fossem alfândega. Uma vez encresparam com minha amiga que tinha levado uma banheirinha de bebê dizendo que ela tinha que pagar impostos. E advinha onde se pagava esses impostos? Ali mesmo em dinheiro… bizarro né? Como ela também era moradora de Joburg, não caiu na balela – mas não deixa de ser um stress chato.

2. Tire a Carteira de Motorista Internacional no Brasil

Tem muita gente que aluga carro na África somente com a CNH, e isso é permitido. Porém, contudo e todavia – baseado ainda no tópico de cima – tem policial que alega que não entende o que está escrito na CNH pois não está inglês. De novo, não é ilegal, mas vai te gerar um stress danado se passar por isso.

Melhor coisa é sempre andar com o passaporte e PID (permissão internacional para dirigir). Aqui neste post conto tudo sobre como tirar a sua. 

3. Ande SEMPRE dentro dos limites de velocidade

Então concluindo os dois tópicos acima, evite ser parado na estrada – não dê motivo. Respeite as leis de trânsito.

Agora, não precisa ter medo de alugar carro na África do Sul. As estradas são excelentes e é a melhor forma de se locomover no país. Leia nosso post: Vale a pena alugar carro na África do Sul?

Ser parado é a excessão, não a regra. Se isso acontecer contigo, apresente todos os documentos e mantenha a calma. Lembre-se que não está fazendo nada de errado. E se pedirem pra você pagar alguma “multa”  ali na hora, você pode optar por pagar e se livrar do stress – ou resistir e pedir para ser acompanhado à delegacia para resolver a questão. É bem provável que o policial irá desistir de te acompanhar pois perderia muito tempo.

Agora, destes 18 meses que morei na África do Sul, fui parada algumas vezes por blitz de rua e nunca tive que pagar nada, nem fui roubada. Então é mais um ponto de atenção do que de medo, OK!?

4. Pode andar a pé na África do Sul?

Gente, vamos lá. Somos brazucas e não suecos. A gente manja dos paranauês. Pode andar à pé sim, com os documentos no bolso da frente, atenção à mochila e pertences.

Cape Town é bem mais tranquila de andar à pé do que Joanesburgo. Começa que em Joanesburgo é tudo longe e tem poucas calçadas, então não dá pra andar muito à pé mesmo. Mas se precisar ir ali no mercado, farmácia ou parquinho perto do hotel, pode ir sim.

Em Cape Town eu acho mais tranquilo andar, só evite andar muito pelo centro da cidade à noite. Coisas que já sabemos, não andar sozinho, não andar por ruas desertas, etc.

5. Roubos

Nunca fui roubada na África do Sul. Meus amigos nunca foram roubados. Mas roubo acontece né. Nunca ouvi nada sobre cartão clonado lá, de qualquer maneira, sempre recomendo viajar com 2.

Se for sacar dinheiro em caixa eletrônico, dê preferência aos caixas dentro de shoppings. Tem no Sandton City em Joanesburgo e no Waterfront em Cape Town.

Um lugar para prestar atenção é em aeroportos. Às vezes tem gente se oferecendo para carregar suas malas. Não deixe. Se precisar de alguma assistência, procure funcionários uniformizados do aeroporto.

6. Tenha um seguro de viagens

Por mais que você esteja alerta – Shit happens. Adoro essa frase, simplesmente quer dizer que às vezes as coisas dão errado. E a vida é assim né. No Brasil, na África do Sul ou na Suécia…

Ter um seguro de viagens proteje sua saúde, se precisar ir pro hospital estará coberto. Te proteje contra extravio/roubo de malas (meu marido teve a mala extraviada pela SAA e ficou 2 dias sem roupas…). Eu sempre viajo com um seguro, ainda mais agora que virei mãe e levo a pequena a tiracolo. Outra frase que adoro é: Better safe then sorry. (melhor estar segura do que arrependida).

E gente, não é caro! Pra vocês terem idéia, um seguro de 7 dias na África custa à partir de 55 reais. Nós usamos o portal Seguros Promo, ,que traz um comparativo de preços de várias seguradoras. E você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto – ou seja 10%). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Então sem descupas tá, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

7. Relaxe

Esses pontos que destaquei acima são para ter ATENÇÃO, não é pra ter MEDO.

Eu me sinto mais tranquila na África do que andando pela 25 de Março ou praça da Sé. Seja brasileiro, não baixe a guarda mas divirta-se muito. A África do Sul é uma das viagens mais incríveis que você fará!

Photo by Mark Adriane on Unsplash

Se Lança…

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Como se virar na África do Sul
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Safari no Kruger Park, África do Sul
Seguro de Viagem Internacional – vale a pena?
Sua saúde e farmácia de viagem

 

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Como viajar para Moçambique – Guia de Sobrevivência

Moçambique é um país lindo, que ainda será descoberto pelos turistas. Recentemente chamado de “Riviera Africana” pelo jornal Daily Mail. No entanto, viajar para Moçambique pode parecer um pouco assustador, ou aventureiro demais para alguns.

Neste post vamos desmistificar isso e mostrar como é simples conhecer esta terra de nossos irmãos lusófonos. Você ficará supreendido de perceber o quanto nós brasileiros nos sentimos “em casa” em Moçambique.

Visto de entrada em Moçambique

Antigamente era possível viajar para Moçambique sem visto prévio e emitir um visto de fronteira ao chegar no aeroporto. Hoje a regra mudou, brasileiros precisam pedir o visto previamente no Brasil. Para fazer isso, é preciso enviar a documentação solicitada à Embaixada Moçambicana em Brasília.

O processo de visto dura mais ou menos 10 dias úteis, depois que a documentação chegar à Embaixada. Os documentos podem ser enviados e devolvidos pelos correios, então é preciso postar um envelope para o retorno, além de pagar a taxa de 50 reais ou 70 reais para sedex 10. A lista completa dos documentos e o formulário podem ser encontrados no site da Embaixada.

O visto simples custa 300 reais e o de múltiplas entradas 600 reais. O visto simples garante direito de entrada apenas 1x no país e tem duração de 30 dias. Ou seja, se você quiser voltar à Moçambique, precisará pedir outro visto ou possuir o visto de múltiplas entradas. Caso saiba de antemão que irá entrar mais de 1x, deverá sair do Brasil com o visto de múltiplas entradas. Este geralmente tem duração de 3 meses enquanto o visto simples tem validade de apenas 30 dias.

IMPORTANTEQuem tem apenas o visto simples, não pode ir ao Kruger na África do Sul, pois não poderá retornar à Moçambique. Saiu do país, o visto simples não vale mais.

Como chegar em Moçambique

Companhias aéreas

As principais companhias aéreas que voam para Moçambique são a South African Airlines, a Ethiopian, a Qatar, e a LAM. A LAM é a companhia aérea nacional com vários destinos domésticos.

Do Brasil para Moçambique é melhor voar com a South African até Joanesburgo, é um vôo direto de Guarulhos que dura entre 8 e 9 horas. Depois pegar um vôo de Joanesburgo para Maputo, pela própria South African ou LAM – que são parceiras. Este vôo é bem rápido, não chega a durar nem 1 hora.

Como ir de ônibus da África do Sul para Moçambique

É possível ir de ônibus para Maputo saindo de Joanesburgo ou saindo de Nelspruit. Tem várias empresas que fazem o percurso Joanesburgo-Maputo. Nós conhecemos a Greyhound e Intercape – ambos são bons. O ônibus sai 7:30 da manhã de Joburg e chega por volta das 17 horas em Maputo – dependendo da movimentação na fronteira. O ônibus noturno sai às 22:00 e chega às 9:30. Os preços vão de 290 a 400 rands. É possível comprar online.

É bom também levar lanche e água, embora tenha uma parada de uns 20 minutos em Malalane para o lanche. Não se esqueça que precisa ter o visto em mãos.

Na fronteira o passageiro faz a travessia a pé e faz todo o trâmite de fronteira, voltando ao ônibus do outro lado. É sempre bom ficar esperto pra não ficar pra trás. Contudo, é uma viagem segura e sem problemas.

Telefone

Telefonia móvel é excelente em Moçambique, posso afirmar pois trabalhei com isso durante 2 anos no país 😉

É possível comprar um SIM Card nas lojas das operadoras para utilizar durante sua estadia. Recomendo usar a Vodacom que tem a maior cobertura. O crédito você compra nas lojas ou dos ambulantes na rua usando os coletes de qualquer operadora.

Segurança

De maneira geral, Moçambique é um país seguro. Não há grande violência urbana.

Seguro de Viagem 

Não é obrigatório para entrar em Moçambique. No entanto, é sempre bom viajar assegurado né. Aquele tipo de coisa que ninguém que usar, mas é bom ter, não se brinca com saúde! Nós usamos o site Seguros Promo, que faz comparação de preços de vários seguros. (Se você não sabe o que é um seguro de viagens, leia este post aqui).

Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

Prevenção contra a Malária

Moçambique tem alto risco de malária, e isso é muito sério. É importantíssimo para o turista tomar todos os cuidados de prevenção. Em Maputo o risco é menor, mas em qualquer outro lugar, principalmente ao norte do país, o risco de contrair malária é alto.

O que fazer:

  • Usar roupas de manga longa e calça comprida, principalmente de manhã e no fim do dia.
  • Usar repelente comprado na África.
  • Dormir com rede mosquiteira. A maioria dos hoteis (fora de Maputo) tem.

Quando você voltar ao Brasil, se tiver sintomas, corra para o hospital e diga que você tem malária. Não espere pra ver se é gripe, tem que ir logo pro hospital para medicar no começo. Malária é muito sério.

Dinheiro

Por Moçambique possuir muitos estrangeiros, trocar dinheiro não é difícil. É possível trocar Reais por Meticais, ou Dólares e Euros – o que for mais fácil para você. Tem uma casa de câmbio na saída do Desembarque no Aeroporto internacional de Maputo e outra casa de câmbio na Avenia Mso Tse Tung, próxima do Hotel Polana.

Trânsito, Direção e Transporte

O trânsito em Maputo nos horários de rush pode ser bem ruim, e os motoristas não são os melhores do mundo… mas dá pra dirigir numa boa em Moçambique, só prestar atenção.

A estrada EN1 que cruza toda costa do país é boa em geral. O máximo que eu dirigi foi até Tofo, e a estrada estava muito boa.

O maior cuidado que se deve ter são com as blitz, tem pela cidade toda e na estrada principalmente atrás daquela placa de redução de velocidade. É bom estar 100% de acordo com as leis de trânsito para não arrumar confusão. Ou seja, dois coletes refletores, 2 triângulos, andar de cinto de segurança e respeitar velocidade, documentação em dia e etc.

Em geral, quando você é parado pela polícia de trânsito (que usa unifome branco) não tem estresse. Se você for parado pelos policiais militares (uniforme verde/cinza) eles podem te dar um pouco de dor de cabeça com o intuito de conseguir “um refresco”. Por isso da importância de não dar nenhuma brecha.

Alugar carro em Moçambique costuma ser bem caro, mas você pode cotar na RentCars.

A carteira de motorista internacional é aceita em Moçambique e deve ser portada junto com o passaporte que contém seu visto de entrada. Veja neste post como tirar a PID – permissão internacional de direção.

Andar de taxi em Maputo é muito tranquilo e seguro também. Nas outras cidades, arrumar um taxi não será uma missão tão fácil. Tem que pagar com dinheiro em espécie e é bom combinar o valor antes da corrida.

Outras dicas gerais em Moçambique

Aproveite o que Moçambique tem de melhor, esse país é abençoado pela natureza, com lindas praias. Além das praias, Maputo é uma cidade vibrante com muitas opções de restaurantes (lista de 10 restaurantes aqui) e vida noturna. Veja neste post um roteiro de 1 dia em Maputo.

Os moçambicanos são alegres, mas às vezes receosos com estrangeiros (com razão, dada a história deles), tem que conquistar a confiança primeiro.

Veja aqui opções de hospedagem em Maputo.

Se Lança…

Leia mais sobre Moçambique aqui:

Maputo City Tour
10 melhores restaurantes de Maputo (com endereço!)
Macaneta, a praia mais próxima a Maputo
Tudo sobre a Ilha de Moçambique
Tofo, paraíso do mergulho em Moçambique
Onde fazer mergulho em Moçambique
O que visitar na Suazilândia em 2 dias
Onde dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hoteis e pousadas

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

O que fazer e onde ficar nas Ilhas Maurício

O grande atrativo da ilha é mesmo a natureza, mas tem mais o que fazer e onde ficar nas Ilhas Maurício além dos resorts.

Claro que ficar em um resort é tudo de bom – e a grande maioria dos turistas que vão pras Ilhas Maurício faz só isso mesmo!

Curtir o resort e a praia é um programa tão bom, que dá pra tirar um descanso da bateção de perna costumeira das viagens ao exterior.

Neste post vou contar sobre alguns resorts e hoteis que a turma de brazucas expatriados na África já provou a aprovou – além de passeios que tem pra quem quer explorar a ilha além do hotel. Neste post contamos tudo sobre como chegar na ilha e outros ítens básicos.

Onde ficar nas Ilhas Maurício

Grande parte da concentração de turismo está no norte da Ilha Maurício. Aqui tem de tudo, resorts luxuosos, vida noturna, restaurantes, excursões para as ilhotas, gente e movimento. Isso não significa que você não pode encontrar pequenas pousadas por aqui, tem também.

Outro ponto bastante movimentado é o Oeste da Ilha, com os melhores locais para snorkelling e mergulho. Também tem muita infraestrutura.

O sul e leste da ilha são as partes menos populosas em termos de turistas. Oferecem um visual mais nativo e clima mais tranquilão.

As sugestões de hotéis são de amigos e também de leitores do blog. Todos são na beira da praia:

The Ravenala Attitude Hotel – este resort é todo aberto, não tem muros dividindo o recinto da praia, isso somado aos jardins do lugar dão um ar de liberdade. Viagem em família. O hotel oferece esquema de meia-pensão. Bom custo benefício com diárias à partir de 140 USD.

Outrigger Mauritius Beach Resort –   Tdos os quartos tem vista para o mar. O resort tem também restauratens, piscinas e spa – além de uma área supervisionada para crianças e parquinho. Viagem com crianças pequenas. Diárias à partir de 200 USD.

Zilwa Attitude – é um resort novo, na época que o Fabio foi tinha recém-inaugurado. É um resort bem legal com praia particular, ficaram hospedados em chalé e o hotel oferecia muitas opções de lazer. Viagem em casal. Diárias à partir de 250 USD por casal.

Shangri-La’s Le Touessrok Resort & Spa – este resort tem 5 restaurantes, 3 bares, campo de golf, piscina, spa e pasmém – ilha privativa para os hóspedes. Viagem de luxo. Diárias à partir de 350 USD.

Veja aqui outras opções de hotéis e pousadas em Maurício.

Principais praias nas Ilhas Maurício

NORTE

Grand Baie – principal praia do norte da ilha, o agito fica aqui. Maiores resorts, restaurantes, bares e etc.

Trou aux Biches e Mont Choisy – duas praias vizinhas umas das outras e que são mais tranquilas que Grand Baie. Trou aux Biches tem mais opções de restaurantes, além do mar ser bem tranquilo, bom para ir com crianças.  Mont Choisy tem vários centros de mergulho da PADI, onde você pode tirar sua certificação.

Pereybère – segunda cidade mais desenvolvida do norte na ilha depois de Grand Baie, um misto de agito com sossego. Nesta praia também está um artista que a 10 anos faz esculturas de areia na praia. Também tem operadoras de mergulho.

OESTE

Flic en Flac –  uma das praias mais famosas das Ilhas Maurício, tem os melhores pontos de mergulho e também snorkelling – por ter lagoas de água rasa. É também movimentada em termos de resorts e restaurantes.

Le Morne – praia um pouco mais afastada, frequentada mais por turistas do que locais. Excelente para kit surfe. Tem uma vista linda, pois fica próxima à Montanha Le Morne, que pode ser vista da praia.

LESTE

Belle Mare Plage – uma das praias mais bonitas da ilha segundo o The Telegraph. Aqui está o sítio de mergulho mais famoso da ilha, o The Pass. A brisa faz com que esta praia seja propícia para kite surfe e vela.

SUL

Blue Bay – esta praia é frequentada por turistas, mas também pelos locais da ilha. Boa para snorkelling.

O que fazer nas Ilhas Maurício

Além de curtir as praias e resorts, a ilha tem muitas opções de passeios para quem quer explorar um pouco mais.

Nadar com golfinhos

Nadar com golfinhos é inesquecível! A visibilidade é absurda, o mar é raso e eles são curiosos e aproximáveis, então o barco chega bem perto do cardume e você salta com pé de pato e máscara e nada perto deles. O legal é que não é como Orlando – que você entra em um tanque – aqui você é quem vai até o habitat natural deles. O passeio pode ser organizado com a Dolswim. Eles também fazem excursões para observar baleias.

A Dolswim é recomendada pelo Lonely Planet como uma operadora sustentável. Muitas operadoras estressam os animais e interferem na vida e atividades deles. É importante não tocar, irritar ou estressar os golfinhos. Respeite sempre a natureza.

Passeios nas ilhotas de Maurício

Île des Deux Cocos – esta ilha particular já foi usada por um ministro inglês para entreter seus convidados. Hoje é possível visitar através de passeios privados (como este aqui) ou organizar através do Hotel Lux. Aliás, este hotel é uma super recomendação de luxo para se hospedar!

Île aux Cerfs – é muita areia e sol para todos, são 4 km de praia linda de viver. É possível chegar de “taxi marítimo” , leva entre 15 a 30 minutos dependendo da embarcação e custa por volta de 500 rupees. Na praia de Trou d’Eau Douce tem um ferry das 8-17hs. Outra opção é fazer um passeio de catamarã com almoço e bebidas all-inclusive. Custa por volta de 200 reais por pessoa, detalhes aqui. O passeio também pára para mergulhar na lagoa da ilha e visita às cachoeiras.

Île aux Aigrettes – aqui você encontra pombos cor-de-rosa e tartarugas gigantes, as últimas da espécie do Oceano Índico. Em 1985 o governo começou a “limpar” a ilha de espécies não nativas, como ratos e gatos; e também começou um trabalho de re-introdução e preservação de espécies nativas. Este passeio é para fugir do lugar comum da praia e visitar estes animais em su habitat natural. O passeio inclui uma visita à vila histórica de Mahébourg e ao Museu de História Natural. Custa 170 reais por pessoa e dura 8 horas. Detalhes neste link.

Curso de mergulho nas Ilhas Maurício

É possível fazer mergulho com tanque, mesmo se você não tem a carteirinha de mergulhador da PADI. Neste passeio, você faz um curso de 1 hora na piscina e depois vai pro mar com o instrutor, para mergulhar até 12 metros de profundidade em Grand Bay. Esta atividade não é para tirar a carteira de mergulho, mas a atividade fica registrada na PADI e o dia que você fizer a certificação, já terá esta atividade no seu histórico de mergulho. Informações completas do passeio neste link.

Operadoras de Mergulho

A lista de operadores é enorme! São 28 operadoras e estão em quase todo canto da ilha. Veja a lista completa aqui no site da PADI.

Região Central de Maurício

Os negócios estão concentrados em Ebene e Port Louis. Tem alguns shoppings na região central e tem um Waterfront em Port Louis – o Caudan. Ele não é tão grande e bacana como o de Cape Town, mas não deixa de ser uma opção para passear.

Região Sul de Maurício

Essa região é mais selvagem, tipo mata e floresta. É uma região menos explorada pelos turistas, mas não deixa de ser bela. Tem um passeio guiado que é um dos mais procurados pelos turistas que se aventuram para este lado. O passeio todo dura 10 horas, visita a cachoeira Chamarel, degustação de rum, conhecer as tartarugas gigantes, o lago sagrado de Grand Bassin e outros pontos. Inclui almoço e custa 95 euros por pessoa. Detalhes aqui.

Passeios para fazer com crianças nas Ilhas Maurício

Quem é pai/mãe sabe que a melhor coisa para uma criança é sol, mar e areia! Põe os bichinhos pra correr solto o dia todo que com certeza você terá uma linda noite de sono! Mas além do brincar livre na natureza, muitos resorts oferecem espaço kids e até serviços de babysitting.

Outras opções de passeios são:

Casela World of Adventures – um parque temático que respira aventura. É possível fazer um mini safari, andar de kart, andar de quadriciclo, andar de camelo, pony ou cavalo, pescar trutas, ir ao cinema 4D, interagir com filhotes de leões, escer de tiroleza… tem coisa pra caramba pra fazer! Veja no link do parque os preços da entrada e atividades cobradas à parte. Pra quem quer sair do Brasil com tudo organizado, pode comprar este passseio aqui que inclui a interação com leões.

Aquário – este aquário é feito com água reciclada do mar e tem 5 prédios principais rodeados por jardins. É possível também alimentar as tartarugas. Aberto de seg a sáb das 9-17 e domingo das 10-16.

Île aux Aigrettes – passeio onde as crianças podem encontrar as últimas espécies da tartaruga gigante do Oceano Índico em seu habitat natural.

Se Lança…

*Lindas fotos do Fabio Akira!

[Mikado id=’41’]

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Como viajar para as Ilhas Maurício
Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Turistando em Joanesburgo
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Como viajar para as Ilhas Maurício

Viajar para as Ilhas Maurício não é tão complicado quanto parece, na verdade é bem simples. Esta pequena ilhota é toda preparada para receber turistas. Neste post falamos mais sobre o que fazer e onde dormir na Ilha.

Ninguém imagina pequenos paraísos na África né? Quando se pensa em África, as primeiras coisas quem vêm à mente são animais e pobreza. Mas tem MUITO mais neste rico continente. E uma das coisas que tem para oferecer são lindas praias paradisíacas.

As Ilhas Maurício – ou Mauritius em inglês – é um famoso destino para passar lua de mel, mas também é um excelente destino para quem viaja com crianças por conta da excelente infra-estrutura de turismo.

Neste post falaremos sobre tudo o que você precisa saber antes de ir.

Melhor época para visitar a Ilha

Maurícios tem clima agradável durante todo o ano. A alta temporada na Ilha vai de Novembro à Abril durante o verão. O pico ocorre entre Natal e Ano Novo, então nesta época os preços são bem salgados.

Requisito de entrada em Maurício para Brasileiros

Brasileiros não precisam de visto para viajar às Ilhas Maurício, no entanto, como qualquer país, o direito de entrar é concedido na Imigração. Geralmente é muito tranquilo, não tem muita dificuldade. Veja aqui a lista de países que precisam de visto para entrar no país.

Como chegar nas Ilhas Maurício

Geralmente quem vai às Ilhas Maurício está fazendo um passeio casado de África do Sul com a Ilha. Neste caso, a melhor opção é voar de Joanesburgo para lá. Tem vôos diretos pela South African Airlines e pela Air Mauritius.

Como se locomover na Ilha

Para quem vai estabelecer um resort como único destino, você pode pegar um taxi do aeroporto para o resort, ou combinar o transfer com o hotel para evitar qualquer transtorno. Quando andar de taxi, é melhor combinar o valor antes da corrida.

Pra quem quer explorar a ilha, a melhor maneira de fazer isso é alugando um carro. No aeroporto tem lojas da Hertz, Europcar e da Sixt. A direção em Maurício é mão inglesa, o que pode ser motivo de preocupação para algumas pessoas (neste post eu conto como dirigir em mão inglesa).

Dinheiro

A moeda local se chama Rupee, símbolo Rs. 1 Real vale mais ou menos 10 Rupees, ou seja, bem fácil fazer a conversão. No entanto, não é possível trocar Reais por Rupees, o mais recomendado é levar Euros. É possível trocar Euros por Rupees no aeroporto de Maurício e alguns hoteis e restuarantes aceitam euros, no entanto, é bom ter moeda local. Cartão de crédito também é amplamente aceito, e também é possível sacar Rupees nos caixas eletrônicos, diminuindo a necessidade de trocar Reais por Euros por Rupees.

Idioma

O idioma mais falado e compreendido pela população local é o Criolo. O Inglês e Francês também são amplamente falados.

Saúde e Malária

Como em qualquer país novo que você visita, é preciso precaução com a alimentação e higiene. Procure sempre priorizar comidas cozidas ao invés de cruas e leve sempre uma farmácia de viagem (neste post explico como montar a sua). Maurício não é uma zona de risco de malária.

Seguro de Viagem

Não é obrigatório para entrar nas Ilhas Maurício. No entanto, é sempre bom viajar assegurado né. Aquele tipo de coisa que ninguém que usar, mas é bom ter, não se brinca com saúde! Nós usamos o site Seguros Promo, que faz comparação de preços de vários seguros. Pra você ter idéia, um seguro de 10 dias por toda África começa em 77 reais! (Se você não sabe o que é um seguro de viagens, leia este post aqui).

Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

Eletricidade

As tomadas elétricas são 220 volts e tem dois tipos de pinos usados na Ilha, aquele britânico de três pinos chatos, e o europeu de 2 pinos redondos. Um adaptador universal quebra bem o galho.

O que mais saber sobre as Ilhas Maurício antes de ir

A ilha tem aproximadamente 1.3 milhões de habitantes. A grande maioria da população é de descendência indiana e os outros dois grandes grupos são os criolos – descendentes dos escravos africanos – e os chineses – presentes em todo continente africano. Mais recentemente tem havido uma explosão de expatriados sul-africanos. Também tem um grupo de descendentes de franceses, da época da colonização, que apesar de não terem mais muita presença na Ilha, ainda detém um grande poder econômico, sendo chamados de Gland Blancs – os brancos ricos.

Maurício foi “descoberto” pelos portugueses, colonizado pelos holandeses, franceses e ingleses. Se tornou um país independente em 1968.

Uma das coisas que todos tem em comum é o fato de serem descendentes de estrangeiros – engraçado que isso é uma das coisas que os une e dá um senso de identidade.

É um país muito tranquilo e harmonioso, com certeza você será bem recebido e tratado!

Neste post falamos mais sobre o que fazer e onde dormir na Ilha.

Veja aqui opções de hospedagem na Ilha.

* Foto da capa de meu grande amigo Fabio Akira! Thanks

Se Lança…

Veja estes outros posts que podem te interessar:

O que fazer e onde ficar nas Ilhas Maurício
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Turistando em Joanesburgo
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
Maputo City Tour
O que visitar na Suazilândia em 2 dias

 

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Cape Agulhas, o encontro dos Oceanos Índico e Atlântico

Cape Agulhas é um lindo local onde os grandes oceanos se encontram, o Oceano Atlântico e o Oceano Índico. É também considerado o ponto mais ao sul de todo continente africano.

Um fato curioso é que onde a Corrente Marítima Agulhas encontra a Corrente Benguela varia sazonalmente! No entanto, a International Hydrographical Organisation demarcou Cape Agulhas como o ponto oficial.

Muita gente acha que vai chegar lá e ver duas águas diferentes se encontrando, tipo o Rio Negro e Solimões, mas não é bem assim… É imperceptível ver no mar o encontro das águas. No entanto tem uma placa super legal demarcando o ponto, e que dá uma foto bacana! Olha aí:

duas pessoas na placa de cape agulhas
Nossos tios e leitores do blog em Cape Agulhas!

Como chegar em Cape Agulhas

A melhor maneira de chegar é de carro (nós usamos a RentCars), mas pra quem não está dirigindo na África do Sul, tem outras opções. Aqui falaremos como incluir Cape Agulhas no seu roteiro, ou fazer uma viagem de 1 dia para lá.

