Cape Town com Crianças

Cape Town com crianças é uma maravilha só! Ousaria dizer que é o destino perfeito pra família, mesclando atividades de adultos, das crianças e atividades que todos podem aproveitar juntos.

Nós passamos 1 semana em Cape Town com as crianças e vou contar tudo o que fizemos.

Waterfront com Crianças

Um dos melhores locais da cidade, sem dúvida, é o Waterfront. Com ou sem crianças o Waterfront é sempre uma ótima pedida. Tem de tudo lá, restaurantes, lojas, passeios, exposições, música ao vivo, barcos, artesanato, feira de comidinhas e muita gente pra deixar o local bem vivo. Eu adoro e sempre que vou a Cape Town começo meu passeio lá, e depois vou várias vezes durante a viagem.

Confira o que tem pra fazer no Waterfront:

1. Aquário Two Oceans

Sucesso certeiro com crianças. O aquário é bem legal e interativo. Além dos peixes, tem pinguins, cobras, tubarão (sim!) e muitas espécies do mar. Espaço de brincar, pipoca pra comprar e muitos aquários interessantes para admirar. Uma das melhores partes é um túnel, onde você fica como se estivesse debaixo do mar.

2. Roda Gigante

Confesso que nas outras 4x que fui a Cape Town, nunca senti muita vontade de subir na Roda Gigante, mas com crianças, a gente caça atrações para que eles possam se divertir também né. E não é que foi legal!? Preços: 150 rands por adulto, crianças até 17 anos pagam 75 rands e os pequenos abaixo de 4 anos não pagam. Compre ingressos antecipados aqui.

3. Parquinhos

Sou fã número 1 de parar em parquinhos infantis durante as viagens. Acho uma necessidade básica. Criança que é criança só quer brincar! Então aproveite que no Waterfront tem vários parquinhos e deixe eles correrem soltos um pouco, sem compromisso, sem horário, só brincar!

O maior é em frente ao shopping V&A. Tem outro menor perto da torre do relógio e outro na entrada do galpão do mercado de comidas.

4. Lojas de brinquedos no Waterfront

São duas as maiores: Hamleys e Toy Kingdom. Em ambas você encontra de tudo. Os preços geralmente são menores que no Brasil, mas não é Estados Unidos OK? É mais barato, mas não absurdamente mais barato.

A Hamley’s fica dentro do shopping V&A. A Toy Kingdom fica um pouco mais afastada do burburinho. Pra chegar lá tem que cruzar o shopping todo e sair na rua Breakwater Boulevard. A loja fica ali ao lado da concessionária Aston Martin.

Dentro do galpão de artesanatos (The Watershed) tem uma loja de brinquedos de pano chamada Shongololo. São bonecas e bichinhos de pano, cada um feito à mão com cores e padrões diferentes. É  uma excelente opção pra quem quer comprar um brinquedo africano e de quebra ajudar um empreendedor local. 

5. Passeio de barco

Começo dizendo que nós não fizemos este passeio, acho que minhas crianças são muito pequenas pra ficar uma hora e meia navegando – ia ser estresse na certa! Mas acho um passeio bacana pra fazer com crianças maiores. Confira o post do Pedro no Bastante Sotaque, ele dá detalhes deste passeio.

Dixtrict Six

1. Iziko Museu de História Natural

O ponto alto do museu Iziko é o esqueleto de uma Baleia Jubarte, um dos maiores mamíferos do planeta. Apenas a mandíbula é original da baleia, a carcaça suspensa é uma réplica, mas que igualmente impressiona. Só a mandíbula são 3 metros de cumprimento! No mais tem animais africanos empalhados, fósseis e réplicas de dinossauros.

Após o passeio aproveite para conhecer a doceria e o café mais famosos do bairro:

2. Charlys Bakery

A doceria já teve até um reality show, foi aí que explodiu sua fama. Já era famosa na cidade pelos seus bolos artísiticos, mas depois do programa de televisão, o mundo conheceu a Charlys Bakery. Lá você pode escolher um cupcake pra saborear. Honestamente, é gostoso sim, mas não é o melhor bolo da vida. A fama é mais pela arte que pelo sabor – minha opinião. Ao lado, tem uma das sete molduras pra tirar foto com a table mountain.

3. Truth Coffee

Um café super descolado, com cara de Mad Max e cheiro de café torrado. Não é lá passeio que as crianças vão curtir, mas é no meio do caminho entre o museu e a loja de bolos – então vale o pit stop pros adultos. São cafés do mundo todo, misturados entre si para achar o equilíbrio perfeito. Também existe uma recomendação de coagem para cada tipo de café. Vale super a pena conhecer.

4. District Six Museum

Ainda no bairro, tem o District Six Museum, eu não conheci, mas é uma sugestão de passeio bem perto do café. O museu traz uma exibição sobre a vida no antigo distrito, uma comunidade de escravos libertos, imigrantes, mercadores e trabalhadores.

Passeios na Natureza

1. Table Mountain e Teleférico

É um passeio clássico na Cidade do Cabo, e por ser uma das atrações mais famosas, tem que seguir algumas dicas para não se estressar com the kids. Na alta temporada, essa atração é lotadassa, então siga essas dicas certeiras:

  1. Compre o ingresso online no site oficial, assim evita a fila de compra de ingresso e pode ir direto para a fila da entrada. Pode levar o voucher no celular mesmo, vale por 7 dias.
  2. Vá à atração de uber, taxi ou transporte público My Citi. É beeeeem difícil estacionar.
  3. Se ainda assim quiser ir no seu carro, a dica é subir até a atração de carro, desembarcar todos e estacionar DEPOIS da entrada da Table Mountain. Essa dica é muito boa porque todo mundo para ANTES da entrada, formando um caos completo.
  4. Leve um casaquinho. Em cima da montanha costuma ventar e fazer frio, mesmo em dias quentes.

2. Noon Gun

Todos os dias, ao meio dia, é disparado um canhão da montanha Signal Hill. Lá do alto tem uma vista bonita também.

No entanto, só recomendo o passeio se for muito do interesse das crianças mesmo. Achei perrengue pra chegar lá. Também fui fora do horário e achei super vazio.

3. Boulder’s Beach e Cabo da Boa Esperança

Faça estes dois passeios no mesmo dia pois são próximos de si e longes de Cape Town. No Cabo as crianças maiores vão gostar da trilha, as menores podem subir de funicular até o Cape Point.

Para ir ao Cape of Good Hope, melhor voltar pro carro e dirigir até lá.

Depois de conhecer este parque natural, vá até Boulder’s Beach. Essa praia é famosa pelos pinguins africanos que nela habitam. É a coisa mais fofa de ver.

Quem tem filhos adolescentes, eu sugiro fazer o passeio de barco para avistar tubarões e focas. Sai de Simon’s Town. Neste post eu conto certinho como fazer o passeio e/ou mergulho com os tubarões brancos.

4. Praias de Cape Town para ir com crianças

As praias que recomendo dentro da cidade são Clifton Beach e Camps Bay. A primeira é formada por 4 praias pequenas e mais tranquilas, vão muitas famílias pra lá. Camps Bay é uma praia maior, porém com muito mais estrutura. Tem o calçadão, lojas, restaurantes, sorveteria e até um guarda volumes.

Não deixe de ler tudo sobre as praias de Cape Town neste post.

Outras duas praias muito recomendadas para ir com crianças são a Bikini Beach e Langebaan. Infelizmente não conheci nenhuma das duas, justamente porque é uma pernada pra chegar. Minhas filhas estavam de saco cheio de ficar em carro então optei por não incluí-las no roteiro. Uma pena.

Sobre Langebaan você pode conferir aqui no Blog Bastante Sotaque.

Camps Bay

5. Vinícolas para ir com crianças na região de Cape Town

Gente, uma das minhas maiores preocupações era achar vinícolas que todos nós pudéssemos curtir. Acho um dos melhores passeios em Cape Town: ir pra alguma vinícola almoçar e aproveitar aquela vibe boa. No fim conheci 3 vinícolas para ir com crianças na África do Sul (confira o post).

Fomos na Bloemendal, Vergelegen e Spier. Curtimos todas elas. Bebemos bem, comemos bem, fomos bem atendidos e o mais importante, as crianças também brincaram, comeram e se divertiram!

Sugestão de Sorveterias

Por fim, vou deixar uma lista das sorveterias que conhecemos na cidade. Aqui em casa, eu sou a chata da alimentação saudável, mas nas férias a gente relaxa (um pouco) e deixa entrar mais guloseimas no menu. Confira as sorveterias da cidade:

Gelato Mania – tem 4 unidades espalhadas pela cidade. As de mais fácil acesso são no shopping V&A e a unidade no calçadão em Camps Bay. Tudo a ver né? Sorvetinho na beira da praia.

Unframed Ice Cream – esse sorvete era um que eu estava doida pra conhecer. A propaganda era grande, a expectativa também. Posso dizer que foi um encontro meio frustrado. O sorvete é gostoso, desses de sabor exótico, coisa artística. Provei de açucar mascavo, mas prefiro o sorvete mais convencional. O sabor baunilha deles tava muito bom. Tem duas unidades, uma perto na Kloof St e outra no barracão de comidinhas do Waterfront.

Haagen-Daz – Não tem erro! Sempre maravilhoso. Amo o sorvete de morango deles. A loja fica dentro do Shopping V&A.

Gelato Mania em Camps Bay

Onde ficar em Cape Town com crianças

Nos hospedamos no bairro Gardens/Oranjezicht neste apartamento aqui. O bairro é super residencial e o apartamento é excelente. Tem uma linda vista pra Table Mountain e fomos surpreendidos positivamente por um parque público bem ao lado. Levamos as crianças lá para brincarem no playground. Também fica a apenas 5 minutos de caminhada de um shoppinzinho com supermercado, padaria e até uma loja de brinquedos fofa.  Recomendo.

Mais dicas para curtir Cape Town com as crianças

Nós fizemos todos estes passeios de carro. Alugamos um carro pela RentCars, site que compara preço de várias locadoras. Retiramos e devolvemos no aeroporto. Levamos nossas duas cadeirinhas de criança do Brasil mesmo.

Também fiz seguro de saúde para todos nós na SegurosPromo. Nosso parceiro aqui do blog. A última coisa que eu quero é usar seguro, mas tem que ter. Não viajo sem nunca.

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação. Vale a pena.

Leia mais sobre África do Sul com crianças:

3 vinícolas para ir com crianças na África do Sul
Vinícola Spier: Onde ficar em Stellenbosch
Safari com criança na África do Sul: Aquila Private Reserve
Como se virar na África do Sul
Vale a pena alugar carro na África do Sul?
É seguro viajar para a África do Sul?
10 dicas para viajar de avião com bebê

 

~ Se Lança ~

3 vinícolas para ir com crianças na África do Sul

Uma das minhas grandes paixões sul-africanas são as vinícolas. Na minha última viagem para lá, fui com minhas duas filhas, por isso pesquisei muito algumas vinícolas para ir com crianças na África do Sul. Um lugar onde todos da família pudessem aproveitar.

E claro que não fiquei decepcionada. Sul-africano também tem filho! Achei esta lista gringa das melhores vinícolas para ir com crianças, inicialmente o plano era conhecer 6, mas viagem com filho é outro ritmo. Consegui visitar 3 delas, segue minha listinha:

1. Bloemendal

Esse lugar é pequeno e fofo, mas não seria minha primeira opção de vinícola se não fossem as crianças. O que nos atraiu para lá foi o enorme parquinho bem em frente ao restaurante Bon Amis.

A criançada corre solta por aqui! Recomendo que você ligue antes e reserve uma mesa do lado de fora, o restaurante lota!

Gente, foi um dos lugares que ficamos mais tranquilos tomando um vinhozinho de boa. Todo mundo que vai lá tem criança, então o clima é super família e ninguém se importa se um pentelho passar correndo pela sua mesa. Sem contar que o vinho é uma delícia!

Além do parquinho e restaurante (com menu kids), tem degustação de vinhos e uma pista de bike. O banheiro tem trocador para bebê.

Uma vantagem dele é que fica pertinho de Cape Town, são apenas 25 minutos do centro. A desvantagem é que é longe de Stellenbosch e Franschhoek.

2. Vergelegen

Essa vinícola é muito linda!! Uma das mais lindas que já fui EVER (independente de ir ou não com kids).

É uma propriedade gigante, com lindas árvores, jardins para caminhada, às vezes tem eventos ao ar livre… vale super a pena conhecer.

Lá tem dois restaurantes, dos quais apenas um aceita crianças, o Stables. Mas é bem gostoso e refinado. Este restaurante tem uma área externa que dá para o parquinho, uma fonte de água (na época cheia de girinos dentro) e uma das vistas mais lindas que já pude apreciar!

O restaurante tem opções de pratos infantis e trocador para bebê no banheiro.

Paga-se 10 ou 20 rands por adulto pra entrar na Vergelegen. Além de almoçar por lá acompanhado de uma garrafa de vinho, você pode caminhar por esta linda fazenda. Recomendo.

3. Spier

Da lista, o Spier é a vinícola mais conhecida. E tem lá sua razão para isso, é a mais turística. Mas isso não quer dizer que seja ruim, mas sim que tem muita infraestrutura.

Nós passamos 3 noites no Spier e valeu super a pena. Tem piscina, espaço kids com monitor para os hóspedes (crianças à partir de 3 anos podem ficar lá sem os pais), 4 restaurantes, parquinho, feirinha de artesanatos, área para caminhada, pedras pra subir, degustação de vinhos, museu, casa histórica e arte espalhada pela propriedade.

Dentre as atividades, pode-se alugar segway ou bicicleta. É possível fazer também piqueniques. Há também uma pequena área de resgate de aves. Lá se pode conhecer o trabalho de recuperação de corujas, gaviões e outro tanto de pássaros.

Outra vantagem do Spier é sua localização. Está a 10 minutos de Stellenbosch, sendo um excelente local para dormir e fazer de base pra explorar a região de vinícolas de Stellenbosch e Franschhoek.

Veja neste link valores e disponibilidade do Spier.

Vinícolas com crianças – no mapa

Essas três vinícolas ficam um afastadas entre si, então não dá pra conhecer todas em um dia só.

O Spier e Vergelegen são mais próximas, pode-se considerar visitar as duas no mesmo dia.

O Bloemendal pode ser combinado com uma visita às praias que ficam ao norte de Cape Town e tem uma linda vista da Table Mountain.

O importante é que dá pra curtir um vinho com linda vista na África do Sul e ao mesmo tempo as crianças também aproveitarem!

vinicolas para ir com crianças na africa do sul

Outras dicas para curtir com as crianças na África do Sul:

Gente uma coisa que nunca viajo sem é seguro de viagem, principalmente depois das crianças. Aquele tipo de coisa que ninguém que usar, mas é bom ter, não se brinca com saúde! E não é caro, uma semana de seguro pra África custa 69 reais.  Nós usamos a Seguros Promo que traz um comparativo de várias seguradoras.

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

(Se você não sabe o que é um seguro de viagens, leia este post aqui).

TUDO sobre nossa viagem com as crianças na África:

Viajar para a África do Sul com crianças e bebês
Cape Town com crianças
Vinícola Spier, onde ficar em Stellenbosch
Joanesburgo com crianças
Safari com crianças na África do Sul: Aquila Private Reserve
Vale a pena alugar carro na África do Sul?
É seguro viajar para a África do Sul?

Se ficou alguma dúvida ou se quiser apenas deixar um palavrinha carinhosa pra gente, escreva nos comentários aqui abaixo.
Escreve, escreve, escreve 🙂

Ah, e não deixe de seguir nossas andanças no Instagram. Sempre tem dica boa por lá também.

~ Se Lança ~

Safari com crianças na África do Sul: Aquila Private Reserve

Se você vai à África do Sul e quer saber onde fazer safari com crianças, veio ao post certo! Uns nos chamam de corajosos, outros de loucos… acho que somos um pouco dos dois. O fato é que fizemos este safari no Aquila com minhas duas filhas: de 3 anos e a bebê com 5 meses.

Vou contar como conseguir a façanha e aproveitar o máximo possível.

Safari com crianças

Em geral, crianças menores de 12 anos não são aceitas em excursões de safari. Por quê!? Porque safari requer algo que os pequenos não tem: PACIÊNCIA.

Quem já fez safari sabe que você dirige por horas, e nem sempre o encontro com os animais é garantido. As crianças podem se cansar, ficarem irritadas de estar no carro muito tempo, sentirem-se frustradas pela ausência de animais e por aí vai.

Para fazer safari com crianças, precisa-se então escolher o local com muito carinho. Primeiro de tudo, elas precisam ser aceitas não é? Depois, é bom que o local ofereça uma estrutura própria para elas. Pensando nisso tudo, escolhi o Aquila Game Reserve. 

Me ganharam porque aceitam crianças de todas as idades no safari, tinham parquinho e piscina. Pronto!

Além do Aquila ser super kids-friendly, ele é uma reserva privada pequena. Ou seja, em poucas horas é possível deparar-se com todos os animais – minimizando assim qualquer estresse.

Olha a bebê na cabine do motorista, visão privilegiada!

Aquila Game Reserve

O Aquila é uma reserva privada a duas horas de Cape Town. É um santuário de animais onde estes são resgatados, reabilitados e soltos, em inglês: RRR – Rescue, Rehabilitate & Release.

Isso sigifica que os animais no Aquila estão soltos e andam livres pela propriedade, no entanto há um controle na reserva.

Por exemplo, os leões ficam separados dos outros animais, em uma área exclusiva para eles.  Nesta área, os leões “ganham” um animal vivo a cada 7/10 dias para que eles o caçem e se alimentem. Existe também uma limitação à quantidade de animais de acordo com o tamanho da propriedade, lá tem elefantes, mas apenas 2 – pois mais que isso destruiria a flora local.

As zebras, girafas, rinocerontes, emas, sringboks, elefantes e gnus vivem todos juntos e em relativa paz!

Safari no Aquila

O safari no Aquila é feito com guias (os rangers) e no jeepão. O horário e duração do passeio depende do pacote contratado. Para quem vai pernoitar, inclui um safari pela tarde (16 hrs) e outro na manhã do dia seguinte (6 hrs). Para quem faz um bate-e-volta de Cape Town, tem um passeio incluso – acredito que às 14 hrs.

Por lá nos deparamos com: leões, elefantes, rinocerontes brancos, girafas, zebras, spingboks, gnus e emas. Tem na propriedade, porém não vimos, leopardos e búfalos.

Eu achei uma opção bacana de safari para quem está em Cape Town – pois nesta região não há nenhum parque nacional. Ou seja, quem vai para a África do Sul apenas para visitar Cape Town, é uma boa alternativa.

Veja este post: Onde fazer safari perto de Cape Town.

Comparando este safari com safaris no Kruger ou Pilanesberg (que são parques nacionais), eu achei que faltou um pouco de emoção. No sentido de que você sabe o que vai encontrar no Aquila – não há o elemento surpresa. Pra alguns isso é excelente, pois você sabe que terá grandes chances de ver esses lindos animais, enquanto nos grandes parques, não há garantia de nada.

