Roteiro de 1 dia em Paris: do Jardim de Luxemburgo a Torre Eiffel caminhando

Começando pelo começo, este Roteiro de 1 dia em Paris, não é um roteiro clássico.

O que quero dizer com isso? Que não é um roteiro pra quem vai pela primeira vez a Paris ou pra quem está fazendo uma escala e tem só 1 dia na cidade.

E porque digo isso? Porque se você tem apenas 1 dia pra conhecer Paris, my friend, começou mal! hehe é impossível ver tudo que Paris tem a oferecer em apenas 1 dia.

Mas entendo que às vezes uma escala é tudo o que temos e queremos dar uma espiada no potencial da cidade, pra voltar uma outra vez, certo? Neste caso aconselho que você faça um passeio de Bus Turístico (vê tudo por cima, desce onde tem interesse e não se perde em transporte público poupando seu pouco tempo) ou vai na raça, pegue o metrô até os principais pontos turísticos: Arco do Triunfo, Torre Eiffel e Louvre.

Agora se você já conhece Paris e está voltando pra conhecer novos lugares ou quer rever lugares que já viu só que de um jeito mais tranquilo, sem pressa, vendo uns lugares novos no meio do caminho e principalmente, se você estiver com vontade de caminhar bastante, este roteiro de 1 dia em Paris que acaba de chegar aos seus olhos, é O Roteiro (obrigada, de nada).

Pernocas preparadas? Então vamos lá:⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⁣

ROTEIRO DE 1 DIA EM PARIS:⁣

Comece o dia tomando um café da manhã com 🥐  em uma boulangerie (café) próximo ao seu hotel.

Sério, aproveite sua estadia em Paris para fazer degustação de croissant pois, como os de lá, não há em lugar algum no mundo.⁣ Derretem na boca, tudibão!

cafe-da-manha-croissant-paris
perdi as contas da quantidade de croissants comidos nessa viagem 😍

Nós ficamos hospedados em Montmartre e amei me hospedar neste bairro, super recomendo porque é de fácil acesso as principais linhas do metrô, tem vários barzinhos e restaurantes, além de vááárias boas Boulangeries pelo bairro.

Pra encontrar lugares pra comer, você pode baixar o app Foursquare para te ajudar a escolher uma próxima a sua localização. Sim, é meio velho esse app, mas funciona super bem ainda aqui na Europa.

🏨 Dica: se você quiser ver algumas opções de hospedagem em Montmartre clique aqui

Tá, barriga cheia, agora vamos começar de verdade esse Roteiro de 1 dia em Paris e vamos começar lá no Jardim de Luxemburgo, que é pra logo de cara você se sentir dentro de um filme romântico em Paris.⁣ Ouquei?

1ª parada do roteiro: Jardins de Luxemburgo

  • A ex-residência de Maria di Médici é hoje um lugar aberto ao público, ideal para caminhar, sentar pra ouvir os pássaros, admirar as flores, fazer um picnic… enfim, ver a vida passar sem pressa.
jardim_luxemburgo-paris
Jardim de Luxemburgo: construído entre 1615 e 1617 por ordem de Maria de Médici, que estava cansada de morar no Louvre e queria viver em uma residência de estilo italiano, pra matar a saudade de sua terra natal.

Para chegar lá, fomos de metro linha 12 e descemos na estação Notre-Dame-des-Champs. De lá caminhamos até o Jardim que tem entrada gratuita.

2ª parada do roteiro: Rue Mouffetard

  • Depois de ver a vida passar calmamente pelo Jardim de Luxemburgo, volte a sua caminhada em direção a Rue Mouffetard. Coloque o nome dessa rua no Google Maps, opção caminhando e vai. São 20 minutos mais ou menos de caminhada, subindo pela Rue Soufflot de onde se tem uma impactante vista do monumental Panthéon.⁣
pantheon_paris
Panteão em Paris, atualmente local de exposições de arte e onde estão enterrados os poetas Victor Hugo e Alexandre Dumas, além do filósofo Voltaire
  • Nós não entramos no Panteão, mas acho que vale dar uma passada para apreciar a arquitetura interna, alguma exposição que esteja rolando no momento e uma passada pelos túmulos dos grandes nomes que estão enterrados lá: Victor Hugo, Voltaire, Alexandre Dumas, além de outros sessenta e tantos “personagens” importantes da história da França.
rue_mouffetard_paris-
Comércios da Rue Mouffetard em Paris. Vale uma passadinha na La Maison des Tartes pra comer uma tortinha doce deliciosa.
  • Chegando a Rua Mouffetard você verá um monte de restaurantes, lojinhas de vinho e decoração, cafés fofos com área externa pra sentar e tomar algo apreciando o movimento (que é intenso). Lá você vai encontrar uma grande variedade de souvenirs bacanas também.
  • Paradinha pro Almoço: na rua Mouffetard, opções de restaurante é o que não falta. Tem restaurante italiano, árabe, grego, mexicano, vietnamita, francês e até lugar só de frango assado. Mas se você não quiser comer por lá, aconselho que você desça um pouco mais essa rua em direção ao Café Léa, que foi a nossa escolha (tem várias opções veganas/vegetarianas).