1 – Bate e Volta de Cape Town

É possível fazer um bate e volta para Cape Agulhas de Cape Town, leva entre 2,5 a 3 horas de viagem, ou seja, uma pernada! (O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas). Veja o mapa abaixo, pela estrada N2 e R316 são 223 kms. Se optar pos fazer este passeio, separe um dia inteiro para fazer essa visita.

2 – Incluir no Roteiro da Garden Route

É possível também incluir este ponto no seu roteiro na Rota Jardim, mas vai desviar bastante dele, principalmente quem está vindo de Swellendam.

3 – Incluir no roteiro pelo Cabo

A Flávia incluiu Cape Agulhas em uma viagem pelo Cape passando em Hermanus e Gansbaai. Outra opção de roteiro para quem não vai fazer a Garden Route mas quer conhecer um pouco mais da região do Cabo.

4 – Com operadoras de turismo

Existem operadoras de turismo que podem te levar saindo de Cape Town. Veja estes dois tours:

Este tour (link aqui) leva 9 horas entre viagem e passeio. Custa 125 euros por pessoa e inclui a entrada no Museu do Naufrágio em Bredasdorp. É um passeio de carro que passa em lindas estradas cênicas, a Sir Lowry’s pass na ida e a Clarence Drive na volta. Além de conhecer a cidade de Caledon.

Pra quem quer um passeio bem patrão, bem top, pode ir de helicóptero (link aqui)! Custa 150 euros por pessoa e sobrevoa também a cidade de Cape Town, a Table Mountain e outros pontos turísticos.

mapa_cape_town_para_cape_agulhas

O que visitar e ver em Cape Agulhas

Chegando lá, é claro que não tem como não amar, a paisagem é linda!

Neste post veremos fotos de dois passeios, dos nosso tios (acima) e da Flá. Um dia nublado e outro dia de sol. Cape Agulhas é lindo de qualquer jeito.

Lá tem um farol antigo que vale a pena conhecer. São 71 degraus de uma escadinha que não é prá todo mundo… A vista 360º de lá de cima é bem bacana também! Custa 28 rands para subir.

farol_cape_agulhas

Do farol até o ponto de encontro dos oceanos é uma caminhada de 1000m, mas é tranquilo pois tem um tablado de madeira e a caminhada é confortável. Prá quem não quer ou não pode caminhar, dá prá ir de carro por uma estradinha de terra que chega até lá. Tem um estacionamento junto ao farol que costuma ficar bem vazio.

caminho_do_farol_ate_placa_cape_agulhas

Continue andando e você vai se deparar com esta carcaça do navio Meisho Maru. É um naivo japonês, que estava carregado de atum, e se acidentou na costa em 1982. Olhem esta foto antiga, tirada em 1987 e compare com o estado atual do navio. É incrível ver a atuação da força do mar.

É possível chegar a pé, dá 1 a 1.5 kms de caminhada da placa dos oceanos, ou então dirigir pela estrada de terra que costeia o mar. A estrada é bem conservada, tranquila de usar. O sentido é em direção à Suiderstrand.

Viagem de volta a Cape Town

Pra quem tiver disposição e tempo, na viagem de volta é possível passar pela Clarence Drive. Esta é uma das estradas mais bonitas da África do Sul. São 22 kms entre Rooi-Els e Gordon’s Bay. Você dirige costeando o mar e com as montanhas te acompanhando. Olha essa linda foto do Blog do Craig Lotter, parece propaganda de moto né!?


Este é o mapa da rota, que te acrescentará 1 hora de viagem do que se fosse pela N2. Outra pernada, é pra quem curte estrada mesmo…

mapa_cape_town_para_cape_agulhas_passando_clarens_drive

De qualquer maneira, essa região do Cabo e o Parque Cape Agulhas são lugares bem bonitos. Pra quem vai ficar bastante dias em Cape Town, pode considerar fazer esse passeio bate-e-volta, ou então um roteiro de alguns dias dormindo em Hermanus, mergulhando com tubarões em Gansbaai, indo a Cape Agulhas e até De Hoop se for época de ver baleias.

Se Lança…

[Mikado id=’30’]

Outras posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Roteiro da Garden Route, dirigindo desde Joanesburgo
Vale a pena alugar carro na África do Sul?
Safari no Kruger Park, África do Sul
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Viajar para a África do Sul – Post Índice

Viajar para a África do Sul vale muito a pena! Pode parecer difícil, mas não é. Morei na África mais de 3 anos e sou apaixonada por este lindo país.

Aqui no blog tem MUITA dica de turismo e do que fazer na África do Sul, como chegar, como se virar, onde dormir, onde comer e muitas dicas de passeios e atrações turísiticas.

Este post é um índice de tudo que tem por aqui pra te ajudar a navegar e curtir ao máximo sua viagem para a África do Sul.

DICAS GERAIS NA ÁFRICA DO SUL

Como se virar na África do Sul
Vale a pena alugar carro na África do Sul?
Roteiro de 2 semanas na África do Sul
É seguro viajar para a África do Sul?
Seguro de Viagem Internacional – vale a pena?

CAPE TOWN / CIDADO DO CABO

O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Mergulhando com tubarões brancos na África do Sul
Onde ficar em Cape Town
Onde fazer Safari perto de Cape Town
Onde comprar diamantes em Cape Town

VINÍCOLAS

Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
10 melhores vinícolas de Stellenbosch
5 melhores vinícolas de Franschhoek
Constantia, vinícolas pertinho de Cape Town
3 melhores vinícolas em Paarl
3 vinícolas para ir com crianças na África do Sul
Vinícola Spier: Onde ficar em Stellenbosch

VINHOS SUL-AFRICANOS

10 vinhos tintos bons e baratos para tomar na África do Sul
10 vinhos brancos bons e baratos para tomar na África do Sul
7 Melhores Vinhos Sul-Africanos

JOANESBURGO, PRETORIA

Turistando em Joanesburgo
Onde comer em Joanesburgo – 8 sugestões de restaurantes
Onde ficar em Joanesburgo
Pretoria
Sun City Hotel, o que fazer
Museu do Apartheid em Joanesburgo

SAFARIS

Safari no Kruger Park, África do Sul
Onde ficar no Kruger
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
Madikwe
Onde fazer Safari perto de Cape Town
Onde fazer safari na África do Sul
Safari com criança na África do Sul: Aquila Private Reserve

GARDEN ROUTE / ROTA JARDIM

Roteiro de 5 dias na Garden Route
Mossel Bay
Swellendam e De Hoop
Knysna, equilíbrio perfeito entre Mar e Montanha
Saltar de Bungee Jump na África do Sul
Roteiro da Garden Route, dirigindo desde Joanesburgo.
Cape Agulhas, o encontro dos Oceanos Índico e Atlântico
O que fazer em Plettenberg Bay na Garden Route
George, a maior cidade da Garden Route

OUTROS CAMINHOS NÃO TÃO TRILHADOS

Panorama Route
Onde dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas
Ballito, praia tranquila próxima a Durban
Drakensberg

RESTAURANTES

Os 10 melhores restaurantes da África do Sul 2016
Os 10 melhores restaurantes da África do Sul 2017

ESTUDAR INGLÊS NA ÁFRICA DO SUL

Vale a pena estudar inglês na África do Sul?
Dicas práticas de intercâmbio na África do Sul

Ou melhor ainda, baixe nosso guia com todas as informações mastigadinhas pra você planejar sua viagem. Você pode ler o guia offline no celular, tablet, ou até imprimir e fazer suas própias anotações.

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

 

O que visitar na Suazilândia em 2 dias

Veja aqui todas as dicas do que visitar na Suazilândia com dois dias ou aquele passeio de um fim de semana.

A Suazilândia é um país bem pequeno, de norte a sul tem 200 kms de extensão e de leste a oeste 130 kms – sendo um dos menores da África. Estima-se que a população seja de 1.25 milhões de pessoas. Por mais incrível que pareça, a Suazilândia (ou Swazi) é uma monarquia absoluta – sim, lá é o Rei Ngwenyama Mswati III quem aponta o ministros.

Apesar de pequena, tem uma grande diversidade de clima e vegetação, tendo montanhas altas e frias e vales secos e baixos. O povo, como a maioria dos Africanos, são amáveis.

Com dois dias no país dá pra passear e conhecer bastante coisa.

O que fazer na Suazilândia

As Principais Atrações Turísticas são:

Mantenga Nature Reserve and Swazi Cultural Village – aqui tem uma vila típica representando o modo de vida na Suazilândia por volta de 1850. Você faz um tour guiado pela vila, onde conhece as construções e hábitos do povo e após esse tour, assiste a um lindo show de dança típica. São duas performances por dia, às 11:30 e 15:15.

A reserva também tem um rio e cachoeira que é possível chegar com uma leve caminhada.

Nós chegamos na vila por volta do almoço, comemos no restaurante The River Café lá dentro, caminhamos pela reserva e assistimos o show das 15:15.

 

Fábrica de Velas – esta fábrica – a Swazi Candles – existe desde 1982 quando começou com um trabalho pequeno de duas pessoas e hoje exportam para mais de 20 países. Aqui você pode comprar lindas e coloridas velas com temas africanos. Geralmente tem uma pessoa trabalhando como demonstração de como este artesanato é feito. No recinto tem também algumas lojinhas e um café bem gostoso. Abre todos os dias das 8:00 às 17:00.

fábrica de velas na suazilândia

Fábrica de Vidros – A Ngwenya Glass é uma fábrica que produz artigos com vidro 100% reciclados. Aqui você pode encontrar artigos de decoração e também taças, vasos e outros produtos feito em vidro. Os itens são todos feitos de maneira artesanal, se for durante a semana, pode ver a arte de “glass blowing”. Pois é, não precisa ir até Murano na Itália, África também tem vidros artesanais! A fábrica fica em um centro com um jardim, café e lojinhas de artesanato. Aberto durante a semana das 8:00 às 16:30, nos fins de semana e feriados fecha às 16:00.

fábrica de vidros na suazilândia

Hilane Royal National Park – Este parque é muito tranquilo e sereno, uma opção para descansar e relaxar. Aqui é possível fazer safaris guiados no jeep ou à pé. Uma observação importante é notar que o parque é dividido em áreas, ou seja, os animais não circulam livremente, apesar das áreas serem bem grandes. Dito isso, fica mais fácil ver leões e rinocerontes pois estes estarão em suas devidas áreas. É possível passar o dia ou pernoitar no parque. Quem optar pela opção de self-catering, ou seja, onde você cozinha sua própria comida, pode passar no mercado (Pick n Pay) em Manzini.

Onde Comer

Malandela’s Farmhouse Restaurant – este restaurante fica em um lugar é bem legal, chama House on Fire, uma enorme área aberta com mesas debaixo de árvores e um campo grande para as crianças correrem. Tem também um palco para eventos e pequeno parque. A curiosidade é que por todo recinto tem várias obras à la Gaudi, misturado com ocas africanas, super eclético. Ótimo para almoçar hamburgueres com fritas. Tenha paciência com o atendimento, principalmente se estiver cheio.

The Calabash – restaurante europeu, especializado em pratos austríacos, alemães e suíços. Preços um pouco caros para a Suazi, mas é uma boa opção para um jantar mais tranquilo e relaxado. Fone: (+268) 416 1187

Mugg n’Bean – quem conhece a África do Sul certamente conhece um Mugg n’Bean. Aqui os pratos não tem erro, hamburguer, sanduíches, tortas, sopas, cafés, bolos e etc… Este fica dentro do shopping The Gables.

Onde ficar na Suazilândia

A melhor região para ficar é no Ezulwini Valley.

Mantenga Lodge –  Nós e muitos amigos ficaram aqui. Este hotel está no Ezulwini Valley, onde estão localizados a maioria dos hoteis e opções de turismo. É vizinho do Mantenga Nature Reserve e Cultural Village e fica atrás do shopping. Tem um restaurante que é uma boa opção para jantar a noite depois de um dia de passeios. A especialidade é o Iyasha Inyama – um prato típico da suazilândia que quer dizer: a carne em fogo. Diárias à partir de 885 rands para duas pessoas. Endereço: 2 Mantenga Falls Road

Mogi Boutique Hotel – esta linda pousada foi recentemente reformada no maior capricho. É um lugar aconchegante e intímo, também no Ezulwini Valley. Os quartos tem microondas e frigobar, mas o wifi é só na recepção. Diárias à partir de 1250 rands para duas pessoas. Endereço: Main Road, M407

Royal Swazi Spa – esta opção é mais luxuosa, com SPA, golf, cassino e piscina ao ar livre, além da academia e saunas. Diárias a partir de 1700 rands para duas pessoas. Endereço: Manzini Main Road

Shopping

The Gables – este pequeno shopping center é bem ajeitadinho. Uma boa opção de onde comprar algumas coisinhas. Tem um supermercado, o Pick n Pay, um Wollies (roupas) e um Mugg n’Bean. Um pequeno mall parecido com os da África do Sul, muito organizado. Endereço: MR 103 Road no Ezulwini Valley

Eventos na Suazilândia

Os principais eventos no país são:

MTN Bush Fire – festival de música que acontece uma vez ao ano no eclético House on Fire. O evento recebe por volta de 25 mil pessoas!! É um dos eventos mais famosos na África, então se quiser ir, se programe com muita antecedência, compre os ingressos e reserve seu hotel. Muita gente que não consegue hotel leva barraca para acampar. Este evento, como eles mesmo denominam, é holístico, envolvendo música, artes, comida, artesanatos e experiências únicas. O evento dura 3 dias e geralmente acontece no final de maio. Vale muito a pena!

bush_fire_swazi_2016
Foto Divulgação

Umhlanga – também conhecido como Reed dance festival – é uma tradição cultural da Suazilândia que celebra a castidade. Milhares de meninas de todo país vem para o festival dançar, onde o rei tem direito a escolher mais uma esposa. Ultimamente ele não tem pego mais esposas, afinal já tem 15, mas o evento tem se mantido para preservar a cultura local. No entanto, há sempre polêmicas. O The Guardian publicou em 2016 um artigo dizendo que as famílias da meninas que se recusam a participar são punidas.

Tem bastante coisa pra fazer em dois dias nesse país, pra quem mora na região, vale a pena passar um fim de semana na Suazilânida.

[Mikado id=’22’]

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Como chegar na Suazilândia
Como se virar na África do Sul
Turistando em Joanesburgo
Safari no Kruger Park, África do Sul
Panorama Route
Onde dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas
Maputo City Tour

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

~ Se Lança ~

Tudo sobre a Ilha de Moçambique

A Ilha de Moçambique fica localizada na província de Nampula, deu nome ao país e foi sua primeira capital. Contam alguns moçambicanos que este nome é derivado de Mussa Al-Biki, um comerciante árabe que ali chegou no século XI. Algumas pessoas com quem conversei dizem mais: Mussa Al-Biki dominava a ilha quando Vasco da Gama lá chegou, em 1498. Será?

Foto da ponte na ilha de moçambique

A ilha tem pequenas dimensões, permitindo que seja explorada em um fim de semana com tranquilidade. Apesar de seu tamanho, guarda construções (ou o que restou delas) que contam a história do país. Graças a riqueza de memórias, foi nomeada nos anos 90 pela UNESCO como Patrimônio Mundial da Humanidade. Para saber um pouquinho mais da ilha, vale à pena conversar com os moradores durante a visita.

Não menos importante (hahaha): na ilha encontrei a cerveja mais gelada de todos os lugares que já visitei neste país! Quem conhece Moçambique, sabe… cerveja gelada, daquela que forma um “véu de noiva” como dizemos no Brasil, é artigo raro! Mas a ilha parece ter sido contaminada por essa nossa preferência (ufa!).

Como se virar

Como todo lugar de Moçambique, não dispensa um bom protetor solar e um repelente potente para se proteger dos mosquitos! Além disso, roupas confortáveis, roupas de banho (caso queira dar um mergulho nas águas da baía de Mossuril) e um par de tênis para explorar a ilha a pé. Sim, a pé! São apenas 3 quilômetros de extensão. Vale a pena visitar e registrar cada cantinho da ilha.

Locomoção / Como chegar

Para chegar à ilha a partir de Maputo, não aconselho transporte público pois é bem distante e levará mais de 2 dias. Há voo direto da LAM de Maputo para Nampula todos os dias. De Nampula para a Ilha de Moçambique, são 180 km (aproximadamente 2 horas e meia de carro), a maior parte seguindo pela EN8 em direção à Nacala até visualizar a placa de sinalização que indica a ilha. A sugestão é alugar um carro no aeroporto de Nampula (há uma loja da Europcar lá). De carro, é possível entrar na ilha através de uma ponte que a liga ao continente. A ponte funciona 24 horas e sua travessia custa aproximadamente 75 dólares. Uma vez na ilha, é possível fazer tudo a pé.

Quem estiver na África do Sul, a South African tem vôos direto de Joanesburgo para Nampula.

portal de entrada na ilha de moçambique

Onde comer?

Seguindo a dica de amigos que já visitaram a ilha, fui almoçar no Bar da Sara. Ao chegar no local, parecia apenas um trailer que servia cerveja e petiscos. Mas um dos clientes apontou para uma pequena passagem e avisou que o restaurante fica atrás desse trailer. O ambiente é simples, agradável e a comida vale muito a pena! Experimentei a especialidade da casa e comida típica moçambicana – Matapa de siri-siri com arroz de côco (uma espécie de ensopado de folha de mandioca pilada, cozida em molho de amendoim pilado e leite de côco). Delicioso! A melhor matapa que já comi.

Além disso, é possível tomar uma cervejinha gelada, conversar com a Dona Sara – dona do bar que leva seu nome, e observar as meninas trabalhando na cozinha com o rosto coberto de mussiro (creme tradicional para a pele, feito a partir do caule da planta de olax dissitiflora, com propriedade rejuvenescedora de acordo com a crença moçambicana). Enfim, vai além de uma experiência gastronômica.

tomando cerveja gelada na ilha de moçambique

No início da noite, a dica é o terraço do bar Flôr de Rosa (yes, a ilha tem um rooftop). Ótima opção para drinks, comidinhas, curtir a brisa e ouvir uma música. O bar fica em uma casa antiga, pertinho do hospital. Mas não deixe para ir muito tarde pois apesar de encerrar à meia-noite (coisa rara por aqui), o espaço é pequeno e bastante procurado.

O que fazer?

A ilha é dividida em duas partes: a “cidade de pedra”, parte norte onde encontramos os principais monumentos históricos, e a “cidade de macuti” (tiras de folhas de coqueiro espalmadas), parte sul onde localizam-se as casas de construção mais simples.

ilha_de_mocambique_04

ilha_de_mocambique_05

 

Na chamada cidade de pedra:

Palácio de São Paulo – vale muito a pena visitar. A construção já foi colégio jesuíta e, após um incêndio e sua reforma, serviu de casa para o Governador e Capitão-General do Estado de Moçambique à época. Com a transferência da capital para cidade de Maputo (ex-Lourenço Marques), o palácio passou a ser a casa do Governador do Distrito de Moçambique até 1935. Aproximadamente após 20 anos desocupado, o palácio tornou-se a residência do presidente da República Portuguesa e seus ministros quando em visita à colônia.

Até mesmo Samora Machel, um ícone moçambicano, já pernoitou no palácio e por ele foi decretada a sua transformação em museu. A visita ao museu é bem rápida mas vale a pena ouvir as histórias contadas pelos guias que nos acompanham pelo tour, principalmente “aquelas” histórias da realeza. Anexo ao palácio, há uma pequena igreja em estilo barroco – a Igreja de São Paulo, onde ainda são celebrados casamentos. Portanto é bem comum que o palácio seja usado como cenário para fotos dos noivos…

ilha_de_mocambique_06

ilha_de_mocambique_07

 

Fortaleza de São Sebastião – erguida entre os séculos XVI e XVII para proteção do território recém-descoberto pelos portugueses, serviu também de apoio às navegações que transitavam entre Lisboa e Goa (percurso conhecido como Carreira da Índia). Por falta de dados históricos sobre sua construção, foi criada uma lenda que diz que a fortaleza não foi obra de homens, mas sim de um fantasma, e assim espalhou-se por toda a província. Para aqueles que curtem fotografia, a visita à fortaleza rende excelentes fotos da costa.

Fortaleza na ilha de moçambique

 

Capela de Nossa Senhora de Baluarte – antes um baluarte artilhado – parte da estratégia defensiva dos portugueses, mais tarde transformado em capela, é a edificação europeia mais antiga do hemisfério sul data de 1522 e fica dentro da Fortaleza de São Sebastião.

vista da ilha de moçambique

 

Próximo à ilha

Praia de Chocas – pensa em uma praia linda, areia bem branquinha e água do mar de cor indescritível… é a praia de Chocas – pelo continente, são 60 km de distância da ilha. É uma boa opção para fazer dupla com a ilha em uma viagem de 3 dias inteiros. Para ficar: Carrusca (mais rústico, para quem curte praia e um belo prato de lagosta a um valor acessível) ou o Coral Lodge (para quem prefere se hospedar com infraestrutura mais caprichada e está disposto a gastar mais). De qualquer maneira, eu indico a esticada!

praia de chocas moçambique

Onde se hospedar?

A ilha tem poucas opções de hospedagem (dado seu tamanico), mas é possível pernoitar com charme em um desses dois lugares:

Villa Sands – passei a noite nesta pousada. De cara para o mar, quartos confortáveis, decoração simples, mas com aquele toque europeu, afinal os donos são suecos que se apaixonaram pela ilha quando visitaram pela primeira vez. O café da manhã é servido em um varandão com piscina e vista privilegiada para o Índico. No mesmo espaço, é possível tomar um drink no fim de tarde e ver o pôr do sol inigualável da África (só quem já viu, sabe). Oferecem o serviço de organização para passeios de barco, mergulho e visita guiada à ilha.

hotel na ilha de moçambique

Terraço das Quitandas – traduz a mistura Oriente e Europa presente por toda a ilha e por isso vale uma visita mesmo hospedado em outro lugar. Também com vista para o mar, tem um jardim externo lindo e apenas 6 quartos. Oferecem serviço de massagem e passeios guiados pela ilha, além de passeios de lancha à vela (ou “dhow”) até as ilhas de Goa e Sete-paus.

hotel na ilha de moçambique

O Escondidinho – simples e confortável, tem 10 quartos (apenas 7 com banheiro privativo) e é uma graça! Fica bem no centrinho da “cidade de pedra” e a 800 metros do Palácio de São Paulo. Também conta com uma piscina, bar/restaurante e oferece serviços de massagem.

Não esqueça! Na saída da ilha, faça um pit stop para uma das fotos mais tiradas por lá (já foi até capa de revista da companhia aérea South African): embaixo da ponte que liga a ilha ao continente, com as águas do Índico como pano de fundo.

IMPERDÍVEL!

foto da passarela debaixo da ponte na ilha de moçambique

 

Se Lança…

 

[Mikado id=’26’]

Veja esses outros posts que podem te interessar:

Maputo City Tour
Como viajar para Moçambique – Guia de Sobrevivência
Tofo, paraíso do mergulho em Moçambique
10 Melhores Restaurantes de Maputo (com endereço!)
Macaneta, a praia mais próxima a Maputo
Panorama Route na África do Sul
Safari no Kruger Park, África do Sul
Onde Dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas

Constantia, Vinícolas pertinho de Cape Town

Se Lança pra Constantia

Constantia é uma região de vinícolas praticamente dentro da Cidade do Cabo (guias completos aqui: 1, 2 e 3). Na verdade é um bairro/subúrbio, considerado um dos mais nobres de toda África do Sul. É formado por casas enormes em terrenos maiores ainda, e algumas dessas propriedades são vinhedos ou fazendas. Tem renomados restaurantes para visitar, basta reservar com antecedência. (A outra opção de rota de vinícolas é Franschhoek e Stellenbosch).

Em Constantia você vai encontrar excelentes vinhos, feitos em pequena escala. O que você não vai encontrar são shoppings, centros comerciais, nem sequer uma rua principal. É tudo muito exclusivo e fino!

Mas entrar pra conhecer não paga nada, então segue a lista:

A Rota dos Vinhedos de Constantia

Tem 10 propriedades principais para visitação em apenas 18 kms, são elas na sequência:

1. Silvermist – linda propriedade familiar, está dentro das limitações do que é considerado o Parque da Table Mountain. Produzem vinhos orgânicos. Oferecem café da manhã, almoço e degustação de vinhos até às 18:00. GPS: -34.0133427 | 18.4028419

silvermist

2. Beau Constantia – bem diferente das tradicionas vinícolas, esta antiga fazenda de flores e pinhos tem uma arquitetura bem moderna. GPS: S 34°0’ 48.57” | E 018° 24’ 21.67”beau_constantia

3. Constantia Glen – aberto para degustação todos os dias da semana. Pacote básico com 5 vinhos custa 55 rands, e provar todos os 7 vinhos da casa, 80 rands. É possível parear os vinhos com chocolate ou queijos. Fala sério né?! As três coisas mais divinas na terra. GPS: -34.0151594 / 18.4122804constantia_glen

4. Eagle’s Nest – propriedade familiar que chegou a ser destruída no ano 2000, com exceção dos prédios, foi reconstruída e adaptada para as uvas mais propícias da região. Aberto das 10 às 16:30 GPS: S 34deg 0’54.2″ E 018deg 24’54.3″ eagles_nest

5. High Constantia – o dono está em vias de restaurar esta antiga viníola vendida e desmembrada em 1942. Hoje produz vinhos artesanais. Aberto para degustação das 9 as 17 de segunda a sexta e das 10 às 15 aos sabados. Bom reservar antes pelo site.

6. Groot Constantia – vinícola mais antiga da Africa do Sul, desde 1685. A casa principal, que tem uma linda arquitetura Cape Dutch, possui uma adega e exibição de vinhos. Muito lindo, porém é a propriedade mais comercial de todas. Tem dois restaurantes bem grandes, o Jonkershuis e o Simon’s. Eu comi um prato Cape Malay no Jonkersuis, bem gostoso. Em qualquer um deles, vale a pena esperar uma mesa pra sentar do lado de fora. GPS: 34 01’ 37,03” S / 18 25’ 28,84” Egroot_constantia

7. Klein Constantia – vinícola tradicional e que produz renomados rótulos, incluindo um dos melhores vinhos doces (sobremesa) do mundo – Vin de Constance. Eu particularmente prefiro os tintos que também são maravilhosos. Linda propriedade! Os horários para visita mudam conforme estação do ano, bom dar uma olhada no site antes. GPS: 34°2’19.0″S / 18°24’46.5″Eklein_constantia

8. Buitenverwachting – é repetitivo dizer que a propriedade é linda, mas é que todas são! O diferencial deste local é o restaurante e 0 café Coffee Bloc – servem bolos e biscoitos feitos no dia pra quem precisar dar uma pausa em vinhos. Durante o verão é possível encomendar um picnic, onde tudo é servido em cestas e as pessoas acomodadas debaixo dos Carvalhos em cadeiras e cobertas. Ah, aqui também tem uma joalheria… não é fraco não!! GPS: S 34° 2’ 23” E 18° 25’ 24”buiten_home_image

9. Constantia Uitsig – além dos excelentes vinhos (com loja própria), linda propriedade e restaurante Open Door, o diferencial desta vinícola é a pista de mountain bike “The Bike Park“. A pista abre das 8 às 18:30 e acomoda todos no níveis de atletas. Custa 50 rands para entrar. GPS: S 34° 02.45’ 28” / E 18° 25.12 ’ 55” constantia_uitsig

10. Steenberg – pense em chique, não – chiquérrimo: hotel 5 estrelas, spa, campo de golf, restaurante e bistrô… ah sim, tem vinhos também! GPS: S 34° 04’16.6” E 18° 25’ 31.1”steenberg

 

Olha o mapinha com a rota (baixe o arquivo em PDF mapa_rota_constantia_vinhos_africa_sul):

rota_vinicola_constantia_cidade_cabo

Como chegar lá

Para fazer essa rota, uma sugestão é alugar um carro e assim você pode ir a qualquer vinícola que quiser. O ponto negativo é eleger o motorista da rodada.