No geral, consideramos uma excelente opção de safari por causa das crianças.

Como sobreviver com as crias no safari

Primeiro de tudo, certifique-se que as crianças não vão embarcar nem com fome, nem com sono. Pronto, gatilhos de estresse minimizados. Explique como será o passeio para alinhar as expectativas.

Veja a posição do sol e escolha um assento adequado, para isso é bom chegar um pouco mais cedo. Nós sentamos nos bancos da frente, e apesar do jeep ser coberto, havia sombra apenas nos assentos de trás. Ainda bem que eu tinha protetor solar na mochila, pois estava muito sol e muito calor. Leve água, boné e óculos de sol.

No mais aproveite, como o Aquila é pequeno, é muito provável que vocês encontrarão todos os animais por lá. 

Orgulho da mamãe conhecendo elefantes

Hotel Aquila

O hotel é super bonito! Nosso quarto era super confortável, com ar condicionado, uma cama king size e um sofá cama. Tinha frigobar e banheira. Era no piso térreo com uma varanda na área externa.

O melhor de tudo é a infraestrutura. Tem piscina, parquinho, mini-golf, espaço para bebês, estrutura de microondas para quem tem que esquentar papinha ou mamadeira e opção de menu kids no buffet.

Pela noite tem marshmellows para assar na fogueira e um “safari de estrelas”.  O guia monta um telescópio (que as crianças maiores vão curtir) e depois todos sentam-se em volta da fogueira assando seus marshmellows e tirando dúvidas sobre os animais e a reserva – ou só batendo papo mesmo.

Para os pais que conseguem um folginha, podem dar um pulo no SPA.

Você pode reservar sua diária no Aquila já com os safaris e pensão completa aqui neste link.

Como chegar no Aquila

Para quem vai passar o dia e voltar pra Cape Town, vale a pena fechar um pacote com tudo incluso: transfer de Cape Town + Safari + Refeição. Você pode contratar este passeio ainda no Brasil através do site Get Your Guide. Veja aqui os valores e disponibilidade para sua data.

Se você vai pernoitar, vale a pena alugar um carro pra chegar lá, pois o valor somente do transfer pode ser salgado. Nós alugamos carro pela RentCars no aeroporto de Cape Town.

A estrada pra chegar lá é bem tranquila e muito bonita. Não tem muitos postos de gasolina pelo caminho, então vá de tanque cheio, leve água e comida (regra número 1: criança não pode ter fome nem sono)

Outra opção de safari com crianças

Você deve estar pensando: ah mas e o Kruger? Ou o Pilanesberg?

Gente, ambos os parques são muito legais. Aliás, eu prefiro mais do que uma reserva privada. Minha sugestão é se for fazer safari nestes parques com crianças – que se faça no seu próprio carro. 

Assim você pode controlar a hora de parar para fazer xixi, comer um lanchinho, voltar pra descansar e etc. Flexibilidade é muito importante quando se viaja com crianças.

Seguro de Viagem para a África

Vai fazer safari na África? Não deixe de contratar o seguro de viagem. É muito importante. Leia mais sobre o tema aqui:

Você sabe como funciona um seguro de viagem para a África? Clique aqui que a gente te explica.

Leia mais sofre safari na África do Sul:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Safari no Kruger Park, África do Sul
Onde ficar no Kruger
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
Madikwe
Onde fazer Safari perto de Cape Town
Onde fazer safari na África do Sul

~ Se Lança ~

7 Melhores atrações de Cape Town e região

Se você é já é leitor do blog, sabe que aqui tem muita dica sobre Cape Town – mas neste post em especial, eu vou falar sobre as minhas preferências pessoais: 7 melhores atrações de Cape Town e Região. Já estive na cidade muitas vezes, e fui nestes mesmos pontos turísticos todas as vezes!

1. Cape Point e Cabo da Boa Esperança

Pra mim, o lugar mais lindo da região. É simplesmente deslumbrante! Não dá pra explicar porque, mas aquele mar azul, as pedras, a vegetação, o farol, a caminhada pelo local – tudo parece tão mágico. Mas tem que ir em um lindo dia de sol pra ver bem tudo isso.

Neste post conto detalhes sobre o passeio e a trilha no Cabo da Boa Esperança.

2. V&A Waterfront

Este lugar é super legal, um pier com vários restaurantes e bares – além do shopping, aquário, feira de artesanatos, roda gigante e muita gente circulando. Uma vibe super legal. Como geralmente chegamos em Cape Town no fim da tarde, gosto de deixar as malas no hotel e já correr pro Waterfront jantar e tomar um vinho – começar com o pé direito na cidade.

3. Franschhoek e Vinícolas

A melhor cidadezinha de todas. AMO andar pela rua principal de Franschhoek, depois claro de ter parado nas vinícolas La Motte e Boschendal. Lá recomendo sentar em um restaurante com mesa na rua e aproveitar bem a refeição. Depois você pode caminhar e conhecer as lojinhas de artes, artesanatos, chocolates. Pra quem quer comprar o famoso Billtong, entre na loja Montagu e faça sua escolha.

Veja aqui as 5 Melhores Vinícolas em Franschhoek.

Boschendal Wine Estate

4. Camps Bay

O que falar dessa praia TOP!? Lindo calçadão com muitos restaurantes, lojas. Linda praia com areião branco e água congelante 😉 . É bom demais passar uma tarde aqui, curtindo um solzinho. Gosto de tomar um smoothie de morango e banana do Kauai enquanto curto a praia. Lembrando que não pode bebida alcóolica!

Leia tudo sobre as Praias de Cape Town neste post.

5. Table Mountain

A famosa Table Mountain… É uma atração imperdível, daquelas que todo turista tem que conhecer. Mas é também a mais cheia e tumultuada na alta temporada – sem falar que vive fechando por mal tempo. A vista lá de cima é linda e maravilhosa, dá pra ver toda a cidade. Andar no teleférico também é legal. Nunca encarei a trilha íngrime da Table Mountain, mas é uma opção para os amantes de hiking.

6. Boulders Beach

No caminho para Cape Point, tem que parar em Boulders Beach para ver os pinguins africanos. Eu gosto de parar na volta do passeio do Cabo. Minha sugestão é sair cedo de Cape Town, ir ao Cabo, depois almoçar em Simons Town e depois do almoço conhecer Boulders Beach. Caminhe por lá e curta a fofura dos pinguins.

7. Restaurantes

Não é exatamente um ponto turístico específico né!? Mas em Cape Town tem abundância de bons restaurantes. Já dei muita dica de restaurantes em outros posts, mas aqui vou deixar meu queridinho:

Duchess of Wisbeach: Restaurante “pop” frequentado por locais, ideal para jantar. Tem um ambiente muito legal e boêmio, a cozinha é aberta no meio do espaço e só servem comida fresca. Fone: 021 434 1525, Endereço: 3 Wisbeach Road.

Vale super a pena conhecer, bem diferentão!

Se Lança…

Leia mais sobre Cape Town nestes posts:

O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Mergulhando com tubarões brancos na África do Sul
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Constantia, vinícolas pertinho de Cape Town

Onde fazer safari na África do Sul

Quando as pessoas começam a montar seu roteiro de viagem, uma dúvida muito comum é: Onde fazer safari na África do Sul?

São muitas opções, algumas super longes, outras perto. Algumas reservas são privadas, outras são públicas. Qual é melhor, por onde começar?! É mesmo muito difícil escolher, e esse post é uma tentativa de ajudar a clarear um pouco as coisas…

5 sugestões de onde fazer Safari na África do Sul

Kruger

Esse é o clássico! Todo mundo já ouviu falar sobre o Kruger. Ele também é a maior reserva natural da África do Sul, contendo mais de 40 mil animais andando (ou voando, nadando, rastejando) sobre seus 20 mil km2 de extensão.

Tem excelentes lodges e hotéis pra se hospedar e também excelentes operadoras de turismo por lá. Então, qual é a desvantagem? É longe de tudo.

Pra incluir o Kruger em seu roteiro sul-africano você tem que dedicar pelo menos uns 4 dias. 1 dia pra ir, 2 dias pra fazer safari e 1 dia pra voltar. Quem tá com bastante tempo no país deve fazer isso!

Se interessou pelo Kruger? Leia nosso post completo de lá: Safari no Kruger Park, África do Sul

Leopardo no Kruger

Pilanesberg

Esta é uma excelente opção pra quem tem um roteiro corrido pela África do Sul. O Pilanesberg é um parque perto de Joanesburgo, sendo possível fazer até um bate e volta no mesmo dia. Se tiver de carro alugado (usamos a RentCars para alugar carro na AFS) pode ir dirigindo tranquilo até lá, se não, também existem excursões que levam saindo de Joanesburgo. (Esta excursão é a mais vendida para Brazucas, com guia em português).

O parque é grande também, são mais de 7000 animais em 550 km2. Pode parecer pouco se comparado ao Kruger, mas confie em mim, você vai rodar e rodar e não ver paisagem repetida.

Qual a desvantagem? É um passeio mais simples que ir ao Kruger, mas terá uma experiência autêntica de safari, pois também é um parque nacional com animais livres pela natureza. Agora pra ser sincera, eu já fui lá pelo menos umas 4x e nunca vi felinos…

Se interessou pelo Pilanesberg? Leia nosso post completo sobre lá: Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo

Girafa no Pilanesberg

Madikwe

O Madikwe fica na fronteira com a Botswana, e diferente dos Kruger e Pilansberg, é uma reserva privada. Porque está aqui na minha lista de safaris?? Porque eu AMO este lugar!

Fica umas 4 horas de carro de Joanesburgo, então também é uma pernadinha, mas dá pra incluir em seu roteiro com 3 dias. 1 dia pra ir (saindo cedo), já faz o safari noturno quando chegar. 1 dia dentro do parque e 1 dia pra voltar.

A maior vantagem dele é a exclusividade. Só faz safari dentro do Madikwe quem está hospedado em algum lodge lá dentro. E todos os lodges lá são super legais, com tudo incluso – safaris, alimentação e hospedagem. Os lodges lá geralmente tem piscina, quartos super legais, as refeições são todas meio gourmets (nada de self service…) e o tratamento é super fino.

E antes que eu me esqueça, não é porque este parque é privado que ele é pequeno… Inclusive é maior que o Pilanesberg, tem mais de 10 mil animais em 750 km2.

Qual a desvantagem? Além de ser um pouco longe de Joanesburgo, os preços aqui podem ser mais salgados.

Se interessou pelo Madikwe? Leia nosso post completo aqui: Madikwe

Leão no Madikwe

Aquila e Inverndoorn

Estas duas reservas privadas são as melhores opções pra quem quer fazer um safari, mas não vai viajar nem ao Kruger nem à Joanesburgo. Estas duas reservas ficam perto da Cidade do Cabo, a mais ou menos 2 horas e meia de carro de lá.

Pode se optar por pegar uma excursão, passar o dia e voltar pra Cape Town – ou então pernoitar nos hotéis que tem dentro das reservas.

Qual a desvantagem? São reservas pequenas. Cada uma tem 100km2 e algumas centenas de animais. Sua experiência de safari não será tão bruta – mas se você só estiver visitando Cape Town – é a sua chance de ver esses grandes mamíferos de perto!

Se interessou? Leia mais neste post: Onde fazer safari perto de Cape Town? e Safari com crianças na África do Sul: Aquila Private Reserve

Lilac Roller

Hluhluwe-Imfolozi

Esta reserva é uma alternativa pra quem vai viajar para Durban. Sim, Durban! Tem 960 km2 e é a reserva mais antiga da África do Sul.

Eu não conheci pessoalmente, quem conta a experiência dele é o Pedro, do Blog Bastante Sotaque. Confira o post completo sobre lá:

Safari perto de Durban: Hluhluwe-Imfolozi Park

Como escolher seu safari ideal?

Minha sugestão é seja realista com seu roteiro e o tempo que passará na África do Sul. Se está fazendo uma viagem de apenas 1 semana, vai ser bem difícil visitar o Kruger – mas pode tentar o Pilanesberg se for a Joanesburgo, ou visitar as reservas privadas perto de Cape Town.

Se quer uma experiência diferente do que a maioria das pessoas tem, vá ao Madikwe.

Faça o melhor que você puder com o tempo que tiver nas mãos!

E depois volta aqui me contar qual você escolheu!

Seguro de Viagem para a África

Vai fazer safari na África? Não deixe de contratar o seguro de viagem. É muito importante. Leia mais sobre o tema aqui:

Você sabe como funciona um seguro de viagem para a África? Não? Então clique aqui e se informe, é muito importante!

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Como se virar na África do Sul
Vale a pena alugar carro na África do Sul?
É seguro viajar para a África do Sul?
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas

~ Se Lança ~

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

É seguro viajar para a África do Sul?

Muita gente ainda me pergunta: É seguro viajar para a África do Sul?!

A resposta curta é SIM. 

Como morei 1 ano e meio em Joanesburgo, pude conhecer bem a realidade desta cidade, e da África do Sul em geral. Fazer turismo por lá é bem seguro no geral – mas não é Suécia né gente!? Então vou recomendar os seguintes cuidados:

1. Polícia de trânsito e rodoviária

O meu maior medo no país sempre foi ser parada por policiais. Por vários motivos. Tem histórias de policiais falsos que roubam as pessoas, mas até mesmo os verdadeiros policiais podem ser motivo de dor de cabeça.

Tem o caso dos policiais que ficam na saída do aeroporto de Joanesburgo e param os turistas que acabam de alugar carros. Estes vão tentar te intimidar como se fossem alfândega. Uma vez encresparam com minha amiga que tinha levado uma banheirinha de bebê dizendo que ela tinha que pagar impostos. E advinha onde se pagava esses impostos? Ali mesmo em dinheiro… bizarro né? Como ela também era moradora de Joburg, não caiu na balela – mas não deixa de ser um stress chato.

2. Tire a Carteira de Motorista Internacional no Brasil

Tem muita gente que aluga carro na África somente com a CNH, e isso é permitido. Porém, contudo e todavia – baseado ainda no tópico de cima – tem policial que alega que não entende o que está escrito na CNH pois não está inglês. De novo, não é ilegal, mas vai te gerar um stress danado se passar por isso.

Melhor coisa é sempre andar com o passaporte e PID (permissão internacional para dirigir). Aqui neste post conto tudo sobre como tirar a sua. 

3. Ande SEMPRE dentro dos limites de velocidade

Então concluindo os dois tópicos acima, evite ser parado na estrada – não dê motivo. Respeite as leis de trânsito.

Agora, não precisa ter medo de alugar carro na África do Sul. As estradas são excelentes e é a melhor forma de se locomover no país. Leia nosso post: Vale a pena alugar carro na África do Sul?

Ser parado é a excessão, não a regra. Se isso acontecer contigo, apresente todos os documentos e mantenha a calma. Lembre-se que não está fazendo nada de errado. E se pedirem pra você pagar alguma “multa”  ali na hora, você pode optar por pagar e se livrar do stress – ou resistir e pedir para ser acompanhado à delegacia para resolver a questão. É bem provável que o policial irá desistir de te acompanhar pois perderia muito tempo.

Agora, destes 18 meses que morei na África do Sul, fui parada algumas vezes por blitz de rua e nunca tive que pagar nada, nem fui roubada. Então é mais um ponto de atenção do que de medo, OK!?

4. Pode andar a pé na África do Sul?

Gente, vamos lá. Somos brazucas e não suecos. A gente manja dos paranauês. Pode andar à pé sim, com os documentos no bolso da frente, atenção à mochila e pertences.

Cape Town é bem mais tranquila de andar à pé do que Joanesburgo. Começa que em Joanesburgo é tudo longe e tem poucas calçadas, então não dá pra andar muito à pé mesmo. Mas se precisar ir ali no mercado, farmácia ou parquinho perto do hotel, pode ir sim.

Em Cape Town eu acho mais tranquilo andar, só evite andar muito pelo centro da cidade à noite. Coisas que já sabemos, não andar sozinho, não andar por ruas desertas, etc.

5. Roubos

Nunca fui roubada na África do Sul. Meus amigos nunca foram roubados. Mas roubo acontece né. Nunca ouvi nada sobre cartão clonado lá, de qualquer maneira, sempre recomendo viajar com 2.

Se for sacar dinheiro em caixa eletrônico, dê preferência aos caixas dentro de shoppings. Tem no Sandton City em Joanesburgo e no Waterfront em Cape Town.

Um lugar para prestar atenção é em aeroportos. Às vezes tem gente se oferecendo para carregar suas malas. Não deixe. Se precisar de alguma assistência, procure funcionários uniformizados do aeroporto.

6. Tenha um seguro de viagens

Por mais que você esteja alerta – Shit happens. Adoro essa frase, simplesmente quer dizer que às vezes as coisas dão errado. E a vida é assim né. No Brasil, na África do Sul ou na Suécia…

Ter um seguro de viagens proteje sua saúde, se precisar ir pro hospital estará coberto. Te proteje contra extravio/roubo de malas (meu marido teve a mala extraviada pela SAA e ficou 2 dias sem roupas…). Eu sempre viajo com um seguro, ainda mais agora que virei mãe e levo a pequena a tiracolo. Outra frase que adoro é: Better safe then sorry. (melhor estar segura do que arrependida).

E gente, não é caro! Pra vocês terem idéia, um seguro de 7 dias na África custa à partir de 55 reais. Nós usamos o portal Seguros Promo, ,que traz um comparativo de preços de várias seguradoras. E você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto – ou seja 10%). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Então sem descupas tá, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

7. Relaxe

Esses pontos que destaquei acima são para ter ATENÇÃO, não é pra ter MEDO.

Eu me sinto mais tranquila na África do que andando pela 25 de Março ou praça da Sé. Seja brasileiro, não baixe a guarda mas divirta-se muito. A África do Sul é uma das viagens mais incríveis que você fará!

Photo by Mark Adriane on Unsplash

Se Lança…

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Como se virar na África do Sul
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Safari no Kruger Park, África do Sul
Seguro de Viagem Internacional – vale a pena?
Sua saúde e farmácia de viagem

 

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Roteiro de 2 semanas na África do Sul

Primeiro tenho que confessar que eu nunca fiz este roteiro de 2 semanas na África do Sul. Como eu morei mais de 3 anos na África, fiz várias viagens picadinhas, o que me permitiu conhecer de tudo um MUITO e com calma.

Mas, sempre que pedem dicas, ou uma sugestão de roteiro na África do Sul, eu digo que eu faria este daqui com apenas 2 semanas.

Eu acho que o roteiro ideal seria de 3 semanas, daria pra ver um pouquinho mais do país.

Mas com 2 semanas dá pra ter uma viagem excelente com muita coisa bacana pra fazer – incluindo Cape Town, Joanesburgo, Safari e até uma cidade de praia.

Vamos aos highlights da viagem sugerida!

6 dias em Cape Town, região e vinícolas

Que tal começar a viagem com o melhor que a África do Sul tem a oferecer?! Cape Town pra mim é o ponto alto da viagem, então bora começar com o pé direito.