cafe_lea_paris

3ª parada do roteiro: Notre Dame

  • Depois do almoço siga sua caminhada por dentro do bairro Quartier Latin, o famoso Bairro Latino, agora em direção a Notre Dame.⁣ Outra vez: por Notre Dame no Google Maps e caminhar.

notre-dame-paris

  • Na Notre Dame, faça seus clicks com a igreja que é a única coisa que dá pra fazer. Desde o incêndio em abril de 2019, a visitação está fechada por motivos óbvios. Depois passe na famosa livraria @shakespeareandcoparis .
shakespeareandcompany_paris
Shakespeare and Company Livraria e Café: paradas obrigatórias pra quem passa pelo Bairro Latino.
  • A Shakespeare and Company é uma livraria é icônica e vale a visita. Fechada pelos oficiais Alemães Nazistas durante a 2ª Guerra Mundial, após o fim da Guerra, reabriu com novo dono que a manteve a maior parte da estrutura da época. Por dentro, um labirinto de livros e passagens apertadas que a fazem tão característica e especial.
  • A libraria já apareceu em filmes como Antes do Por do Sol e Meia Noite em Paris 🧡. Por lá já passaram todos, ou a maior parte dos grandes escritores do mundo. A impressionante e chamativa fachada e seu curioso interior, cheio de escadas, livros por todos os lados, palavras escritas nas prateleiras e paredes, convidam os visitantes a uma pausa a observar o mundo mágico das letras.
  • Além de uma livraria, acabou virando um ponto turístico, então sempre está um pouco cheio, vá com calma para apreciar entre os pequenos instantes entre um entra e sai de turistas. Dica: um livro comprado lá ganha um carimbo da livraria. Pra mim, foi como ter comprado um souvenir – útil.
livro-shakespeareandcompany-paris
meu carimbo souvenir da Shakespeare and Company 😉
  • Pausa rápida pra relaxar tomando um café: na esquina tem o café da própria livraria ou então na rua de trás, está a Odette. Se você for até a @chouxodette, peça um choux, um doce típico com diversos recheios que combinam perfeitamente com um cafézinho.
  • Depois dê uma voltinha pelas ruazinhas desse miolinho do Quartier Latin, cruzando a rua do café Odette, em direção a Praça Saint Michel, Rue de la Huchette por ali.

4ª parada do roteiro: Torre Eiffel

  • Depois de dar uma passeadinha pelo Bairro Latino, agora vamos trazer um pouco de adrenalina pra esse roteiro: baixe um app de patinete e vá da Notre Dame até a Torre Eiffel de 🛴  pelas vias especificas pra patinete que ficam à margem do Rio Sena.
patinete-paris-bird
Sério, melhor passeio! Vibe incrível. Se for fim de tarde então, mais lindo ainda com o sol de pondo no horizonte.
  • Nós usamos o app da Bird. O trajeto saiu 9€ e fizemos o caminho todo pelo Sena. Foi L I N D O!!

P.s: eu nunca tinha andado de patinete, mas deu zero medo. Paris está cheia de pistas exclusivas pra patinete, então dá pra você conduzir tranquilo, sem medo dos carros.

  • Faça suas fotinhas com a Torre, observe a belezura toda desse monumento e depois caminhe por baixo dela em direção a Place du Trocadéro para ver o por do sol lá de cima.

5ª parada do roteiro: Place du Trocadéro e despedido do roteiro de 1 dia

trocadero-paris-roteiro-1-dia
Fotinha clássica na escada do Trocadéro com Torre ao fundo e lá em cima com os melhores amigos e companheiros de viagem 🧡
  • Depois das fotinhas clássica no Trocadéro, sente nas escadas pra ver o por do sol ouvindo os músicos de rua embalarem esse momento com algum ritmo que te fará lembrar com carinho essa viagem.
  • Termine seu Roteiro de 1 dia em Paris com um vinho rosé e uma bela pizza no @mokusparis que fica ali pertinho do Trocadéro. Atención especial ao banheiro desse lugar, é mto sensacional (veja no meus stories).

Você pode ver mais fotos e detalhes de como foi esse Roteiro de 1 dia em Paris no meu Instagram clicando aqui.⁣
No Insta compartilhei todos os passeios que fiz nos 2,5 dias em que fiquei na cidade nesta vez, que foi minha 5ª, em Paris (insupor, ela! chyyyyque)

Espero que este roteiro colabore com o planejamento da sua viagem.

Bon voyage 😘⠀⠀⠀⠀⠀⁣

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Roteiro de 1 semana no sul da França
Fast-Paris o que fazer em 3 dias
Narbonne e Les Grands Buffets
Como ir de Barcelona a Paris em trem
7 dicas importantes sobre seus documentos antes de viajar
Seguro de Viagem Internacional – vale a pena?
10 dicas para viajar de avião com bebê
Sua saúde e farmácia de viagem
15 dicas para uma viagem segura e saudável
7 dicas para tirar lindas fotos de viagem com o celular

Barcelona com crianças: 25 coisas pra fazer e se divertir

Esse último ano tive a oportunidade de curtir Barcelona com crianças de diferentes idades. Meus sobrinhos de 13 e 6 anos vieram me visitar e pude vivenciar a cidade desde uma perspectiva ainda mais divertida e lúdica.