Outra opção é usar o ônibus vermelho, aquele famoso em várias cidades que você sobe e desce em diversos pontos turísticos. O tour chamado Purple Wine Tour passa em 3 vinícolas: Groot ConstantiaEagles’ Nest e Beau Constantia. Mais informações sobre este passeio Purple Wine Tour.

Este site vende os ingressos antecipados, tour de 1 dia sai por volta de 45 reais e o tour de 2 dias por 60 reais. O tour vale por todos os pontos turísticos de Cape Town, não só o Tour de Constantia.

Restaurantes em Constantia

La Colombe – Um dos restaurantes mais disputados da África do Sul. Nunca consegui uma reserva aqui pra falar a verdade… Não adianta ligar com alguns dias de antecedência, tem que ligar com semanas, talvez uns 2 meses antes pra reservar. Infelizmente crianças abaixo de 12 anos não são bem-vindas durante o jantar, somente almoço.  Fone: +27 (0) 21 795 0125 / +27 (0) 21 794 2390

5 Rooms – Menu cosmopolita, ambiente sóbrio, tradicional e elegante. Aberto para jantar de 2a a Sabado e almoço aos Domingos. Tem também Chá da Tarde, “High Tea” das 15:30 às 17:30. Fone: +27 (0) 21 795 6313, GPS: 34° 0’46.55″S 18° 27’3.06″E – Atualização: Fechado para reforma.

The Greenhouse – elegante e sereno, é atualmente o restaurante número 1 no trip advisor em Constantia. É chique (fine dinig) e moderno. Então seria redundante dizer que é preciso fazer reserva né? Possui menu degustação com emparelhamento de vinhos. Aberto apenas para jantar. Fone: +27 (0) 21 795 6226 / Endereço: dentro do Hotel The Cellars-Hohenort na 93 Brommersvlei Rd.

The Brasserie Bistro rústico e acolhedor, nada de prato “gourmet” aqui, é tudo mais caseiro. Pratos são feitos com ingredientes orgânicos e comprados localmente. Fone: +27 21 712 1363 / Endereço: Shop 1 Forest Glade House, Tokai Road

Onde dormir

A regra em Constantia são acomodações de luxo…

Steenberg Hotel and vineyards – registrada como a fazenda mais antiga da Africa do Sul, aqui você encontra SPA, Golf, restaurante e acomodação cheia de charme.  Preços vão de 2850 a 17500 rands! Fone: +27 (21) 713 2222, GPS: -34.075323, 18.422774

premier-suite

Alphen Boutique Hotel – apenas a 15 km do centro de Cape Town, este elegante butique hotel é pra quem procura luxo e exclusividade. O hotel conta com 19 suites e faz suas 5 estrelas valerem a pena. Preços vão de 1800 a 5500 rands dependendo da estação. Fone: +27 (0) 21 795 6300, Endereço: Alphen Drive, Constantia, 7806. GPS: 34° 0’46.55″S 18° 27’3.06″E

constantia_alphen

 

Outras opções de hospedagem em Constantia aqui.

Outros passeios em Constantia

Outras opções pra quem não está de carro e quer um passeio mais formal que o tour de ônibus, pode optar por estes passeios com operadoras de turismo. É possível comprar antecipado, um  tour é de bicicleta e o outro tour guiado de carro pelas vinícolas. Ambos custam por volta de 300 reais e duram meio dia.

Bike & Saddle – pedalada pelas vinícolas com degustação de vinhos.

Se lança…

 

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
10 melhores vinícolas de Stellenbosch
5 melhores vinícolas de Franschhoek
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Mergulhando com tubarões brancos na África do Sul

Tudo sobre as Vinícolas em nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

O que fazer em Cape Town, além do roteiro tradicional

Tem MUITO o que fazer em Cape Town. Essa cidade é tão boa, mas tão boa, que merece mais um post do que fazer por lá – além do básico. Já tive o privilégio de ir quatro vezes pra cidade, e cada viagem é uma nova descoberta. Pra quem não viu, o primeiro post é este: Guia da cidade do cabo, e tem este post sobre as praias da região: Praias de Cape Town.

Cape Town – Fugindo do roteiro tradicional

Claro que primeiro é preciso bater carteirinha nos pontos básicos: Cabo da Boa Esperança, Boulders Beach, Table Mountain, Waterfront, etc… Isso é indiscutível. Mas depois de cumprida a “árdua tarefa”, tem outras coisas a fazer também:

Signal Hill e Lions Head – Essas duas montanhas fazem parte do complexo do Parque Nacional da Table Mountain. Também fornecem lindas vistas da região. Signall Hill é possível chegar de carro e dá vista para a cidade e o porto. Lions Head tem que fazer uma caminhada para chegar. Leva de 1 a 2 horas dependendo de sua forma física.

A trilha de hiking é bastante íngrime, então pode ser assustador para que tem medo de altura. Tem duas opções de trilha, a mais curta requere uma pequena escalada amparado por correntes e um corremão. É possível fazer a trilha um pouco mais longa que não tem escalada. Lions Head tem uma vista de 360 graus, vê-se a cidade, mar e a própria Table Mountain. Ambos os passeios são grátis. Ultimamente é moda subir nas montanhas em lua cheia, porém não é recomendável. Atenção! A segurança nestes lugares ainda é pouca e tem havido casos de furtos.

panoramica_CPT_waterfront

Kirstenbosch Botanical Garden – lindo e enorme jardim botânico da cidade, no verão costuma ter concertos ao vivo no gramado pelo fim da tarde, confira a programação no site. O passeio inclui bater perna, cheirar flores e folhas, deitar na grama e fazer piquenique ou sentar no café que tem lá. Entrada custa 60 rands. Possível comprar com antecedência neste link.

kirstenbosh_gardens

Gun Fun – stand de tiro indoors onde a adrenalina vai a mil. Fica no subsolo da loja City Guns. Aqui é possível atirar com várias e diversas armas, não é preciso ter experiência nenhuma, tem uma pequena indução antes de começar. Tem muitos pacotes a escolher, dependendo de quais armas você quer usar. Uma sugestão é o pacote para salvar os rinocerontes, é o pacote mais vendido deles, custa 1250 Rands por pessoa. Você atira com uma AK47 e Golck Pistol – se errar o alvo, tem que fazer uma doação à ONG que protege os bichos. É claro que precisa fazer reserva! Endereço: 57 Hout Street, Fone:+27 (0)21 423 0465.

clube_de_tiro_cidade_cabo

Tours gratis pelo Centro Histórico, Bo-Kaap e District Six – Existem três tours guiados que se pode fazer a pé na cidade. Os passeios são gratis, então seja generoso com seu guia e dê uma bela gorjeta.

Saídas do Green Market, procure pelos guarda-chuvas verdes:

Historic Tour – 11am e 4:20pm
Bo-Kaap Tour – 2pm e 4.20pm
District Six Tour – 11am e 2pm

Zeitz MOCAA – museu de arte moderna africana, feita por artistas africanos. O prédio é outra atraçãp à parte, super lindo e moderno. Ingresso custa 180 rands por pessoa. Na primeira sexta-feira do mês, quem entrar das 16 até as 21h paga meia entrada.

World of Birds – para os apaixonados por pássaros, este é um paraíso, o maior parque de pássaros da África. Tem mais de 3000 pássaros de 400 espécies diferentes. Adultos pagam 120 pra entrar e crianças 45 rands.

Tandem Paragliding – saltar da Lions Head ou Signal Hill junto com o instrutor de paragliding. O passeio dura por volta de 5 a 30 minutos – é isso mesmo! Não tem como prever quanto tempo irá levar, depende das condições climáticas. Custa 1300 rands por pessoa, recomendável reservar com antecedência. Tem preços adicionais para foto e vídeo.

Aluguel de Harley Davidson – é possível alugar uma moto Harley Davidson pra andar pelas estradas mais lindas do país. Precisa ter carta de moto. Tem que mandar os documentos com antecedência e pedir uma cotação à empresa. Outra empresa é a Cape Bike Travel. (Leia: Como tirar sua permissão internacional para dirigir).

Praias – estique-se ao sol e pegue uma praia no Cabo, veja Praias de Cape Town nest post todas as dicas e opções.

Onde mais comer em Cape Town

Cape Town tem os melhores restaurantes da África do Sul, alguns inclusive estão na lista Michelin List e World’s Best Restaurants. Eu nunca tive a oportunidade de conhecer esses lugares pois a lista de espera é enorme, se quiser, se programe e faça a reserva com muita antecedência.

Mas não são os únicos restaurantes a brilharem, tem muito lugar bom por lá, dessa vez conheci lugares maravilhosos, indico todos. Esses também precisam de reserva, sul-africano é assim organizado, mas uma dica pra quem não tem reserva, é jantar bem cedo. Chegue entre 18:00/18:30 que você provavelmente conseguirá uma mesa.

Lista de restaurantes legais em Cape Town

FORK – Restaurante de tapas no centro da cidade. As tapas são pequenas, peça 3 tapas por pessoa pra começar e veja depois a quantas anda a fome. Tudo é muito bom, não tem erro, comida fantástica, virou um dos meus favoritos na cidade. Endereço: 84 Long Street, Fone: 21 424 6334

tapas_cape_town_restaurant_fork

Haiku – Moderno “asian fusion”. Esse restaurante também é de tapas, mas não se engane, as tapas são gigantescas! Eu pedi duas pra começar e nem consegui terminar de comer. Os pratos são todos asiáticos; tem japa, chinês, tailandês e afins. Altamente recomendado. Endereço: 58 Burg street, Fone: 21 424 7000

Den Anker – Restaurante belga situado no Waterfront. Se o tempo estiver bom, você pode sentar do lado de fora (ou na janela) e apreciar a vista direta pra Table Mountain.Tem muita opção de cervejas belgas enormes! Pratos belgas também estão no cardápio, como coelho, pato, etc. Mas tem o básico pra quem não é muito aventureiro. Fone: 21 419 0249

den_anker_waterfront_cape_town

Cafe Mozart – Cafézinho fofo pra quem estiver ficando no centro da cidade. Para o café da manhã tem o Little Mozart ou Full Mozart, que são os tradicionais ovos, bacon, tomate e etc. Tem opções mais lights também. Uma sugestão pra quem não toma café preto, é experimentar o Red Capucino, tem pelo país todo. É um capucino feito de chá de Roiboos e geralmente tomado com mel. Eu adoro. Endereço: 37 Church Street, Fone: 21 424 3774

Locomoção em Cape Town

No meu post anterior, eu recomendei alugar um carro pra andar pela cidade e fazer os roteiros dos vinhos. Eu ainda acho a melhor opção, todas as vezes que fui, aluguei carro. (Eu uso a RentCars para alugar carro na África do Sul). Porém, fiquei feliz em notar na última visita (Dez 2018) um grande aumento de micro ônibus pela cidade. Veja detalhes e rotas na página do My Citi.

Leia este post: Vale a pena alugar carro na África do Sul?

Acomodação em Cape Town

Veja neste post tudo explicado sobre quais melhores bairros em Cape Town.

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Constantia, vinícolas pertinho de Cape Town
Turistando em Joanesburgo
Safari no Kruger Park, África do Sul
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
10 vinhos tintos bons e baratos para tomar na África do Sul
Mergulhando com tubarões brancos na África do Sul

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[Mikado id=’16’]

~ Se Lança ~

Tofo, paraíso do mergulho em Moçambique

Tofo é considerado o paraíso do mergulho em Moçambique. Scuba diving e snorkeling também entram no pacote! Aqui tem muita gente bacana, comida boa, o lindo e cristalino Oceano Índico, corais, tubarões-baleias, baleias, infinitos peixes, raias gigantes, sol, areia – quer mais o quê!? Uma cerveja né? Tem também!

Eu gostei muito da vibe deste lugar, tem muito estrangeiro aqui, é impressionante. Nosso instrutor de mergulho era um australiano que já morava a 10 anos na “cidade”. Aí você para e pensa, je-suis, como o cara consegue viver a 10 anos neste vilarejo!? O cara tem que ser muito apaixonado por mergulho. E como ele tá cheio de gringo lá, impressionante. E os locais, juro que são os mais simpáticos de toda Moçambique. Ô vila boa pra conhecer.

Como se virar

Tofo é uma cidadezinha bem pequena (tipo umas 3 ruas no total), bem de praia. Muito relaxada. Não tem segredo, é só chegar junto.

Não tem opção de supermercado, mas tem as barracas vendendo coisas frescas. Se precisar de alguma coisa diferente, pode ir a Inhambane, dá uma meia hora de carro.

 estrada_para_tofo

Locomoção e como chegar em Tofo

As principais duas maneiras de chegar a Tofo são de carro ou de avião. Transporte público também é possível pra quem quiser encarar. Tem ônibus diários saindo do Terminal Rodoviário da Junta em Maputo. São aproximadamente 500 km de Maputo.

De carro há quem diga que é possível fazer esse trecho em 5 horas e meia, desconfie. Tempo mais realista são 6.5 a 7 horas. A estrada é boa, só seguir pela EN1, assim que passar Lindela, vire à direita, sentido Inhambane. Cruze a cidade de Inhambane em direção a Tofo. Durante todo o trecho, cuidado com os radares móveis, principalmente nas chegadas e saídas das vilas, onde a velocidade cai para 60km/h.

Nós fomos de carro, e pra quem conhece o Juliano (maridão) sabe o quão cuidadoso ele é na estrada. No entanto, tomamos aquela multa básica em Moçambique. Sabe, onde o limite de velocidade é de 60 km/h, você passa a 70 km/h e tem um guarda ali, só te esperando =) Quem vive em Moçambique entende bem… Mas foi tranquilo, pagamos nossos 1000 meticais, pegamos o recibo e vida que segue.

Em Inhambane existe um aeroporto (INH), é possível voar para lá desde Maputo pela LAM. O vôo é curto mas o preço é alto! Do aeroporto de Inhambane para Tofo é possível ir de taxi ou organizar com seu hotel o traslado.

praia_da_barra

Onde ficar em Tofo

Tem muito lugar pra ficar em Tofo, muito mesmo! Tem opções de hoteis, pousadas, albergues ou casas de temporada. Seguem algumas sugestões:

Hotel Tofo Mar – Localização TOP, pé na areia mas ao lado do centrinho da cidade. É o hotel mais chique de Tofo. Não tem erro. Foi todo reformado e reabriu em 2013, tem restaurante e bar. Também ajuda a orgazinar outras atividades como surfe, kayak, quad bike, etc. Organizam pacotes de mergulho com a Diversity Scuba.

Casa na Praia Tofo – Composta por três casas, a Casa Amarela, Casa Azul e Bangalô Africa. Hotel com pé na areia no fim da praia, mas ainda perto do centrinho da cidade, só uns 200 metros. Ideal pra quem quer um pouco mais de sossego.

Casa do Mar – Linda pousada situada acima da praia. Tem 7 quartos, alguns com vista para o mar. Os donos são entusiastas de pescaria em alto-mar e organizam excersões para seus hóspedes. Saborie o café da manhã feito pelo chef da casa, mas avise antes, não está incluso na diária.

Casa de Beija Flor – Eu fiquei aqui, é uma “casita” simples, mas confortável. Tem uma cama de casal e duas camas de solteiro. Estrutura de cozinha toda. Tem uma churrasqueira também, se quiser usar, leve o carvão. Preço justo, por volta de 65-70 USD a noite. A única desvantagem é que não é na linha de frente ao mar, mas são 10 minutinhos andando.

casa_de_beija_flor

Fatima’s Nest – para os mochileiros de plantão, este albergue tem dormitórios, espaço pra camping e chalés mais simples, todos voltados para o mar. Tem também cozinha, bar e sinuca.

Onde Comer

Tofo Tofo – comida típica, caseira e bem “comfort”. Vá de Matapa de Frutos do Mar ou Carril de Camarão.

What U Want – bar e comida italiana. Experimente o Penne com creme e carangueijo. No almoço, os sanduíches são excelentes também, feito na ciabatta. Recomendo o de Salame ou Presunto Parma, delícia.

what_u_want

Casa de Comer – fusão de comida moçambicana com francesa, promete mais do que entrega, mas tem um ambiente agradável. Boa pedida para crepes.

casa_de_comer

The Green Turtle – Restaurante franco-moçambicano na Praia da Barra, 15 mins de carro de Tofo. Simplesmente sen-sa-cional, vale a visita até aqui. Sentado de frente para o mar, comece com uma água de coco e depois passe pra um bom vinho branco sul-africano. Amêijoas de entrada e camarão empanado no prato principal. Aproveite e passe o dia na praia também, mas não vá embora muito tarde, a maré sobe e a estrada de areia fica com algumas poças de água salgada no fim do dia.

green turtle restaurant

O que fazer em Tofo

Além do óbvio “esticamento no sol”, Tofo oferece muitas atividades: scuba diving, snorkeling, safaris no mar, surf, kite-surf, quad bike, pescaria em alto mar e passeios a cavalos. Abaixo as operadoras de mergulho em Tofo:

Mergulho, scuba, snorkeling e ocean safaris:

Liquid Adventures
Diversity Scuba
Peri Peri Divers
Tofo Scuba

Uma dica do Du (amigo e autor do blog Du, Lugares e Olhares) – que é mergulhador MESMO – é que 5 dias de mergulho seria o ideal, daria 10 mergulhos. O Hotel Tofo Mar oferece um pacote hotel + mergulho bem interessante, ótimo custo/benefício.

mergulhador na praia do tofo com arraia

Certificação e Carteira de Mergulhador PADI em Tofo

Eu fiz o curso de mergulho e batismo com a Diversity Scuba, passamos 4 dias lá estudando, mergulhando na piscina e mar. Foi muito intenso, mas valeu a pena. Idealmente uma semana é melhor para fazer o curso, pois você pode estudar e descansar, mas se você não tem esse tempo, como nós não tinhámos, dá pra apertar a agenda. Nós levávamos material para estudar a noite no hotel e de manhã voltávamos pra escola já prontos pra próxima etapa.

Saímos de lá certificados para mergulhar! A carteira de mergulhador da PADI chegou alguns meses depois pelos correios.

Outras atividades em Tofo

No The Surf Shack é possível alugar equipamento de surf. No restaurante What U Want, também tem pranchas de surfe para alugar.

Cavalheiros do Tofo – apesar do nome ser cavalheiros, são cavaleiros 😉 Organizam passeios a cavalo pela praia.

cavalgada_na_praia

Pescaria em alto mar com o Allen pela Sundust Fishing Charters. O passeio inclui o equipamento, isca e lanche.

Quad biking – passeio em quadriciclos – são organizados na Casa Anlija. Os passeios são pelas plantações de coco e outras trilhas na região, na praia é proibido.

Veja esses outros posts que podem te interessar:

Tudo sobre a Ilha de Moçambique
Maputo City Tour
Como viajar para Moçambique – Guia de Sobrevivência
10 Melhores Restaurantes de Maputo (com endereço!)
Macaneta, a praia mais próxima a Maputo
Panorama Route na África do Sul
Safari no Kruger Park, África do Sul
Onde Dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas

~ Se Lança ~

10 melhores restaurantes de Maputo (com endereço!)

Se lança nos melhores restaurantes de Maputo

Em Maputo há muitos bons restaurantes, essa é a lista dos meus preferidos, a ordem é aleatória – o importante é comer!

Sei que parece uma missão impossível descobrir a localização dos estabelecimentos nessa cidade, por isso coloquei o ponto no mapa de onde fica cada um. De nada.

Lista dos 10 melhores restaurantes de Maputo

1. Dhow – Melhor ambiente e melhor vista

Um misto de café com arte. Na entrada é uma galeria de artes, móveis e artigos de decoração. Aos fundos fica o café. A comida não tem nada de especial, são sanduíches e saladas, mas o Dhow possui de longe, a melhor vista da cidade e o melhor ambiente. Tem também excelentes chás gelados. Preço médio: 700 meticais/pessoa. Faça sua reserva antes de aparecer: 82 024 7340, Endereço: Rua de Marracuene No.4

endereco_dhow_maputo_melhores_restaurantes

2. Taverna – Melhor restaurante Português

A decoração do restaurante é muito bonita, possui uma extensa carta de vinhos. No cardápio a minha sugestão é o Bacalhau na Telha ou o Porco Preto. Os preços são salgados, valor médio de 1000 meticais por pessoa. Endereço: Esquina das Avenidas Armando Tivane e Mao Tse Tung.

endereco_taverna_maputo_melhores_restaurantes

3. Mundos – Melhor Pizza e Hamburguer

O Mundos é o point da cidade, não tem erro! Vive cheio de gente de toda raça, credo, cor e idade. O ambiente é eclético e descontraído, bom para o Happy Hour no fim do dia com chopp Laurentina e a Pizza Maradona. Preço médio 500 meticais/pessoa. Endereço: Esquinas das Avenidas Eduardo Mondlane e Julius Nyerere.

endereco_mundos_maputo_melhores_restaurantes

4. Jardim dos Mariscos – Melhor Bacalhau

Fica dentro do parque Jardim do Namorados. Aqui peça o bacalhau, seja ele com natas, à Bras ou na telha. Meu preferido é o com natas acompanhado de um vinho português. Endereço: dentro do parque que fica na Av. Friedrich Engels

endereco_jardim_dos_mariscos_maputo_melhores_restaurantes

5. Bel Piatto – Melhor Italiano

O Bel Piatto é um restaurante aconchegante, ideal pra um jantar a dois. No menu pratos italianos – exceto pizza!Preço médio 700 meticais/pessoa. Endereço: Esquina da Av. Julius Neyerere com Rua Argelia.

endereco_bel_piatto_melhores_restaurantes

6. Manjar dos Deuses – Melhor peixe

O resturante não tem lá algo de muito destaque, mas a decoração é bonita e sóbria, e a comida é uma das melhores na minha humilde opinião. Gosto do filet de Garoupa com legumes. Endereço, no começo da Julius Neyerere, próximo ao Bel Piatto.

endereco_manjar_dos_deuses_maputo_melhores_restaurantes

7. Moksha – Melhor Indiano

O restaurante foi re-inaugurado depois de passar por uma reforma. Não deixe de pedir o pão e o Butter Chicken. Preço médio: 800 meticais/pessoa. Na Av. Julius Neyerere, entre as Ruas Kassuende e Mukumbura.

endereco_moksha_maputo_melhores_restaurantes

8. Inter-Thai – Melhor Tailandês

O Inter-thai tem um excelente custo benefício. Servem seus pratos tailandeses em um ambiente aberto e descontraído. Preço médio 500 meticais/pessoa. Endereço: Rua Mateus Sansao Muthemba do lado direito, a 3 quarteirões da Julius Neyerere.

endereco_inter_thai_maputo_melhores_restaurantes

9. Maresia – Melhor decoração

No Maresia você senta confortavelmente em poltronas e de frente para o mar enquanto desfruta da refeição. O chef é brasileiro e pode-se ver essa influência no cardápio, como a Picanha com feijão preto e banana. Preços salgados, média de 1000 meticais/pessoa. Endereço: Na Av Marginal, sentido Costa do Sol, logo antes do hotel Southern Sun.

endereco_maresia_maputo_melhores_restaurantes

10. Spazio – Melhor Tapas

O Spazio é um restaurante descontraído com pizza e tapas no cardápio. Excelente pedida para um encontro casual entre amigos. Preço médio 600 meticais/pessoa. Endereço: Av. Paulo Samuel Kankhomba, entre Av. Salvador Allende e Rua Comandante João Belo.

endereco_spazio_maputo_melhores_restaurantes

E você, concorda, discorda?? Tem algum restaurante escondido em Maputo pra passar a dica? Deixa aqui nos comentários!

Se lança…

Veja esses outros posts que podem te interessar:

Maputo City Tour
Macaneta, a praia mais próxima a Maputo
Tofo, paraíso do mergulho em Moçambique
Tudo sobre a Ilha de Moçambique
Panorama Route na África do Sul
Safari no Kruger Park, África do Sul
Onde Dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas

 

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Maputo city tour

Se lança fazer um City Tour em Maputo, Moçambique

Veja neste post o que fazer em Maputo, esteja aqui a trabalho, visitando familiares ou turistando. Maputo é uma cidade carregada de história e cultura que desperta todo tipo de sentimento, bom ou ruim. É uma mistura de culturas africanas, muçulmana e portuguesa. Uma cidade em ebulição, crescendo a todo vapor, transformação viva – a qual tenho a oportunidade de testemunhar.

Maputo é maningue nice!

Como se virar em Moçambique

É tranquilo demais pra um brasileiro “se virar” em Maputo, os costumes são muito parecidos e logo você vai perceber a herança portuguesa que temos em comum, além é claro do idioma. Aqui fala-se com sotaque portuga, mas nós entendemos razolavemente bem uns aos outros.

Leia este post completo sobre o assunto: Como viajar para Moçambique – um guia de sobrevivência

Locomoção em Maputo

Alugar carro em Maputo é muito caro, mas andar de taxi na cidade é tranquilo, existem muitos na rua e são seguros. Apenas pergunte o preço antes de entrar, pois não há taxímetro.

Algumas referências:
Aeroporto – Sommerchield/Polana = 500 meticais
Sommerchield/Polana – Baixa = 250 meticias

Nós temos um taxista de confiança que chamamos sempre que precisamos, o Sr. Salvador, telefone: +258 84 885 2555.

Alugar carro em Moçambique é muito caro, mas pra quem quiser cotar, veja na RentCars.

tuc_tucs_maputo

Onde ficar em Maputo

Acomodação é muito cara em Maputo, aqui vão algumas referências de hotéis por preço por diária:
200 a 300 USD: Hotel Polana, Hotel Cardoso, Radission Blu, Indy Village
150 a 200 USD: Hotel Tivoli, Hotel VIP, Girassol
100 a 150 USD: Hotel Monte Carlo, Mozaika Guest House
Viu só, espero que você venha a trabalho ou tenha uma casa de amigos pra ficar!

piscina_polana_hotel_maputo
Vista da piscina do Hotel Polana

O que fazer em Maputo

City Tour em Maputo

Turismo não é o ponto alto de Maputo, mas já que você está aqui, porque não fazer seu próprio city tour e conhecer a cidade!? É possível conhecer todos estes lugares em meio dia.

Na parte alta da cidade

– Museu de História Natural: O museu vale a visita para ver a linda arquitetura Manuelina. Dentro existem várias espécies de animais em taxidermia, além de fotos e objetos de artesanatos regionais. Entrada são 50 meticais na Praça Travessa de Zambezi.

 faixada_museu_historia_natual_maputo

– Feira de artesanatos: A feira fica aberta todos os dias e no último domingo do mês, tem também uma feira de gastronomia. É possível encontrar lá diversos artesanatos como trabalhos com madeira e pinturas. Na esquina das ruas Armando Tivane e Av. Mao Tse Tung.