Das 2 semanas no país, eu sugiro passar 6 dias em Cape Town. 4 dias para dedicar à cidade e atrações próximas e outro dia e meio pras Vinícolas e logística.

Cape Town, a cidade mãe é muito legal. Tem de  tudo. Muita natureza: praias, montanhas, vales e vinhedos. Excelentes restaurantes e vinhos pra acompanhar.  Uma vibe super boa, pessoas simpáticas, preços honestos… e eu poderia discursar sem parar – mas vale mesmo é conhecer. Leia nosso post com o guia completo sobre Cape Town aqui.

Mais sobre Cape Town nestes posts:
Praias de Cape Town
Cape Town – além do roteiro tradicional
Onde ficar em Cape Town
Onde fazer safari perto de Cape Town


É possível dormir todas as noites em Cape Town e conhecer as vinícolas de lá. Veja nosso roteiro sugerido de 1 dia nas vinícolas. Se for um amante de vinhos e natureza, a região tem hotéis e pousadas lindas, dessas que fica difícil escolher.

2 dias entre Hermanus e Cape Agulhas

Alugar um carro é a melhor opção pra se locomover no país, nós sempre usamos a RentCars para isso. A segunda sugestão é passear pela província de Western Cape – conhecer a cidade de Hermanus e o parque nacional Cape Agulhas – onde se encontram o mares Atlântico e Índico.

Essa viagem é especialmente bonita entre Julho e Outubro, que é quando as baleias se reproduzem. A costa está cheia delas e é possível vê-las da praia, até da varanda do hotel. Algo bem especial de se presenciar.

Pra quem está viajando entre Novembro e Junho, se não viajar pelo Western Cape, pode esticar estes 2 dias em Cape Town mesmo – principalmente no verão – e curtir as praias da região. Os enófilos podem esticar um dia nas vinícolas.

Cape Agulhas

4 dias no Kruger Park

Saia de Hermanus direto para o aeroporto de Cape Town, não é longe. De lá pegue seu vôo para Joanesburgo. Chegando em Joanesburgo, nem saia do aeroporto. Pegue o carro alugado e vá dirigindo ao Kruger. Esta viagem dura mais ou menos 4 horas. No caminho é possível conhecer o Blyde River Canion e a Rota Panorâmica.

Eu sugiro 4 dias para o Kruger, porque na prática é 1 dia pra ir e outro pra voltar. Então sobram 2 dias inteiros dentro do parque. Com isso você pode fazer 4 safaris (2 de manhã e 2 de noite) ou 2 safaris full-day. Leia tudo sobre o Kruger Park neste post.

Uma outra possibilidade, pra quem não quer ir tão longe ou pegar estrada, é fazer o safari no Pilanesberg Park. Este parque é mais perto de Joanesburgo, umas 2 horas e meia de distância. Não precisaria de 4 dias pra isso claro. Você pode fazer um bate e volta de 1 dia, ou pernoitar dentro do parque que também é bem legal.

2 dias em Joanesburgo

Pra finalizar sua viagem sul-africana, passe 1 a 2 dias em Joanesburgo. Finalize conhecendo os excelentes restaurantes da cidade, vá ao Museu do Apartheid pra conhcer um pouco da história sombria do país, ou simplesmente faça compras no enormes shoppings e outlets da cidade.

Será um dia pra paessar na cidade e o outro dia é se preparando pra voar de volta ao Brasil. Todas nossas dicas de turismo em Joanesburgo estão aqui.

Veja também:
Onde ficar em Joanesburgo
8 sugestões de restaurantes em Joanesburgo

Nelson Mandela Square – Foto por Anna Theodora

E a Garden Route?

Honestamente, eu acho que fica bem apertado encaixar a Garden Route em uma viagem de apenas 2 semanas na África do Sul. Mas não é impossível! Veja este roteiro do Blog Trilhas e Cantos, eles conseguiram encaixar um pouco de tudo em duas semanas. Vai do estilo de viagem de cada um.

Eu geralmente sugiro um roteiro de 5 dias para a Garden Route, viajar de Cape Town para Port Elizabeth de carro, e de lá seguir para Joanesburgo de avião.

Storm River

Dicas práticas para planejar sua viagem à África do Sul

Compre seu vôo chegando em Cape Town, mas partindo para o Brasil desde Joanesburgo. A passagem interna Cape Town – Joanesburgo você pode comprar à parte, ou tentar um Stop no vôo.

Alugue o carro em Cape Town dentro do aeroporto e devolva lá. Alugue outro carro no aeroporto de Joanesburgo, e devolva quando for embora do país também. Faça sua cotação na RentCars, eles tem os melhores preços.

Veja nossas dicas de como se virar na África do Sul neste post completinho.

E não se esqueça do seguro de saúde – please! Eu sei que é aquele tipo de coisa que ninguém quer usar, mas que é importante ter, com saúde não se brinca! Nós usamos o portal Seguros Promo, pois faz cotações com várias seguradoras trazendo um comparativo de preços e benefícios.

Pra vocês terem idéia, um seguro de 2 semanas na África custa por volta de 100 reais. Não é caro!
Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

Qualquer dúvida sobre orteiro, escreva aí no campo dos comentários abaixo que a gente tenta ajudar!

Se Lança…

 

Confira outros roteiros no Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Onde comprar diamantes em Cape Town

Saiba onde comprar diamantes e jóias em Cape Town e outras cidades da África do Sul.

Não é que os diamantes e jóias na Africa do Sul sejam uma pechincha, tipo você vai comprar presente de natal pra todo mundo… Não!

Mas pra quem quer ter uma peça especial na vida, pode optar por fazer essa compra na África do Sul, onde tem minas de diamantes e de ouro e as jóias tem preços um pouco mais acessíveis.

Como casei em Joanesburgo, tive a sorte de poder comprar minha aliança lá, por metade do preço que pagaria em uma similar no Brasil.

É possível encontrar um brinco de diamantes pequenos – do tamanho de um brinco de neném mais ou menos – por volta de 500 reais.

Lojas de jóias tradicionais e confiáveis

Browns – uma das maiores lojas de jóias da África do Sul, são inúmeras lojas espalhadas pelas principais cidades do país: Cape Town, Durban, Joanesburgo, Pretoria, Nelspruit, Port Elizabeth… e a lista continua. Tem também uma loja no free shop do aeroporto de Joanesburgo.

Jack Friedman – antendimento de primeira, produtos lindos! São duas lojas em Cape Town e outras duas em Joanesburgo. As mais fáceis de achar são no Waterfront em Cape Town e no shopping Sandton City em Joanesburgo. Vale a pena conhecer.

Essas são as duas lojas que eu conheço eu já comprei para recomendar. Existem muitas outras nos shoppings que também são confiáveis. No Sandton City tem uma ala só de joalherias!

tanzanita pedra sul-africana em colares
Pedra Tanzanita – Foto por Anna Theodora

Tax Free em jóias na África do Sul

Além dos preços serem mais acessíveis, é possível reembolsar o valor dos impostos das jóias compradas na África do Sul. É preciso guardar a nota e apresentar para o inspetor quando estiver saindo do país. O Blog Bastante Sotaque explica em detalhes aqui neste post como fazer o reembolso das mercadorias.

Se Lança!

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Como se virar na África do Sul
Vale a pena alugar carro na África do Sul?
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Safari no Kruger Park, África do Sul

 

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]
 

Roteiro de 5 dias na Garden Route

Este roteiro de 5 dias na Garden Route, na verdade se extende além dela! Oficialmente a rota começa em Mossel Bay e termina na região de Storms River (ou vice-versa) – mas na prática, muita gente dirige de Cape Town a Port Elizabeth.  

Essa é uma viagem que fiz de 8 dias na região de Cape Town, ficando 3 dias em Cape e 5 dias dias viajando de carro.

Como essa já era minha 4a visita à Cape Town, ficamos poucos dias lá, mas já contei aqui no blog TUDO sobre a cidade. Veja esses 3 posts: Guia completo de Cape Town, Além do roteiro tradicional, Praias de Cape Town.

Como ir de Cape Town a Port Elizabeth

Alugar um carro é tranquilo na África do Sul (veja neste post detalhes de como fazer isso e dirigir na mão inglesa). Diferente de outros países, não fica muito mais caro pegar o carro em uma cidade e devolver na outra. Vale a pena.

Um roteiro muito legal na África do Sul é chegar em Joanesburgo, de lá voar até Cape Town, alugar um carro e dirigir até Port Elizabeth. Devolver o carro em Port Elizabeth e voltar voando para Joanesburgo. Assim você vê bastante coisa no país!

A estrada da Garden Route é muito boa, não tem muitas supresas. Só recomendo sempre estar com o tanque cheio, postos de gasolina não são frequentes na beira da estrada – às vezes tem que entrar nas cidades pra abastecer. Também não tem muitos restaurantes, então leve água e lanche.

Principais cidades da Garden Route

As principais cidades são Mossel Bay, Wilderness, Sedgefield, Knysna, Plettenberg Bay e Storms River.

Atrações turísticas da Garden Route

A natureza é o carro chefe da região. Tem muita montanha e praia. Ideal para fazer caminhadas e se esticar na areia de praias lindas.

Duas atrações bem famosas da Garden Route são o mergulho com o tubarão branco (leia tudo aqui) e o salto de bungee jump com a Face Adrenalin. Um dos maiores bungee jumps do mundo (leia tudo neste post aqui)!

Outro ponto bem conhecido é ir à ponte suspensa dentro do Tsitsikamata Park.

E de Julho/Agosto a Outubro é época de whale-watching na região, é possível avistar baleias da costa ou fazer um “safari no mar” pra vê-las mais de pertinho.

Storms River

Roteiro de 5 dias na Garden Route

Como eu já conhecia Cape Town e Stellenbosch quando fiz essa viagem, meu roteiro ficou assim:

Cape Town – 3 dias / Stellenbosch – 1 dia /  

Swellendam – 1 dia / Mossel Bay – 1 dia / Knysna – 2 dias / Bungee Jump-Jeffrey’s Bay – 1 dia

(tem posts detalhando todas essas cidades da garden route!)

Oficialmente Swellendam não conta como Garden Route, mas inclui aqui no roteiro pois foi uma parada importante pra quebrar a viagem, somando assim os 5 dias. Em Swellendam nos hospedamos no Cypress Cotage, uma pousada antiga bem bacana!

Depois de Swellendam fomos pra Mossel Bay, onde dormimos no Protea e fizemos o mergulho com tubarões. Dia seguinte partimos para Knysna, chegamos no fim da tarde, deixamos as malas no Inyathi e fomos conhecer a Thesen Island e o Waterfront. No segundo dia em Knysna, dedicamos inteiro para hiking.

No último dia, na ida para Port Elizabeth para pegar o vôo pra Joburg, paramos no bungee jump de manhã e depois almoçamos em Jeffrey’s Bay. Nem ficamos em Port Elizabeth, é uma cidade bem grande, não achei muito legal pra turismo.

Esse foi nosso caminho:

Foi suficiente?

Claro que não, nunca é. Eu gostaria de ter passado em Hermanus, Cape Agulhas, Plettenberg Bay e entrado no Parque Tsitsikamta. Mas aí 5 dias não seriam suficientes, teriam que ser ao menos 8 dias pra fazer isso tudo. Então a gente faz o que pode com o que tem!

Valeu a pena?

SUPER! Essa região é linda demais. Vale muito a pena percorrer essa rota, principalmente para os amantes da natureza. O que eu mais gostei foi o mergulho com tubarão em Mossel Bay e curtir Knysna, bons restaurantes e excelentes trilhas.

O que eu faria diferente?

Uma sugestão bem bacana é começar a rota em Port Elizabeth e terminar em Cape Town. Assim você deixa o melhor pro final, pois depois de conhecer a Cidade Mãe, nada se compara. Também ficaria mais uns 2 dias se tivesse mais tempo.

E você, qual rota escolheu? Conta pra gente!

Se Lança…

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Roteiro da Garden Route, dirigindo desde Joanesburgo
Mossel Bay
Swellendam e De Hoop
Knysna, equilíbrio perfeito entre Mar e Montanha
Saltar de Bungee Jump na África do Sul
O que fazer em Plettenberg Bay

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

Dicas práticas de intercâmbio na África do Sul

Este é o segundo post do Pedro Leonardo, colega blogueiro do Bastante Sotaque. No seu primeiro post (aqui) ele contou sobre sua experiência como intercambista, e como isso afetou sua vida! Aqui neste post, ele dá dicas práticas de sobrevivência para quem quer seguir este caminho de intercâmbio.

Intercâmbio em Cape Town: razões para não surtar

Menos medo, mais frio na barriga. Acredito que esta deva ser a atitude adequada para quem vai fazer um intercâmbio na África do Sul. Cape Town – onde a maioria das escolas de inglês se situa – tem plenas condições de receber um estudante estrangeiro e dar a ele os melhores momentos da sua vida.

Uma das grandes lições que aprendi naqueles dois meses que vivi na Cidade do Cabo, em 2011, foi entender que não precisava me preocupar tanto com o pré-viagem. Bastavam o passaporte e o certificado internacional de vacinação da febre amarela. Entretanto, ansioso, perdia o sono pensando até em como lavaria – e secaria e passaria – as roupas. Desnecessário dizer que era minha primeira viagem internacional, né?

Chegando lá, as preocupações desmoronaram. Até minha insônia foi curada. Descobri que, morando numa residência estudantil, você é cercado de solidariedade. Há sempre alguém disposto a te ajudar e até dividir o jantar (“fiz macarrão demais, me ajuda a matar essa panela?”). Não faltam companhias para subir a Table Mountain ou visitar a praia dos pinguins. Elas simplesmente aparecem.

Guarde essas três palavras: tudo se resolve.

Já nos momentos em que você é lançado sozinho nas ruas, o único perigo real é a mão inglesa. Ser pedestre em um lugar assim exige muito do cérebro! Já fui quase atropelado algumas vezes.

Felizmente, é bem mais fácil ser usuário de transporte público. Tudo por causa do ônibus MyCiti, um tipo de BRT no qual é preciso ter um cartão recarregável para embarcar – não aceitam dinheiro. Barato, o sistema é a melhor opção para se deslocar durante o dia. À noite, prefira o Uber (principal razão para adquirir um chip local).

Segurança na África do Sul

Primeiramente, recomendaria os mesmos cuidados que devem ser tomados em Roma, São Paulo ou Zurique. E, por favor, não caia no conto do mochileiro que perdeu tudo. Um malandro amador assim não é páreo para quem tem como compatriotas certos políticos, correto?

Já em relação à violência em Cape Town e Joanesburgo, uma certeza: me senti mais seguro nessas cidades do que no Rio. Acredito até que cariocas cheguem lá com um senso de alerta meio exagerado. É que, aqui na Guanabara, o normal é ter medo da própria sombra e de motos com dois ocupantes. Sério.

Administrando seu dinheiro

Durante o intercâmbio em Cape Town, a questão da grana merece muita atenção obviamente. Afinal, alguns prazeres são tão baratos que podem fazer a pessoa gastar mais do que deveria. É o caso dos restaurantes. O chique HQ, por exemplo, tem uma promoção às terças, na qual duas refeições completas – entrada, prato principal e taça de vinho – custam cerca de 64 reais. Sim, é o valor total.

Na noite, cervejas também são baratas. De quebra, há bares no estilo “patrão ficou maluco”.
O Bob’s, na Long Street, é famoso pelos shots a 1 rand. Traduzindo (e convertendo): 25 centavos de real.

Caindo ou não em tentações, é preciso dar uma segurada nos gastos para chegar com alguma folga no fim da sua viagem. Uma medida que tem efeito decisivo no bolso é não comer fora todos os dias. Use e abuse de mercados como Pick-n-Pay, Spars e Checkers. E lembre-se do que escrevi há alguns parágrafos: tem sempre alguém na sua casa ou hostel calculando mal a quantidade de macarrão.

Outra recomendação é sempre andar com a carteirinha da sua escola de inglês. Ela garante descontos na maioria das atrações turísticas.

Roteiro de turismo

Cape Town é a cidade sul-africana com mais opções de atividades. Além disso, seus arredores oferecem uma infinidade de atrações.

O importante é deixar o roteiro em aberto. Sugiro fazer uma lista de prioridades e tentar realizá-las com calma. Esqueça planos engessados e apressados. Afinal, muitas atrações dependem do clima. Ventos fortes podem interromper o serviço do bondinho da Table Mountain, por exemplo.

Quanto à montanha mais famosa da África do Sul, é importante não deixá-la para o final. Tente ir logo na primeira manhã ou tarde de sol.

Um lugar no qual é fácil se deslocar, mais seguro e com custo de vida menor que as grandes cidades brasileiras. Tentador, não? Se eu for falar de Cape Town, hoje não vou terminar, mas acho que você já pegou a ideia.

Espero que este texto aumente o frio na barriga de quem está partindo pra Mother City ou faça alguém, no mínimo, cogitar seriamente uma viagem àquele paraíso.

 

Pra saber mais sobre intercâmbio e outras aventuras na África do Sul, confira a página do Bastante Sotaque. Excelente blog onde tem de tudo e um pouco mais!

Siga o Bastante Sotaque no Instagram e Facebook também.

Se Lança…

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Vale a pena estudar Inglês na África do Sul?
Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Turistando em Joanesburgo
Pretoria
Safari no Kruger Park, África do Sul

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Vale a pena estudar inglês na África do Sul?

Este post foi escrito pelo Pedro Leonardo, colega blogueiro do Bastante Sotaque, que passou uma temporada estudando inglês na África do Sul. Aqui ele conta porque escolheu Cape Town para estudar inglês e compartilha com a gente outras lições que aprendeu além do idioma.

Intercâmbio em Cape Town: muito mais que estudar inglês

Desculpe se vou soar como um garoto-propaganda, mas até o final do texto espero que entenda o “merchan” da frase seguinte: um curso de inglês na Cidade do Cabo/Cape Town é um dos melhores investimentos que você pode fazer na vida. E não só pelo valor gasto ou melhora no idioma.

Razões para escolher a África do Sul

Entre os vários motivos que me fizeram escolher a Cidade do Cabo está o fato de ser um azarão. O lugar injustiçado. Geralmente, a última opção. Cheio de potencial, mas alvo de muitas visões equivocadas.

Rolou uma identificação. Felizmente, deu match.

Começando pelo objetivo principal, a melhora no meu inglês. A primeira lição foi perceber que, embora sempre tenha encontrado facilidade no curso que concluí no Brasil, minha pronúncia e vocabulário ainda estavam longe de merecer nota 10.

Durante as aulas em Cape Town, foram estes os pontos em que senti maior evolução. Meu esforço ajudou, mas também dou crédito às duas ótimas professoras que encontrei na escola EC. E, claro, a obrigação de falar o idioma no dia a dia, para “sobreviver”, me garantiu uma fluência real.

Concordo que aprender inglês num país com 11 idiomas oficiais pode parecer esquisito. São vários sotaques. No mínimo, 11! Entretanto, isso não prejudicou em nada meu aprendizado. Você pode até penar um pouco para entender o que a caixa do supermercado pergunta, mas não vai voltar para o Brasil usando r’s a mais nas palavras.

Fazendo amidazes no Intercâmbio

Ah, e não foi preciso evitar brasileiros. Algo até antipático, na minha visão. Para mim, não mudava nada. Ao ajudar meus amigos, servindo como tradutor ocasionalmente, eu estava praticando, não? E acabava ensinando uma coisa ou outra aos compatriotas.

Por outro lado, tive a sorte de morar em uma residência estudantil na qual fui o único “Brazilian” na maior parte do tempo. Isso me permitiu experimentar a maior “bonus track” de um intercâmbio: a troca de informações e curiosidades sobre vários países.

Eu amava quando uma conversa reunia vários passaportes, lembrando uma conferência da ONU. Cada um contava como determinada coisa funcionava na sua cultura, explicava como era tal palavra na sua língua, e por aí em diante. Era natural.

Uma ótima notícia para tímidos e introvertidos: em viagens assim, as pessoas têm uma pré-disposição para conhecer o outro. É muito fácil puxar papo. Há um roteiro pronto e que sempre funciona. Começa com “de onde você é?”. Pronto, isso já garante cinco minutos de diálogo pelo menos.

Outro bônus do intercâmbio foi a própria casa em que morei. Ela se localizava em Bo-Kaap, um bairro cuja população é quase toda muçulmana. E que dá bom dia a desconhecidos na rua. Um choque para um carioca.

Conclusão

São todas essas coisas que vem à mente quando lembro do retorno que obtive daqueles dois meses. Eu só queria sair do país pela primeira vez, estudar e não ter um ano inútil como o anterior. Aos 27, já “velho”, recuperei o entusiasmo e me reinventei.

Por essas e outras razões, que tal Cape Town?

Escolas de Inglês na África do Sul

CAPE TOWN

English Language Centre – escola onde o Pedro estudou, tem tradição e experiência, está presente em 5 países e oferece diversos tipos de cursos.

Interlink – escola pequena operando desde 1998, a maioria das pesssoas que estudam aqui chegam por indicação de amigos. Tem diversos cursos e você pode ver os precos diretamente no site deles.

LTC – Language Teaching Centre, a única que tem site em português. Também uma escola pequena com diversos cursos e outros idiomas além do inglês. Tem cursos de idiomas africanos pra quem quiser se arriscar.

JOANESBURGO

English Access – escola que a maioria dos estrangeiros residentes em Joanesburgo elegem para estudar inglês. Tem opção de cursos de meio período ou período integral, e para quem está na cidade por uma temporada mais longa, também pode fazer aula 1 ou 2 vezes por semana.

Wits Language School – esta escola é parte integrante da Universidade de Witwatersand, uma das melhores universidades da África do Sul. O curso de inglês dura 7 semanas e 170 horas, bem puxado, bom para quem busca uma imersão no idioma e país.

Se você já se decidiu e vai encarar este desafio e aventura, veja este post completo do Bastante Sotaque: Guia do Intercâmbio em Cape Town.

E não deixe de contratar seu seguro de viagem pra lá. É muito importante! Leia esse post explicando: Seguro de viagem para a África, como funciona

 

Pra saber mais sobre intercâmbio e outras aventuras na África do Sul, confira a página do Bastante Sotaque. Excelente blog onde tem de tudo e um pouco mais!

Siga o Bastante Sotaque no Instagram e Facebook também.

~ Se Lança ~

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Turistando em Joanesburgo
Pretoria
Safari no Kruger Park, África do Sul

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

3 melhores vinícolas em Paarl

Uma das muitas vantagens de ter morado tantos anos na África, é poder ter amigos sul-africanos. Minha querida amiga Carolina, que nasceu e cresceu em Cape Town (chato né?) listou pra gente as 3 melhores vinícolas em Paarl.

Enquanto a região preferida dela é Stellenbosch – e a minha é Franschhoek – Paarl também tem algumas pérolas pra quem quer visitar. Paarl é a região das grandes produtoras e exportadoras, como a KWV e a Nederburg.

Neste post listamos três propriedades que ficam bem próximas uma das outras, dá pra visitar todas, não precisa escolher 😉

Lista das 3 melhores vinícolas para conhecer em Paarl

1. Spice Route – Essa propriedade é um lugar único na África do Sul. Além dos vinhos, aqui se produz cerveja, chocolates, biltong… Tem degustação de todos esses itens, além de um bistrôzinho, pizzaria, parque para as crianças e lojinha. Um lugar muito lindo que vale a pena conhecer.

Foto divulgação

2. Fairview – conhecido pela produção de queijos e vinhos, aqui pode-se degustar os dois. Também fazem iogurtes e cheesecakes, huuum. A propriedade tem também uma padaria, ou seja, as três melhores coisas do mundo em um lugar só: pão, queijo e vinho. E para as crianças, tem uma fazendinha com cabritinhos que elas podem interagir.

Foto divulgação

3. Glen Carlou – essa proprieadade é jovem, fundada nos anos 1980. Aqui tem um restaurante moderno que abre apenas para almoço e uma galeria de artes que exibe apenas artistas sul-africanos. É um dos poucos vinhos sul-africanos que se pode encontrar no Brasil. Tem uma linda vista das montanhas Drakenstein.

Foto divulgação

Paarl é a melhor região de vinícolas para quem está viajando com crianças. Duas das três propriedades acima tem espaço kids ou alguma distração para elas. Não é que tenham monitores pra cuidar dos pequenos, mas só de ter um lugar para as crianças gastarem suas energias, já ajuda os pais a curtirem também.

Como chegar e Rota das Vinícolas em Paarl

Tour Guiado nas Vinícolas de Paarl, Franschhoek e Stellenbosch

Para quem não vai alugar carro na África do Sul, pode optar pode este passeio guiado. Este passeio passa em 3 vinícolas, 1 em cada cidade, além de passar nos centros históricos das cidades e uma pequena prisão que o Mandela ficou preso por um curto período.  O tour dura o dia todo, por volta de 8 horas e custa 66 euros por pessoa.  Detalhes neste link.

Onde ficar em Paarl

Dormir em Paarl pode ser vantajoso pois oferece preços mais em conta que Cape Town, Stellenbosch e Franshhoeck. Essas são as sugestões que temos:

De Wingerd Wijnland Lodge – esta pequena pousada é bem calma e tranquila com quartos espaçosos. Tem uma piscina pra curtir o sol e um café da manhã feito sob medida. Excelente custo benefício, com diárias à partir de 60 USD a noite para duas pessoas.

Nwanedi Wine & Country Manor – lindo casarão cercado por parreiras com vista para as montanhas Drakenstein.  Café da manhã fresco e caseiro. Um local mais reservado, excelente para relaxar, fica a 10 km do centro de Paarl. Diárias à partir de 140 USD a noite para duas pessoas.

Skinkikofi Guest House – casa transformada em pousada, boa opção para dormir no centro de Paarl e sair e explorar a região. Bom custo-benefício também, com diárias à partir de 58 USD o casal por noite.

Grande Roche Hotel – Linda casa vitoriana cercada por jardins, atmosfera super romântica. Opção mais luxuosa, com pequenos detalhes, como o piso do quarto ser aquecido. Diárias à partir de 230 USD a noite por casal.

Se Lança…

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
10 melhores vinícolas de Stellenbosch
5 melhores vinícolas de Franschhoek
Constantia, vinícolas pertinho de Cape Town
10 vinhos tintos bons e baratos para tomar na África do Sul

Tudo sobre as Vinícolas no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Onde fazer Safari perto de Cape Town

A primeira coisa importante pra saber é que não existem Parque Nacionais perto de Cape Town. Para fazer safari perto de Cape Town, as opções que existem são de visitar reservas privadas.

O que é uma reserva privada de animais?

As reservas privadas – que se situam fora de parques nacionais – variam muito em tamanho e quantidade de animais. A maioria delas tem um trabalho de preservação, então grande parte do dinheiro arrecado vai para a manutenção do parque e das espécies que ali habitam.

Algumas são super grandes, como o Madikwe na fronteira com Botswana que tem mais de 10.000 animais – outras tem apenas algumas centenas de animais que muitas vezes são separados uns dos outros e são alimentados, não caçam.

Como as reservas privadas são menores que os parques, podem deixar a desejar em termos de safari, já que ali geralmente não é o habitat natural dos animais. Por outro lado, se você não tem muito tempo na África do Sul e quer encontrar com estes animais, pode optar por visitar uma reserva – pois nas reservas privadas você não precisa rodar durante dias e centenas de kilômetros para avistar os Big 5.

NOTA – existem reservas privadas dentro e ao redor do Kruger, e essas são consideradas como parte integrante do National Kruger Park, ou seja, é a mesma experiência de safari, apenas mais luxuosa 😉

Onde ver os Big Five perto de Cape Town

Os safaris mais pertos de Cape Town são o Aquila e Inverdoorn. Ambas reservas privadas tem uma área de 100 km2 e trabalham com preservação de animais. Os animais destas reservas foram aos poucos reintroduzidos na região, e hoje é possível encontrar os Big 5 por lá.

O Aquila fica a 180 km de Cape Town, enquanto o Inverdoorn está a 200 km. São mais ou menos 2 a 2.5 horas de viagem.

Como fazer safari perto de Cape Town?

Se você tiver com carro alugado (nós usamos a RentCars para alugar carro  na África) – você pode reservar o safari direto no site das reservas privadas e dirigir até lá. Ambos tem opção de hospedagem, veja preços de hospedagem do Aquila neste link.

Quem está sem carro, ou prefere ir com operadoras de turismo, pode usar esses passeios:

Safari no Inverdoorn – esse passeio é um bate e volta de Cape Town, saindo cedinho da cidade. Chegando no Inverdoorn, você irá subir nos camburões 4×4 para fazer safari com o guia especializado do parque, este safari tem duração de 2 horas. Após o safari, haverá um tempo de descanso no hotel, podendo usar a piscina no verão ou lareira no inverno. Preço de 136 USD por pessoa, inclui transporte até a reserva, safari guiado e almoço.

Safari no Aquila – este passeio sai as 9:00 de Cape Town. Chegando no Aquila, você irá fazer safari de 2 a 3 horas de duração no camburão 4×4. O passeio inclui ida e volta de Cape Town, Safari guiado e almoço.  Preço é de 188 USD por pessoa. Exxistem opções mais baratas (como esse safari às 15h), mas só inclui o safari e almoço, você teria que chegar à reserva por conta própria.

Nós conhecemos o Aquila, fizemos este passeio com duas crianças: de 3 ano e 5 meses – e foi muito bacana. O Aquila é uma excelente opção para levar as crias, leia este post e veja as fotos do nosso safari no Aquila.

Vale a pena?

A minha opinião pessoal é a seguinte…

1 – Se você tiver mais tempo na África do Sul, vale mais a pena ir ao Kruger, Pilanesberg (que fica a somente 2 horas de Joanesburgo) ou Madikwe.
2 – Se você vai fazer a Garden Route, pode ir ao Addo Elephant Park.
3 – Se você vai ficar pouco tempo no país, e apenas na região de Cape Town, aí sim vale a pena ir para o Aquila ou Inverdoorn. Ou então, é uma excelente opção se safari para quem viaja com crianças na África do Sul.

Ver esses animais de perto é sempre muito especial e precioso!

Seguro de Viagem para a África

Vai fazer safari na África? Não deixe de contratar o seguro de viagem. É muito importante. Leia mais sobre o tema aqui:

Você sabe como funciona um seguro de viagem para a África? Não? Então clique aqui e se informe, é muito importante!

~ Se Lança ~

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Vale a pena alugar carro na África do Sul?
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Onde ficar em Cape Town
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo

 

Tudo sobre Safaris no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

Cape Agulhas, o encontro dos Oceanos Índico e Atlântico

Cape Agulhas é um lindo local onde os grandes oceanos se encontram, o Oceano Atlântico e o Oceano Índico. É também considerado o ponto mais ao sul de todo continente africano.

Um fato curioso é que onde a Corrente Marítima Agulhas encontra a Corrente Benguela varia sazonalmente! No entanto, a International Hydrographical Organisation demarcou Cape Agulhas como o ponto oficial.

Muita gente acha que vai chegar lá e ver duas águas diferentes se encontrando, tipo o Rio Negro e Solimões, mas não é bem assim… É imperceptível ver no mar o encontro das águas. No entanto tem uma placa super legal demarcando o ponto, e que dá uma foto bacana! Olha aí:

duas pessoas na placa de cape agulhas
Nossos tios e leitores do blog em Cape Agulhas!

Como chegar em Cape Agulhas

A melhor maneira de chegar é de carro (nós usamos a RentCars), mas pra quem não está dirigindo na África do Sul, tem outras opções. Aqui falaremos como incluir Cape Agulhas no seu roteiro, ou fazer uma viagem de 1 dia para lá.

1 – Bate e Volta de Cape Town

É possível fazer um bate e volta para Cape Agulhas de Cape Town, leva entre 2,5 a 3 horas de viagem, ou seja, uma pernada! (O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas). Veja o mapa abaixo, pela estrada N2 e R316 são 223 kms. Se optar pos fazer este passeio, separe um dia inteiro para fazer essa visita.

2 – Incluir no Roteiro da Garden Route

É possível também incluir este ponto no seu roteiro na Rota Jardim, mas vai desviar bastante dele, principalmente quem está vindo de Swellendam.

3 – Incluir no roteiro pelo Cabo

A Flávia incluiu Cape Agulhas em uma viagem pelo Cape passando em Hermanus e Gansbaai. Outra opção de roteiro para quem não vai fazer a Garden Route mas quer conhecer um pouco mais da região do Cabo.

4 – Com operadoras de turismo

Existem operadoras de turismo que podem te levar saindo de Cape Town. Veja estes dois tours:

Este tour (link aqui) leva 9 horas entre viagem e passeio. Custa 125 euros por pessoa e inclui a entrada no Museu do Naufrágio em Bredasdorp. É um passeio de carro que passa em lindas estradas cênicas, a Sir Lowry’s pass na ida e a Clarence Drive na volta. Além de conhecer a cidade de Caledon.

Pra quem quer um passeio bem patrão, bem top, pode ir de helicóptero (link aqui)! Custa 150 euros por pessoa e sobrevoa também a cidade de Cape Town, a Table Mountain e outros pontos turísticos.

mapa_cape_town_para_cape_agulhas

O que visitar e ver em Cape Agulhas

Chegando lá, é claro que não tem como não amar, a paisagem é linda!

Neste post veremos fotos de dois passeios, dos nosso tios (acima) e da Flá. Um dia nublado e outro dia de sol. Cape Agulhas é lindo de qualquer jeito.

Lá tem um farol antigo que vale a pena conhecer. São 71 degraus de uma escadinha que não é prá todo mundo… A vista 360º de lá de cima é bem bacana também! Custa 28 rands para subir.

farol_cape_agulhas

Do farol até o ponto de encontro dos oceanos é uma caminhada de 1000m, mas é tranquilo pois tem um tablado de madeira e a caminhada é confortável. Prá quem não quer ou não pode caminhar, dá prá ir de carro por uma estradinha de terra que chega até lá. Tem um estacionamento junto ao farol que costuma ficar bem vazio.

caminho_do_farol_ate_placa_cape_agulhas

Continue andando e você vai se deparar com esta carcaça do navio Meisho Maru. É um naivo japonês, que estava carregado de atum, e se acidentou na costa em 1982. Olhem esta foto antiga, tirada em 1987 e compare com o estado atual do navio. É incrível ver a atuação da força do mar.

É possível chegar a pé, dá 1 a 1.5 kms de caminhada da placa dos oceanos, ou então dirigir pela estrada de terra que costeia o mar. A estrada é bem conservada, tranquila de usar. O sentido é em direção à Suiderstrand.

Viagem de volta a Cape Town

Pra quem tiver disposição e tempo, na viagem de volta é possível passar pela Clarence Drive. Esta é uma das estradas mais bonitas da África do Sul. São 22 kms entre Rooi-Els e Gordon’s Bay. Você dirige costeando o mar e com as montanhas te acompanhando. Olha essa linda foto do Blog do Craig Lotter, parece propaganda de moto né!?


Este é o mapa da rota, que te acrescentará 1 hora de viagem do que se fosse pela N2. Outra pernada, é pra quem curte estrada mesmo…

mapa_cape_town_para_cape_agulhas_passando_clarens_drive

De qualquer maneira, essa região do Cabo e o Parque Cape Agulhas são lugares bem bonitos. Pra quem vai ficar bastante dias em Cape Town, pode considerar fazer esse passeio bate-e-volta, ou então um roteiro de alguns dias dormindo em Hermanus, mergulhando com tubarões em Gansbaai, indo a Cape Agulhas e até De Hoop se for época de ver baleias.

Se Lança…

[Mikado id=’30’]

Outras posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Roteiro da Garden Route, dirigindo desde Joanesburgo
Vale a pena alugar carro na África do Sul?
Safari no Kruger Park, África do Sul
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Onde ficar em Cape Town

Escolher onde ficar em Cape Town pode parece um pouco complicado no início, parece ter muitos bairros e infinitas opções de hotéis, mas na verdade é bem fácil entender!

A cidade é pequena e se você estiver de carro, se locomover será muito fácil. Em 15 minutos você vai de um lado para outro.

Por isso sempre recomendo alugar carro na África do Sul, isso te dá mais liberdade de escolher um bairro que seja mais sua cara.

Pra quem vai andar de transporte público ou taxi, também existem opções.

Eu já fui 4x pra essa cidade linda, e todas essas indicações de hotéis são recomendações de lugares onde eu fiquei hospedada, ou nossos amigos que também moravam na África se hospedaram.

Vamos lá:

Quais os melhores bairros para dormir em Cape Town

Vou resumir apontando as vantagens e desvantagens de cada bairro, assim você pode bater o olho e escolher o que tem mais a ver com seu perfil.