Na baixa

– Caminhos de Ferro de Moçambique – CFM: A estação de trem é uma das construções mais bonitas de Moçambique com sua estrutura em treliças e pilares de ferro-forjado e suas varandas. Entrada gratuita na Praça dos Trabalhadores.

plataforma_cfm

– Praça da Independência: aqui você encontrará a bonita Catedral de Nossa Senhora da Conceição, o elegante Conselho Municipal e a Casa de Ferro, que foi desenhada por Gustav Eiffel para ser a residência do governador, porém, logo descobriram que uma casa feita de ferro não é lá muito confortável no calor de Maputo! Vale uma passadinha de carro pela praça pra ver os três edifícios.

– Fortaleza: O forte foi construído pelos Portugueses em meados do século 19, dentro tem um jardim e museu. Entrada grtáis (ou como dizem cá: “de borla”) na Praça 25 de Junho.

– Mercado Central: O edifício lembra muito o mercado de São Paulo, lá você encontra uma grande variedade de frutas, verduras, legumes e até cosméticos. É muito organizado e limpo, vale conhecer. Na Rua 25 de Setembro.

No bairro Triunfo

– Mercado do peixe: Onde os pesacadores vendem os peixes e frutos do mar pescados na baia de Maputo. Aos fundos tem diversas barraquinhas que preparam a comida pra você, ou se não quiser, pode levar pra casa e preparar você mesmo. Fique esperto com a negociação, e se puder, leve sua própria balança. Fica à esquerda da Avenida marginal, logo depois do posto e antes do restaurante Mar na Brasa.

mercado_do_peixe_maputo
Foto do antigo Mercado do Peixe em Maputo – hoje tem um prédio e instalações novinhas!

Praia em Maputo

Pra pegar uma praia, o local mais perto de Maputo é Macaneta, veja aqui.

Tem também a praia no bairro Triunfo, muitas pessoas fazem kite surf por lá. Vá com cuidado, nem sempre a praia está limpa. Outra opção na cidade é a praia em frente ao Southern Sun.

Eu honestamente nunca me banhei em Maputo.

Compras em Maputo

Casa Elefante – para comprar Capulanas, esse tecido que as africanas usam como saia, guarda-chuva, porta-bêbe, escharpe, etc etc etc. Na 25 de Setembro, bem em frente ao Mercado Municipal.

Maputo Shopping Centre – possui uma praça de alimentação, o Cinema Lusomundo e diversas lojas. Na R. Ngungunhane 85 (antiga Rua da Imprensa).

Tem também o Polana Shopping na 24 de Julho e o Shopping Marés na Av. Marginal, com algumas poucas lojas disponíveis.

Emergências

Bombeiros: 198 / Polícia: 112, 119
Aeroporto Internacional de Maputo: +258 21 465827/9
Se precisar de atendimento médico, vá ao Hospital Privado, na Rua do Rio Inhamiara, Sommershield II, Telefones: 21 483905 / 21 483680 / 21 483681 / 84 3030967/68/69
Embaixada do Brasil em Maputo: (+258) 2148-4800, Endereço: Av. Kenneth Kaunda, 296
Plantão Consular (para contatos de extrema urgência apenas – ex: casos de prisão, morte, evacuação médica): (258) 82 283 5330

Olha que linda galeria de fotos de Maputo:

[Mikado id=’9′]

 

Leia mais um post sobre Moçambique e África:

Como viajar para Moçambique – Guia de Sobrevivência
10 Melhores Restaurantes de Maputo (com endereço!)
Macaneta, a praia mais próxima a Maputo
Tudo sobre a Ilha de Moçambique
Tofo, paraíso do mergulho em Moçambique
Onde fazer mergulho em Moçambique
Panorama Route na África do Sul
Safari no Kruger Park, África do Sul
Onde Dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas

~ Se Lança ~

Drakensberg

Se lança pra Drakensberg – África do Sul

Drakensberg em Afrikaans significa “Montanha do Dragão”. Já pelo nome, você pode imaginar o ambiente. A minha imaginação me diz que é porque as montanhas parecem rabos de dragões, mas vai ver que é porque esse ser misterioso ainda habita por lá 😉

Como se virar

Drakensberg é uma região muito grande, é dividida em Norte, Centro e Sul. Seria muito difícil visitar todas as regiões em poucos dias, a melhor coisa que você tem a fazer é escolher uma delas e explora-lá a fundo. A região mais visitada é a região norte e nesse post vou falar especificamente dela, a Northern Drakensberg.

Escolha um hotel/lodge como sua base e a partir dali saia para fazer os passeios, mas nada será muito perto, os pontos mais visitados são distantes entre si.

Dicas de como se virar na África do Sul aqui.

Locomoção e como chegar lá

Não é impossível andar por Drakensberg sem carro, mas é muito difícil e pode limitar um pouco as opções. Quem vai ficar no albergue pode chegar lá de onibus (BazBus) e fazer os passeios organizados pelo albergue. Instruções de como chegar aqui.

Quem está vindo de Joburg ou Durban, levará aproximadamente 4 horas (dependendo do hotel onde irá ficar).

Vindo de Maputo é um pouco mais difícil, mas não impossível, foi o que eu fiz. Levamos 10 horas em média pra chegar de porta a porta. Cruzamos pela Swaziland, então tivemos que fazer várias fronteiras. Minha sugestão de fronteiras é:

Moçambique/Suazilândia – posto fronteiriço de Goba/Mhlumeni (nome em Moçambique/Swazi), que em maio de 2014 disseram que está funcionado 24 horas. Mas sempre é bom pesquisar horário de fronteiras antes de partir, isso muda sempre. É menos movimentado que a fronteira Namaacha/Lomahasha (7-20h).

Suazilândia/África do Sul – posto fronteiriço de Mahamba, aberto das 7 às 22h (mesmo nome nos 2 países). Também utilizamos o posto de Sikunusa/Houdkop (das 8 as 18), mas Mahamba é melhor, a estrada de acesso do lado da África do Sul é melhor e o posto é maior.

fronteira goba suazilandia mocambique 2

Onde Ficar

Amphitheatre Backpackers – Se estiver indo em casal e quiser ficar no hostel, peça um quarto deluxe com vista que fique mais afastado do bar/boatezinha, pois é barulhento a noite. Existem também opções de ficar em dormitórios e barracas de camping. Bom custo/benefício e lá eles organizam passeios também.

Drakensberg Mountain Retreat – acho que é o melhor custo x benefício (pra quem não é mochileiro rs). Oferece conforto e meia pensão (café e jantar), o objetivo é você se sentir aconchegante e em casa. Situa-se num pico de montanha então oferece lindas vistas para as montanhas Drakensberg e Maluti.

Wild Horses Lodge – lodge exclusive no meio do Sterkfontein Dam. São apenas 4 quartos, o visual do lugar é de tirar o fôlego, também oferece meia pensão, com cardápio gourmet. Ponto negativo, muito caro. Por ser dentro da reserva, a estrada local leva uns 40 minutos pra chegar até o lodge, pois a estrada está em más condições.

Sterkfontein Dam view from lodge
Vista do Wild Horeses Lodge e Sterkfontein Dam

Onde comer

Geralmente o café da manhã e jantar você comerá no seu hotel. Atenção – pois alguns hotéis incluem o jantar na diária e outros cobram a parte. Para os hotéis onde é cobrado a parte, você precisa avisar com antecedência se irá jantar lá, pra não chegar a noite do hiking morto de fome e ficar sem comida! Isso aconteceu com amigos nossos, lembre-se, na África do Sul, planejamento e organização são fundamentais.

As cidades em volta de Drakensberg são todas pequenas, não tem muita opção de restaurante a não ser fast food. Programe-se pra jantar no hotel, é melhor. Durante o dia, vai almoçar os sandubinhas oferecidos no passeio.

O que fazer em Drakensberg

Aqui a grande maioria dos passeios são voltados para eco-turismo e aventura.

Essa região é um paraíso para hiking, escalada e mountain biking.

Abaixo algumas das opções do que tem pra fazer na região.

Hiking no Amphitheatre – são 12 km de trilha começando abaixo do Sentinel peak, até a Tugella Falls e na volta desce pelas “chain ladders” (escadas de ferro). É um passeio que deve ser feito! Mas, exige um pouco de preparo físico. (Um pouco, não tem que ser profissa).

O visual é lindo e de tirar o fôlego (literalmente rs). Combine este passeio no seu hotel e vá com um guia. Não recomendo fazer sozinho se você não for expert no assunto, a trilha não é bem sinalizada e você poderá se perder. Você começa a caminhar às 10 da manhã e termina por volta das 16h, tem mais 1 hora (mais ou menos) pra ir e vir de van até o parque. Apesar de eu não ter ficado no backpackers, meu hotel organizou este passeio através deles. O preço foi 560 rands por pessoa, inclui o transporte na van, guia e lanchinho.

amphitheatre hike

chain ladder going down

Hiking em Cathedral’s Peak – este passeio é um dos mais puxados, esse pico fica no Mlambonja and Mdodelelo Wilderness area. Você sai às 6 da matina do hotel e só volta lá pelas 20h e não é para principiantes! A mesma dica segue válida, não vá sozinho. Mais detalhes do passeio aqui.

Tour de 1 dia no Lesotho – por mais incrível que pareça, brasileiros precisam de visto para entrar no Lesotho, mas se quiser fazer este passeio, acredito que o pessoal do tour pode organizar este visto, entre em contato antes. O passeio inclui visitas a cavernas, pequenas trilhas, experimentar comidas típicas e visitar algumas vilas. Também organizado no Backpackers, info aqui.

Escalada / Rock Climbing – Com a Peak High você pode fazer um curso para iniciantes ou também se lançar em expedições mais profissas. Também organizam hikes de um ou mais dias pelas montanhas.

All Out Adventures – este é um bom lugar para ir com crianças (crianças grandes também), tem passeios em quadriciclos, tiroleza, paintball, pistas de mountain bike, arborismo e outras atividades. Tem uma lanchonete onde você pode comer também. Contato: 036 438 6242

Trilhas a cavalo – Fiz este passeio a cavalo no Golden Gate Highlands National Park com a Bokpoort. Andamos 2 horas a cavalo no meio das montanhas. É bem legal, eu nunca havia andando antes e foi bem tranquilo. Duro foi a dor do dia seguinte rs. Preço foi 350 rands por pessoa. Telefone para fazer reserva: 083 744 4245

horse riding drakensberg

Mountain Bike – o que não falta nessa região são trilhas pra fazer MTB. Qualquer lado tem uma, inclusive no seu próprio hotel deve ter. No backpackers você pode alugar uma bicicleta por 50 rands durante meio-dia e andar por lá. No All out adventures, o preço é 350 rands por dia mais 70 rands para ter acesso a mais de 100 km de pistas! Se vai levar sua própria bike pode ir aos parques nacionais para andar, mas cuidado sempre, pois a sinalização não é das melhores.

Pescaria – é possível pescar no Sterkfontein Dam, mas é preciso levar seu equipamento. Não paga nada pra pescar. No rio Mlambonja é possível pescar trutas e são permitidas a saída de apenas 2 trutas por vara. Em ambos os pontos paga-se uma pequena taxa por carro para entrar.

Sterkfontein Dam

Visita a Clarens – por fim uma opção não tão aventureira. É uma linda cidade com diversas galerias de artes, cafés e lojinhas. Tudo fica em volta da praça central, estacione por ali e vá tomar uma cerveja na cervejaria local da cidade, Clarens Brewery. Muito legal pra almoçar e passear um pouquinho por lá. Eu fui pretenciosa e achei que ia comprar uma obra de arte sul-africana, doce ilusão. Nem um poster levei… De qualquer maneira, é um belo passeio artístico.

Veja opções de hospedagem em Clarens aqui.

clarens entrance road

clarens restaurant 2

 

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Turistando em Joanesburgo
Safari no Kruger Park, África do Sul
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
O que visitar na Suazilândia em dois dias
Maputo City Tour

[Mikado id=’3′]

Se lança…

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Panorama Route na África do Sul

Se lança pra Panorama Route na África do Sul

A Rota Panorâmica é uma rota cênica em Mpumalanga ao longo do Blyde River Canyon, o terceiro maior canyon do mundo. São lindas vistas, cachoeiras, formações rochosas, rios… Tudo feito com capricho pela Mãe Natureza.

Como se virar

Você pode incluir esse passeio no seu roteiro se está indo de carro de Joanesburgo ao Kruger. Saia cedo de Joburg (tipo 6 da matina) pra aproveitar o dia e não chegar tarde no seu hotel de destino.  No meu caso, já moradora de Maputo, tirei um dia para vir especialmente à esta região passear.

Mais infos de como se virar na África do Sul aqui.

Locomoção e como chegar

Pra percorrer esta rota, é preciso carro, apesar de que eu também vi algumas pessoas em ônibus de excursão. Um dica importantíssima, dirigir nessa região à noite é perigoso, desce um nevoeiro pesado que deixa a visibilidade muito baixa. Nós chegamos tarde no hotel, por volta das 20h, e os últimos trechos estávamos dirigindo a 40km/h pois não víamos 10 metros na nossa frente. Redobre o cuidado, pois também existe gado solto que às vezes vai pra estrada.

Se puder, evite mesmo dirigir a noite nessa região.

Onde Ficar

Graskop Hotel –  Excelente custo/benefício. Hotel 3 estrelas muito bonitinho. Os quartos da casa são decorados inspirados em artistas sul-africanos. Nós preferimos um ambiente mais “clean” e optamos por um quarto nos jardins. Café da manhã excelente, staff atencioso, recomendo. Preço foi 860 rands por quarto por noite. Endereço: 3 Hoof St, Fone: 013 767 1244

Outras opções de onde se hospedar em Graskop aqui.

Onde comer

Seja onde for, coma panquecas, especialidade da região.

pilgrims-rest-banana-pancake

Harrie’s Pancakes – Em Graskop. Uma delícia, várias opções de panquecas doces e salgadas. O restaurante vive cheio. A porção é bem grande, dá pra almoçar, e dividir uma panqueca doce como sobremesa.  Fone: 013 767 1273; Endereço: Esquina das ruas Louis Trichardt e Church

harries pancakes

 

Como percorrer a Rota Panorâmica

Se está vindo de Joanesburgo (na R533) , antes de começar a rota, pare um pouquinho em Pilgrims Rest. Cidade histórica conservada desde os tempos da corrida do ouro. A cidade é uma rua… Você desce lá e anda um pouquinho vendo as casas e construções antigas. É um museu vivo. Também tem algumas lojinhas e artesanatos.

pilgrims-rest

Chegando na Panorama Route, é muito fácil seguir a rota, é um estrada única (R532), com um “alça” (R534) pra algumas partes. Tem vários pontos para parar e apreciar a vista. A maioria deles tem que se pagar 10 Rands por carro. Com algumas exceções, como os potholes, custa 40 rands por carro e outros 30 rands por pessoa.

Esse mapa abaixo parece bem tosco – e é – eu sei, mas foi o que mais nos ajudou. Pegamos no hotel e a rota foi toda sublinhada de azul. Escaneamos para vocês verem e usarem também:

mapa rota panoramica africa do sul

É só seguir a sequência, pode-se começar do começo ou do fim. Os melhores estão no fim, então vai do seu gosto. Meus favoritos são: Bourke’s Luck Potholes e o Three Rondavels. Abaixo está meu itinerário, porém eu comecei de baixo pra cima.

1. The Pinnacle

pinnacle

2. God’s Window

gods window

3. Lisbon Falls

lisbon falls

4. Berlin Falls

berlin falls

5. Bourke’s Luck Potholes

burkes pot holes 1

por holes

6. Three Rondavels e Blydepoort Dam

rondavels and dam

7. Bonus: Mac Mac Pools. Esse ponto fica um pouco mais pra baixo da rota principal. Não vale a pena parar só pra ver, se for até aqui, tem que dar um pulo dentro da piscina e tomar banho de cachoeira. Mas confesso, que eu devo ter ficado menos de 60 segundos lá dentro, a água é muito gelada.

mac mac pools

Mais detalhes de outros pontos aqui.

Se lança…

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Como se virar na África do Sul
Turistando em Joanesburgo
Safari no Kruger Park, África do Sul
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
Onde dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas

 

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Mossel Bay

Se lança pra Mossel Bay – África do Sul

Mossel Bay é uma linda cidade, mas não tem lá muito o que fazer além do mergulho com tubarões brancos ou se esticar na praia no verão. No inverno tem excursões de para ver baleias, conhecido como “whale wacthing”.

Mossel Bay é uma parada importante na Garden Route (Rota Jardim) por ser meio que na metade do caminho entre Cape Town e Port Elizabeth.

Então aqui vão algumas dicas pra quem vai fazer uma paradinha por Mossel Bay.

mossel bay town view

 

Onde Ficar em Mossel Bay

Protea Mossel Bay – Claro que o Protea é excelente sempre, mas achei muito caro, fiquei neste hotel mais por falta de opção do que escolha, estava tudo cheio na época que fui. A vantagem dele é que é tem a melhor localização na cidade, dá pra deixar o carro estacionado e ir a pé ao shark diving, museu e centrinho. O restaurante do hotel também é excelente. Na época eu paguei uns 2000 rands, mas sempre rola promoções com diárias à partir de 1400 rands.

Lavandula Manorpequena pousada butique, com apenas 6 quartos. Os clientes são tratadas com exclusividade e muita atenção. Lugar muito chique, os quartos tem lindas vistas pra piscina ou para o mar. Tem estacionamento no recinto e wifi. Café da manhã divino. Diárias à partir de 1600 rands.

Aquamarine – vizinho do Lavandula, possui a mesma linda vista, porém é uma opção mais econômica com diárias à partir de 1300 rands. Tem piscina, estacionamento e wifi.

African Oceans Manor – esta opção de hospedagem fica do outro lado da cidade, é para quem quer curtir a praia, pois é pé na areia! Você caminha direto do jardim do hotel para a praia. É lindo, chique, moderno e elegante. Diárias a partir de 2000 rands.

Outras opções de hospedagem em Mossel Bay aqui.

view of mossel bay port area

DICA!!

A 25 kms de Mossel Bay tem uma reserva privada, o Botlierskop Private Game Reserve, um lugar super luxuoso para se hospedar, com direito a muitas atividades, como safari à cavalo e interação com elefantes. Também servem refeições completas no jantar.

Excelente opção para quem não quer dormir em Mossel Bay mas faz questão de um lugar bem legal pra quebrar a viagem da Garden Route. Diárias à partir de 1600 rands no camping de luxo até 2600 rands em tendas com piscina exclusiva.

Botlierskop – foto divulgação

Onde comer

Café Gannet – excelente opção para jantar, muita variedade de peixes e frutos do mar, além de ter um cardápio japonês. Fica ao lado (meio dentro) do Protea Hotel. Fone: +27 (0)44 691 1366; Endereço: esquina da Church & Market Streets

Carola Ann’s – excelente local, bom para café da manhã, almoço, lanche ou só aquele cafézinho. Fone: +27 (0)44 6903 477; Endereço: 12 Church St. De segunda a sábado.

O que fazer

Shark Diving – mergulhe com tubarões com a White Shark Africa, vale a pena. Leia tudo sobre mergulhar com tubarões brancos na África do Sul aqui.

shark diving mossel bay

Santos Beach – essa praia tem um areião enorme e macio, mais de 1km de extensão. O mar é calmo porém a praia é bem movimentada no verão. Se você chegar cedo, tem alguns guarda-sóis de palha na praia que você pode utilizar. Durante os meses de Maio a Outubro, é possível avistar baleias da costa.

Whale Watching excursões com a Romonza, uma das mais tradicionais da África o Sul, custam 700 rands por pessoa e tem duração de 2 horas. Parte do pier de Mossel Bay. Este passeio acontece de Julho a Novembro

Bartolomeu Dias Museum – Confesso que não visitei o museu, fiquei com preguiça. Ele fica em frente ao Protea Hotel e lá dentro tem uma réplica do navio e bastante informação sobre a vida marítima de antigamente.

Tem outras opções de turismo, como trilhas de hiking (St. Blaize Trail) e campos de golf, se tiver interesse, pergunte em seu hotel sobre os detalhes.

Shopping

Langeberg Mall – Se precisar comprar alguma coisa, tem um shopping center grande quase na saída da cidade, o Lanegberg Mall. Lá também tem opções de restaurantes, como um Mugg & Bean.

Mossel Baai Mall – Galeria um pouco menor, mas próxima aos pontos turisticos. Tem várias opções de supermercados e outras lojinhas.
Se lança…

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Como se virar na África do Sul
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Swellendam e De Hoop
Knysna, equilíbrio perfeito entre Mar e Montanha
Saltar de Bungee Jump na África do Sul

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Swellendam e De Hoop

Se lança pra Swellendam e para o De Hoop – África do Sul

Swellendam é uma cidadezinha bem pequena e bem charmosa que fica no pé das magníficas montanhas Langeberg. É famosa também pela interessante arquitetura holandesa do Cabo com suas casas de telhados de palha.

A Companhia Holandesa das Índias Orientais ( The Dutch East India Company) fundou a cidade de Swellendam em 1745 como o último posto avançado da civilização na fronteira oriental.

Geralmente Swellendam é uma cidade que as pessoas param apenas para dormir e seguir viagem pela Garden Route ou pela Route 62, mas é uma cidade muito legal pra ver a vida no interior do Cape e conhecer alguns Afrikaners.

No mapa abaixo, a linha verde representa a Garden Route e a vermelha a Route 62. Ambas estão com links para os sites oficiais e vale a visita caso você esteja planejando fazer essa viagem. Tem fotos e informações de todas as cidades.

route 62 and garden route

Como se virar

Procure cumprimentar os locais em Afrikaans, você vai fazer sucesso.

Bom dia = Goeie môre (pronuncia: ruya mora)

Como vai? = Hoe gaan dit? (fale: ú rã dit).

Mais infos de como se virar na África do Sul aqui.

Locomoção na Garden Route

Provavelmente se chegou até aqui, foi de carro, porém Swellendam é uma cidade muito tranquila e segura, não tem problema andar a pé a qualquer horário do dia ou da noite. Dê uma andada por suas ruas para observar o dia-a-dia local.

Nós alugamos carro na RentCars na África. Veja este post com dicas de como dirigir na África do Sul.

swellendam-city

Onde ficar em Swellendam

Cypress Cottage – Casa histórica de Swellendam datada do séc.18 transformada em guest house e administrada pela família. Os donos, Etienne e Vera, com certeza te receberão super bem. Café da manhã feito na hora sob seu pedido com direito a papo cabeça. Tem quartos simples e outros bem equipados, todos bem confortáveis, boa opção para o viajante frugal. Fone: +27 (0)28 514 3296; Endereço: 3 Voortrek Street

Bloomestate – Pousada com um ar mais requintado, com spa, piscina, jacuzzi e jardins. Fone: +27(0) 28 514 2984; Endereço: 276 Voortrek street

Veja aqui outras opções de hospedagem em Swellendam.

Onde comer

La Sosta Ristorante – imperdível restaurante italiano, procure pelo dono, o Giovanni, um italiano gente finíssima . Fone: +(0)28 514 1470; Endereço: 145 Voortrek Street

Field & Fork – situado em uma casa histórica oferece uma cozinha contemporânea e excelente carta de vinhos. Fazem questão de comprar os ingredientes de produtores locais. Fone: +27 28 514 3430; Endereço: 26 Swellengrebel Street

O que fazer em Swellendam

Drostdy Museum –  dedique 30 a 60 minutos para visitar este museu. É um complexo construído em 1747 pela Companhia Holandesa das Índias Orientais. É legal para ver a arquitetura e modo de vida das pessoas conforme o passar dos anos.

musuem in swellendam

Dutch reformed Church  –  Com seu branco super imponente, a Dutch Reformed Church de Swellendam, foi inaugurada em 1911 em estilo bem eclético: as empenas de estilo barroco, as janelas de estilo gótico e a cúpula vagamente oriental. Surpreendentemente, todos os elementos convivem juntos maravilhosamente.

DucthReformedChurch

Há outras opções de turismo ao ar livre como: trilhas de hiking e campos de golf. Se tiver interesse, pergunte em seu hotel sobre os detalhes ou pesquise nesses links que colocamos.

Reserva Natural De Hoop

E já que chegou até aqui, aproveite para descer um pouco mais até uma Reserva Natural chamada De Hoop.

Maps_Swellendam_DeHoop

A reserva fica a 58KM de Swellendam e é uma das reservas naturais mais lindas da África do Sul. Como a estrada é de pista simples e chegando na reserva ela se torna uma estrada de terra, você levará mais ou menos 2 horas para chegar lá. Mas vale a pena, juro.

Sentido mar você verá: dunas de areia branquinha, mar azul piscina, vida selvagem, pássaros e se tiver a sorte de ir em Agosto ou Setembro, época de Whale Watching, verá o show mais lindo que a natureza pode nos oferecer, os lindos pulos das Baleias-francas (Southern Right Whale), que vão pra lá nessa época do ano para terem seus bebezinhos baleias. É incrível!

Vou deixar que as fotos falem por mim e espero que incluam esse lugar mágico no roteiro de vocês.

Se lança…

[Mikado id=’1′]

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Como se virar na África do Sul
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Mossel Bay
Knysna, equilíbrio perfeito entre Mar e Montanha
Saltar de Bungee Jump na África do Sul

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Safari no Kruger Park na África do Sul

Se lança pro Kruger Park na África do Sul

A África do Sul possui muitos parques e reservas onde se possa fazer safari, mas o maior parque é o Kruger Park. Vale a pena ir até lá, experimentar e experienciar a vida no mato.

Como qualquer safari, a experiência depende de muita sorte. A experiência mais incrível que tive foi no Kruger, ver três leoas caçando um veado, mas tenho consciência da sorte gigantesca que estava do meu lado neste dia. E mesmo que você não veja algo dessa grandeza, estar na natureza e ver os animais em seu habitat natural é algo incrível.

lioness-killing-kudu no kruger park

Resumindo, se está vindo para a África, faça um Safari!

E se puder, vá ao Kruger, se não existem outras excelentes opções, como o Pilanesberg (post aqui) e Madikwe (post aqui).

Como funciona o Kruger

Para ajudar no planejamento, é importante entender como funciona o parque. O Kruger tem 9 portões, todos na África do Sul. Não é possível entrar pelos países fronteiriços.

Além do Parque Nacional do Kruger, dentro dele existem as concessões privadas com lodges (pousadas luxuosas) e além destas, existem as reservas privadas ao redor do Kruger, com diversos lodges também. Todas fazem parte do “Greater Kruger National Park” e não existe cerca entre eles. Os animais transitam livremente.

Diferença entre as concessões x reservas privadas x reservas do Kruger

Essa diferença existe apenas nas estradas e hospedagem. As estradas que fazem parte das concessões e reservas privadas, só podem ser utilizadas por quem está hospedado nelas. Mas não se preocupe se não irá ficar em um lodge privado, as estradas públicas do Kruger são extensas e suficientes para ver tudo. Como disse, os animais andam livremente no parque, então tudo depende de sorte.

As reservas privadas são luxuosas e costumam ser all-inclusive: hospedagem, safari guiado e pensão completa. Ah, e eles são permitidos a fazer “off-road”, ou seja, entrar no meio do mato mesmo. Quem está na parte pública do Kruger deve permanecer nas estradas.