BairroVANTAGEMDESVANTAGEM
WATERFRONTLocalizaçãoPreços mais altos
GARDENSTranquilo e bem localizadoPouco comércio perto
CENTROPreços mais baixosPouco movimento à noite
GREEN POINTBairro tranquilo e residencialPouco comércio perto
SEA POINTProximidade de comérciosMais afastado
CAMPS BAYNa praia!Preços mais altos, mais afastado

Sugestões de hotéis por bairro em Cape Town

HOTÉIS NO WATERFRONT

Southern Sun Waterfront – hotel enorme, padrão internacional. Limpo, elegante e funcional. Tem estacionamento e é bem localizado. Café da manhã maravilhoso, mas fuja do restaurante do hotel, os pratos estavam ressecados. Possui estacionamento no subsolo que pode ser pago a parte. Diárias a partir de 2800 Rands. Endereço: 1 Lower Buitengracht

The Capital – apartamentos elegantes com quase tudo dentro, cozinha,  máquina de lavar roupa, ar condicionado, secador de cabelos e até máquina de café expresso. Tem piscina, academia e até salão de cabelereiro no local.Estacionamento incluso. Localizado próximo ao Waterfront. Studio de 40m2 à partir de 3000 Rands a diária. Endereço: 40 Chiappini St

HOTÉIS NO CENTRO

Harbouredge – apartamentos modernos de 2 a 3 quartos ou studios com quarto e cozinha. Tem internet e estacionamento inclusos na diária. Bem localizado, fica entre o Waterfront e o Centro. Studio de 45m2 à partir de 1350 rands a diária. Endereço: 10 Hospital St

Townhouse Hotel – hotel mais voltado para negócios, é no centro da cidade e tem estacionamento. Bom custo benefício, mas pouco intimista. Ficar no centro da cidade é menos legal, mas pode-se encontrar bons preços. Peça quarto para não fumantes! Diárias a partir de 2000 rands. Endereço: 60 Corporation St

HOTÉIS EM GARDEN

The Backpack – Bem localizado, limpo e ótimo custo benefício. É possível reservar quartos individuais ou ficar em dormitórios compartilhados. Tem café da manhã incluso na diária, assim como estacionamento e internet. Dormitório compartilhado a partir de 300 rands a diária e quartos privativos para duas pessoas a partir de 1500 rands a diária. Endereço: 74 New Church St

The Parkhouse – essa pousada tem o melhor custo benefício, localizado no bairro Gardens, que fica entre o centro e a Table Mountain. Quartos são bem arrumadinhos e minimalistas. O estacionamento mais próximo fica a 220 metros da pousada. Diárias a partir de 1500 rands. Endereço: 3 Kohling Street

HOTÉIS EM GREEN POINT

Bayflowers Guest House – este hotel tem um excelente custo benefício! É super charmoso e delicado, fica em uma rua tranquila e sem saída.  Tem piscina e jardim. Diárias à partir de 900 rands. Endereço: 5 Scholtz Road

Blackheath Lodge – pequeno hotel butique, aconchegante e íntimo. Você com certeza será bem tratado e de maneira personalizada, o staff poderá lhe dar ótimas dicas do que fazer na cidade, são muito prestativos. Lado negativo é que o preço é meio salgado, diárias por volta de 3000 rands e o estacionamento é na rua. Endereço: 6 Blackheath Rd

HOTÉIS EM SEA POINT

New Kings Hotel – este hotel fica em um raio de 4 km de mais ou  menos tudo, 4 km da Table Mountain, do Waterfront, de Camps Bay. Boa opção pra quem está de carro. Tem vista para a Lions Head e para o mar. Os quartos são bem espaçosos e o restaurante do hotel também muito bom. Diárias à partir de 1200 Rands. Endereço: 94 Regent Road

Sunshine Letting Self Catering Apartments– este local é um apartamento em Sea Point. Super bem decorado e com uma vista linda. Ótimo pra quem quer economizar com alimentação, pois pode cozinhar em casa. Para os calorentos, saiba que tem ventiladores, mas não ar condicionado. Excelente custo x benefício.

HOTÉIS EM CAMPS BAY

The Bay Hotel – este hotel é enorme! A grande vantagem é que é pe na areia. Pra quem quer curtir praia é a opção ideal. Tem uma dessas piscinas na frente do hotel que você pode ficar lá tomando sol e um drink (já que na praia é proibido tomar bebida alcóolica) e curtindo a vista do mar. Diárias à partir de 2300 rands. Endereço: 69 Victoria Road

POD Camps Bay – este hotel butique é super moderno com uma decoração clean e minimalista. Fica a dois minutos de caminhada da praia.  Diárias à partir de 3500 rands. Endereço: 3 Argyle Road

Espero ter ajudado, qualquer dúvida escreve aqui nos comentários que a gente responde!

Veja neste link outras opções de hotéis em Cape Town.

Olha esse mapa fofo feito pela Anna Simmons:

Se Lança…

 

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Vale a pena alugar carro na África do Sul?
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Onde fazer safari na África do Sul
 

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Roteiro da Garden Route, dirigindo de Joanesburgo a Cape Town

Este relato é da minha grande amiga Thaís, que morou 4 anos em Joanesburgo e desbravou bastante a África do Sul.

Essa foi a primeira viagem dela fazendo a Garden Route (Rota Jardim), depois ela voltou algumas vezes, mas esse roteiro foi a sua estréia. Saiu de carro dirigindo de Joanesburgo a Cape Town. Pernada né?!

Vamos lá!

Saindo de Joanesburgo

Nossa primeira parada foi em Graaff-Reinet, é a quarta cidade mais antiga da África do Sul, bem bonitinha, uma boa opção de pernoite pra quem vai de carro de Joanesburgo sentido sul. Lá dormimos no Cottage Cypress, uma guest house bem típica, meio rústica. uma das muitas opcoes nesse estilo na cidade. Uma vez em Graff-Reinet vale a pena uma visitinha rapida no Cambedoo Park para conhecer o Valley of Desolation!

Graaff Reinet

No dia seguinte, passamos por Port Elizabeth, é uma cidade grande, portuária, almoçamos em um pub de frente a praia e subimos de carro até o mirante. Acho que não vale a pena dormir lá, cidade sem muitos atrativos para turistas.

E logo em seguida, fomos para Jefferey’s Bay, que decepcionou um pouco. Deve ser legal somente quando tem ondas no mar e no caso o mar estava totalmente flat, então a cidade estava bem parada e na verdade não tem muito o que fazer e ver por lá. A não ser que voce vá no verão e queira curtir uma praia simplesmente, o que não é nada mal, diga-se de passagem.

A Garden Route começa aqui na verdade:

Storm River

Storm River

Uma região cheia de canyons, linda, pena que estava garoando e nublado. Entramos no Tsitsikama Park, vale muito a pena, é lindo, caminhe ate a ponte pênsil, é bem legal. Lá da pra fazer várias caminhadas e até passar a noite em cabanas, mas só fizemos um picnic após a caminhada até a ponte e fomos embora. É um lugar onde quero voltar. Depois fomos a:

Plettenberg Bay

Ficamos no Christiana Lodge. Essa guest house é sensacional, quartos modernos, novos, café da manha excelente, é mais caro que a média, mas vale a pena. A única desvantagem é que precisa pegar o carro pra ir pro centrinho. Essa cidadezinha é uma graça, mistura de praia e campo, bem gostosa, ficaria mais por lá com certeza, mas partimos para:

Knysna

Onde passamos o dia, cidade muito bonita também, uma paisagem linda do mirante, comemos na Ile du Pain, super recomendo! Pode tomar café ou almoçar, delícia. (Veja mais opções do que fazer em Knysna neste post).

Wilderness

Ficamos na guest house Shining Waters bem de frente pro mar. Essa cidade é menor ainda que as duas anteriores, então é um sossego só, dizem que é ideal pra ver as baleias. Da pra andar na praia e tem um parque gigantesco, porém não fomos, mas deve ser legal. E aí chegamos em:

Cape Town

O blog já está cheio de dicas, mas eu também tenho minhas cartas na manga! Lá indico os restaurantes Harbour em Waterfront e Blues em Camps Bay, foram muito bons. O primeiro é pro jantar e precisa reservar, o segundo é melhor de dia, fica de frente ao mar. Interessante também foi descer a Table Mountain a pé. Apesar de ter ficado uns 3 dias com dores nas pernas, demoramos 2hs pra fazer. Quem tiver medo de altura, desencana.

Também recomendo assistir um jogo de rugbi, olha no site do Stormers a programação, uma experiência bem sul-africana, ainda mais se voce participar de um braii (churrasco) que costumam fazer na porta do estádio antes do jogo. De noite fomos num bar bem legal chamado Asoka, aperitivos bem gostosos e vai até tarde (raridade)! Ponto fraco, cigarros por toda parte a partir das 23hs. Nessa rua do Asoka (Kloof Street) tem outras opções de bares e restaurantes e são bem menos turísticos, vale a pena explorar. Nessa viagem nos hospedamos no Westin em Cape Town.

Dirigindo de Cape Town para Joanesburgo

Depois de alguns dias em Cape Town, voltamos dirigindo para Joanesburgo, parando apenas uma vez na cidade de Kimberley. Essa rota não tem muito o que fazer, é um deserto só a estrada, mas as paisagens não deixam de ser lindas. Em Kimberley dormimos no Formula 1 e fomos conhecer o Buraco Azul (Big Hole), que dizem ser o maior buraco escavado pelo homem. Não gostei da cidade, achei bem feia e suja, mas a parada era estratégica para quebrar a viagem.

Voltando para casa

A viagem toda foi longa, mas valeu super a pena, pois foi uma maneira de realmente conhecer a África do Sul.

Alugue seu carro na RentCars para fazer esta viagem!

~ Se Lança ~

Leia mais sobre a África do Sul nestes posts:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Mossel Bay
Swellendam e De Hoop
Knysna, equilíbrio perfeito entre Mar e Montanha
Saltar de Bungee Jump na África do Sul
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

 

Viajar para a África do Sul – Post Índice

Viajar para a África do Sul vale muito a pena! Pode parecer difícil, mas não é. Morei na África mais de 3 anos e sou apaixonada por este lindo país.

Aqui no blog tem MUITA dica de turismo e do que fazer na África do Sul, como chegar, como se virar, onde dormir, onde comer e muitas dicas de passeios e atrações turísiticas.

Este post é um índice de tudo que tem por aqui pra te ajudar a navegar e curtir ao máximo sua viagem para a África do Sul.

DICAS GERAIS NA ÁFRICA DO SUL

Como se virar na África do Sul
Vale a pena alugar carro na África do Sul?
Roteiro de 2 semanas na África do Sul
É seguro viajar para a África do Sul?
Seguro de Viagem Internacional – vale a pena?

CAPE TOWN / CIDADO DO CABO

O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Mergulhando com tubarões brancos na África do Sul
Onde ficar em Cape Town
Onde fazer Safari perto de Cape Town
Onde comprar diamantes em Cape Town

VINÍCOLAS

Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
10 melhores vinícolas de Stellenbosch
5 melhores vinícolas de Franschhoek
Constantia, vinícolas pertinho de Cape Town
3 melhores vinícolas em Paarl
3 vinícolas para ir com crianças na África do Sul
Vinícola Spier: Onde ficar em Stellenbosch

VINHOS SUL-AFRICANOS

10 vinhos tintos bons e baratos para tomar na África do Sul
10 vinhos brancos bons e baratos para tomar na África do Sul
7 Melhores Vinhos Sul-Africanos

JOANESBURGO, PRETORIA

Turistando em Joanesburgo
Onde comer em Joanesburgo – 8 sugestões de restaurantes
Onde ficar em Joanesburgo
Pretoria
Sun City Hotel, o que fazer
Museu do Apartheid em Joanesburgo

SAFARIS

Safari no Kruger Park, África do Sul
Onde ficar no Kruger
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
Madikwe
Onde fazer Safari perto de Cape Town
Onde fazer safari na África do Sul
Safari com criança na África do Sul: Aquila Private Reserve

GARDEN ROUTE / ROTA JARDIM

Roteiro de 5 dias na Garden Route
Mossel Bay
Swellendam e De Hoop
Knysna, equilíbrio perfeito entre Mar e Montanha
Saltar de Bungee Jump na África do Sul
Roteiro da Garden Route, dirigindo desde Joanesburgo.
Cape Agulhas, o encontro dos Oceanos Índico e Atlântico
O que fazer em Plettenberg Bay na Garden Route
George, a maior cidade da Garden Route

OUTROS CAMINHOS NÃO TÃO TRILHADOS

Panorama Route
Onde dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas
Ballito, praia tranquila próxima a Durban
Drakensberg

RESTAURANTES

Os 10 melhores restaurantes da África do Sul 2016
Os 10 melhores restaurantes da África do Sul 2017

ESTUDAR INGLÊS NA ÁFRICA DO SUL

Vale a pena estudar inglês na África do Sul?
Dicas práticas de intercâmbio na África do Sul

Ou melhor ainda, baixe nosso guia com todas as informações mastigadinhas pra você planejar sua viagem. Você pode ler o guia offline no celular, tablet, ou até imprimir e fazer suas própias anotações.

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

 

Vale a pena alugar carro na África do Sul?

Transporte público não é o ponto forte da África do Sul. A minha primeira sugestão para quem pode é: alugue um carro. Vale a pena sim pela liberdade e segurança que te traz.

Como dirigir na mão inlgesa?

Uma pequena dificuldade para dirigir na África do Sul é a direção em mão inglesa, ou seja, o motorista senta do lado direito do carro e passa a marcha com a mão esquerda. Se você não tem experiência na mão inglesa, sugiro alugar um carro automático, assim você pode se concentrar no trânsito e não na mecânica do carro.

Muita gente pensa que vai ser difícil operar o carro, mas o mais difícil é dirigir no sentido correto. É preciso prestar  muita atenção para não entrar na contra-mão, diriga com muito cuidado. Eu cometi esse erro apenas uma vez, e foi depois que já estava morando a 2 meses em Joanesburgo – foi porque me senti confiante e baixei a guarda, então pense sempre que você tem que fazer às curvas à esquerda fechada e à direita aberta.

Mas você logo se acostumará.

Carteira de Motorista Internacional

A permissão internacional para dirigir (PID) é aceita na África do Sul. Para fazer este documento, entre em contato com o Detran da sua cidade (veja detalhes no nosso post). Quando estiver dirigindo, tem que portar sempre a carteira de habilitação do Brasil, a PID e o passaporte juntos.

Onde alugar carro na África do Sul?

Nós aqui do Se Lança nos afiliamos à RentCars. Em nossa última viagem testamos o serviço deles e aprovamos. Nos tornamos parceiros e agora recomendamos os serviços.

Como funciona?

A Rentcars busca o melhor preço nas principais locadoras de carro (Localiza, Movida, Alamo, Hertz, Budget, Dollar, Avis, etc) e apresenta as ofertas com uma comparação entre elas, mostrando o melhor custo x benefício.

Você clica no nosso banner abaixo e você será redirecionado à página principal da RentCars. Lá você insere as informações da sua viagem e recebe as cotações.

Vantagens

  • Cobrança em reais e isenção de IOF (economia de mais de 6%)
  • Possibilidade de parcelar, os sites gringos não permitem parcelamento
  • O pagamento pode ser por boleto ou transferência bancária – tem 5% de desconto – mas lembre-se, se usar seu cartão de crédito, isso ajuda a acumular pontos que podem ser revertidos em milhas
  • Qualquer perrengue, é só ligar para a RentCars, eles tem um callcenter em portugûes

Para quem vai fazer a Garden Route (Rota Jardim) é possível alugar o carro em Cape Town e devolver em Port Elizabeth (ou vice-versa)

Precisa alugar carro 4×4 na África do Sul?

Não, a infraestrutura de estradas na África do Sul é, excelente. Viajar de carro é muito tranquilo, apenas evite as estradas à noite por causa da baixa iluminação e, em alguns casos, falta de acostamento.

Outras opções de transporte na África do Sul

Muita gente me pergunta se é possível viajar na África do Sul sem carro. A resposta é que SIM, é possível, PORÉM, vai ser um pouco mais complicado.

O transporte público na África do Sul é quase inexistente. Em Joanesburgo tem o Gautrain que te leva do aeroporto até alguns pontos da cidade, este trem é excelente, seguro e rápido. Em Cape Town tem o My Citi, um sistema de transporte de micro-ônibus relativamente novo na cidade. A primeira linha foi implementada em 2011 e tem expandido desde então.

Taxi em Joanesburgo é muito caro, em Cape Town, como a cidade é menor, às vezes sai mais em conta.

Uber também está presente nestas duas cidades, sendo outra opção.

Eu sempre sugiro evitar andar nos taxis coletivos (vans).

Para viajar entre cidades, as companias de ônibus são a Greyhound e a Intercape. Existe também um ônibus turístico chamado BazBus.

Se Lança!

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Como se virar na África do Sul
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Roteiro da Garden Route, dirigindo desde Joanesburgo
Como é dirigir na África do Sul – post no Blog To Pensando em Viajar

Os 10 melhores restaurantes da África do Sul 2016

Todo ano são eleitos os melhores restaurantes da África do Sul.  Esse psot foi atualizado – Veja a lista dos melhores restaurantes da África do Sul em 2017 aqui.

O concurso chama Eat Out Awards e é anunciado no fim do ano, em Novembro. Este concurso começou em 1998 e é ums dos mais tradicionais do país.

Para frequentar um destes locais, é prudente reservar com bastante antecedência. Se você não conseguiu ou esqueceu de ligar antes, planeje jantar cedo – chegue por volta das 18:00 que você terá mais chances de encontrar uma mesa disponível.