A hospedagem do próprio Kruger tem dormitórios, apartamentos com infraestrutura para cozinhar, cabanas, camping e etc. Estes são muito mais acessíveis ($) que os lodges nas reservas privadas, por isso mesmo, mais disputados – tem que reservar com alguns meses de antecedência.

Nas hospedagens do Kruger também é possível contratar safaris guiados, reserve aqui no site do Kruger ou você pode contratar lá na hora se for baixa temporada.

Você pode entrar no Kruger com comida, mas não bebida alcóolica. Também existem alguns pontos com restaurantes e área de descanso. Na entrada do parque você pode comprar o mapa das estradas – aliás – se irá fazer safari por conta própria isso é fundamental.

São muitas opções, mas o parque é grande suficiente para todos, importante mesmo é se planejar e se organizar para aproveitar bem, seja lá qual for a opção que escolher. (Atualização – veja este post: Onde ficar no Kruger)

filhote de leão no kruger park

Como planejar seu safari?

A melhor maneira de começar seu planejamento é definir de onde você irá partir para chegar ao Kruger. É possível dirigir desde Joanesburgo, é possível voar até Nelspruit ou se você está em Moçambique, também é possível chegar lá de carro.

Vou escrever sobre essas três possibilidades, como chegar e onde ficar.

Se é seu primeiro Safari, eu recomendo que o faça com profissionais!

regent-safari-group-kruger-park

Andar no seu carro lá dentro é legal, mas um guia pode te oferecer mais. Ele conhece os “pontos”, tem o olho mais treinado para achar os animais e responde todas as suas dúvidas sobre o parque e as espécies lá dentro.

1 . Dirigindo de Joanesburgo para o Kruger

De Joanesburgo você pode dirigir até Hazyview (4 horas) ou Nelspruit (3,5 horas). A vantagem de ficar em Hazyview é que fica a somente 10km do portão do Kruger. De Nelspruit para o Kruger você vai levar pelo menos 50 minutos.

É possível dormir em (1) Hazyview, em (2) Nelspruit, ou (3) dentro do Kruger.  Para quem for dormir fora do parque, eu recomendo Hazyview – veja a lista dos hotéis em Hazyview aqui – por ser mais próximo do Kruger.

Dormir em Nelspruit é uma boa opção para quem quer algo mais urbano, como frequentar restaurantes, shoppings, etc. Listamos nossos hotéis preferidos em Nelspruit neste post.

Use seu GPS para viajar desde Joanesburgo até a cidade escolhida.

No caminho você pode passar por Pilgrams Rest para comer panquecas e também ir ao Blyde River Canyon – conhecido como Panorama Route. Se for fazer esse percurso, planeje um dia inteiro para isso, roteiro e dicas da rota panorâmica neste post aqui.

Three Rondavels
Three Rondavels

Quando fiz meu primeiro safari no Kruger, fiz com a Regent Safaris, que recomendo muito. Com eles você pode fechar diversos tipos de pacotes: dormindo dentro, dormindo fora, vários dias, um dia só, etc. Entre em contato e veja quais opções são mais adequadas pra você. Na época dormi em Hazyview em um hotel 3 estrelas, o Hotel Numbi & Garden Suites.

Em outra oportunidade, fizemos safari por conta própria e nos hospedamos no Protea by Mariott Kruger Gate. Este hotel está localizado no portão Paul Kruger e é enorme, bem legal! Tem restaurante, piscina, academia e oferece muitas atividades que podem ser contratadas lá mesmo, como safaris guiados, safari walks e etc. Acho que é uma boa opção para quem viaja com crianças ao Kruger.  

Se for fazer Safari por conta própria, use o site oficial do parque para se guiar e reservar acampamentos para dormir. Os mais famosos são o Skukuza e Satara.

Portões mais próximos:

De Nelspruit –> Crocodile Bridge Gate, Malelane Gate, Numbi Gate

De Hazyview –> Paul Kruger Gate, Numbi Gate, Phabeni Gate

leoas no kruger park

2 . Dirigindo de Maputo para o Kruger

Não existe entrada para o Kruger em Moçambique, você tem que cruzar a fronteira em Ressano Garcia e então chega na cidade de Komatipoort do lado Sul-Africano. Os portões mais próximos para entrar no Kruger são o Crocodile Brigde e Malelane. Você pode dormir na região do lado de fora do parque, se quiser dormir lá dentro, tem que reservar pelo site do Kruger.

leopardo comendo caça no kruger park
Servido?

Desta vez eu optei por ficar em um lodge privado, o Shishangeni Lodge. Foi muito bom! A área que o hotel está situada é muito rica pela proximidade de dois rios. O guia era excelente e vimos leões e um leopardo! Além claro dos elefantes, girafas, rinocerontes, etc. É uma experiência mais cara, mas nós gostamos bastante.

hopopótamo no kruger park
Tá olhando o que?

3 . Voando para Nelspruit

Honestamente eu nunca fiz esse roteiro, mas se você está em Cape Town e quer ir ao Kruger, a melhor opção é de avião. Chegando em Nelspruit, você pode seguir as quaisquer das dicas acima, pois de Nelspruit para Komatipoort ou de Nelspruit para Hazyview levam igualmente mais ou menos 1 hora.

Veja neste post 5 sugestões de onde dormir em Nelspruit.

rinocerontes no kruger park

Outras dicas para fazer Safari na África do Sul

Melhor época para fazer safari

Você pode ir ao Kruger em qualquer época do ano. A vantagem do verão é que a paisagem está mais verde, a desvantagem é o calor. No inverno o mato está seco e baixo, então fica mais fácil ver os animais.

Quanto tempo ficar no Kruger

Claro que isso é pessoal, mas na minha opinião, dois dias inteiros de safari são suficientes. Não conte o dia da chegada e da partida. Então isso geralmente soma 4 dias no total: 1 para ir + 2 no parque + 1 para voltar. Quem tem pouco tempo, pode apertar em 3 dias: sai cedo e já faz um safari noturno no dia da chegada + 1 dia de safari inteiro + safari de manhã e partida.

Cuidados com a saúde no Kruger

A região do Kruger apresenta baixo risco de malária, leia mais sobre cuidados de saúde aqui neste post.

Lembre-se de fazer um seguro de viagem! Aquele tipo de coisa que ninguém que usar, mas é bom ter, não se brinca com saúde! Um seguro de viagem de 7 dias na África custa menos de 45 reais.

Nós usamos o site Seguros Promo, que faz comparação de preços de vários seguros. Neste site você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

Fotografia em Safari

Para fotos, leve uma máquina SLR, caso contrário, não conseguirá boas fotos. E digo mais, leve uma lente a partir de 200 mm.

Seguro de Viagem para a África

Vai fazer safari na África? Não deixe de contratar o seguro de viagem. É muito importante. Leia mais sobre o tema aqui:

Você sabe como funciona um seguro de viagem para a África? Não? Então clique aqui e se informe, é muito importante!

Dica final para aproveitar o Kruger Park

Safari é uma expedição em busca de animais selvagens no seu habitat natural. Uma das coisas mais fascinantes que se pode fazer na terra. É quase uma meditação, então tenha paciência!

É bom ter expectativas realistas também, safari não é zoológico. É possível ver muita coisa legal, como é possível não ver nada… Afinal, os animais são mestres em camuflagem.

Ficou alguma dúvida!? Escreva aí nos comentários abaixo que a gente responde 😉

tirando fotos no kruger park

Leia mais sobre a África do Sul nestes posts:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Onde dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas
Panorama Route na África do Sul
Turistando em Joanesburgo
Pilanesberg, safari a somente duas horas de Joanesburgo
Cidade do Cabo, o guia definitivo
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town

Veja também o post sobre o Kruger da Liliane do Blog Trilhas e Cantos, super completinho.

~ Se Lança ~

Tudo sobre Safaris na África do Sul no nosso guia:

Knysna, equilíbrio perfeito entre Mar e Montanha

Knysna, principal cidade da Rota Jardim na África do Sul

O que fazer em Knysna?! Há muita coisa para se fazer nesta cidade linda! Durante minha viagem eu planejei ficar aqui apenas um dia e meio, eu fiquei com gostinho de quero mais. Tem praia, montanha, bons restaurantes, quer mais o quê!? Vale a pena passar pelo menos uns dois dias inteiros aqui.

Uma das cidades mais famosas da Garden Route, é parada obrigatória.

horizonte_knysna

Como se virar

Dicas gerais de turismo na África do Sul aqui.
Em Knysna é possível andar a pé em alguns lugares, é uma cidade segura e tranquila. Como você muito provavelmente irá chegar em Knysna com seu carro alugado, ele também será útil pra ir e vir até as trilhas, além dos restaurantes na Ilha de Thesen.

Onde dormir em Knysna

Estes são dois que podemos referenciar, um mais barato (onde eu fiquei) e outro bem TOP (onde amigos finos ficaram).

Inyathi Guest Lodge – Eu fiquei aqui antes da reforma, este lugar agora oferece apartamentos com estrutura de cozinha. É simples mas arrumadinho. Fica na avenida principal que corta a cidade, é possível caminhar até o waterfront e alguns restaurantes ali perto. Fica na 52 Main Road, fone: 044 382 7768

Wayside Inn – pousada bonitinha e bem localizada perto da avenida principal. Excelente custo x benefício com diárias à partir de 680 rands por casal. Endereço: 48 Main Street, Fone: +27 (0)44 382 6012

Villa Afrikana Guest House – Hotel butique 5 estrelas muito bem conceituado. Confesso que eu bem que gostaria de ter ficado aqui, é lindo demais! Foi recentemente renovado. Bem localizado de frente para o mar e tratament VIP! Fica na 13 Watsonia St, fone: 044 382 4989

Outras opções de hospedagem AQUI.

Kranshoek Nature Walk
Kranshoek Nature Walk

Onde comer

JJ’s – fica no Waterfront, vale a pena apreciar um vinho branco ou cervejinha gelada e ver o pôr do sol. A comida é boa, e pergunte pelo dono que às vezes está por lá: Sr. Justin.

Sirocco – resturante elegante, de frente para o mar. Fica em Thesen Island. Fone: 044 382 4874

Île de Pain – café francês famosíssimo na região, seus ingredientes são escolhidos a dedo pelos donos que priorizam a produção local. Excelente pedido para café da manhã ou almoço. Tem que conhecer! Em Thesen Island, fone: 044 302 5707

Tapas & Oysters Restaurant – opção mais descontraída pra comer petiscos, tomar cerveja e assistir esportes. As ostras são super famosas em knysna, aqui você pode escolher três tamanhos, de gigante a gigantesco. Também fica em Thesen Island, fone: 044 382 7196.

The Olive Tree – uma boa pedida na avenida principal. Menu fresco do dia e escrito em um quadro negro com rodinhas que o garcom empurra ate sua mesa. Restaurante pequeno e aconchegante. 21 Main Street, Fone: 044 382 5867

Chatters Bistro – Se voce não e fã de peixes e frutos do mar, aqui e uma boa opção para pizzas e massas. Preços bem acessíveis e ambiente informal. 9a Grey Street, Fone: 044 382 0203

Prova de que o Batman visitou Knysna

O que fazer em Knysna

As principais atrações turísticas são:

Safari no Mar – A vida marítima em Knysna é muito rica, principalmente na temporada de baleias. Vale a pena ir até o alto mar para apreciar esses animais gigantescos. Existem vários tipos de passeios (dependendo do mês que você vai), a melhor época para ver as baleias é de Agosto a Outubro. Passeios podem ser feitos com a Knysna Boat Trips, contato: 082 470 6022

Passeio na Lagoa de Knysna com a Featherbed Company, fone: 3821693

Hiking – Knysna tem muitas trilhas para hiking!

Tem para todo mundo, esteja você em excelente forma física, ou seja você um cadeirante.

Os hotéis te ofereçerão os mapas com as diversas trilhas para escolher. É super organizado, você irá se informar da distância, nível de dificuldade e paisagem. Depois é só se organizar, levar água e comida e se lançar. Eu fiz uma trilha difícil, de 9 km, começando da floresta e chegando no mar – a Kranshoek Nature Walk. Levamos 3 horas e meia para terminar.

Uma dica importante antes de sair, se informe bem sobre sua trilha e avise a recepção do hotel que irá fazer este passeio. Nós não fomos tão espertos, fomos despreparados, não sabíamos o tamanho da trilha, ficamos desesperados na metade sem saber onde acabaria, não havia uma alma viva por perto nem sinal de celular. Mas no final das contas foi ótimo rs!

mapa de trilhas
Mapa das trilhas em Knysna e Região

Esportes Radicais – no parque do Tsitsikamma, entre Knynsa e Port Elizabeth, ha todo tipo de esportes radicais. Hiking, Treking, Tiroleza, Camping, Arborismo, Mountain Bike e etc.

Waterfront – boa pedida para compras e resturantes.

Buffalo Bay – Praia pra apreciar o mar e se esticar no sol. Excelente praia para surfar, lota em dezembro e janeiro. É possível chegar de carro.

Brenton on Sea – linda praia a alguns minutos de carro de Knysna. Chega-se pela N2 e a estrada é toda pavimentada. O por do sol aqui é estonteante. Tem estacionamento e um restaurante de infraestrutura.

Paraglinding – A empresa que faz vôos (Fly Time) fica em Sedgefield, no meio do caminho entre Wilderness e Knysna. Essa região é uma das melhores do mundo para essa atividade. O vôo de 10 minutos com o instrutor custa 750 rands.

Outras cidades/atividades na Rota Jardim (Garden Route)

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Mossel Bay
Swellendam e De Hoop
Mergulhando com Tubarão Branco
Roteiro da Garden Route, dirigindo desde Joanesburgo
Saltar de Bungee Jump na África do Sul

Outros posts que podem te interessar

O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Se lança…

[Mikado id=’20’]

 

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Macaneta, a praia mais próxima a Maputo

Se lança pra Macaneta – Moçambique

Macaneta é a praia mais próxima de Maputo, fica a uns 40 kilômetros da cidade, o que não necessariamente significa que em poucos minutos você chegará lá, programe aproximadamente 1 hora e meia.

É um caminho um pouco chato, mas dá pra ir tranquilo!

A praia é virgem e o mar bem agitado, a água é quente, mas não é transparente como outras praias em Moçambique. Lá também venta muito. Nosso guarda-sol não parou em pé.

Como chegar lá

Para ir a Macaneta, dirija até Marracuene pela EN1, lá tem que tomar a balsa para atravessar um rio. Da estrada (EN1), entre à direita na placa que indica “Tan a Biki” (uma pousada) – não tem como errar. Não vi nenhuma placa indicando “balsa ou travessia”, então fique de olho nas placas de hoteis. Se usar o GPS, busque pelo “ferry” – pra mim deu certo.

estrada_maputo_marracuene

Você vai cruzar por marracuene e eis que você chega na tal balsa.

Fiquei supresa ao ver a extensão do rio, muito pequena, acho que dá uns 100 metros. Uma pontezinha resolveria fácil a situação. Mas, como não há, tem que encarar. Custa 180 meticais por carro – ida e volta – vão 6 carros por vez e um monte de gente a pé.

Fila para subir na balsa
Fila para subir na balsa

O problema é a fila pra pegar a balsa. Eu dei sorte, esperei apenas uns 30 minutos na ida. Na volta esperei um pouco mais porque precisaram trocar a coreia da balsa… Pois é. Essas coisas acontecem, já ouvi de gente que precisou passar a noite em Macaneta pois a balsa havia quebrado. Faz parte.

Para evitar a fila, é melhor sair cedo de Maputo. Assim você também evita o trânsito na saída da cidade e na EN1.

Quem não tem carro pode cotar aluguel na RentCars.

ATUALIZAÇÃO (Ago/18) – estou felicíssima em saber que agora tem uma ponte para chegar em Macaneta!! Viva Moçambique e seus desenvolvimentos =)

Chegando lá – Como se virar

Depois de atravessar o rio na balsa, você vai dirigir uns 8 km e chegar numa encruzilhada. Você tem a opção de virar à esquerda ou à direita.

mapa_encruzilhada_marracuene_macaneta

Quem tem carro 4×4 pode escolher qualquer lado, quem não tem, precisa virar à direita. Ainda assim tem que tomar muito cuidado pra não se meter em fria. (Nós atolamos nosso carro na areia, mas tinham uns meninos que nos ajudaram a sair).

Não se esqueça de levar sua farmacinha a tiracolo.

Subindo na balsa em Marracuene
Subindo na balsa em Marracuene

Onde Ficar

Quem vai à esquerda, pode ficar no Jays Beach, e à direita no Tan n Biki.

É possível estacionar o carro e passar o dia, ou mesmo passar a noite lá. Também tem restaurantes nessas pousadas pra quem quiser comer.

Voilà
Voilà

O que fazer

Para aproveitar bem o dia ao sol, leve sua própria infraestrutura pra praia: canga, cadeira, guarda-sol, isopor ou cooler com suas bebidas e comidas.
Mesmo se for ficar em alguma pousada lá, eles não tem essas coisas para emprestar.

Macaneta

 

Veja aqui outros posts sobre Moçambique:

Maputo City Tour

10 melhores Restaurantes de Maputo (com endereço)

Tofo, Paraíso do Mergulho em Moçambique

Tudo sobre a Ilha de Moçambique

Outros Posts que podem te interessar

O que visitar na Suazilândia em 2 dias

Onde dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas

Safari no Kruger Park

Panorama Route

 

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Se Lança…

[Mikado id=’27’]

Mergulho com Tubarão Branco na África do Sul

A África do Sul é incrível por vários motivos, um destes motivos são os incríveis tubarões brancos que nadam em sua orla e a possibilidade de vê-los, sobre ou debaixo da água. Neste post vou contar TUDO sobre o mergulho com tubarão branco neste país.

Uma coisa importante: não é uma experiência assustadora. Sério mesmo. Os tubarões são atraídos para o barco pelos profissionais, e eles vem de maneira calma e curiosa – para ver o que está acontecendo, ou descobrir que cheiro é esse perto do barco.

Diferente do que muitos falam, eles não vem pra atacar quem está dentro da jaula. E você também pode optar por não descer na jaula, apenas vê-los da superfície – que também vale super a pena.

Expectativa x Realidade

A primeira coisa que você deve fazer é definir as expectativas de maneira realista.

A natureza é imprevisível, assim como um safari, você pode ver muitas coisas bacanas, mas também pode não acontecer nada – simplesmente não aparecer nenhum tubarãozinho naquele dia.
Isso é sério, da primeira vez que fui, estava esperando ver isso:

breach and predation
Foto do site: Apex Predators

Mas não foi bem assim, vide minhas fotos abaixo… Com um pouco de conhecimento e planejamento, você pode aumentar suas chances. Aqui você pode ver uma tabela da sazonalidade e planejar ir nos períodos corretos pra ter uma melhor experiência, MAS PORÉM CONTUDO TODAVIA, não há garantias. Eu fui final de Maio, começo de Junho – eu vou estragar o mistério – não vi nada em Seal Island, porém pude vê-los bem no mesmo período em Mossel Bay.

Onde mergulhar com tubarão branco na África do Sul

Existem três lugares na região do Cape para realizar essa aventura:
1 – Seal Island – saída de Simons Town
2 – Gansbaai
3 – Mossel Bay
Vamos falar destes três lugares, pois entre eu (Tati) e a Fla, já fomos a todos.
Para quem estiver do outro lado do País, em Durban também existe shark diving.

Pessoal na jaula e tubarão em frente Mergulho com Tubarão Branco na África do Sul
Pessoal na jaula e tubarão em frente

1. Seal Island:

É, sem dúvida, o mais famoso. Aqui foram filmadas as milhares de horas dos documentários do Discovery Channel, Animal Planet, etc. Existe uma pequena ilha a aproximadamente 6 km da praia onde vivem centenas de focas, consequentemente, vivem algumas dezenas de tubarões que se alimentam delas.

As agências que fazem as expedições para Seal Island estão todas no Pier de Simons Town. Tem apenas 3 empresas autorizadas a fazer este passeio, as três vão para o mesmo ponto, qualquer uma delas é confiável. É preciso reservar (e pagar) com muita antecedência se estiver indo em alta temporada. A empresa mais famosa é a APEX, mas você também pode ir com a Go Shark Diving ou African Shark Eco Charters.

Uma nota aqui, alta temporada de saltos de tubarões (Jun/Jul/Ago), que na verdade é a baixa temporada de férias, pois é inverno na África do Sul. 

Como as expedições saem muito cedo, tem que chegar lá antes das 7 da matina, é aconselhável dormir em Simonstown na noite anterior. Nós descemos de Cape Town e tivemos que acordar muito cedo, pois leva uns 45 minutos pra chegar. (veja aqui opções de hospedagem em Simons Town).

Seal_Island_Mergulho_com_Tubarão_Branco_na_Africa_do_Sul
Seal Island

2. Gansbaai:

Em Gansbaai, há uma maior chance de ver tubarões nas baixas estações (alta estação de férias – verão). Segundo pesquisas, há 95% de chances de vê-los mesmo na baixa temporada. Ou seja, pra quem está viajando de Dezembro a Fevereiro, a sua chance de ver tubarões é maior em Gansbaai. Eu mesma não fui, mas vou compartilhar o comentário da Fla que foi.

“Os tubarões levaram meia hora pra começar a aparecer, quando já achavam que não vinha, eis que os bichões chegaram!”

Existem várias empresas que realizam este passeio em Gansbaai, são elas:
Great White Shark Tours
Marine Dynamics
Shark Diving Unlimited
White Shark Adventures
White Shark Projects
White Shark Diving Company
African Shark Eco Charters

Nós fomos até Gansbaai pois estávamos de carro alugado (sempre uso RentCars na Africa), mas existem excursões de bate-volta de Cape Town para mergulhar com os tubarões em Gansbaai. O preço médio é de 180 USD por pessoa, inclui o transporte até a cidade (mais ou menos 2,5 horas), um pequeno café, almoço e o passeio no barco em si (com os equipamentos e roupas). Este passeio dura o dia todo, sai cedinho e volta tarde. Veja neste link os detalhes.

3. Mossel Bay:

Em Mossel Bay o mergulho é no Oceano Índico, e segundo o pessoal da empresa que realiza este passeio (ou seja, podem estar puxando a sardinha pro lado deles), as águas são mais quentes que do Oceano Atlântico, então a chance de ver tubarões é maior que Seal Island e Gaansbai.

A outra vantagem é que em Mossel Bay chove menos que as outras duas cidades, então as expedições geralmente tem mais visibilidade e pouca chance de serem canceladas por mau tempo. A desvantagem é que Mossel Bay é mais longe de Cape Town (uns 390 km), mas vale pra quem está fazendo a Garden Route.

Lindo_dia_em_Mossel_Bay_Mergulho_com_Tubarão_Branco_na_Africa_do_Sul
Lindo dia em Mossel Bay

Tem apenas uma empresa que faz este passeio na cidade, é a White Shark Africa. Posso recomendar este passeio, fiz e gostei muito! Tivemos sorte de estar um dia lindo, então tinha muita visibilidade no mar. Como fui na baixa temporada de férias, tinha pouca gente na expedição, então fiquei um tempão debaixo da água, depois um tempo em cima pra ter outra vista. Foi ótimo!

Tubarão pequeno (1.5m) visto de cima do barco_Mergulho_com_Tubarão_Branco_na_Africa_do_Sul
Tubarão pequeno (1.5m) visto de cima do barco
Tubarão maiorzinho se aproximando_Mergulho_com_Tubarão_Branco_na_Africa_do_Sul
Tubarão maiorzinho se aproximando

Assista este video do Juliano (maridão) na jaula!

Assista até o final para ver o tubarão subindo verticalmente do fundo do mar. Lindo demais.

Dicas pra não passar mal no mar

Se encarar o passeio, dica muito importante: Para não passar mal, tome um plasil a noite antes de dormir, e outro 2 horas antes de embarcar. Dica dos locais, funciona mesmo!

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Mossel Bay
Swellendam e De Hoop
Knysna, equilíbrio perfeito entre Mar e Montanha

Se Lança…

[Mikado id=’31’]

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Pretoria na África do Sul

Se lança pra Pretoria – África do Sul

Se você veio à este post pensando: “será que eu incluo Pretoria no meu roteiro na África do Sul?” Sejamos honestos: A resposta é não, pode parar de ler por aqui.

Agora, se você mora na África do Sul, ou vai lá a trabalho, quem sabe até visitar um parente, aí sim pode seguir adiante com a leitura, vou passar as dicas do que fazer em Pretoria.

Como chegar

É possível tomar o Gautrain do aeroporto (ou de Joanesburgo) à Pretoria.

Se estiver de carro alugado, a estrada (N1) que liga Joburg a Pretoria é ampla, 5 pistas de cada lado, mas na hora do rush tem muito trânsito.

Hotéis em Pretoria

Segue minhas sugestões, tem muita coisa fofa:

The Wardrobe Guest House – esta pequena pousada (de apenas 7 quartos) tem um estilo rústico chique, bem localizada, próxima ao Brooklyn Mall. Tem estacionamento e wifi. Excelente custo x benefício com diárias à partir de 800 rands. Endereço: 416 Farrel Street Brooklyn

314 on Clark Guest House – decorada com inspiração africana, moveis modernos e um look clean. Bom custo benefício, fica no bairro Brooklyn perto do shopping. Tem estacionamento, wifi e um pátio no local. Endereço: 314 on Clark Street

Brooklyn Manor – esta pousada está em uma linda casa antiga construída em 1927. A decoração é clássica e aqui você se sente em casa. Tem uma piscina, enorme jardim e até uma hortinha. Oderece estacionamento e wifi. Diarias à partir de 1300 rands.

Protea Hotel Fire & Ice! by Marriott Pretoria Menlyn – como sempre a rede Protea é excelente. Esta unidade fica perto do Menlyn Park, maior shopping da cidade. Tem piscina, estacionamento, academia e restaurante. Endereço: 221 Garsfontein Road

Duke & Duchess Boutique Hotel – hotel butique estilo classudo, móveis grandes e imponenetes. A casa é linda, tem uma piscina e jardim para aproveitar. Estacionamento e wifi no local. Fica um pouquinho mais afastado em um bairro bem tranquilo, bom para relaxar. Diárias à partir de 1300 rands por casal. Endereço: 70 Drakensberg

Veja outras opções de hospedagem em Pretoria aqui.

Onde comer

A la Turka – meu restaurante árabe predileto (tudo bem que foi o único que conheci na Africa do Sul rs). A comida é boa, o ambiente típico super bonito e na sexta e sábado tem dança do ventre.  Tel: 011 203 4605; 711 Sterkfontein Ave, Irene

Jantar com dança no A La Turka
Jantar com dança no A La Turka

Kream – recomendado por amigos, cozinha contemporânea no badalado bairro do  Brooklyn. Tel: 12 346 4642/4; 570 Fehrsen Street, Brooklyn

Restaurant Mosaic at The Orient – eleito entre os 10 melhores restaurantes da África do Sul. O restaurante é aconchegante com sua decoração belle epoque. O menu custa 1250 rands por pessoa, preço do menu de vinhos é à parte. Fica dentro do hotel The Orient. Abre de quarta a domingo para almoço e apenas quarta, sexta e sábado para jantar. Endereço: 25 ° 45 ‘ 40.0 ”S / 27 ° 59 ‘ 56.6 ”E , Fone: +27 (0)12 371 2902

O que fazer em Pretoria

Voortrekker Monument & Heritage Site – Monumento em homenagem aos emigrantes que partiram do domínio britânico no Cape. Dentro do estabelecimento tem parque, um museu (entrada 50 rands) e também espaço para andar de bicicleta ou fazer hiking.

pretoria

Union Buildings – Este edifício é a sede oficial do governo Sul-Africano e também abriga os escritórios do presidente, não é possível entrar dentro dele, mas em sua frente há um lindo jardim e tem uma vista bonita da cidade. Atualização – depois da morte do Mandela, foi erguida uma linda e enorme estátua dele de braços abertos no jardim.