Segue a lista do vencedores em Novembro de 2016:

Top 10 restaurantes da África do Sul

1. The Test Kitchen (Woodstock, Cape Town)

O propietário deste restaurante é um chef muito experiente, estudou na Europa e trabalhou na Ásia antes de se mudar para Cape Town. Lá ele comandou o La Colombe, de onde saiu para abrir seu próprio lugar. O Test Kitchen agora passou o La Colombe no ranking e é conhecido pelos pratos criativos e surpreendentes. Os menus são estilo degustação, preços vão de 1600 a 2650 Rands. Endereço: 375 Albert Road, Fone: +27 (0)21 447 2337

2. La Colombe (Constantia, Cape Town)

Está sempre listado como um dos 10 melhores do país e frequentemente na lista dos 100 melhores do mundo pela Michelin. Não adianta ligar com alguns dias de antecedência, tem que ligar com semanas, talvez até uns 2 meses antes para reservar uma mesa. Infelizmente crianças abaixo de 12 anos não são bem-vindas durante o jantar, somente almoço. Fica na Vinícola Silvermist. Preço do menu reduzido sem vinho é de 690 rands por pessoa, o menu “full” com degustação de vinhos fica em 1780 rands por pessoa. Endereço GPS: -34.0133427, 18.4028419, Fone: +27 (0) 21 795 0125 / +27 (0) 21 794 2390

3. The Restaurant at Waterkloof (Somerset West)

Este restaurante moderno e contemporâneo fica dentro da vinícola Waterkloof. Você pode optar pelo menu degustação que custa 1100 rands sem acompanhamento de vinhos e 1350 rands com. Este menu só é possível pedir ate às 13:30 no almoço e até às 20:30 no jantar. Após estes horários, é servido apenas o menu a la carte, este custa 420 por dois pratos e 530 rands por três. O menu à la carte está disponível em todos os horários. O restaurante também requer um depósito de 300 rands para efetuar reservas, se você cancelar com até 48 horas de antecedência, é totalmente reembolsável. Já viu que os caras são bem metódicos né?! Endereço: Sir Lowry’s Pass Road 7129, Fone: +27 (0)21 858 1491

4. The Tasting Room at Le Quartier Français (Franschhoek)

Situado dentro do hotel Le Quartier Français. A chef daqui é uma mulher, que adiciona um toque feminino aos pratos inspirados em África. O menu é “surpresa” – ou seja, não é fixo, depende do que a chef escolhe servir. A experiência toda leva por volta de 3 horas e meia, servem somente jantar e costumam fechar durante o inverno (junho ou julho). O preço do menu com 8 pratos é 850 rands por pessoa, se quiser adicionar degustação de vinho com os pratos, fica em 1.335 rands. Endereço GPS: 33°54’22.4″ S / 19°05’59.8″, Fone: +27 (0)21 876 2151

5. Restaurant Mosaic at The Orient (Elandsfontein, Pretoria)

A chef Chantel Dartnall, que comanda o restaurante e já foi foi eleita a melhor chef da África do Sul. Ela apendeu com chefes de restaurantes com 3 estrelas da Michelin na França e Inglaterra. Ela é meticulosa na criação dos pratos e se preocupa que eles estejam sempre bonitos como gostosos. O restaurante é aconchegante com sua decoração belle epoque. O menu custa 1250 rands por pessoa, preço do menu de vinhos é à parte. Fica dentro do hotel The Orient. Abre de quarta a domingo para almoço e apenas quarta, sexta e sábado para jantar. Endereço: 25 ° 45 ‘ 40.0 ”S / 27 ° 59 ‘ 56.6 ”E , Fone: +27 (0)12 371 2902

6. Overture (Stellenbosch)

Este restaurante fica dentro da vinícola Hidden Valley, que é uma propriedade pequena com vinhos fabricados quase de maneira artesanal. O restaurante que abriu de maneira humilde em 2007, logo foi conquistando seu espaço na África do Sul. Os pratos são espetaculares e a vista do local também! Preços amigáveis, o menu com entrada + prato principal + sobremesa custa 425 rands. Endereço GPS: S34 01 14.2 – E18 51 12.9, Fone: +27 (0)21 880 2646

7. Greenhouse at The Cellars-Hohenort (Constantia, Cape Town)

Elegante e sereno, é atualmente o restaurante número 1 no Trip Advisor em Constantia. É chique (fine dinig) e moderno. Possui menu degustação com harmonização de vinhos. Aberto apenas para jantar. O menu com 5 pratos custa 750 rands por pessoa sem degustação de vinhos, e 1050 rands com vinhos. Endereço: dentro do Hotel The Cellars-Hohenort na 93 Brommersvlei Rd., Fone: +27 (0) 21 795 6226

8. The Kitchen at Maison (Franschhoek)

O tasting é formado por vários pratos de Tapas que podem ser compartilhados. Você escolhe o menu de 1 a 5 pratos, que vai de 150 a 595 rands (preço total por pessoa por número de pratos) – mas saiba que são pequenos, vai precisar de uns 3 pelo menos. Endereço GPS: -33.886172, 19.077948, Fone: +27 (0)21 876 2116

9. Foliage (Franschhoek)

Ambiente agradabilíssimo possui a cozinha aberta, excelente serviço e apresentação. O menu é muito criativo, misturando diversos sabores que à primeira vista você não entende. Vale conhecer. Os pratos principais vão de 130 (vegetariano) a 225 (frutos do mar) rands. Endereço: 11 Hugenot Road, Fone: +27 (0)21 876 2328

10. Camphors at Vergelegen (Somerset West)

Logo no seu primeiro ano de funcionamento (2013) este restaurante já entrou na lista dos melhores da África do Sul. Os pratos são internacionais e pensados para complementar os vinhos. A vista é divina, de frente para um lindo campo com árvores para complementar a experiência toda. Menus vão de 395 a 900 rands. Infelizmente não aceita crianças. Aberto de quarta a domingo para almoço e apenas sexta e sábado para jantar. Endereço GPS: S34º 04’ 47.0″ / E18º 53’ 12.3″ Fone: +27 (0)21 847 2131

Se Lança…

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Onde comer em Joanesburgo – 8 sugestões de restaurantes
Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Turistando em Joanesburgo
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Safari no Kruger Park, África do Sul

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

O que fazer em Cape Town, além do roteiro tradicional

Tem MUITO o que fazer em Cape Town. Essa cidade é tão boa, mas tão boa, que merece mais um post do que fazer por lá – além do básico. Já tive o privilégio de ir quatro vezes pra cidade, e cada viagem é uma nova descoberta. Pra quem não viu, o primeiro post é este: Guia da cidade do cabo, e tem este post sobre as praias da região: Praias de Cape Town.

Cape Town – Fugindo do roteiro tradicional

Claro que primeiro é preciso bater carteirinha nos pontos básicos: Cabo da Boa Esperança, Boulders Beach, Table Mountain, Waterfront, etc… Isso é indiscutível. Mas depois de cumprida a “árdua tarefa”, tem outras coisas a fazer também:

Signal Hill e Lions Head – Essas duas montanhas fazem parte do complexo do Parque Nacional da Table Mountain. Também fornecem lindas vistas da região. Signall Hill é possível chegar de carro e dá vista para a cidade e o porto. Lions Head tem que fazer uma caminhada para chegar. Leva de 1 a 2 horas dependendo de sua forma física.

A trilha de hiking é bastante íngrime, então pode ser assustador para que tem medo de altura. Tem duas opções de trilha, a mais curta requere uma pequena escalada amparado por correntes e um corremão. É possível fazer a trilha um pouco mais longa que não tem escalada. Lions Head tem uma vista de 360 graus, vê-se a cidade, mar e a própria Table Mountain. Ambos os passeios são grátis. Ultimamente é moda subir nas montanhas em lua cheia, porém não é recomendável. Atenção! A segurança nestes lugares ainda é pouca e tem havido casos de furtos.

panoramica_CPT_waterfront

Kirstenbosch Botanical Garden – lindo e enorme jardim botânico da cidade, no verão costuma ter concertos ao vivo no gramado pelo fim da tarde, confira a programação no site. O passeio inclui bater perna, cheirar flores e folhas, deitar na grama e fazer piquenique ou sentar no café que tem lá. Entrada custa 60 rands. Possível comprar com antecedência neste link.

kirstenbosh_gardens

Gun Fun – stand de tiro indoors onde a adrenalina vai a mil. Fica no subsolo da loja City Guns. Aqui é possível atirar com várias e diversas armas, não é preciso ter experiência nenhuma, tem uma pequena indução antes de começar. Tem muitos pacotes a escolher, dependendo de quais armas você quer usar. Uma sugestão é o pacote para salvar os rinocerontes, é o pacote mais vendido deles, custa 1250 Rands por pessoa. Você atira com uma AK47 e Golck Pistol – se errar o alvo, tem que fazer uma doação à ONG que protege os bichos. É claro que precisa fazer reserva! Endereço: 57 Hout Street, Fone:+27 (0)21 423 0465.

clube_de_tiro_cidade_cabo

Tours gratis pelo Centro Histórico, Bo-Kaap e District Six – Existem três tours guiados que se pode fazer a pé na cidade. Os passeios são gratis, então seja generoso com seu guia e dê uma bela gorjeta.

Saídas do Green Market, procure pelos guarda-chuvas verdes:

Historic Tour – 11am e 4:20pm
Bo-Kaap Tour – 2pm e 4.20pm
District Six Tour – 11am e 2pm

Zeitz MOCAA – museu de arte moderna africana, feita por artistas africanos. O prédio é outra atraçãp à parte, super lindo e moderno. Ingresso custa 180 rands por pessoa. Na primeira sexta-feira do mês, quem entrar das 16 até as 21h paga meia entrada.

World of Birds – para os apaixonados por pássaros, este é um paraíso, o maior parque de pássaros da África. Tem mais de 3000 pássaros de 400 espécies diferentes. Adultos pagam 120 pra entrar e crianças 45 rands.

Tandem Paragliding – saltar da Lions Head ou Signal Hill junto com o instrutor de paragliding. O passeio dura por volta de 5 a 30 minutos – é isso mesmo! Não tem como prever quanto tempo irá levar, depende das condições climáticas. Custa 1300 rands por pessoa, recomendável reservar com antecedência. Tem preços adicionais para foto e vídeo.

Aluguel de Harley Davidson – é possível alugar uma moto Harley Davidson pra andar pelas estradas mais lindas do país. Precisa ter carta de moto. Tem que mandar os documentos com antecedência e pedir uma cotação à empresa. Outra empresa é a Cape Bike Travel. (Leia: Como tirar sua permissão internacional para dirigir).

Praias – estique-se ao sol e pegue uma praia no Cabo, veja Praias de Cape Town nest post todas as dicas e opções.

Onde mais comer em Cape Town

Cape Town tem os melhores restaurantes da África do Sul, alguns inclusive estão na lista Michelin List e World’s Best Restaurants. Eu nunca tive a oportunidade de conhecer esses lugares pois a lista de espera é enorme, se quiser, se programe e faça a reserva com muita antecedência.

Mas não são os únicos restaurantes a brilharem, tem muito lugar bom por lá, dessa vez conheci lugares maravilhosos, indico todos. Esses também precisam de reserva, sul-africano é assim organizado, mas uma dica pra quem não tem reserva, é jantar bem cedo. Chegue entre 18:00/18:30 que você provavelmente conseguirá uma mesa.

Lista de restaurantes legais em Cape Town

FORK – Restaurante de tapas no centro da cidade. As tapas são pequenas, peça 3 tapas por pessoa pra começar e veja depois a quantas anda a fome. Tudo é muito bom, não tem erro, comida fantástica, virou um dos meus favoritos na cidade. Endereço: 84 Long Street, Fone: 21 424 6334

tapas_cape_town_restaurant_fork

Haiku – Moderno “asian fusion”. Esse restaurante também é de tapas, mas não se engane, as tapas são gigantescas! Eu pedi duas pra começar e nem consegui terminar de comer. Os pratos são todos asiáticos; tem japa, chinês, tailandês e afins. Altamente recomendado. Endereço: 58 Burg street, Fone: 21 424 7000

Den Anker – Restaurante belga situado no Waterfront. Se o tempo estiver bom, você pode sentar do lado de fora (ou na janela) e apreciar a vista direta pra Table Mountain.Tem muita opção de cervejas belgas enormes! Pratos belgas também estão no cardápio, como coelho, pato, etc. Mas tem o básico pra quem não é muito aventureiro. Fone: 21 419 0249

den_anker_waterfront_cape_town

Cafe Mozart – Cafézinho fofo pra quem estiver ficando no centro da cidade. Para o café da manhã tem o Little Mozart ou Full Mozart, que são os tradicionais ovos, bacon, tomate e etc. Tem opções mais lights também. Uma sugestão pra quem não toma café preto, é experimentar o Red Capucino, tem pelo país todo. É um capucino feito de chá de Roiboos e geralmente tomado com mel. Eu adoro. Endereço: 37 Church Street, Fone: 21 424 3774

Locomoção em Cape Town

No meu post anterior, eu recomendei alugar um carro pra andar pela cidade e fazer os roteiros dos vinhos. Eu ainda acho a melhor opção, todas as vezes que fui, aluguei carro. (Eu uso a RentCars para alugar carro na África do Sul). Porém, fiquei feliz em notar na última visita (Dez 2018) um grande aumento de micro ônibus pela cidade. Veja detalhes e rotas na página do My Citi.

Leia este post: Vale a pena alugar carro na África do Sul?

Acomodação em Cape Town

Veja neste post tudo explicado sobre quais melhores bairros em Cape Town.

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Constantia, vinícolas pertinho de Cape Town
Turistando em Joanesburgo
Safari no Kruger Park, África do Sul
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
10 vinhos tintos bons e baratos para tomar na África do Sul
Mergulhando com tubarões brancos na África do Sul

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[Mikado id=’16’]

~ Se Lança ~

Praias de Cape Town

Se lança pras praias de Cape Town

Se você está pensando em dar um mergulho nas águas do mar de Cape Town e região, pense duas vezes. É a água mais gelada da galáxia. Sério, por isso que tem pinguim lá. Agora,

se você quer se esticar ao sol, jogar frescobol, curtir a paisagem, aí sim veio ao lugar certo.

As praias em Cape Town são divididas em 3 regiões: as que estão na False Bay (vermelho), as que estão ao norte de Cape Town (amarelo), e às que estão à esquerda/sul da cidade (verde).

beaches of cape

Todas são bonitas, mas nem todas tem infraestutura pra receber turistas, por isso leia bem e se prepare antes de sair de casa. Outro ponto importante, é proibido consumir bebida alcoolica na praia, e isso é sério. Em Camps Bay vimos alguns policiais revistando coolers. Então vamos respeitar a regra e aproveitar as lindas paisagens.

Camps Bay

É a praia mais badalada de Cape Town. O bairro é super chique, só tem casarão, mas a praia é sempre um lugar democrático né. Tem um lindo areião branco e macio pra ficar e curtir. Se quiser encarar o mar, verá que a água é bem cristalina também.
Outra vantagem é o calçadão cheio de restaurantes e lojinhas. Recomendo ir no Kauai buscar um smoothie Strawberry Stinger ou Dairy Berry pra tomar na praia.
E faça uma reserva para almoçar no Blues.

Facilidades

Aluguel de guarda-sol, ambulantes vendendo picolés e bebidas, banheiro público, chuveirão de água doce, restaurantes próximos, estacionamento gratis/pago.

Camps Bay também é um excelente bairro para se hospedar em Cape Town, principalmente no verão. Veja as opções de hospedagem aqui.

panoramic_view_camps_bay

Clifton Beach

Também outro bairro afluente na cidade, tem quatro praias pequenas divididas entre si por pedras. Seus nomes são seus números, e a primeira praia vindo da cidade é a número 4, que também é a mais cheia. As praias são muito bonitas e de águas bem claras.
Essas praias também são famosas em Cape Town por ficarem um pouco mais protegidas do vento. O ambiente é bem família.

Facilidades

Aluguel de guarda-sol, ambulantes vendendo picolés e bebidas, banheiro público, chuveirão de água doce, estacionamento gratis/pago.

clifton_beach_cape_town

Milnerton, Sunset Beach, Bloubergstrand

Essas praias ficam ao norte de Cape Town. São praias grandes e extensas e delas se vê a cidade com a Table Mountain ao fundo, linda vista.
Mas, porém, contudo e todavia, o vento aqui é muito forte. Para os surfistas e kite surfistas é o paraíso, para os banhistas, nem tanto.

Facilidades

Estacionamento gratis.

Milnerton_kite_surf

Fish Hoek, Kalk Bay, Muizenberg

Cuidado com os tubarões aqui! Sempre tem um aviso de alerta na praia pra dizer se naquele dia foram vistos tubarões, de qualquer maneira, todo cuidado é pouco.

Fish Hoek é uma praia pequenina, mas muito bonita, tem aquelas casinhas coloridas como suporte aos banhistas, mas não tem muita infraestrutura. Seguindo, uns 2 ou 3 kms pra frente (em direção a Muizenberg), vai chegar no calçadão de Kalk Bay. Esse passeio é bem bacana, tem restaurantes, lojinhas alternativas e muitos antiquários. E por último a praia de Muizenberg, praia maior que também tem as casinhas coloridas, lota no verão!

kal_bay

Se lança…

[Mikado id=’11’]

 

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Como se virar na África do Sul
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Mergulhando com tubarões brancos na África do Sul
Constantia, vinícolas pertinho de Cape Town

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Mergulho com Tubarão Branco na África do Sul

A África do Sul é incrível por vários motivos, um destes motivos são os incríveis tubarões brancos que nadam em sua orla e a possibilidade de vê-los, sobre ou debaixo da água. Neste post vou contar TUDO sobre o mergulho com tubarão branco neste país.

Uma coisa importante: não é uma experiência assustadora. Sério mesmo. Os tubarões são atraídos para o barco pelos profissionais, e eles vem de maneira calma e curiosa – para ver o que está acontecendo, ou descobrir que cheiro é esse perto do barco.

Diferente do que muitos falam, eles não vem pra atacar quem está dentro da jaula. E você também pode optar por não descer na jaula, apenas vê-los da superfície – que também vale super a pena.

Expectativa x Realidade

A primeira coisa que você deve fazer é definir as expectativas de maneira realista.

A natureza é imprevisível, assim como um safari, você pode ver muitas coisas bacanas, mas também pode não acontecer nada – simplesmente não aparecer nenhum tubarãozinho naquele dia.
Isso é sério, da primeira vez que fui, estava esperando ver isso:

breach and predation
Foto do site: Apex Predators

Mas não foi bem assim, vide minhas fotos abaixo… Com um pouco de conhecimento e planejamento, você pode aumentar suas chances. Aqui você pode ver uma tabela da sazonalidade e planejar ir nos períodos corretos pra ter uma melhor experiência, MAS PORÉM CONTUDO TODAVIA, não há garantias. Eu fui final de Maio, começo de Junho – eu vou estragar o mistério – não vi nada em Seal Island, porém pude vê-los bem no mesmo período em Mossel Bay.

Onde mergulhar com tubarão branco na África do Sul

Existem três lugares na região do Cape para realizar essa aventura:
1 – Seal Island – saída de Simons Town
2 – Gansbaai
3 – Mossel Bay
Vamos falar destes três lugares, pois entre eu (Tati) e a Fla, já fomos a todos.
Para quem estiver do outro lado do País, em Durban também existe shark diving.

Pessoal na jaula e tubarão em frente Mergulho com Tubarão Branco na África do Sul
Pessoal na jaula e tubarão em frente

1. Seal Island:

É, sem dúvida, o mais famoso. Aqui foram filmadas as milhares de horas dos documentários do Discovery Channel, Animal Planet, etc. Existe uma pequena ilha a aproximadamente 6 km da praia onde vivem centenas de focas, consequentemente, vivem algumas dezenas de tubarões que se alimentam delas.

As agências que fazem as expedições para Seal Island estão todas no Pier de Simons Town. Tem apenas 3 empresas autorizadas a fazer este passeio, as três vão para o mesmo ponto, qualquer uma delas é confiável. É preciso reservar (e pagar) com muita antecedência se estiver indo em alta temporada. A empresa mais famosa é a APEX, mas você também pode ir com a Go Shark Diving ou African Shark Eco Charters.

Uma nota aqui, alta temporada de saltos de tubarões (Jun/Jul/Ago), que na verdade é a baixa temporada de férias, pois é inverno na África do Sul. 

Como as expedições saem muito cedo, tem que chegar lá antes das 7 da matina, é aconselhável dormir em Simonstown na noite anterior. Nós descemos de Cape Town e tivemos que acordar muito cedo, pois leva uns 45 minutos pra chegar. (veja aqui opções de hospedagem em Simons Town).

Seal_Island_Mergulho_com_Tubarão_Branco_na_Africa_do_Sul
Seal Island

2. Gansbaai:

Em Gansbaai, há uma maior chance de ver tubarões nas baixas estações (alta estação de férias – verão). Segundo pesquisas, há 95% de chances de vê-los mesmo na baixa temporada. Ou seja, pra quem está viajando de Dezembro a Fevereiro, a sua chance de ver tubarões é maior em Gansbaai. Eu mesma não fui, mas vou compartilhar o comentário da Fla que foi.

“Os tubarões levaram meia hora pra começar a aparecer, quando já achavam que não vinha, eis que os bichões chegaram!”