Union Building
Union Building

Church Square – Centro histórico da cidade, cercado pela Igreja, Palácio da Justiça, Correios, além de outros prédios antigos. São prédios bonitos, e foi neste Palácio da Justiça que o Nelson Mandela e outros membros da ANC foram julgados por traição. Ao centro está a estátua de Paul Kruger. Estacione na própira praça mesmo, não pare longe, não é muito seguro. Se não quiser descer, passe de carro em frente.

Church Square
Church Square

The Pretoria Art Museum – Pequena galeria com artistas africanos. Aberto de terça a domingo das 10:00 às 17:00. Entrada 22 rands. Endereço: Esquina das ruas Schoeman e Wessels Str.

Groenkloof Nature Reserve – se você gosta de Mountain Bike, este é o lugar. Mas se você quer caminhar, tudo bem, pode vir também. O parque é uma reserva que contêm pistas de mountain bike (nível super difícil mesmo), trilhas para hiking e área para picnic ou braai (churrasco). É possível até andar a cavalo no parque. O diferencial do parque, é que tem animais! Uhu, andar de bicicleta e trombar com girafas e kudus, só na África! Não se preocupe, não há predadores. O preço das entradas varia conforme a atividade que for fazer. O horário que o parque fica aberto também varia conforme estação do ano. Detalhes podem ser vistos no site oficial.

Pedal em Pretoria, Groenkloof
Pedal em Pretoria, Groenkloof

Pretoria National Botanical Garden – é um jardim frequentado pelos locais pra fazer picnic. A turma gosta muito de picnic por aqui, então é comum no fim de semana empacotar o lance e a família e passar o dia no parque. É bonito e bem cuidado, tem algumas trilhas pra caminhar mas poucas flores pra ver. Aberto todos os dias das 8:00 às 18:00, último horário para entrar no parque é às 17:00. Entrada 25 Rands, Endereço: 2 Cussonia Ave, Brummeria, Pretoria.

Shoppings

Menlyn Park Shopping Centre – maior shopping de Pretoria com mais de 500 lojas. Tem de tudo que você imaginar, cinema e resturantes. É bem moderno. Como tudo na África do Sul, fecha cedo. Na verdade, no site deles eles dizem que ficam abertos até tarde, pois na sexta e sábado estão abertos até às 21h!

Brooklyn Mall – shopping menorzinho mas tem lá suas mais de 200 lojas, tem bastante opções de restuarantes. Fica no bairro das embaixadas.

*PS – A maioria das fotos aqui são da fotógrafa e minha amiga super talentosa Anna Theodora. Confira seu trabalho!

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Turistando em Joanesburgo
Onde ficar em Joanesbugo
Joanesburgo com crianças
Sun City Hotel, o que fazer
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Onde fazer Safari perto de Cape Town
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo

Se ficou alguma dúvida ou se quiser apenas deixar um palavrinha carinhosa pra gente, escreva nos comentários aqui abaixo.
Escreve, escreve, escreve 🙂

Ah, e não deixe de seguir nossas andanças no Instagram. Sempre tem dica boa por lá também.

~ Se Lança ~

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

 

O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas

Veja nesse post o que fazer na Cidade do Cabo! Várias dicas do que fazer em Cape Town e alredores, onde comer, se hospedar, se locomover e se divertir pra caramba. Você amará esta cidade, garanto.

Cape Town é sem dúvida um dos pontos altos da África do Sul (quiçá do mundo!)

Não sou capaz de dizer que é o “top” porque sou apaixonada por toda RSA (Republic of South Africa) e não consigo escolher um vencedor, mas com certeza Cape Town tá no páreo.

Introdução

Quando você chegar em Cape Town, terá sérias dúvidas se está mesmo na África. Pelo menos essa imagem pré-conceituosa que criamos de África. Depois me conta se você não se surpreendeu com a limpeza, infraestrutura e educação do povo.

Kalk Bay
Kalk Bay

Como se virar

Em Cape Town, priorize as atividades ao ar livre e aproveite bem a natureza. A noite, frequente os excelentes restaurantes da cidade, isso é, se ainda tiver pique depois de bater perna o dia todo!

Você írá se locomover muito, as atrações em geral são bem afastadas umas das outras, e se tiver tempo – pode esticar um pouco o passeio até a região das vinícolas. Pra quem tem pouco tempo, 4 dias são suficientes pra conhecer a cidade e alredores, é só se programar bem. Quem vai ficar mais no país, pode dedicar uma semana inteira pro Cabo.

Ultimamente tem crescido o número notícias de sobre violência, então fique atento, mas não tenha medo. É como qualquer país em desenvolvimento (Brasil inclusive), só não dar bobeira.

Mais dicas detalhadas de como se virar na África do Sul aqui e cuidado com a saúde aqui. Como tirar sua carteira de motorista internacional aqui.

Pinguin em Boulders Beach
Pinguin em Boulders Beach

Locomoção na Cidade do Cabo

Como qualquer outro destino na África do Sul, aqui é recomendado alugar um carro com GPS, as atrações são distantes e o carro te dá muita liberdade. Veja na RentCars quanto custa alugar carro em Cape Town, esse site traz um comparativo de várias locadoras.

Mas pra quem não quer encarar, pode usar o  MyCiTi na cidade do Cabo – um sistema de transporte de micro-ônibus relativamente novo na cidade. A primeira linha foi implementada em 2011 e tem expandido desde então. Veja no site os valores de transporte e horários, veja também se cobre a região do seu hotel. É preciso comprar o cartão antes de embarcar, é vendido em quiosques e algumas lojas. O cartão custa 30 rands. No site também é possível calcular a rota que você deseja.

Não ande de “taxis” – essas vans param no meio da rua e a qualquer momento para pegar passageiros. Mas pode andar de taxi – aquele carro que estamos acostomados – peça ajuda no hotel, pois não é Rio ou NY onde é só acenar, tem que chamar com antecedência.

O Uber também está presente na Cidade do Cabo.

Pra quem estiver dirigindo, uma precaução é que aqui dirige-se na mão inglesa, então é preciso cuidado e atenção. Também precisa-se da carteira de motorista internacional (PID), que pode ser emitida no Detran da sua cidade.

Cape point e ao fundo o Cabo da Boa esperança

 

Onde ficar em Cape Town

Estes são os locais que nós ou amigos já ficamos por lá e podemos recomendar, tem pra todos os bolsos. (Veja neste post a explicação dos melhores bairros onde ficar em Cape Town).

Blackheath Lodge – lindo hotel butique, aconchegante e íntimo. Você com certeza será bem tratado e de maneira personalizada, o staff poderá te dar ótimas dicas do que fazer na cidade, são muito prestativos. Lado negativo é que o preço é meio salgado e o estacionamento é na rua. Preferido da Tati.

Sunshine Letting Self Catering Apartments – este local é um apartamento em Sea Point. Super bem decorado e com uma vista linda. Ótimo pra quem quer economizar com alimentação, pois pode cozinhar em casa. Para os calorentos, saiba que tem ventiladores, mas não ar condicionado. Excelente custo x benefício.

Harbouredge – apartamentos modernos de 2 a 3 quartos ou studios com quarto e cozinha. Tem internet e estacionamento inclusos na diária. Bem localizado, fica entre o Waterfront e o Centro.

Townhouse Hotel – hotel mais voltado para negócios, é no centro da cidade e tem estacionamento. Bom custo benefício, mas pouco intimista. Ficar no centro da cidade é menos legal, mas pode-se encontrar bom preços.

The Backpack – Bem localizado, limpo e ótimo custo benefício. É possível reservar quartos individuais (escolha da Flá) ou ficar em dormitórios compartilhados. Não tem café da manhã incluído na diária, mas tem uma cozinha comunitária com todos utensílios necessários para que você possa fazer seu desjejum. Se não alugar um carro, reserve seus passeios no albergue.

Você pode buscar outras opções de hospedagem AQUI.

Waterfront a noite
Waterfront a noite

Onde comer

Cape Town tem ótimos restaurantes e renomados chefes, aproveite a culinária e gastronomia local! Você provavelmente vai comer bem em qualquer restaurante. Abaixo a lista de lugares que já conheci. E a dica principal, ligue pra fazer sua reserva antes de aparecer.

Duchess of Wisbeach: Restaurante “pop” frequentado por locais, ideal para jantar. Tem um ambiente muito legal e boêmio, a cozinha é aberta no meio do espaço e só servem comida fresca. Fone: 021 434 1525, Endereço: 3 Wisbeach Road.

La Mouette: comida muito boa, ambiente mais “adulto”. O donos tocam o restautante, o chef (e dono) é inglês, casado com a hostess (e dona) sul-africana. Você se sentirá muito bem acolhido. Fone: 021 4330856, Endereço: 78 Regent Road.

Savoy Cabbage: Cozinha contemporânea. Ambiente muito bonito e moderno com um pé direito bem alto. Ideal para jantar, é uma excelente opção no centro da cidade. Fone: 021 424 2626 101 Hout Street, Cape Town

Hussar Grill em Green Point: A carne mal passada do marido foi um sucesso, a minha carne que pedi bem passada, passou demais. Restaurante parece uma biblioteca com lareira, me senti tipo num filme do Harry Potter. Fone: 021 433 2081 Endereço: 107a Main Road, Green Point.

Rick’s Café Americain:  em um edifício Vitoriano de mais de 100 anos e com decoração inspirada no filme Casablanca (de onde empresa o nome), o Rick’s Café tem um menu gigantesco para agradar a todos os gostos. Curta a vista da “Table Mountain” do último andar do restaurante. E se você gosta de cordeiro, prove o “Lamb Tajine Royale”, é sensacional. Bons preços.

O que fazer em Cape Town e Ao Redores

CAPE TOWN

– Table Mountain: Este item é o primeiro da lista pois deve ser tratado como tal. É sério, sua prioridade é largar tudo o que está fazendo para subir a table mountain. Motivo: sempre está fechado. Das 4 vezes que fui à Cape Town, consegui subir 2xs, mas em uma o tempo fechou e não consegui apreciar a vista. Ou seja, de 4 visitas à Cape Town, apreciei a Table Mountain 1x. O parque fecha com chuva, vento, mal tempo, etc. Então não pense, “ah no último dia nós fazemos este passeio” – pois estatisticamente suas chances de realizá-lo diminuirão. Espero ter sido clara!

No verão, é recomendável chegar cedo e comprar o ingresso com antecedência pelo site (AQUI). Se possível, seja um dos primeiros, chegue por volta das 7 da manhã para subir no primeiro teleférico que sai às 8. Estacionar o carro também pode ser um problema, não tem estacionamento, então as pessoas param na estrada mesmo, porém são muitos carros. Se chegar tarde vai parar longe e fazer uma bela caminhada até a entrada do teleférico. Dito tudo isso, vale a pena sim, este passeio é imperdível!

– Victoria & Alfred Waterfront: É um grande complexo localizado junto à zona portuária de Cape que reúne restaurantes, cafés, hotéis, marina, lojas, museus e áreas de lazer e entretenimento. Entre as principais atrações que podem ser visitadas durante a tarde estão o Two Oceans Aquarium, o shopping Victoria Wharf e o mercado de artesanatos V&A Craft Market. Recomendo visitar o aquário somente em 2 hipóteses: 1 – se você nunca foi num aquário; 2 – se estiver chovendo. É legalzinho, mas os passeios outdoors oferecem muito mais.

Aquário no Waterfront
Aquário no Waterfront

Robben Island: A ilha-prisão onde o ex-presidente Nelson Mandela (dentre muitas outras pessoas) passou anos preso, considerada um Patrimônio Mundial pela UNESCO. Compre o bilhete no waterfront, em frente a CLock Tower. Não deixe pra comprar de última hora, se quiser ir à ilha, vá um ou dois dias antes à bilheteria pra garantir sua passagem.

Se você tiver enjôos em barcos, tome um plasil duas horas antes de embarcar, eu passei muito mal… O passeio todo dura umas 3 a 4 horas, entre deslocamento e tour na Ilha. Chegando lá você fará um passeio de 1 hora de ônibus pela ilha, depois tem mais 1 hora dentro da prisão, onde os guias são ex-prisioneiros. Já adianto que é um passeio deprê, óbvio. É educativo, se sobrar tempo ou estiver na vibe, pode ser uma opção de passeio – mas não diria que deve ser prioridade. Preço do ingresso é 320 Rands por pessoa.

Robben Island
Robben Island

– Camps Bay: É uma das praias mais badaladas da região, com diversos restaurantes, hotéis e mansões. Camps Bay é um ótimo lugar para almoçar e curtir a praia mesmo, se você encarar as águas geladas! Outra opção é a Clifton Beach, uma praia menor e ao lado de Camps Bay, mas tão bonita quanto. Veja as opções de praia na Cidade do Cabo aqui.

– Tour no ônibus vermelho – em Cape Town tem o ônibus vermelho que passa em diversos pontos turísticos da cidade. O bilhete para um dia custa mais ou menos 45 reais e para 2 dias 60 reais. Com um bilhete você pode subir e descer em vários pontos, como Table Mountain, Waterfront, Camps Bay e até um tour nas vinícolas de Constantia. Excelente opção para quem não está com carro alugado. Você pode comprar os ingressos com antecedência neste site aqui.

Feiras de Rua

As feiras de rua de Cape Town tem uma vibe super boa, tem comidas maravilhosas, você pode tomar espumante – o Cap Classique, espumante sul-africano – comer ostras frescas, visitar lojas de roupas, acessórios, comprar artesanatos. Um pouco de tudo, e muitas vezes acompanhada de música ao vivo.

Old Mill Biscuit – Todo sábado em Woodstock, das 9 às 14. Reza a lenda que este bairro super legal e alternativo foi renovado depois da existência da feira. O Lonely planet diz que essa é a atração número 1 da cidade, vale conferir.

Bay Harbour -The Market Hout Bay é uma feirinha frequentadas mais por locais, de frente pro mar. Super legal também. Horários: Sexta das 17 às 21; Sábado e Domingo das 9:30 às 16 – mas dê preferência pra ir de dia.

Veja outras opções de passeios, além deste roteiro tradicional de Cape Town aqui.

AO REDORES DO CABO

Em um dia inteiro (e puxado) dá pra visitar todas as atrações abaixo.

– Chapman’s Peak Drive: famosa estrada que liga Cape Town ao sul do Cabo, tem início na costa de Hout Bay. É uma estrada antiga e por não ser tão rápida já não é tão utilizada pelos locais. Hoje é mais turística, “scenic views”. Você paga um pequeno pedágio pra passar por ela e vai contornando as montanhas e dirigindo sob um penhasco com vista pro mar. Há vários mirantes durante o percurso onde você pode estacionar e descer pra fotos, picnic, esticar as pernas, você é quem manda – mas curta o visual. Você pode descer para o Cape Point através dela, se estiver com o GPS, ele vai te mandar pela M3, então siga as placas “Chapman’s Peak” pelo caminho e não seu GPS.

Chapman’s Peak Drive
Chapman’s Peak Drive

– Cape Point, Cape of Good Hope: O famoso Cabo da Boa Esperança. O cabo é um lugar imperdível de natureza absurdamente linda.
Quando chegar no Parque, você vai ver que tem duas opções de caminho o que dá no (1) Cape of Good Hope e o que vai para o (2)Cape Point. Dá para chegar de um no outro caminhando por umas trilhas que tem no local. Aconselho. Cansa, mas vale a pena. Esse lugar é muito incrível.

Minha dica é ir de carro primeiro até Cape Point, estacione ali, vá no banheiro, compre uma água, etc. Primeiro vá caminhando até o farol e curta a vista. A partir dali existem duas opções de trilhas.
1 – Até o farol antigo – caminhada fácil, 15 mins cada trecho.
2 – De Cape Point até Cape of Good Hope – Caminhada intermediária, 1 hora pelo menos.
Se não quiser caminhar até o Cape of Good Hope, volte para o carro e dirija até lá. Chegando lá você pode subir no cabo, caminho por onde chegaria se estivesse caminhando.

PS – cuidado para não sair do parque neste momento, preste bem atenção nas placas.

Praia entre Cape Point e Cape of Good Hope, só é possível vê-la se encarar a trilha
Praia entre Cape Point e Cape of Good Hope, só é possível vê-la se encarar a trilha

– Boulders Beach: No caminho de volta para Cape Town,  é possivel visitar a pequena praia de Boulders Beach, muito famosa por ser o local que os pinguins africanos escolheram para ser sua colônia reprodutiva. A observação dos pinguins pode ser feita na beira da praia, com acesso pago, ou por uma passarela no meio da mata (bem menos interessante), de forma gratuita. Vale a pena.

– Simon’s Town: Cidadezinha fofa e pitoresca. Daqui saem os passeios para Seal Island, lugar (quando época Julho e Agosto) os tubarões brancos saltam (“breach”) para atacar focas (“predation”). É um passeio bem caro, por volta de 1200 Rands por pessoa (R$270 aprox). As agências que fazem essas expedições estão todas no Pier da cidade.
Leia tudo sobre como mergulhar com tubarões na África do Sul aqui!

Simon's Town
Simon’s Town

– Kalk Bay: Para voltar para Cape Town, volte pela Simon’s Town Road, depois pela Main Road sentido Fish Hoek, Kalk Bay, Muizenberg Beach, pegando a Baden Powell Dr. Nessa região tem uma calçada com lojas e resturantes alternativos, boêmios e antiquários. Muito legal pra sentar no fim da tarde após o passeio em Cape Point. Você também poderá surfar se essa for sua onda. Só cuidado com o aviso de tubarão!

Muizenberg Beach
Kalk Bay

Outras atrações turísticas na região da Cidade do Cabo

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Constantia, vinícolas pertinho de Cape Town
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
10 melhores vinícolas de Stellenbosch
5 melhores vinícolas de Franschhoek
Safari no Kruger Park, África do Sul
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
Turistando em Joanesburgo

Se Lança…

[Mikado id=’29’]

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Franschhoek e Stellenbosch, melhores vinícolas perto de Cape Town

Sem sombra de dúvida, as cidades de Franschhoek e Stellenbosch contem as melhores vinícolas perto de Cape Town.

É possível fazer um bate-e-volta de Cape Town em um dia só e conhecer várias delas – ou então, pernoitar em uma das vinícolas pra “sentir o clima” do vale. Eu já fiz as duas coisas, e cada uma se adequou perfeitamente ao meu tempo e roteiro.

Vinícolas perto de Cape Town

Ao programarmos nossa viagem pra Cape Town, meu marido e eu fizemos apenas uma única promessa: não vamos de jeito nenhum, nem sob tortura à mais uma vinícola. Isso porque já havíamos ido à vinícolas na Argentina, Chile e França e honestamente, chega.

Mas o destino é engraçado.

No terceiro dia da nossa viagem, depois de muita chuva, tempo feio e passeios fracassados – e sem perspectiva nenhuma de melhora – recorremos à Michele (staff do hotel) suplicando peloamor o que fazemos por aqui com esse tempo feio? E a resposta dela veio em forma de pergunta: “Have you been to the winelands?” (Vocês já foram aos vinhedos?).

Pensa em duas pessoas com cara de bunda. Mas apesar da nossa decepção, pensamos, okay vamos lá, não tem mais onde ir com esse tempo ruim mesmo.

Sorte a nossa, hoje é uma de nossas regiões prediletas na África do Sul, não tem pra França, Chile, nem Argentina. Se um dia tiver que escolher uma vinícola pra ir na vida, venha pra Franschhoek e Stellenbosch. (Se estiver com pouco tempo, você pode escolher Constantia que também é super legal!)

Parreira

Vinícolas na África do Sul

A região de vinícolas na África do Sul é composta por diversas cidades e áreas rurais.

As principais para visitar são Stellenbosch, Franschhoek e Paarl. São todas próximas umas das outras e é possível visitar várias vinícolas em um dia.

Essa região é considerada a maior região produtora de vinhos da África do Sul. Fica a 40 minutos do centro de Cape Town, num caminho de 50 km pela rodovia N2, a mesma que leva ao aeroporto.

Quais vínicolas visitar?

Você vai passar por várias vinícolas (sério, várias, incontáveis, inúmeras vinícolas), se gostar da cara dela entra, da uma volta, experimenta um vinho, e vá pra próxima.

Não paga para entrar, e lá dentro você decide se quer apenas conhecer o recinto, experimentar o vinho, fazer um tour guiado, ou tudo isso junto.

Vale a pena comprar vinhos dentro das vinícolas?

Não se preocupe em comprar garrafas de vinho nas vinícolas. Qualquer supermercado (ou no free shop) vai oferecer as mesmas opções pelo mesmo preço.

Não se esqueça de experimentar a uva da África do Sul: Pinotage.

Boschendal Wine Estate
Boschendal Wine Estate em Franschhoek

Precisa de carro para visitar as vinícolas perto de Cape Town?

Eu só ando de carro alugado na África do Sul, acho muito mais prático.

Aqui não seria diferente, claro que precisa de carro! É tudo longe pra caramba e no meio da estrada. O conselho aqui é pegar as coordenadas (latitude e longitude) das vinícolas, e não o endereço para achar no GPS. Veja neste post como dirigir na África do Sul.

Agora pra quem não quer alugar carro, uma opção é usar Uber, que está presente em Cape Town e região. E a novidade do momento é o Franschhoek Wine Tram.  Um serviço de hop-on-hop-off em um bonde super bonitinho. Sai do centro de Franschhoek e custa 240 rands. (Mais sobre este passeio no blog Bastante Sotaque).

Babylonstoren
Babylonstoren em Franschhoek

Onde dormir em Stellenbosch

É possível dormir em Cape Town e vir apenas passar um dia na região.

Se quiser dormir por aqui, eu conheci e recomendo o: Asara, em Stellenbosch. É uma vinícola que possui hotel e espaço para eventos (casamentos chiques). O hotel é muito lindo, o restaurante (abaixo) é maravilhoso, vale a pena. Os vinhos em si, não são os tops da África do Sul, mas são bons sim – e o hotel está bem localizado para ir à outras vinícolas durante o dia. Gostamos muito do lugar, viagem em casal.

Também já fiquei no Spier com minha família – melhor opção para quem tem crianças!  Outra opção de pousada em vinícola com bom custo benefício é a Zorgvliet Wines Country Lodge, também é bem localizada para sair e explorar Stellenbosch.

Para quem quer dormir na cidade, a Bonne Esperance Guest House é uma linda casa vitoriana transformada em pousada. Fica perto da Universidade de Stellenbosch.

Onde dormir em Franschhoek

O centrinho de Franschhoek é tão fofo que recomendo dormir ali, pra curtir a cidadezinha e restaurantes a noite. O Le Petit Paris é uma pousada perto da rua principal. Aconchegante e tranquilo, rodeada de jardins, flores e fontes de água. Bom custo benefício na região.

Veja mais opções de hospedagem em Franschhoek aqui.

Vista do Vale no Asara
Vista do Vale no Asara

Restaurantes nas vinícolas e região

Onde comer em Franschhoek

Cafe des Artes – lugar bem descontraído, aberto todos os dias para café da manhã, almoço e jantar. As refeições diurnas são muito boas, sanduíche por 65 Rands, Pato Confitado por 145. Fone: +27 (0)21 876 2952, Endereço: 7 Reservoir West Street (na cidade)

French Connection Bistro – Como o nome já diz, comida francesa 😉 Na verdade o cardápio é bem variado e contemporâneo. As porções são bem servidas e o ambiente descontraído. Aberto para almoço e jantar. Se quiser uma mesa na rua é bom reservar, se não der, sente-se lá dentro que também é gostoso.  Tel: +27 (0)21 876 4056, Endereço: 48 Huguenot Rd (na cidade)

Foliage – número 9 no ranking dos 10 melhores restaurantes da África do Sul. Ambiente agradabilíssimo, possui a cozinha aberta, excelente serviço e apresentação. O menu é muito criativo, misturando diversos sabores que à primeira vista você não entende. Vale conhecer! Pratos principais vão de 130 (vegetariano) a 225 (frutos do mar) Rands. Fone: +27 (0)21 876 2328, Endereço: 11 Hugenot Road (na cidade)

Pierneef à La Motte (dentro da vinícola) – Restaurante muito bom, e claro servem os vinhos produzidos lá. Também é um ambiente aconchegante e intimista, cozinha aberta, lareira, lustres – muito bonito. Comida deliciosa, e porções bem servidas. Pedimos entrada, prato principal e sobremesa, foi difícil demais dar conta do recado rs. Tel: +27 (0)21 876 8800 R45 Main Road, Franschhoek Valley (no campo)

Mesa no Pierneef à La Motte
Mesa no Pierneef à La Motte

Onde comer em Stellenbosch

Raphael’s (dentro da vinícola Asara) – Excelente restaurante, comida contemporânea, decoração sóbrea e elegante. (Use uma roupa bonitinha pra frequentar). Servem vinhos de outras cartas, não só do Asara. Tel: 21 888 8000, Polkadraai Road

Rust En Vrede – Lugar legal demais! Menu com 4 pratos custa 720 Rands por pessoa, aberto de Terça a Sábado à partir das 18:30.A louça foi encomendada a um renomado oleiro e talheres escolhidos a dedo para dar um toque especial a este lugar. Infelizmente é desses onde crianças abaixo de 12 anos não são bem-vindas. Fone: +27 (0)21 881 3757. Fica na vínicola de mesmo nome.

Wijnhuis – bar/restaurante moderno, tem uma carta de vinhos com mais de 500 opções, servem taças a partir de 13 rands. Boa escolha também para quem cansou de vinho e quer tomar uma cerveja.Tem hamburguer por 85 Rands e Chicken Shinitzel por 110 Rands. Fone: + 27 (0)21 887 5844, Endereço: Esquina das ruas Church e Andringa (na cidade)

Roteiro de 1 dia nas vinícolas perto de Cape Town

Stellenbosch e Franschhoek

Essa é uma sugestão de roteiro de 1 dia nas vinícolas saindo de Cape Town. É preciso um dia inteiro para completá-lo.

São 171 km.

Dentro de cada vinícola você pode decidir em fazer um tour pelo processo de produção e no final uma degustação de vinhos com o acompanhamento de um guia que dá informações bem detalhadas e interessantes. Ou então pular o tour ir direto para o recinto de wine tasting.

A maioria das vinícolas fazem esse tipo de tour, mas é bom checar horário e disponibilidade antes de partir. Se fizer esse tour em uma delas é suficiente, as próximas serão iguais. Também pense onde você quer almoçar e agende antes de sair.