Existem várias empresas que realizam este passeio em Gansbaai, são elas:
Great White Shark Tours
Marine Dynamics
Shark Diving Unlimited
White Shark Adventures
White Shark Projects
White Shark Diving Company
African Shark Eco Charters

Nós fomos até Gansbaai pois estávamos de carro alugado (sempre uso RentCars na Africa), mas existem excursões de bate-volta de Cape Town para mergulhar com os tubarões em Gansbaai. O preço médio é de 180 USD por pessoa, inclui o transporte até a cidade (mais ou menos 2,5 horas), um pequeno café, almoço e o passeio no barco em si (com os equipamentos e roupas). Este passeio dura o dia todo, sai cedinho e volta tarde. Veja neste link os detalhes.

3. Mossel Bay:

Em Mossel Bay o mergulho é no Oceano Índico, e segundo o pessoal da empresa que realiza este passeio (ou seja, podem estar puxando a sardinha pro lado deles), as águas são mais quentes que do Oceano Atlântico, então a chance de ver tubarões é maior que Seal Island e Gaansbai.

A outra vantagem é que em Mossel Bay chove menos que as outras duas cidades, então as expedições geralmente tem mais visibilidade e pouca chance de serem canceladas por mau tempo. A desvantagem é que Mossel Bay é mais longe de Cape Town (uns 390 km), mas vale pra quem está fazendo a Garden Route.

Lindo_dia_em_Mossel_Bay_Mergulho_com_Tubarão_Branco_na_Africa_do_Sul
Lindo dia em Mossel Bay

Tem apenas uma empresa que faz este passeio na cidade, é a White Shark Africa. Posso recomendar este passeio, fiz e gostei muito! Tivemos sorte de estar um dia lindo, então tinha muita visibilidade no mar. Como fui na baixa temporada de férias, tinha pouca gente na expedição, então fiquei um tempão debaixo da água, depois um tempo em cima pra ter outra vista. Foi ótimo!

Tubarão pequeno (1.5m) visto de cima do barco_Mergulho_com_Tubarão_Branco_na_Africa_do_Sul
Tubarão pequeno (1.5m) visto de cima do barco
Tubarão maiorzinho se aproximando_Mergulho_com_Tubarão_Branco_na_Africa_do_Sul
Tubarão maiorzinho se aproximando

Assista este video do Juliano (maridão) na jaula!

Assista até o final para ver o tubarão subindo verticalmente do fundo do mar. Lindo demais.

Dicas pra não passar mal no mar

Se encarar o passeio, dica muito importante: Para não passar mal, tome um plasil a noite antes de dormir, e outro 2 horas antes de embarcar. Dica dos locais, funciona mesmo!

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Mossel Bay
Swellendam e De Hoop
Knysna, equilíbrio perfeito entre Mar e Montanha

Se Lança…

[Mikado id=’31’]

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas

Veja nesse post o que fazer na Cidade do Cabo! Várias dicas do que fazer em Cape Town e alredores, onde comer, se hospedar, se locomover e se divertir pra caramba. Você amará esta cidade, garanto.

Cape Town é sem dúvida um dos pontos altos da África do Sul (quiçá do mundo!)

Não sou capaz de dizer que é o “top” porque sou apaixonada por toda RSA (Republic of South Africa) e não consigo escolher um vencedor, mas com certeza Cape Town tá no páreo.

Introdução

Quando você chegar em Cape Town, terá sérias dúvidas se está mesmo na África. Pelo menos essa imagem pré-conceituosa que criamos de África. Depois me conta se você não se surpreendeu com a limpeza, infraestrutura e educação do povo.

Kalk Bay
Kalk Bay

Como se virar

Em Cape Town, priorize as atividades ao ar livre e aproveite bem a natureza. A noite, frequente os excelentes restaurantes da cidade, isso é, se ainda tiver pique depois de bater perna o dia todo!

Você írá se locomover muito, as atrações em geral são bem afastadas umas das outras, e se tiver tempo – pode esticar um pouco o passeio até a região das vinícolas. Pra quem tem pouco tempo, 4 dias são suficientes pra conhecer a cidade e alredores, é só se programar bem. Quem vai ficar mais no país, pode dedicar uma semana inteira pro Cabo.

Ultimamente tem crescido o número notícias de sobre violência, então fique atento, mas não tenha medo. É como qualquer país em desenvolvimento (Brasil inclusive), só não dar bobeira.

Mais dicas detalhadas de como se virar na África do Sul aqui e cuidado com a saúde aqui. Como tirar sua carteira de motorista internacional aqui.

Pinguin em Boulders Beach
Pinguin em Boulders Beach

Locomoção na Cidade do Cabo

Como qualquer outro destino na África do Sul, aqui é recomendado alugar um carro com GPS, as atrações são distantes e o carro te dá muita liberdade. Veja na RentCars quanto custa alugar carro em Cape Town, esse site traz um comparativo de várias locadoras.

Mas pra quem não quer encarar, pode usar o  MyCiTi na cidade do Cabo – um sistema de transporte de micro-ônibus relativamente novo na cidade. A primeira linha foi implementada em 2011 e tem expandido desde então. Veja no site os valores de transporte e horários, veja também se cobre a região do seu hotel. É preciso comprar o cartão antes de embarcar, é vendido em quiosques e algumas lojas. O cartão custa 30 rands. No site também é possível calcular a rota que você deseja.

Não ande de “taxis” – essas vans param no meio da rua e a qualquer momento para pegar passageiros. Mas pode andar de taxi – aquele carro que estamos acostomados – peça ajuda no hotel, pois não é Rio ou NY onde é só acenar, tem que chamar com antecedência.

O Uber também está presente na Cidade do Cabo.

Pra quem estiver dirigindo, uma precaução é que aqui dirige-se na mão inglesa, então é preciso cuidado e atenção. Também precisa-se da carteira de motorista internacional (PID), que pode ser emitida no Detran da sua cidade.

Cape point e ao fundo o Cabo da Boa esperança

 

Onde ficar em Cape Town

Estes são os locais que nós ou amigos já ficamos por lá e podemos recomendar, tem pra todos os bolsos. (Veja neste post a explicação dos melhores bairros onde ficar em Cape Town).

Blackheath Lodge – lindo hotel butique, aconchegante e íntimo. Você com certeza será bem tratado e de maneira personalizada, o staff poderá te dar ótimas dicas do que fazer na cidade, são muito prestativos. Lado negativo é que o preço é meio salgado e o estacionamento é na rua. Preferido da Tati.

Sunshine Letting Self Catering Apartments – este local é um apartamento em Sea Point. Super bem decorado e com uma vista linda. Ótimo pra quem quer economizar com alimentação, pois pode cozinhar em casa. Para os calorentos, saiba que tem ventiladores, mas não ar condicionado. Excelente custo x benefício.

Harbouredge – apartamentos modernos de 2 a 3 quartos ou studios com quarto e cozinha. Tem internet e estacionamento inclusos na diária. Bem localizado, fica entre o Waterfront e o Centro.

Townhouse Hotel – hotel mais voltado para negócios, é no centro da cidade e tem estacionamento. Bom custo benefício, mas pouco intimista. Ficar no centro da cidade é menos legal, mas pode-se encontrar bom preços.

The Backpack – Bem localizado, limpo e ótimo custo benefício. É possível reservar quartos individuais (escolha da Flá) ou ficar em dormitórios compartilhados. Não tem café da manhã incluído na diária, mas tem uma cozinha comunitária com todos utensílios necessários para que você possa fazer seu desjejum. Se não alugar um carro, reserve seus passeios no albergue.

Você pode buscar outras opções de hospedagem AQUI.

Waterfront a noite
Waterfront a noite

Onde comer

Cape Town tem ótimos restaurantes e renomados chefes, aproveite a culinária e gastronomia local! Você provavelmente vai comer bem em qualquer restaurante. Abaixo a lista de lugares que já conheci. E a dica principal, ligue pra fazer sua reserva antes de aparecer.

Duchess of Wisbeach: Restaurante “pop” frequentado por locais, ideal para jantar. Tem um ambiente muito legal e boêmio, a cozinha é aberta no meio do espaço e só servem comida fresca. Fone: 021 434 1525, Endereço: 3 Wisbeach Road.

La Mouette: comida muito boa, ambiente mais “adulto”. O donos tocam o restautante, o chef (e dono) é inglês, casado com a hostess (e dona) sul-africana. Você se sentirá muito bem acolhido. Fone: 021 4330856, Endereço: 78 Regent Road.

Savoy Cabbage: Cozinha contemporânea. Ambiente muito bonito e moderno com um pé direito bem alto. Ideal para jantar, é uma excelente opção no centro da cidade. Fone: 021 424 2626 101 Hout Street, Cape Town

Hussar Grill em Green Point: A carne mal passada do marido foi um sucesso, a minha carne que pedi bem passada, passou demais. Restaurante parece uma biblioteca com lareira, me senti tipo num filme do Harry Potter. Fone: 021 433 2081 Endereço: 107a Main Road, Green Point.

Rick’s Café Americain:  em um edifício Vitoriano de mais de 100 anos e com decoração inspirada no filme Casablanca (de onde empresa o nome), o Rick’s Café tem um menu gigantesco para agradar a todos os gostos. Curta a vista da “Table Mountain” do último andar do restaurante. E se você gosta de cordeiro, prove o “Lamb Tajine Royale”, é sensacional. Bons preços.

O que fazer em Cape Town e Ao Redores

CAPE TOWN

– Table Mountain: Este item é o primeiro da lista pois deve ser tratado como tal. É sério, sua prioridade é largar tudo o que está fazendo para subir a table mountain. Motivo: sempre está fechado. Das 4 vezes que fui à Cape Town, consegui subir 2xs, mas em uma o tempo fechou e não consegui apreciar a vista. Ou seja, de 4 visitas à Cape Town, apreciei a Table Mountain 1x. O parque fecha com chuva, vento, mal tempo, etc. Então não pense, “ah no último dia nós fazemos este passeio” – pois estatisticamente suas chances de realizá-lo diminuirão. Espero ter sido clara!

No verão, é recomendável chegar cedo e comprar o ingresso com antecedência pelo site (AQUI). Se possível, seja um dos primeiros, chegue por volta das 7 da manhã para subir no primeiro teleférico que sai às 8. Estacionar o carro também pode ser um problema, não tem estacionamento, então as pessoas param na estrada mesmo, porém são muitos carros. Se chegar tarde vai parar longe e fazer uma bela caminhada até a entrada do teleférico. Dito tudo isso, vale a pena sim, este passeio é imperdível!

– Victoria & Alfred Waterfront: É um grande complexo localizado junto à zona portuária de Cape que reúne restaurantes, cafés, hotéis, marina, lojas, museus e áreas de lazer e entretenimento. Entre as principais atrações que podem ser visitadas durante a tarde estão o Two Oceans Aquarium, o shopping Victoria Wharf e o mercado de artesanatos V&A Craft Market. Recomendo visitar o aquário somente em 2 hipóteses: 1 – se você nunca foi num aquário; 2 – se estiver chovendo. É legalzinho, mas os passeios outdoors oferecem muito mais.

Aquário no Waterfront
Aquário no Waterfront

Robben Island: A ilha-prisão onde o ex-presidente Nelson Mandela (dentre muitas outras pessoas) passou anos preso, considerada um Patrimônio Mundial pela UNESCO. Compre o bilhete no waterfront, em frente a CLock Tower. Não deixe pra comprar de última hora, se quiser ir à ilha, vá um ou dois dias antes à bilheteria pra garantir sua passagem.

Se você tiver enjôos em barcos, tome um plasil duas horas antes de embarcar, eu passei muito mal… O passeio todo dura umas 3 a 4 horas, entre deslocamento e tour na Ilha. Chegando lá você fará um passeio de 1 hora de ônibus pela ilha, depois tem mais 1 hora dentro da prisão, onde os guias são ex-prisioneiros. Já adianto que é um passeio deprê, óbvio. É educativo, se sobrar tempo ou estiver na vibe, pode ser uma opção de passeio – mas não diria que deve ser prioridade. Preço do ingresso é 320 Rands por pessoa.

Robben Island
Robben Island

– Camps Bay: É uma das praias mais badaladas da região, com diversos restaurantes, hotéis e mansões. Camps Bay é um ótimo lugar para almoçar e curtir a praia mesmo, se você encarar as águas geladas! Outra opção é a Clifton Beach, uma praia menor e ao lado de Camps Bay, mas tão bonita quanto. Veja as opções de praia na Cidade do Cabo aqui.

– Tour no ônibus vermelho – em Cape Town tem o ônibus vermelho que passa em diversos pontos turísticos da cidade. O bilhete para um dia custa mais ou menos 45 reais e para 2 dias 60 reais. Com um bilhete você pode subir e descer em vários pontos, como Table Mountain, Waterfront, Camps Bay e até um tour nas vinícolas de Constantia. Excelente opção para quem não está com carro alugado. Você pode comprar os ingressos com antecedência neste site aqui.

Feiras de Rua

As feiras de rua de Cape Town tem uma vibe super boa, tem comidas maravilhosas, você pode tomar espumante – o Cap Classique, espumante sul-africano – comer ostras frescas, visitar lojas de roupas, acessórios, comprar artesanatos. Um pouco de tudo, e muitas vezes acompanhada de música ao vivo.

Old Mill Biscuit – Todo sábado em Woodstock, das 9 às 14. Reza a lenda que este bairro super legal e alternativo foi renovado depois da existência da feira. O Lonely planet diz que essa é a atração número 1 da cidade, vale conferir.

Bay Harbour -The Market Hout Bay é uma feirinha frequentadas mais por locais, de frente pro mar. Super legal também. Horários: Sexta das 17 às 21; Sábado e Domingo das 9:30 às 16 – mas dê preferência pra ir de dia.

Veja outras opções de passeios, além deste roteiro tradicional de Cape Town aqui.

AO REDORES DO CABO

Em um dia inteiro (e puxado) dá pra visitar todas as atrações abaixo.

– Chapman’s Peak Drive: famosa estrada que liga Cape Town ao sul do Cabo, tem início na costa de Hout Bay. É uma estrada antiga e por não ser tão rápida já não é tão utilizada pelos locais. Hoje é mais turística, “scenic views”. Você paga um pequeno pedágio pra passar por ela e vai contornando as montanhas e dirigindo sob um penhasco com vista pro mar. Há vários mirantes durante o percurso onde você pode estacionar e descer pra fotos, picnic, esticar as pernas, você é quem manda – mas curta o visual. Você pode descer para o Cape Point através dela, se estiver com o GPS, ele vai te mandar pela M3, então siga as placas “Chapman’s Peak” pelo caminho e não seu GPS.

Chapman’s Peak Drive
Chapman’s Peak Drive

– Cape Point, Cape of Good Hope: O famoso Cabo da Boa Esperança. O cabo é um lugar imperdível de natureza absurdamente linda.
Quando chegar no Parque, você vai ver que tem duas opções de caminho o que dá no (1) Cape of Good Hope e o que vai para o (2)Cape Point. Dá para chegar de um no outro caminhando por umas trilhas que tem no local. Aconselho. Cansa, mas vale a pena. Esse lugar é muito incrível.

Minha dica é ir de carro primeiro até Cape Point, estacione ali, vá no banheiro, compre uma água, etc. Primeiro vá caminhando até o farol e curta a vista. A partir dali existem duas opções de trilhas.
1 – Até o farol antigo – caminhada fácil, 15 mins cada trecho.
2 – De Cape Point até Cape of Good Hope – Caminhada intermediária, 1 hora pelo menos.
Se não quiser caminhar até o Cape of Good Hope, volte para o carro e dirija até lá. Chegando lá você pode subir no cabo, caminho por onde chegaria se estivesse caminhando.

PS – cuidado para não sair do parque neste momento, preste bem atenção nas placas.

Praia entre Cape Point e Cape of Good Hope, só é possível vê-la se encarar a trilha
Praia entre Cape Point e Cape of Good Hope, só é possível vê-la se encarar a trilha

– Boulders Beach: No caminho de volta para Cape Town,  é possivel visitar a pequena praia de Boulders Beach, muito famosa por ser o local que os pinguins africanos escolheram para ser sua colônia reprodutiva. A observação dos pinguins pode ser feita na beira da praia, com acesso pago, ou por uma passarela no meio da mata (bem menos interessante), de forma gratuita. Vale a pena.

– Simon’s Town: Cidadezinha fofa e pitoresca. Daqui saem os passeios para Seal Island, lugar (quando época Julho e Agosto) os tubarões brancos saltam (“breach”) para atacar focas (“predation”). É um passeio bem caro, por volta de 1200 Rands por pessoa (R$270 aprox). As agências que fazem essas expedições estão todas no Pier da cidade.
Leia tudo sobre como mergulhar com tubarões na África do Sul aqui!

Simon's Town
Simon’s Town

– Kalk Bay: Para voltar para Cape Town, volte pela Simon’s Town Road, depois pela Main Road sentido Fish Hoek, Kalk Bay, Muizenberg Beach, pegando a Baden Powell Dr. Nessa região tem uma calçada com lojas e resturantes alternativos, boêmios e antiquários. Muito legal pra sentar no fim da tarde após o passeio em Cape Point. Você também poderá surfar se essa for sua onda. Só cuidado com o aviso de tubarão!

Muizenberg Beach
Kalk Bay

Outras atrações turísticas na região da Cidade do Cabo

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
Constantia, vinícolas pertinho de Cape Town
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
10 melhores vinícolas de Stellenbosch
5 melhores vinícolas de Franschhoek
Safari no Kruger Park, África do Sul
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
Turistando em Joanesburgo

Se Lança…

[Mikado id=’29’]

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

[products ids=”3484″]

Franschhoek e Stellenbosch, melhores vinícolas perto de Cape Town

Sem sombra de dúvida, as cidades de Franschhoek e Stellenbosch contem as melhores vinícolas perto de Cape Town.

É possível fazer um bate-e-volta de Cape Town em um dia só e conhecer várias delas – ou então, pernoitar em uma das vinícolas pra “sentir o clima” do vale. Eu já fiz as duas coisas, e cada uma se adequou perfeitamente ao meu tempo e roteiro.

Vinícolas perto de Cape Town

Ao programarmos nossa viagem pra Cape Town, meu marido e eu fizemos apenas uma única promessa: não vamos de jeito nenhum, nem sob tortura à mais uma vinícola. Isso porque já havíamos ido à vinícolas na Argentina, Chile e França e honestamente, chega.

Mas o destino é engraçado.

No terceiro dia da nossa viagem, depois de muita chuva, tempo feio e passeios fracassados – e sem perspectiva nenhuma de melhora – recorremos à Michele (staff do hotel) suplicando peloamor o que fazemos por aqui com esse tempo feio? E a resposta dela veio em forma de pergunta: “Have you been to the winelands?” (Vocês já foram aos vinhedos?).

Pensa em duas pessoas com cara de bunda. Mas apesar da nossa decepção, pensamos, okay vamos lá, não tem mais onde ir com esse tempo ruim mesmo.