Roteiro nas vinícolas:

A – Cape Town
B – Babylonstoren, vínicola e fazenda no estilo Cape Dutch (33 49′ 21.00″ S / 18 55′ 48.00″ E)
C – Boschendal Wine Estate (33˚ 52′ 39.04″ S / 18˚ 58′ 22.31″ E)
D – La Motte (33º 53′ 0.91″ S / 19º 4′ 21.57″ E)
E – Franschhoek – visite o centro da cidade, tem várias lojinhas, restaurantes. Tem também lojas de degustação de chocolates!
F – Stellenbosch – visite o centro da cidade, é maior que Franschhoek. Visita a Dorp Street e Church Street.
G – Asara Wine Estate & Hotel (33° 56′ 35.00″ S / 18° 48′ 33.00″ E)
H – Cape Town

rota dos vinhos

Outras vinícolas perto de Cape Town

Se você vai passar mais tempo nessa região maravilhosa (e se você puder, faça-o!), confira aqui as melhores vinícolas pra visitar e outras opções:

10 melhores vinícolas em Stellenbosch
5 melhores vinícolas em Franschhoek
3 melhores vinícolas em Paarl
Constantia, vinícolas perto de Cape Town
3 melhores vinícolas para ir com crianças
Vinícola Spier, onde ficar em Stellenbosch

Passeio guiado de 1 dia nas vinícolas

O roteiro acima nós sugerimos para quem está de carro e quer fazer o passeio por conta própria – seu ritmo, suas escolhas. Mas quem não está de carro, ou não tem motorista da rodada, pode optar por este passeio guiado de 1 dia nas vinícolas. Custa por volta de 225 reais por pessoa, sendo que o guia te busca no seu hotel em Cape Town. O passeio inclui as cidades de Stellenbosch, Paarl e Franschhoek. Tem 3 degustações de vinhos e 1 degustação de queijos inclusas, além de passear pelos centros históricos e pequena prisão onde o Mandela ficou preso logo antes de ser solto.

O que mais fazer em Cape Town e Região

O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Cape Town com crianças
Onde fazer safari perto de Cape Town
Hermanus, onde ver baleias na África do Sul

Sugestões de Vinhos Sul-Africanos

10 vinhos tintos bons e baratos para tomar na África do Sul
10 vinhos brancos bons e baratos para tomar na África do Sul
7 Melhores Vinhos Sul-Africanos

Se ficou alguma dúvida ou se quiser apenas deixar um palavrinha carinhosa pra gente, escreva nos comentários aqui abaixo.
Escreve, escreve, escreve 🙂

Ah, e não deixe de seguir nossas andanças no Instagram. Sempre tem dica boa por lá também.

~ Se Lança ~

Mais opções de roteiros e sugestões de vinícolas em nosso Guia:

África do Sul: Turismo e como se virar

Segue um guia com dicas em geral da África do Sul: turismo, como se virar, sobreviver e o que fazer pra curtir muito na África do Sul!

Se tiver dúvidas, é só comentar abaixo que a gente responde!

África do Sul precisa de visto?

Para entrar na África do Sul como turista ou a negócios, Brasileiros não necessitam de visto. É preciso ter passaporte brasileiro com validade de até 1 mês da data de retorno pro Brasil e o Certificado Internacional de Vacina (CIV) contra febre amarela, que deve ser tomada pelo menos 10 dias antes do embarque. A permissão de entrada é concedida na imigração, podendo ser válida por até 90 dias. Se você desejar ficar acima de 90 dias na África do Sul, é preciso pedir o devido visto no Consulado.

Crianças de até 1 ano não precisam apresentar o certificado de vacina contra febre-amarela, à partir dessa idade precisa sim. Também é necessário – caso a criança esteja viajando somente com um dos pais – apresentar uma declaração que o outro pai autorizou a viagem.

Detalhes de entrada na África do Sul para crianças e bebês veja neste post.

Guia de Viagem

Para os mochileiros e espertos de plantão, fique de olho no guia “Coast to Coast” distribuído gratuitamente em alguns estabelecimentos, como albergues e outros serviços turísticos. Pegue sua cópia, poderá ser útil!

Nós aqui do Se Lança também escrevemos nosso próprio guia – vendido por R$ 25,90 você compra o Guia da África do Sul e ganha grátis o Guia da Garden Route. Já vendemos mais de 280 unidades! Compre aqui sua cópia.

Idiomas falado na África do Sul

A África do Sul possui 11 idiomas oficiais, dos quais o Inglês é um deles. A maioria da população fala Inglês, principalmente em lugares turísticos. Não se preocupe se você não entender muito bem o que algumas pessoas dizem, pois o Inglês nem sempre é o idioma nativo da maioria, eles possuem um sotaque bem distinto. Mas comunicação é possível!

Companhias Aéreas

Para ir do Brasil para a África do Sul tem duas opções de compania aérea. A South African Airways é a empresa que tem mais tradição nessa rota e a LATAM começou em Outubro de 2016 a fazer a rota de Guarulhos (São Paulo) para Joanesburgo.

Muitas pessoas tem voado à Cape Town via Luanda (Angola) pela TAAG, pois eles tem feito muitas promoções e realmente o preço é atrativo. Honestamente, eu não gostaria de voar com eles, mas os relatos que ouço é que foi tudo bem. Eu já fui à Angola duas vezes, e é realmente bem tranquilo no aeroporto, só não sei se eu confiaria na linha aérea – mas isso é apenas minha impressão pessoal.

Na África do Sul, os vôos internos podem ser feitos com a própria South African e a British Airways faz alguns vôos locais.

As companhias Low cost na África do Sul são: KululaMango e FlySafair.

Qual dinheiro da África do Sul?

O câmbio é mais ou menos 1 real (BRL) pra 4 rands (ZAR) – valores reais no XE. Algumas lojas de câmbio vendem rands no Brasil, mas é claro que o preço será bem mais caro. Aceita-se facilmente cartão de crédito internacional em restaurantes, lojas, shoppings, etc. Dólar e Euro não são aceitos nos estabelecimentos.

Tax Free  – Reembolso de impostos

As compras que você fizer na África do Sul são elegíveis para reembolso de impostos. É um pensamento bem legal, que se você não mora naquele país, não usufruirá da estrutura pública, então não tem que pagar impostos.

Guarde todos os recibos de suas compras e quando fizer as malas, deixe essas compras por cima na mala. Você tem que apresentar os recibos para serem conferidos com a mercadoria – só pra não ter espertinho juntando nota e arrecadando dinheiro. Você tem que fazer isso antes do check-in. Depois de despachadas as malas e feito a imigração, você para na loja do tax free com seus recibos e recebe um cartão VISA com seu crédito.

Veja mais detalhes dos procedimentos neste post: Tax Return no Aeroporto de Joanesburgo – passo a passo

Eletricidade

As tomadas na África do Sul são 230V e o pino é do tipo D em geral. São três pinos gordos, do tamanho do dedo mindinho. Alguns hotéis oferecem adaptadores para os hóspedes, mas é melhor garantir e ter seu próprio adaptador. Compre na chegada no aeroporto, pra ter certeza que está comprando o adaptador correto, uma vez que esse pino tipo D não é muito comum pra nós brasileiros.

Comida e alimentação na África do Sul

As porções em restaurantes são generosas, e a comida é bem internacional. Filé com purê de batatas, pastas, frango, peixes, etc. Também existem muitas opções vegetarianas. Você não passará perrengue. Para comer comida típica, é preciso ir em um restaurante africano. Em restaurantes, geralmente precisa-se fazer reserva de mesa, ligue com algumas horas de antecedência, e se for um restaurante muito concorrido, com alguns dias de antecedência.

Seguro de Viagem

Não é obrigatório para entrar na África do Sul. No entanto, é sempre bom viajar assegurado né. Aquele tipo de coisa que ninguém que usar, mas é bom ter. Nós usamos o site Seguros Promo, que faz comparação de preços de vários seguros. (Se você não sabe o que é um seguro de viagens, leia este post aqui).

Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Um seguro de 15 dias na África fica menos de 100 reais! Clique aqui para fazer sua cotação.

Transporte na África do Sul

Transporte público na África do Sul é muito limitado. Dito isso, a cidade de Cape Town investiu muito no MyCiti – o ônibus público. Lá é mais tranquilo andar de ônibus – no entanto – eu ainda prefiro ter a liberdade do carro próprio.

Tire a permissão internacional para dirigir (PID) no Detran da sua cidade. Prepare-se para dirigir na mão inglesa (motorista fica do lado direito do carro). Geralmente as pessoas ficam preocupadas em passar a marcha com a mão esquerda, ligar a seta, etc. Mas o difícil de mudar o sentido da direção não é a mecânica do carro, garanto que em pouco tempo você se habituará – o difícil é o trânsito ao contrário. Então diriga presentando muita atenção, desligue o som do carro e tente não entrar na contra-mão. Alugue também um GPS, impossível andar sem (ou compre chip de celular).

Aluguel de carro na África do Sul

Para alugar um carro, conte com qualquer companhia internacional, na África do Sul tem todas: Avis, Hertz, Thrifthy, Europcar, etc… Vá com que a que conseguir melhor preço. Recentemente nos afiliamos à Rentcars e temos usado o serviço de busca deles, que compara o preço das maiores operadoras e é possível pagar em reais e parcelar, coisa que não se consegue ao reservar direto em sites gringos. Faça uma cotação aqui.

A infraestrutura de estradas na África do Sul é muito boa, excelente. Viajar de carro é muito tranquilo, apenas evite as estradas à noite por causa da baixa iluminação.

Pra quem não quiser encarar a mão inglesa existe a opção de andar de taxi, mas é mais caro que alugar um carro. Você liga nos serviços credenciados (ou taxis do hotel) e agenda a viagem, o preço já é pré-combinado. Outra opção é fazer passeios guiados com operadoras de turismo, seu hotel poderá te ajudar com isso.

Outros tipos de transporte

Também é possível andar de Uber em Cape Town e Joanesburgo.

Pra quem não quer alugar carro, existe um serviço de ônibus turístico que vai à todas as cidades turísticas da África do Sul. Você compra um passe único que é válido por um certo período, e pega o ônibus pra chegar em cada cidade. Chama-se Baz Bus.

Evite andar (quero dizer, não ande de jeito nenhum) nos taxis coletivos (vans) que circulam pela cidade. Nem sempre são seguros, principalmente para estrangeiros.

Leia mais sobre a África do Sul nesses posts:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Vale a pena alugar carro na África do Sul?

CAPE TOWN

O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Mergulhando com tubarões brancos na África do Sul

VINÍCOLAS

Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
10 melhores vinícolas de Stellenbosch
5 melhores vinícolas de Franschhoek
Constantia, vinícolas pertinho de Cape Town
10 vinhos tintos bons e baratos para tomar na África do Sul

JOANESBURGO, PRETORIA

Turistando em Joanesburgo
Pretoria

SAFARIS

Safari no Kruger Park, África do Sul
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
Madikwe

ROTA JARDIM

Mossel Bay
Swellendam e De Hoop
Knysna, equilíbrio perfeito entre Mar e Montanha
Saltar de Bungee Jump na África do Sul

OUTROS

Ballito, praia tranquila próxima a Durban
Onde dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas
Drakensberg
Panorama Route

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

~Se Lança~

Joanesburgo: turismo, hospedagem e dicas de local

Joanesburgo pra mim é especial, pois é onde eu moro no momento em que vos escrevo, mas confesso que para turistas, não é o ponto alto da África do Sul.

Em Joburg (ou Jozi), você vai encontrar ótimos restaurantes, shoppings e algumas outras atividades, como museus e parques. Vale a pena parar por aqui se estiver de passagem para Cape Town, Kruger ou outros países Africanos.

Você com certeza ficará impressionado com a infra-estrutura de primeiro mundo que verá na cidade.

Turismo em Joanesburgo

Joanesburgo é uma cidade grande com ares de cidade pequena. Aqui tudo fecha cedo, meu primeiro estranhamento ao chegar foi ver que o supermercado fecha às 18h, eventualmente achei os que ficam abertos até às 20h. Vindo de São Paulo, foi um primeiro choque. Isso é um misto da herança dos tempos do Apartheid somados ao prezo que o Sul-Africano tem por qualidade de vida e tempo com a família.

Saúde e Segurança em Joanesburgo

Joanesburgo é conhecida internacionalmente por ser uma cidade com altos índices de violência e estupro. Mas visitantes ficam muito aquém dessa realidade, pois transitam apenas por lugares turísticos e seguros, enquanto a violência acontece nos bairros mais afastados. Então sinta-se confortável na cidade, mas não baixe a guarda. Nós brasileiros conseguimos tirar isso de letra.

Joanesburgo também é uma cidade muito seca, principalmente no inverno. Minhas visitas costumam sofrer com isso. Então tome bastante água e tenha sempre um protetor labial no bolso. Por ser uma cidade 1700m acima do nível do mar, a temperatura é amena, não faz muito calor no verão, mas o inverno é um pouco rigoroso, como no sul do Brasil. Não existe aquecimento central nos lugares, mas geralmente existe algum tipo de aquecedor nos quartos/restaurantes. E no verão, protetor solar, eu não sei porque, mas eu juro que o sol aqui queima mais que no Brasil.

Também não viaje sem um seguro de saúde. Aquele tipo de coisa que ninguém que usar, mas é bom ter, não se brinca com saúde! Nós usamos o site Seguros Promo, que faz comparação de preços de vários seguros. (Se você não sabe o que é um seguro de viagens, leia este post aqui).

Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

Locomoção em Joburg

Aqui é preciso alugar um carro com GPS, não existe um meio de transporte público confiável para turistas. Com exceção do Gautrain, que te levará do aeroporto para alguns bairros e vice-versa. Os moradores locais andam em vans, que aqui chamam de taxis. Essas vans param no meio da rua e a qualquer momento para pegar passageiros, então cuidado se estiver dirigindo atrás de uma.

Outra precaução é que aqui dirige-se na mão inglesa, então é preciso cuidado e atenção. Precisa-se da carteira de motorista internacional, que pode ser emitida no Detran da sua cidade. (Veja esse post de como dirigir na África do Sul)

Em Joanesburgo tem todas as grandes locadoras de carro, nós recomendamos usar a RentCars pois é possível pagar em reais e sem IOF.

Se você tiver que andar de taxi, use o serviço do hotel, ou estes credenciados:
Zebra Cabs – Fone: 086 1105 105
Santon Taxi Cabs – Fone: 011 039 4402
Enjoy the Journey – Para transportes, passeios, transfer, etc. Fone: 010 590 11 20

Agora também tem UBER em Joanesburgo, apesar de eu nunca ter usado lá.

Onde ficar em Joanesburgo

Aconselho a ficar nos subúrbios ao norte do centro da cidade. Não é aconselhável ficar no centro, ainda é uma região perigosa. Recentemente algumas pessoas tem ficado em Maboneng, um bairro revitalizado no centro, mas ainda assim, eu ficaria nos subúrbios.

Você poderá escolher os subúrbios como Sandton (melhor, porém mais caro), Fourways, Randburg, Woodmead, Bryanston e outros próximos a essas regiões. Como moro aqui, não me hospedei em nenhum hotel pra assinar embaixo, mas de qualquer maneira, seguem algumas sugestões pela localização:

Marion Lodge – casa transformada em pousada, fica em uma rua residencial super tranquila e muito bem localizada, perto do Shopping Sandton City. Boa opção para fugir das grandes redes de hoteis. Bom custo benefício, diárias à partir de 1000 rands. Endereço: 15A Marion Street

Park Inn Sandton – quartos são pequenos mas o hotel é bem localizado. Bom custo benefício para ficar em Sandton. Diárias a partir de 1200 rands. Fone: +27 (0)11 303 1000, Endereço: 118 Katherine St

Rivonia Bed and Breakfast – esta pousada é uma boa opção para fugir dos hotéis luxuosos de Sandton, mas ainda estar localizado no centro do borbulho. São 50 quartos dos quais alguns tem até uma pequena cozinha dentro. Tem café da manhã e internet inclusos. Ambiente com jardins e tranquilidade. Diárias à partir de 1300 rands. Fone: +27 (0)82 496 5568, Endereço: 3 River Rd, Sandton

Protea Hotel Balalaika Sandton  – este hotel é um dos mais tradicionais em Sandton, tem duas piscinas e alguns jardins para relaxar. Pode-se ir à pé ao Sandton City e Mandela Square. Diárias a partir de 1500 rands. Fone: +27 (0)11 322 5000, Endereço: Maude St, Sandown

Radisson Blu Gautrain Hotel Sandton – hotel moderno, ao estilo Radisson. Localizado em frente ao Gautrain e muito perto do Sandton City, possível ir à pé. Excelente café da manhã, com qualidade e variedade excepcionais. Diárias à partir de 2000 rands. Fone: +27 (11) 286 1000, Endereço: Rivonia Rd & West Street

Holiday Inn Johannesburg-Rosebank – este hotel fica junto com o Shopping Rosebank, tem entrada direta para o complexo. Piscina, academia e café da manhã inclusos. Diárias a partir de 2000 rands. Fone: +27 (0)11 218 6000, Endereço: 187 Oxford Road

Protea Hotel Fire & Ice! Melrose Arch – este hotel fica dentro do complex do Melrose Arch, excelente localização pois tem inúmeras opçõe de excelentes restaurantes para ir caminhando. Quartos luxuosos e piscina ao ar livre. Tem transfer gratuito para o Gautrain em Sandton. Diárias de 3000 rands. Fone: +27 (0)11 218 4000, Endereço: 22 Whiteley Rd

Veja este post sobre onde ficar em Joanesburgo, bairro a bairro.

Onde comer

Você vai comer bem em qualquer restaurante aqui, e as porções são bem servidas. Algumas sugestões:

Moyo – É um restaurante de comidas de todo continente africano . É bem legal, eles lavam suas mãos e pintam seu rosto se você quiser. E dá pra comer comida “normal” pra quem não quer arriscar nada diferente.

Jantar africano no Moyo
Jantar africano no Moyo

Piza e Vino – Pra quem estiver com vontade de comer uma pizza, este lugar serve pizzas individuais com massa bem fina, estilo europeu. É muito gostoso. Recomendo a unidade do Melrose Arch.

The Baron – bar/restaurante em Sandown, bastante agitado às sextas-feiras no horário do Happy Hour.

Para comer carne, The Grill House ou Meat & Co. As carnes aqui são muito saborosas, mas os Sul-Africanos costumam comer carnes com molho, então se quiser ao estilo brasileiro, peça seu prato feito apenas com sal.

Parkhurst – um bairro com vários restaurantes na rua. É possível parar o carro na rua e escolher o lugar que achar mais atrativo. Recomendamos o Bottega Café.

O que fazer em Joanesburgo

Lion Park – Tem um mini safari que você pode fazer no seu próprio carro, não precisa pagar pra andar no camburão deles. A outra área é um espaço com filhotinhos de leão que você pode entrar e passar a mão neles. Também é possível alimentar a girafa. Passeio bem legal. (Atualização – este tipo de passeio é polêmico. Hoje tenho minhas dúvidas se é bacana mesmo a gente frequentar esses locais de interação com animais, que deve estressar muito esses bichos. Dá uma olhada neste post do Bastante Sotaque que me fez repensar).

IMG_2367

Gold Reef City é um parque de diversões, bom passeio se tiver com crianças. Ao lado é o Museu do Apartheid. É um museu de muita leitura, algumas fotos e videos falando sobre a época do Apartheid na Africa do Sul. É muito interessante e educativo, mas é um passeio triste.

Museu do Apartheid
Museu do Apartheid

Santuário dos Elefantes – É uma instituição que cuida de elefantes órfãos. Tem 3 visitas diárias. É um passeio bastante interativo, lá você escova o elefante, passa a mão nele, leva ele pra passear pela tromba e etc. Um pouco caro, mais ou menos 100 reais por pessoa, mas acho que vale a pena. Fica em Hartbeespoort Dam, aproximadamente 50 mins de Sandton.

elephant-sanctuary

Sandton City & Mandela Square – É um shopping center que no meio dele tem uma praça com uma estátua gigante do Mandela e alguns restaurantes. Boa opção para jantar a noite. Ou se o interesse for compras, Africa do Sul é mais barato que o Brasil (uns 30 a 40%).

Nelson Mandela Square
Nelson Mandela Square

Melrose Arch – espaço bem bonito com lojas e restaurantes. Boa pedida pra um almoço domingo a tarde.

Rosebank rooftop market – se quiser comprar artesanatos, aos domingos (das 9 as 16h) tem essa feira que é no telhado de um shopping. É muito grande, você vai achar de tudo e tem bons preços. Tem também roupas, artes e comidinhas.

Organic market – quinta e sábado de manhã tem uma feira muito gostosa com música ao vivo, comidas e artesanatos. Essa feira é de locais, não turistas. É pequena, mas muito bonita. Pode-se tomar café da manhã ou um lanchinho.

Montecasino – um casino ao estilo Las Vegas (bem mais simples claro) onde tem restaurantes, boliche, cinema. É bonitinho pra sair e jantar um dia.

Monte Casino
Monte Casino

Johannesburg Botanical Gardens and Emmarentia Dam – um parque muito bonito para caminhar, correr, andar de bicicleta ou até mesmo alugar um caiaque. Também bom para relaxar e fazer um picnic no jardim.

Jardim Botânico
Jardim Botânico

Maropeng , Cradle of the Humankind – a uma hora de Joanesburgo e Pretoria, está situado um sítio arqueológico, declarado patrimônio da humanidade. Esse local chama-se Maropeng, que é composto pelas cavernas (Sterkfontein Caves) e o Museu (Visitor Centre)

Market on Main / Maboneng – fica no centro de Joanesburgo, é uma antiga área industrial sendo transformada em residencial alternativo. Aos domingos tem uma feira de comidas e outros cacarecos das 10 as 15h.

SAB World of Beer – museu da cerveja com tour guiado e degustação.

Tour no ônibus vermelho – outra opção para quem tem pouco tempo e quer ter uma visão geral do centro da cidade é fazer o tour no ônibus turístico. Ele para em vários pontos turísticos e você subir e descer a qualquer momento. O bilhete para 1 dia custa mais ou menos 45 reais e para 2 dias 60 reais. Tome o Gautrain até Park Station, de lá o ônibus parte para o Apartheid Museum, Constituition Hill, Newtown entre outros. Você pode comprar o ingresso antecipado neste site aqui.

*PS – A maioria das fotos aqui são da fotógrafa e minha amiga super talentosa Anna Theodora. Confira seu trabalho!

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Joanesburgo com crianças
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Pretoria
Safari no Kruger Park, África do Sul
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
Sun City Hotel, o que fazer
Roteiro da Garden Route, dirigindo desde Joanesburgo
Tax Refund no aeroporto de Joanesburgo – passo a passo
Viajar para a África do Sul – Post Índice

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

 

Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo

Pilanesberg é um parque nacional na África do Sul, que fica perto de Joanesburgo, possível fazer um bate-e-volta pra lá em 1 dia para fazer um safari.

Essa é a melhor opção pra quem tem pouco tempo na África do Sul, está em Joanesburgo de passagem ou a trabalho, mas quer fazer um safari. Essa é uma linda reserva nacional que possiu 550km2 e mais de 7000 animais.

A grande vantagem é que fica somente a 2 horas de carro de Joanesburgo, enquanto o Kruger está a 4 horas. Pra quem quiser, é possível fazer um bate e volta no mesmo dia, mas existem lodges e hoteis na região se quiser dormir por lá.

É possível fazer o safari no próprio carro, ou com um guia. Pra quem nunca fez um safari, a opção de ir com o guia é mais interessante, pois ele pode te levar para os melhores pontos e te da explicações sobre a fauna e flora.

Opção 1 – Dirigir até o Pilanesberg e fazer safari no jeep aberto

Os tours contratados lá no parque geralmente duram de 2 a 3 horas e custam aproximadamente 660 rands por pessoa. Para fazer a reserva, entre em contato com a operadoras de turismo Mankwe Game Trackers (Fone: +27 (0)14 552 5020).  É possível fazer reserva online, o passeio sai do Sun City Hotel.

Pode-se também buscar o passeio através do próprio site do Pilanesberg. O passeio dura 2,5 horas e custa 660 rands por adulto e 330 por criança.

Com esta opção você precisa arrumar seu próprio transporte até o parque – boa opção para quem alugou carro. (Nós usamos a RentCars para alugar carro na África).

Opção 2 – Contratar um tour guiado com saída de Joanesburgo

Outra opção, feita pelo nosso leitor e amigo Du do blog Du, Lugares e Olharesé contratar um guia pra te levar. Ele contratou um serviço de bate-e-volta, saindo do hotel em Joanesburgo. O tour foi todo em Português – pois o guia Alex é Portuga. Ele contratou este tour aqui da Get Your Guide. (Veja as fotos e relato do passeio dele neste post). O tour inclui transporte, entrada no parque e um lanchinho. Sai às 6 da manhã de Joanesburgo e retorna às 18:00.

Opção 3 – Safari por conta própria

Pra quem quiser fazer o safari no próprio carro, é só dirigir até lá e comprar os ingressos na entrada do parque. A vantagem de ir com seu carro é que pode ficar quanto tempo quiser dentro do parque, ir no seu ritmo, passear somente com a sua turminha e ter a emoção de desbravar sozinho um parque cheio de predadores(!) e outro mamíferos mais bonzinhos 😉

Lilac Roller
Lilac Roller

Informações Básicas sobre o Pilanesberg

Preços e horários (para entrar no parque com seu próprio carro)

  • Adulto = 110 rands (~R$ 31.00)
  • Crianças (de 4 a 12 anos) e 3ª Idade = 30 rands (~R$ 8.50)
  • Taxa adicional por carro = 40 Rands (~R$ 11.00)
  • Compre o mapa do parque na portão, outros 40 Rands (~R$ 11.00)

Horários para entrar e sair do parque:

  • Março a Abril: 6h00-18h30
  • Maio a Setembro: 6h30-18h00
  • Setembro a Outubro: 6h00-18h30
  • Novembro a Fevereiro: 5h30-19h00

Para mais informações veja o site oficial do parque.

Girafa imponente
Girafa imponente

Como chegar no Pilanesberg

Pra quem tem GPS, procure o Manyane Gate em Rustenberg e siga em frente.
Para quem não tem GPS, arrume um, ou se arrisque com as seguintes instruções.

Onde Ficar no Pilanesberg

Se você não for fazer um bate-volta, é possível hospedar-se dentro do parque, exitem 10 opções de lodges para escolher.

Os menos caros são o Bakgatla Resort e o Manyane Resort, mas isso não significa que são baratos, o preço médio é de 1400 Rands por pessoa por noite, e geralmente inclui pensão completa e safaris guiados.

Outras opções mais luxuosas são o Bakubung Bush Lodge e o Tshukudu Bush Lodge, ambos dentro do parque, no esquema meia pensão e safari inclusos. Ficar em um desses lodges é um luxo, desses que você pode tomar café da manhã olhando a paisagem, ou nadar na piscina escutando elefantes de longe. Preços começam em 3500 rands por pessoa.

Veja esse post também: Sun City Hotel, o que fazer

Onde Comer

Dentro do parque existem pontos para fazer piquenique e um ponto que vende lanches. Dentro do ponto que vende lanches é proibido fazer piquenique, então tem que se optar por um ou outro.

Outra opção é sair do parque e comer em um dos hotéis da região (Manyane Resort, Sun City). Não tem nenhum restaurante que seja memorável, apenas quebra-galhos.

Na natureza, nada se desperdiça
Na natureza, nada se desperdiça

O que fazer

As dicas valem pra quem está fazendo safari sozinho, ou com guia, mas se estiver fazendo o safari por conta própria – tenha cuidado redobrado.

Não faça barulho (som alto, buzina, falação), não saia das estradas permitidas para dirigir, respeite os animais e os outros carros e tome cuidado com sua segurança (janela aberta).

Minha dica é assim que entrar no parque, ir direto ao Mankwe Dam, uma lagoa no centro do parque – é ali que tem a maior concentração de animais. Outra dica é levar um binóculos se tiver, ajuda a ver com mais precisão os animais mais afastados.

Os melhores horários para ver os animais são logo cedo ou no fim do dia, são os horários menos quentes e consequentemente quando os animais são mais ativos. Claro que sempre tem exceções, mas via de regra, acorde bem cedo!

Sendo assim, o melhor tour é o que sai às 6h da manhã ou se for dormir lá, pode-se optar pelo tour do por do sol, às 18h. Os horários dos tours (na primavera/ verão) com o Mankwe Safaris são às 6:00, 9:00, 15:00 e 18:00. Se for sozinho, chegue o mais cedo possível no parque, uma vez que se for voltar dirigindo pra Joanesburgo, é bom evitar estrada a noite por causa da pouca iluminação.

Impala
Impala

Safari em Balão de Ar Quente

E pra quem quer fazer algo diferentão, é aqui no Pilanesberg que se tem o passeio de safari em balão de ar quente. Você sobrevoa o parque durante 45 a 60 minutos. Eu nunca tive o privilégio de fazer.

A operadora que faz este passeio é também a Mankwe (bem conceituada). Tem transfer até o Pilanesberg somente para quem está hospedado no Sun City ou alguma outra pousada na região. Quem está em Joanesburgo precisa ir para o parque por conta própria até o portão Bakubung.

Obviamente é um passeio caro né?! 350 USD por pessoa.

Mas é uma daquelas coisas memoráveis que poucas pessoas tem a oportunidade de fazer nessa vida. Veja detalhes e disponibilidade do passeio neste link.

Foto por sutirta budiman pelo Unsplash

Seguro de Viagem para a África

Vai fazer safari na África? Não deixe de contratar o seguro de viagem. É muito importante. Leia mais sobre o tema aqui:

Você sabe como funciona um seguro de viagem para a África? Não? Então clique aqui e se informe, é muito importante!

Veja outros posts que podem te interessar

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Como se virar na África do Sul
Turistando em Joanesburgo
Safari no Kruger Park na África do Sul
Pretoria
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo

Tudo sobre Safaris na África do Sul em nosso guia:

~ Se Lança ~

Nairobi no Quênia, uma cidade em ebulição

Se você está indo ao Quênia como turista, provavelmente não planejou uma parada em Nairobi.

O Quênia é um dos melhores destinos na África pra fazer safari, ver lindas paisagens, fazer caminhadas e trilhas e muito mais. Eu ainda não tive a oportunidade de conhecer os encantos do Quênia, mas tive o prazer de conhecer sua capital: Nairobi.

Dá pra deduzir que mais uma vez fui a trabalho, mas fiquei 15 dias por lá, então no fim de semana saí pra explorar a cidade. Para meu espanto, vi que Nairobi é uma cidade vibrante e muito cosmopolita.

Também é uma cidade de muitos contrates econômicos – atenção e cuidado nunca são demais. Não se espante com as revistas constante dos carros, após um ataque terrorista ao consulado americano em 1998, a segurança nos estabelecimentos foi redobrada, então ao entrar de carro (taxi) em qualquer lugar (shopping, hotel, etc) é preciso parar o carro, abrir o porta-malas e passar por uma inspecção.

Centro de Nairobi
Centro de Nairobi

Informações Básicas para ir ao Quênia

Requisitos de entrada no País (para brasileiros)

É necessário possuir visto para entrar no Quênia. Esse visto pode ser obtido na chegada ao Quênia, é o chamado de “landing visa” – ou seja, um visto quando você “pousa”.

Funciona assim, você desembarca do avião, e antes de ir para a esteira pegar sua mala, passa na imigração, paga e emite o visto na hora. Tenha dólares americanos (USD) em mãos. Leve aproximadamente 100 USD. Tenha também algumas fotos 3×4 em mãos.

Outra opção é pedir o visto na Embaixada do Quênia no Brasil, segundo o site deles, o processo pode levar até 3 meses, então programe-se. Verifique com a companhia aérea se eles pedem o visto para embarcar, se não, vá com a opção de tirar o visto na hora. ATENÇÃO – não deixe isso pra última hora, informe-se se você precisará do visto com antecedência. Eu voei para o Quênia estando na África do Sul e não precisei tirar o visto com antecedência, tirei na hora.

Não é pedido o CIV (Certificado Internacional de Vacina), porém é recomendável tê-lo, pois é obrigatório em outros países africanos que podem ser escala/passagem – como África do Sul.

Idioma

Os idiomais oficiais do país são Swahili e Inglês, a população também usa seus idiomas africanos tradicionais. Mas como turista, você não terá problemas com o Inglês, é amplamente falado.

Companhias Aéreas no Quênia

Não existem vôos diretos do Brasil a Nairobi. A melhor opção é ir por Joanesburgo voando pela South African Airways ou LATAM. Outras opções de vôos são um pouco incoveninentes, como fazer escalas na Europa ou Dubai. A companhia nacional é a Kenya Airways, que faz vôos para Europa, Ásia, Oriente Médio além dos vôos internacionais na África e vôos locais.

Dinheiro

O dinheiro local chama-se “Shillings” (símbolo: KES). É possível trocar dólares por shillings no hotel. Cartão de crédito é aceito em muitos estabelecimentos.

Eletricidade

As tomadas são 240V e do Tipo G (padrão Inglês).

Alimentação

Coma apenas comidas cozidas, evite verduras e legumes crus. Lave bem as frutas com água e sabão, mas prefira frutas com cascas como banana e mexerica. Procure tomar somente água mineral engarrafada, de preferência com gás.

Telefone

É possível comprar um SIM card sem dificuldades, as Operadoras Celular são: Safaricom, Essar, Orange e Airtel.

Saúde e Segurança

Veja dicas de como cuidar da sua saúde em viagens neste post.

Seguro de Viagem  – não é obrigatório para entrar no Quênia. No entanto, é sempre bom viajar assegurado né. Aquele tipo de coisa que ninguém que usar, mas é bom ter. Nós usamos o site Seguros Promo, que faz comparação de preços de vários seguros. (Se você não sabe o que é um seguro de viagens, leia este post aqui).

Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

Girafa no Nairobi National Park
Girafa no Nairobi National Park

Como se virar

Segurança – Se for sair a pé, escolha distâncias curtas, lugares movimentados e só saia de dia. Apesar de eu não ter visto nenhum roubo, agressão, etc. ouvem-se muitas histórias da cidade, não é à toa que seu apelido em inglês é “‘Nai-robbery”.

Ou seja, nada de andar distraído, com objetos de valor, com muito dinheiro e aquela cara de bobo. Fique sempre esperto. Mas em geral, os quênianos são muito hospitaleiros e agradáveis.

Clima – A temperatura na cidade costuma ser frio de manhã e pela noite, e quente durante o dia. Carregue uma blusa.

Remédios – monte bem sua farmacinha e não esqueça de levar remédios para diarréia.

Malária – Nairobi está em uma zona de baixa incidência de malária, mas não custa nada se prevenir, passe repelente nas áreas expostas do corpo e use roupas de manga longa no amanhecer e anoitecer.

Hipopótamo, Nairobi National Park
Hipopótamo, Nairobi National Park

Locomoção em Nairobi

Pegue somente os taxis do hotel, anote o telefone de alguns deles e quando precisar de condução, ligue pra um deles te buscar. Pergunte o preço com antecedência sempre, e negocie o preço, os taxistas tendem a pedir mais de turistas.

Eu pessoalmente não me aventuraria a alugar carro, mas se você já tem o hábito de dirigir em África, pode utilizar a Rent Cars para cotar preços.

Onde Ficar em Nairobi

O transito de Nairobi é um dos piores que já vi, soma-se ao excesso de carros a falta de infraestrutura e o desrespeito por leis de trânsito – e o resultado é desastroso. Pensando nisso, se estiver indo a trabalho, fique próximo dele, e se estiver a turismo, evite os horários de pico.

Eu fiquei no Silver Springs. O hotel é simples mas confortável. Está bem localizado, possui ar condicionado, piscina e internet grátis. Tem uma academia de ginástica, mas não conheci pois precisava pagar 19 USD por dia de uso (tem que ter muita vontade de gastar pra malhar né!?). Posso dizer que recomendo e ficaria de novo, só não recomendo o restaurante.

Southern Sun Mayfair Nairobi – o Southern Sun é uma grande rede de hotéis na África – então ficar nele não tem erro.

Em Nairobi também tem outras grandes rede como Hilton e Crowne Plaza se forem acessíveis ao seu bolso.

Veja neste link outras opções de hospedagem.

Onde comer em Nairobi

Java House – excelente local para comer aquilo que estamos acostumados… peito de frango com arroz, bife grelhado, etc. As saladas são muito boas, assim como os sanduíches e bolos. O café de lá também é muito famoso, vale comprar um pacote pra levar como presente.

Artcaffe – um restaurante/café muito gostoso. Tem bons pratos, sucos, quiches, saladas e etc. Vale a pena.

Fogo Gaucho – legítima churrascaria brasileira de donos brasileiros. Não tive a oportunidade de conhecer, mas todos recomendaram.

Casablanca – um pub/bar agitado muito frequentado por expatriados (fone: 2723173; Lenana Rd.)

O que fazer em Nairobi

Masai Market – é um mercado de souvenirs que tem aos sábados no centro da cidade. É preciso negociar os preços, os próprios vendedores te instruem a negociar e te entregam um papel pra você ir escrevendo seu preço – é esperado que você negocie.

Masai Market
Masai Market

Centro e Monumentos – se visitar o Masai Market, aproveite pra andar no quarteirões ali do lado e ver os prédios administrativos e monumentos.

Nairobi National Park – é o único parque do mundo perto de um centro urbano, ficando somente a 7 km do centro de Nairobi. Tem 117 km2 e abriga leões, girafas, gnus, diversos veados, zebras, rinocerontes, hienas, leopardos e várias espécies de pássaros. Vale a pena fazer o passeio, combine na recepção do hotel que eles fazem os devidos contatos. Paguei USD 120 por um passeio de uma manhã.

No site Get your Guide você pode comprar tours com antecedência e já se programar. O preço de um tour de meio dia sai por 57 Euros, mas não inclui a entrada no parque que custa 43 USD. Veja aqui os detalhes do passeio.

Nairobi National Park
Nairobi National Park

Orfanato de Elefantes David Sheldrick – Uma ONG que cuida de elefantes órfãos, lá você pode ver esses elefantes bebês de perto. Não tive a oportunidade de conhecer, mas é muito recomendado.

Giraffe Center – é uma oportunidade de ver de perto as giraffas Rothschild, interagir com elas e alimentá-las. Outro lugar que não pude conhecer mas me foi recomendado por locais.

Shoppings: The Junction e Westgate

Emergências

Embaixada do Brasil em Nairóbi: +254 (20) 712-5765/66
AAR Health Services (7173760; Williamson House, Fourth Ngong Ave)
Aga Khan Hospital (366-2000; Third Parklands Ave; h24hr)
Ambulância, fogo e emergências (999)
Polícia (240000)

~ Se Lança ~

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

Se vire em Luanda, Angola

Se lança pra Luanda – Angola

Okay, se você estiver lendo este post, é porque provavelmente vai a Luanda a trabalho, pois não é o lugar mais turístico do mundo. Foi assim que eu acabei indo pra lá também, duas vezes… Mas já que você vai estar lá, porque não aproveitar um pouco?

Introdução

Angola me pareceu muito com o Brasil em termos de clima, vibe – muito descontraído e informal. Todos falam português e perderam um pouco o idioma local. É um país que saiu a poucos anos de uma terrível guerra civil, está se reconstruindo e está crescendo muito por conta do pretróleo. Luanda parece um grande canteiro, uma obra atrás da outra.

Bairro de Talatona
Bairro de Talatona

Quando você chega lá, o primeiro choque é a imigração, fila gigantesca cheia de orientais (para trabalharem nas obras), um calor danado. Pra minha sorte, estavam deixando as mulheres passarem na frente… Ufa!

Saindo do aeroporto, o motorista da empresa me buscou, e quando descobriu que eu era brasileira, logo começou a mostrar suas habilidades de falar “brasileiro”. Me disse que ele era corintiano e me tratava como “cara” (acho que pra afirmar que ele fala mesmo “brasileiro”). E ele ficou chocado quando descobriu que eu não conhecia as músicas da banda Calypso!

Povo simpático.

Informações Básicas para ir a Angola

Requisitos de entrada no País (para brazucas) – É necessário emitir seu visto de entrada no país antes de viajar. Os requisitos e instrução para visto podem ser encontrados na página do setor consular de Angola.

Para entrar em Angola é necessário portar o Visto com entrada vigente; Passaporte com validade superior a duração de permanência autorizada; e apresentar uma garantia de meios de subsistência no país durante sua estadia.

Não é pedido o CIV (Certificado Internacional de Vacina), porém é recomendável tê-lo, pois é obrigatório em outros países africanos que podem ser escala/passagem – como África do Sul.

Idioma – Português é falado como idioma oficial em todo país. Algumas pessoas ainda falam seus idiomas nativos africanos, e o inglês é pouco (quase nada) falado.

Companhias Aéreas – Vôos diretos de São Paulo (Seg; Qua; Sex; Sab) ou do Rio de Janeiro (Dom; Ter; Qui) a Luanda são feitos pela TAAG (Linhas Aéreas de Angola) – mas cuidado, esta companhia já ficou entres as piores do mundo em termos de segurança! Outra opção é fazer escala em Joanesburgo voando pela South African Airways. Outras opções de vôos são um pouco incoveninentes, como fazer escalas na Europa. Vôos domésticos são feitos pela TAAG e pela SonAir.

Dinheiro – Difícil sacar moeda local – Kwanza (AOA), tentei uns 5 caixas eletrônicos até encontrar um que tivesse moeda disponível. Talvez seja melhor comprar no aeroporto. Dólar é aceito na maioria dos estabelecimentos, e em lugares como supermercado, é possível usar cartão de crédito/débito internacional. Mas procure ter moeda local, é mais seguro pra não passar perrengue.

Eletricidade – As tomadas são 220V e do Tipo C (dois pinos redondos / padrão Europeu). Alguns eletrodomésticos mais antigos do Brasil são do Tipo C, só verifique se seu equipamento é bi-volt para não queimá-los!

Comida – coma apenas comidas cozidas, evite verduras e legumes crus. Lave bem as frutas com água e sabão, mas prefira frutas com cascas como banana e mexerica. Procure tomar somente água mineral engarrafada, de preferência com gás.

Telefone – É possível comprar um SIM card sem dificuldades, as Operadoras Celular são: Unitel e Movicel.

Seguro de Viagem  – não é obrigatório para entrar em Angola. No entanto, é sempre bom viajar assegurado né. Aquele tipo de coisa que ninguém que usar, mas é bom ter. Nós usamos o site Seguros Promo, que faz comparação de preços de vários seguros. (Se você não sabe o que é um seguro de viagens, leia este post aqui).

Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

Luanda

Como se virar

Não é difícil se virar em Luanda, em geral as pessoas são solícitas e entendem nosso português “brasileiro”.

Segurança – Como todo país em desenvolvimento, fique esperto. Nada de carregar objetos de valor e muito dinheiro.

Clima – A cidade é quente e úmida, mas todos os recintos possuem ar condicionado, então é um entra e sai de ambientes quentes e frios.

Remédios – monte bem sua farmacinha e não esqueça de levar remédios para diarréia.

Malária – Angola está em uma zona de baixa incidência de malária, mas não custa nada se prevenir, passe repelente nas áreas expostas do corpo, use roupas compridas no amanhecer e anoitecer.

Locomoção

Procure andar com os taxis do hotel ou do ponto de taxis do Shopping. Anote o número de um deles e ligue pra essa pessoa te buscar. Ou peça pros colegas locais de darem carona. Não se aventure em taxi coletivo.

Onde ficar

Fique próximo de onde você vai trabalhar, o transito é muito ruim. A maioria das empresas estão instaladas no novo bairro de Talatona. Eu fiquei no Florença Hotel. Recomendo, é novo, limpo, tem ar condicionado, uma academia e é em frente aos Belas Shopping, então é possível ir a pé.
A desvantagem, como tudo em Angola, são os preços exorbitantes. Nunca fui a um país tão caro.

Veja outras opções de hospedagem em Luanda aqui.

Onde comer

Belas Shopping – é o maior e melhor shopping da cidade. Possui uma (razoavelmente) boa praça de alimentação, com opções de comida chinesa, self-service, pizza, massas, sushi, café e etc. Pra quem tem saudades do Brasil, lá tem um Bobs (sim, estava sendo irônica). Preço médio do lanche = 20 USD!! A praça é uma boa opção pra quem está em Talatona e não quer ir muito longe.
Uma boa pedida de um restaurante um pouco mais elaborado e refinado é o “Cajueiro” – na entrada do shopping, é muito bom e recomendo – só fique atento com os preços.
Horários da Praça de Alimentação:
– Segunda a Quinta: 10h às 22h
– Sexta a Domingo: 09h às 23h

Na Av. Murtala Mohamed na Ilha do cabo, é possível entrcontrar bons restaurantes também. Fui a uma churrasaria (de donos brasileiros) chamado Esplanada Grill. Lá comi picanha, feijão preto e banana à milanesa – ótimo pra matar a saudade de quem está fora do Brasil (agora de verdade).

Esplanada Grill
Esplanada Grill

O que fazer em Luanda

Ilha do cabo – praia com crescente estrutura, quado visitei estavam construindo um calçadão. Os locais levam suas cadeiras e fazem picnics. Outra opção é sentar em um restaurante beira-mar, tomar uma cervejinha e assistir ao por do sol.

Belas Shopping – é o maior e melhor shopping de Luanda, tem salas de cinema, um fliperama, lojas, restaurantes e uma praça de alimentação. Mas fazer compras em Luanda é loucura, o país é caríssimo.

Shop Rite – é um super mercado, nada demais. Mas pra quem nunca entrou na maior rede de supermercados da Africa, vale a pena entrar e olhar o que os locais comem por lá, como é a dinâmica das pessoas e observar um pouco o dia-a-dia dos locais.

Emergências

Anote o telefone de algum colega de trabalho por lá, se não estiver indo a trabalho, procure na sua rede amigos alguém que tenha um conhecido de conhecido pra te dar uma referência apenas para casos de emergências.
Embaixada do Brasil em Luanda:
Tel.: (+244) 222 44 20 10;
Plantão Consular (para contatos de extrema urgência apenas – ex: casos de prisão, morte, evacuação médica): 923 284 100/935 546 809.

Se Lanca…

Ballito, praia tranquila próxima a Durban

Se lança pra Ballito – África do Sul

Ballito é uma região de praia no Oceano Índico a 40 quilômetros ao norte de Durban, é uma área muito calma e tranquila, bom para quem quer descansar ao sol, ou fazer um passeio tranquilo com a família. Se você está a procura de um lugar mais movimentado, vá a Umhlanga, 20 km de Ballito.
A praia é boa, de areia, mar azul e a água é fria mas boa, mais ou menos a temperatura das águas do litoral paulista.

Como se virar

Leve sua própria infraestrutura pra praia, essa mamata de barraca na beira da praia, servindo caipirinha com camarão frito – é só no Brasil. Se quiser sentar, leve sua cadeira; se quiser sombra, leve seu guarda-sol; e se quiser um refresco, leve seu isopor cheio! A não ser que esteja disposto a ficar em um resort.
Como toda praia, não deixe suas coisas desatendidas, mas em geral as praias são muito seguras.

Locomoção e como chegar em Durban

Como qualquer lugar na África do Sul, é necessário alugar um carro com GPS. Nós sempre usamos a RentCars para alugar carro no exterior. Se estiver hospedado próximo da praia, é possível ir caminhando sem dificuldades. Mas é bom ter um carro pra sair pra jantar, passar no mercado/shopping ou conhecer uma praia mais afastada.

Para chegar em Durban é bem fácil, tem vôos diários saindo de Cape Town e Joanesburgo. Veja neste link todas as companhias aéreas da África do Sul.

Onde Ficar em Ballito

Procure ficar em hoteis próximos à praia, pra que você possa ir à pé, já que estacionamento não é o forte.
Eu fiquei no Coco de Mer. O hotel é muito bom, tem piscina, spa, ar condicionado e banheira nos quartos, é super bem localizado, a 1 quarteirão da praia. O restaurante deles também é muito bom. Mas achei caro demais, talvez em uma próxima oportunidade eu procure ficar em um lugar mais barato que provavelmente terá a maioria dos itens acima.

Veja aqui outras opções de hospedagem em Ballito.

Onde comer em Ballito e Uhmalanga

Meu favorito e ganhador é o Ile Maurice em Uhmalanga. O dono é descente de franceses, nascido nas Ilhas Maurício, ele veio pessoalmente nos conhecer e cumprimentar. A comida é um misto de peixes e frutos do mar com culinária crioula – simplesmente maravilhoso. Um refrescante vinho branco também vai bem.

Al Pescatore – este é um restaurante italiano localizado de frente pro mar. A comida é boa e a localização ainda melhor. Para quem não está disposto a ir até Uhmalanga pra jantar, é uma ótima opção. A pizza estava deliciosa.

Fiamma Grill – é o restaurante localizado dentro do Coco de Mer hotel. Muito bom para carnes e drinks.

O que fazer em Ballito

Descansar ao sol, dar um mergulho, apreciar a vista e coisas afins.

Se Lança…

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Turistando em Joanesburgo
Safari no Kruger Park, África do Sul
Drakensberg
Panorama Route
Maputo City Tour

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

Madikwe o safari onde é (quase) garantido ver o big five.

O Madikwe é um lindo parque onde é possível fazer safaris incríveis e ver o Big 5.

Madikwe – linda reserva privada

Vou começar esse post dizendo que o lugar é AWSOME! Muito legal, lindo, aconchegante, cheio de bichos maravilhosos, vale super a pena! Dito isso, a primeira observação é que é caro ir pra lá.

Girafa no Madikwe
Sei que é caro, mas a diversão é garantida!

O Madikwe é uma reserva particular de 750 km2, o que faz ele o quarto maior parque da África do Sul.

Ele é ainda pouco explorado e conhecido, talvez porque só é possível entrar no parque se você estiver hospedado em algum dos lodges/hoteis dentro dele. Ou seja, não é possível fazer safari no seu carro como nos parques nacionais, é preciso ir através de algum lodge.

O parque abriga os “Big Five” além de muitas outras espécies, como: cheethas, rinocerantes (brancos e negros), antílopes, pássaros e muito mais.

Como se virar

Uma dica é fazer sua reserva através de sites de viagens, pois muitas vezes oferecem descontos. Foi assim que eu fui pra lá, pelo mtbeds. Não que o preço seja uma pechincha, mas é mais barato. O preço geralmente inclui hospedagem, pensão completa e dois safaris por dia – não inclui bebida alcóolica nem taxas de turismo.

Leve um casaco de frio, pois antes do sol nascer, e depois que ele se põe, fica bem gelado com o vento batendo no peito. Um óculos de sol pra se proteger do sol e mosquitos (eu tive um incidente de mosquito no olho rs) e se tiver, um binóculos pra apreciar os detalhes dos animais.

Como chegar no Madikwe

O Madikwe fica a 4 horas de carro de Joanesburgo e somente a 20 km de distância de Gaborone (capital de Botswana). A estrada pra chegar lá é boa e tranquila. Alugue um carro com GPS (a gente sempre usa a RentCars) e pegue as coordenadas de latitude e longitude do lodge que ficará hospedado que chegará sem problemas. Uma vez dentro do parque você não utilizará mais carro, só andará nos camburões de safaris (uhu!).

Não conheço nenhuma operadora de turismo que leve para lá, tem que ir mesmo com seu carro. Mas não tenha medo, leia nosso post sobre como dirigir na África do Sul.

 

Camburão roots no Madikwe
Camburão roots!!

Onde ficar no Madikwe

Eu tive a impressão de que todos os lodges do parque são 4 ou 5 estrelas, então acredito que qualquer que seja a escolha do lodge, você não poderá errar.

Eu fiquei, e recomendo, o Buffalo Ridge. É um lodge que possui somente 8 quartos, então a estadia é muito intimista. A decoração é rústica e os hóspedes são tratados a pão de ló. A comida é muito boa e o restaurante fica em um deck suspenso com vista pro parque. Outra dica de hospedagem é o Madikwe Hills Private Game Lodge, recomendado por uma amiga que ficou lá.

Outras opções de hospedagem no Madikwe aqui.

Quarto do hotel no Madikwe
Quarto com vista para a mata (PS: o hotel não é cercado)
Vista do Buffalo Ridge no Madikwe
Vista do Buffalo Ridge

Onde comer

O lodge serve várias refeições durante sua estadia. De manhã o safari sai às 6:00, e durante o passeio fazem uma pequena pausa pra tomar uma bebida quente com bolinho. Quando você retorna do passeio, por volta das 10:00, é servido o café da manhã, com direito a ovo, bacon e tudo mais.

O almoço é servido às 14h. O safari da tarde parte às 16h, e também tem uma paradinha pra um drink e petisco. Chegando no lodge por volta das 19:30 já é servido o jantar. Ou seja, se prepara pra comer muito!

Não tem opções de restaurantes, pois como eu disse, são só lodges privados dentro do Madikwe – então cada um deles se encarrega pelas refeições de seus hóspedes.

Leoa no Madikwe
Leoa Protetora
Filhotes de leão no Madikwe
Filhotes brincalhões

O que fazer

Safaris, comer, dormir e mais safaris. O parque possui poucas estradas pavimentadas (como no Kruger e Pilanesberg), então os safaris são bem “roots”! Os guias entram mesmo no meio do mato pra chegar próximo aos animais, mas sempre respeitando o espaço deles.

Os guias falam entre si no radio e nunca ficam mais de 3 jeeps próximo dos animais, eles revezam pra vê-los. Tem que esperar sua vez pacientemente.

Eu estive a 2 metros dos leões, foi minha única experiência de safari que pude chegar tão perto dos animais, é fantástico (e um pouco assustador)!

Rinoceronte no Madikwe
Baby Rhino
Cheetas no Madikwe
Cheetas com preguiça
Elefante no Madikwe
Elefante desconfiado

Vale a pena ir ao Madikwe?

Na minha humilde opinião: SIM! É um parque ainda pouco conhecido, porém diferente de outras reservas privadas, ele é ENORME! Não é desses que você tem a impressão de estar no simba safari de São Paulo…

Seguro de Viagem para a África

Vai fazer safari na África? Não deixe de contratar o seguro de viagem. É muito importante. Leia mais sobre o tema aqui:

Você sabe como funciona um seguro de viagem para a África? Não? Então clique aqui e se informe, é muito importante!

Leia mais um post sobre safari na África:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Safari no Kruger Park na África do Sul
Onde fazer safari perto de Cape Town
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
Onde fazer safari na África do Sul?
Turistando em Joanesburgo
Pretoria
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas

Tudo sobre Safaris no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

~ Se Lança ~

Ainda não sabe pra onde ir?
A gente te ajuda! Escolha um destino.