Sorte a nossa, hoje é uma de nossas regiões prediletas na África do Sul, não tem pra França, Chile, nem Argentina. Se um dia tiver que escolher uma vinícola pra ir na vida, venha pra Franschhoek e Stellenbosch. (Se estiver com pouco tempo, você pode escolher Constantia que também é super legal!)

Parreira

Vinícolas na África do Sul

A região de vinícolas na África do Sul é composta por diversas cidades e áreas rurais.

As principais para visitar são Stellenbosch, Franschhoek e Paarl. São todas próximas umas das outras e é possível visitar várias vinícolas em um dia.

Essa região é considerada a maior região produtora de vinhos da África do Sul. Fica a 40 minutos do centro de Cape Town, num caminho de 50 km pela rodovia N2, a mesma que leva ao aeroporto.

Quais vínicolas visitar?

Você vai passar por várias vinícolas (sério, várias, incontáveis, inúmeras vinícolas), se gostar da cara dela entra, da uma volta, experimenta um vinho, e vá pra próxima.

Não paga para entrar, e lá dentro você decide se quer apenas conhecer o recinto, experimentar o vinho, fazer um tour guiado, ou tudo isso junto.

Vale a pena comprar vinhos dentro das vinícolas?

Não se preocupe em comprar garrafas de vinho nas vinícolas. Qualquer supermercado (ou no free shop) vai oferecer as mesmas opções pelo mesmo preço.

Não se esqueça de experimentar a uva da África do Sul: Pinotage.

Boschendal Wine Estate
Boschendal Wine Estate em Franschhoek

Precisa de carro para visitar as vinícolas perto de Cape Town?

Eu só ando de carro alugado na África do Sul, acho muito mais prático.

Aqui não seria diferente, claro que precisa de carro! É tudo longe pra caramba e no meio da estrada. O conselho aqui é pegar as coordenadas (latitude e longitude) das vinícolas, e não o endereço para achar no GPS. Veja neste post como dirigir na África do Sul.

Agora pra quem não quer alugar carro, uma opção é usar Uber, que está presente em Cape Town e região. E a novidade do momento é o Franschhoek Wine Tram.  Um serviço de hop-on-hop-off em um bonde super bonitinho. Sai do centro de Franschhoek e custa 240 rands. (Mais sobre este passeio no blog Bastante Sotaque).

Babylonstoren
Babylonstoren em Franschhoek

Onde dormir em Stellenbosch

É possível dormir em Cape Town e vir apenas passar um dia na região.

Se quiser dormir por aqui, eu conheci e recomendo o: Asara, em Stellenbosch. É uma vinícola que possui hotel e espaço para eventos (casamentos chiques). O hotel é muito lindo, o restaurante (abaixo) é maravilhoso, vale a pena. Os vinhos em si, não são os tops da África do Sul, mas são bons sim – e o hotel está bem localizado para ir à outras vinícolas durante o dia. Gostamos muito do lugar, viagem em casal.

Também já fiquei no Spier com minha família – melhor opção para quem tem crianças!  Outra opção de pousada em vinícola com bom custo benefício é a Zorgvliet Wines Country Lodge, também é bem localizada para sair e explorar Stellenbosch.

Para quem quer dormir na cidade, a Bonne Esperance Guest House é uma linda casa vitoriana transformada em pousada. Fica perto da Universidade de Stellenbosch.

Onde dormir em Franschhoek

O centrinho de Franschhoek é tão fofo que recomendo dormir ali, pra curtir a cidadezinha e restaurantes a noite. O Le Petit Paris é uma pousada perto da rua principal. Aconchegante e tranquilo, rodeada de jardins, flores e fontes de água. Bom custo benefício na região.

Veja mais opções de hospedagem em Franschhoek aqui.

Vista do Vale no Asara
Vista do Vale no Asara

Restaurantes nas vinícolas e região

Onde comer em Franschhoek

Cafe des Artes – lugar bem descontraído, aberto todos os dias para café da manhã, almoço e jantar. As refeições diurnas são muito boas, sanduíche por 65 Rands, Pato Confitado por 145. Fone: +27 (0)21 876 2952, Endereço: 7 Reservoir West Street (na cidade)

French Connection Bistro – Como o nome já diz, comida francesa 😉 Na verdade o cardápio é bem variado e contemporâneo. As porções são bem servidas e o ambiente descontraído. Aberto para almoço e jantar. Se quiser uma mesa na rua é bom reservar, se não der, sente-se lá dentro que também é gostoso.  Tel: +27 (0)21 876 4056, Endereço: 48 Huguenot Rd (na cidade)

Foliage – número 9 no ranking dos 10 melhores restaurantes da África do Sul. Ambiente agradabilíssimo, possui a cozinha aberta, excelente serviço e apresentação. O menu é muito criativo, misturando diversos sabores que à primeira vista você não entende. Vale conhecer! Pratos principais vão de 130 (vegetariano) a 225 (frutos do mar) Rands. Fone: +27 (0)21 876 2328, Endereço: 11 Hugenot Road (na cidade)

Pierneef à La Motte (dentro da vinícola) – Restaurante muito bom, e claro servem os vinhos produzidos lá. Também é um ambiente aconchegante e intimista, cozinha aberta, lareira, lustres – muito bonito. Comida deliciosa, e porções bem servidas. Pedimos entrada, prato principal e sobremesa, foi difícil demais dar conta do recado rs. Tel: +27 (0)21 876 8800 R45 Main Road, Franschhoek Valley (no campo)

Mesa no Pierneef à La Motte
Mesa no Pierneef à La Motte

Onde comer em Stellenbosch

Raphael’s (dentro da vinícola Asara) – Excelente restaurante, comida contemporânea, decoração sóbrea e elegante. (Use uma roupa bonitinha pra frequentar). Servem vinhos de outras cartas, não só do Asara. Tel: 21 888 8000, Polkadraai Road

Rust En Vrede – Lugar legal demais! Menu com 4 pratos custa 720 Rands por pessoa, aberto de Terça a Sábado à partir das 18:30.A louça foi encomendada a um renomado oleiro e talheres escolhidos a dedo para dar um toque especial a este lugar. Infelizmente é desses onde crianças abaixo de 12 anos não são bem-vindas. Fone: +27 (0)21 881 3757. Fica na vínicola de mesmo nome.

Wijnhuis – bar/restaurante moderno, tem uma carta de vinhos com mais de 500 opções, servem taças a partir de 13 rands. Boa escolha também para quem cansou de vinho e quer tomar uma cerveja.Tem hamburguer por 85 Rands e Chicken Shinitzel por 110 Rands. Fone: + 27 (0)21 887 5844, Endereço: Esquina das ruas Church e Andringa (na cidade)

Roteiro de 1 dia nas vinícolas perto de Cape Town

Stellenbosch e Franschhoek

Essa é uma sugestão de roteiro de 1 dia nas vinícolas saindo de Cape Town. É preciso um dia inteiro para completá-lo.

São 171 km.

Dentro de cada vinícola você pode decidir em fazer um tour pelo processo de produção e no final uma degustação de vinhos com o acompanhamento de um guia que dá informações bem detalhadas e interessantes. Ou então pular o tour ir direto para o recinto de wine tasting.

A maioria das vinícolas fazem esse tipo de tour, mas é bom checar horário e disponibilidade antes de partir. Se fizer esse tour em uma delas é suficiente, as próximas serão iguais. Também pense onde você quer almoçar e agende antes de sair.

Roteiro nas vinícolas:

A – Cape Town
B – Babylonstoren, vínicola e fazenda no estilo Cape Dutch (33 49′ 21.00″ S / 18 55′ 48.00″ E)
C – Boschendal Wine Estate (33˚ 52′ 39.04″ S / 18˚ 58′ 22.31″ E)
D – La Motte (33º 53′ 0.91″ S / 19º 4′ 21.57″ E)
E – Franschhoek – visite o centro da cidade, tem várias lojinhas, restaurantes. Tem também lojas de degustação de chocolates!
F – Stellenbosch – visite o centro da cidade, é maior que Franschhoek. Visita a Dorp Street e Church Street.
G – Asara Wine Estate & Hotel (33° 56′ 35.00″ S / 18° 48′ 33.00″ E)
H – Cape Town

rota dos vinhos

Outras vinícolas perto de Cape Town

Se você vai passar mais tempo nessa região maravilhosa (e se você puder, faça-o!), confira aqui as melhores vinícolas pra visitar e outras opções:

10 melhores vinícolas em Stellenbosch
5 melhores vinícolas em Franschhoek
3 melhores vinícolas em Paarl
Constantia, vinícolas perto de Cape Town
3 melhores vinícolas para ir com crianças
Vinícola Spier, onde ficar em Stellenbosch

Passeio guiado de 1 dia nas vinícolas

O roteiro acima nós sugerimos para quem está de carro e quer fazer o passeio por conta própria – seu ritmo, suas escolhas. Mas quem não está de carro, ou não tem motorista da rodada, pode optar por este passeio guiado de 1 dia nas vinícolas. Custa por volta de 225 reais por pessoa, sendo que o guia te busca no seu hotel em Cape Town. O passeio inclui as cidades de Stellenbosch, Paarl e Franschhoek. Tem 3 degustações de vinhos e 1 degustação de queijos inclusas, além de passear pelos centros históricos e pequena prisão onde o Mandela ficou preso logo antes de ser solto.

O que mais fazer em Cape Town e Região

O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Cape Town com crianças
Onde fazer safari perto de Cape Town
Hermanus, onde ver baleias na África do Sul

Sugestões de Vinhos Sul-Africanos

10 vinhos tintos bons e baratos para tomar na África do Sul
10 vinhos brancos bons e baratos para tomar na África do Sul
7 Melhores Vinhos Sul-Africanos

Se ficou alguma dúvida ou se quiser apenas deixar um palavrinha carinhosa pra gente, escreva nos comentários aqui abaixo.
Escreve, escreve, escreve 🙂

Ah, e não deixe de seguir nossas andanças no Instagram. Sempre tem dica boa por lá também.

~ Se Lança ~

Mais opções de roteiros e sugestões de vinícolas em nosso Guia:

África do Sul: Turismo e como se virar

Segue um guia com dicas em geral da África do Sul: turismo, como se virar, sobreviver e o que fazer pra curtir muito na África do Sul!

Se tiver dúvidas, é só comentar abaixo que a gente responde!

África do Sul precisa de visto?

Para entrar na África do Sul como turista ou a negócios, Brasileiros não necessitam de visto. É preciso ter passaporte brasileiro com validade de até 1 mês da data de retorno pro Brasil e o Certificado Internacional de Vacina (CIV) contra febre amarela, que deve ser tomada pelo menos 10 dias antes do embarque. A permissão de entrada é concedida na imigração, podendo ser válida por até 90 dias. Se você desejar ficar acima de 90 dias na África do Sul, é preciso pedir o devido visto no Consulado.

Crianças de até 1 ano não precisam apresentar o certificado de vacina contra febre-amarela, à partir dessa idade precisa sim. Também é necessário – caso a criança esteja viajando somente com um dos pais – apresentar uma declaração que o outro pai autorizou a viagem.

Detalhes de entrada na África do Sul para crianças e bebês veja neste post.

Guia de Viagem

Para os mochileiros e espertos de plantão, fique de olho no guia “Coast to Coast” distribuído gratuitamente em alguns estabelecimentos, como albergues e outros serviços turísticos. Pegue sua cópia, poderá ser útil!

Nós aqui do Se Lança também escrevemos nosso próprio guia – vendido por R$ 25,90 você compra o Guia da África do Sul e ganha grátis o Guia da Garden Route. Já vendemos mais de 280 unidades! Compre aqui sua cópia.

Idiomas falado na África do Sul

A África do Sul possui 11 idiomas oficiais, dos quais o Inglês é um deles. A maioria da população fala Inglês, principalmente em lugares turísticos. Não se preocupe se você não entender muito bem o que algumas pessoas dizem, pois o Inglês nem sempre é o idioma nativo da maioria, eles possuem um sotaque bem distinto. Mas comunicação é possível!

Companhias Aéreas

Para ir do Brasil para a África do Sul tem duas opções de compania aérea. A South African Airways é a empresa que tem mais tradição nessa rota e a LATAM começou em Outubro de 2016 a fazer a rota de Guarulhos (São Paulo) para Joanesburgo.

Muitas pessoas tem voado à Cape Town via Luanda (Angola) pela TAAG, pois eles tem feito muitas promoções e realmente o preço é atrativo. Honestamente, eu não gostaria de voar com eles, mas os relatos que ouço é que foi tudo bem. Eu já fui à Angola duas vezes, e é realmente bem tranquilo no aeroporto, só não sei se eu confiaria na linha aérea – mas isso é apenas minha impressão pessoal.

Na África do Sul, os vôos internos podem ser feitos com a própria South African e a British Airways faz alguns vôos locais.

As companhias Low cost na África do Sul são: KululaMango e FlySafair.

Qual dinheiro da África do Sul?

O câmbio é mais ou menos 1 real (BRL) pra 4 rands (ZAR) – valores reais no XE. Algumas lojas de câmbio vendem rands no Brasil, mas é claro que o preço será bem mais caro. Aceita-se facilmente cartão de crédito internacional em restaurantes, lojas, shoppings, etc. Dólar e Euro não são aceitos nos estabelecimentos.

Tax Free  – Reembolso de impostos

As compras que você fizer na África do Sul são elegíveis para reembolso de impostos. É um pensamento bem legal, que se você não mora naquele país, não usufruirá da estrutura pública, então não tem que pagar impostos.

Guarde todos os recibos de suas compras e quando fizer as malas, deixe essas compras por cima na mala. Você tem que apresentar os recibos para serem conferidos com a mercadoria – só pra não ter espertinho juntando nota e arrecadando dinheiro. Você tem que fazer isso antes do check-in. Depois de despachadas as malas e feito a imigração, você para na loja do tax free com seus recibos e recebe um cartão VISA com seu crédito.

Veja mais detalhes dos procedimentos neste post: Tax Return no Aeroporto de Joanesburgo – passo a passo

Eletricidade

As tomadas na África do Sul são 230V e o pino é do tipo D em geral. São três pinos gordos, do tamanho do dedo mindinho. Alguns hotéis oferecem adaptadores para os hóspedes, mas é melhor garantir e ter seu próprio adaptador. Compre na chegada no aeroporto, pra ter certeza que está comprando o adaptador correto, uma vez que esse pino tipo D não é muito comum pra nós brasileiros.

Comida e alimentação na África do Sul

As porções em restaurantes são generosas, e a comida é bem internacional. Filé com purê de batatas, pastas, frango, peixes, etc. Também existem muitas opções vegetarianas. Você não passará perrengue. Para comer comida típica, é preciso ir em um restaurante africano. Em restaurantes, geralmente precisa-se fazer reserva de mesa, ligue com algumas horas de antecedência, e se for um restaurante muito concorrido, com alguns dias de antecedência.

Seguro de Viagem

Não é obrigatório para entrar na África do Sul. No entanto, é sempre bom viajar assegurado né. Aquele tipo de coisa que ninguém que usar, mas é bom ter. Nós usamos o site Seguros Promo, que faz comparação de preços de vários seguros. (Se você não sabe o que é um seguro de viagens, leia este post aqui).

Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Um seguro de 15 dias na África fica menos de 100 reais! Clique aqui para fazer sua cotação.

Transporte na África do Sul

Transporte público na África do Sul é muito limitado. Dito isso, a cidade de Cape Town investiu muito no MyCiti – o ônibus público. Lá é mais tranquilo andar de ônibus – no entanto – eu ainda prefiro ter a liberdade do carro próprio.

Tire a permissão internacional para dirigir (PID) no Detran da sua cidade. Prepare-se para dirigir na mão inglesa (motorista fica do lado direito do carro). Geralmente as pessoas ficam preocupadas em passar a marcha com a mão esquerda, ligar a seta, etc. Mas o difícil de mudar o sentido da direção não é a mecânica do carro, garanto que em pouco tempo você se habituará – o difícil é o trânsito ao contrário. Então diriga presentando muita atenção, desligue o som do carro e tente não entrar na contra-mão. Alugue também um GPS, impossível andar sem (ou compre chip de celular).

Aluguel de carro na África do Sul

Para alugar um carro, conte com qualquer companhia internacional, na África do Sul tem todas: Avis, Hertz, Thrifthy, Europcar, etc… Vá com que a que conseguir melhor preço. Recentemente nos afiliamos à Rentcars e temos usado o serviço de busca deles, que compara o preço das maiores operadoras e é possível pagar em reais e parcelar, coisa que não se consegue ao reservar direto em sites gringos. Faça uma cotação aqui.

A infraestrutura de estradas na África do Sul é muito boa, excelente. Viajar de carro é muito tranquilo, apenas evite as estradas à noite por causa da baixa iluminação.

Pra quem não quiser encarar a mão inglesa existe a opção de andar de taxi, mas é mais caro que alugar um carro. Você liga nos serviços credenciados (ou taxis do hotel) e agenda a viagem, o preço já é pré-combinado. Outra opção é fazer passeios guiados com operadoras de turismo, seu hotel poderá te ajudar com isso.

Outros tipos de transporte

Também é possível andar de Uber em Cape Town e Joanesburgo.

Pra quem não quer alugar carro, existe um serviço de ônibus turístico que vai à todas as cidades turísticas da África do Sul. Você compra um passe único que é válido por um certo período, e pega o ônibus pra chegar em cada cidade. Chama-se Baz Bus.

Evite andar (quero dizer, não ande de jeito nenhum) nos taxis coletivos (vans) que circulam pela cidade. Nem sempre são seguros, principalmente para estrangeiros.

Leia mais sobre a África do Sul nesses posts:

Viajar para a África do Sul – Post Índice
Vale a pena alugar carro na África do Sul?

CAPE TOWN

O que fazer na Cidade do Cabo, melhores dicas reunidas
Cape Town – além do roteiro tradicional
Praias de Cape Town
Mergulhando com tubarões brancos na África do Sul

VINÍCOLAS

Franschhoek e Stellenbosch, melhor região de vinícolas do mundo
10 melhores vinícolas de Stellenbosch
5 melhores vinícolas de Franschhoek
Constantia, vinícolas pertinho de Cape Town
10 vinhos tintos bons e baratos para tomar na África do Sul

JOANESBURGO, PRETORIA

Turistando em Joanesburgo
Pretoria

SAFARIS

Safari no Kruger Park, África do Sul
Pilanesberg, safari a somente 2 horas de Joanesburgo
Madikwe

ROTA JARDIM

Mossel Bay
Swellendam e De Hoop
Knysna, equilíbrio perfeito entre Mar e Montanha
Saltar de Bungee Jump na África do Sul

OUTROS

Ballito, praia tranquila próxima a Durban
Onde dormir em Nelspruit – 5 sugestões de hotéis e pousadas
Drakensberg
Panorama Route

Dê uma olhada no nosso Guia Se Lança pra África do Sul:

~Se Lança~

Ainda não sabe pra onde ir?
A gente te ajuda! Escolha um destino.