Se você irá visitar Barcelona com crianças e tem dúvidas se essa é uma boa ideia, esse post vai te mostrar que Barcelona é uma cidade incrível que oferece praticamente de tudo para todos os tipos de viajantes, desde adultos a crianças.

Desde passeios mais clássicos como uma visita a famosa Sagrada Família, até parques de diversões, museus, ​​a cidade oferece diversão sem fim e uma lista interminável de coisas para se fazer, que a família toda irá curtir.

Aqui estão as 25 melhores coisas para fazer em Barcelona com crianças + 1 bônus no final pra facilitar o roteiro. 

Leia também: onde se hospedar em Barcelona – melhores bairros com dicas de hotéis

O que você vai ler neste post:

  1. Las Ramblas com crianças
  2. La Boqueria
  3. Praça Reial
  4. Monumento a Colombo
  5. Museu de Cera
  6. Museu Marítimo
  7. Museu do Chocolate
  8. Museu de Ciência Cosmocaixa
  9. Aquário de Barcelona
  10. Parque de la Ciutadella
  11. Zoológico de Barcelona
  12. Parque del Laberinto d’Horta
  13. Gaudí para Crianças: Sagrada Família
  14. Gaudí para Crianças: Casa Batlló
  15. Gaudí para Crianças: Park Güell
  16. Praias de Barcelona
  17. Ônibus Hop-on Hop-off
  18. Catalunha em miniatura
  19. Teleférico de Montjüic
  20. Castelo de Montjüic
  21. Fontes Mágicas de Montjüic
  22. Tibidabo parques de diversão
  23. Bate e volta: Port Aventura e Ferrari Land
  24. Las Golondrinas
  25. Estádio F.C Barcelona Camp Nou
  26. Dica Extra – Rotas no Google Maps – salve algumas sugestões de passeios e facilite seu passeio

1. Las Ramblas

A La Rambla, ou Las Ramblas, é um ícone de Barcelona e um passeio por ela está no roteiro de todo turista.

Se trata de um dos principais calçadões da cidade. A parte mais turística começa na Praça Catalunha e desce até o Port Vell (Porto Velho), bem ao pé do Monumento a Colombo.

Caminhar por ela já é um passeio, mas atenção porque tem sempre muita gente, principalmente nos meses de alta temporada (junho a setembro e final de ano).

barcelona-com-crianças-las-ramblas
Minha família visitando a La Rambla em Barcelona (obrigada pelas fotos irmão e cunha 🧡)

Em toda sua extensão de 1,2km vocês verão alguns de quiosques de sorvete, waffles, crepes, souvenirs, plantas, até chegar as estátuas humanas, que cobram para tirar uma foto com elas, mas que as crianças geralmente gostam de ver.

Nos finais de semana, próximo ao Monumento a Colombo, barraquinhas de artesanato são instaladas na La Rambla para promover o comercio local.

2. La Boqueria

Descendo a La Rambla sentido mar, mais ou menos no meio do passeio, a direita, vocês encontrarão o famoso mercado municipal La Boqueria. Logo na entrada principal, a criançada já ficará alucinada com os quiosques de doces (tipo fini), chocolates e frutas.

Os maiores morangos que já vi na vida foram na Boqueria. Também tem várias quiosques com sucos de frutas naturais que custam 2€ e são uma delicia. Vale a pena uma parada neste mercado independente da idade. Mas atenção com as crianças porque é sempre bem cheio de gente.

3. Praça Reial

Depois de tomar um suco na Boqueria, continuem descendo a La Rambla sentido mar. Após passar o metrô Liceu, vocês verão a esquerda a Praça Reial. É um praça retangular, com coqueiros, uma fonte no meio, cheia de bares e restaurantes ao seu redor.

Uma curiosidade sobre a praça Reial: as luminárias vermelhas foram as primeiras obras de Gaudí na cidade.

barcelona-com-crianças-praça-reial
Meus sobrinhos Henrique e Manu na Praça Reial em Barcelona

Como é uma praça fechada e não passa carro, é um lugar seguro pras crianças correrem um pouco e gastarem energia. Enquanto os filhos brincam, os pais podem tomar um chopp (aqui chama caña) no bar Ocaña que leva esse nome em homenagem a um artista trans que morou na praça até o início dos anos 80.

Se preferirem fazer uma pausa pro almoço recomendo o restaurante Les Quince Nits. Não precisa reservar, sempre tem fila, mas anda rápido.

4. Monumento a Colombo

Chegando ao final da La Rambla, vocês podem subir ao Mirador de Colombo para apreciar vistas 360º da cidade. O mirador lá em cima é bem pequeno então se alguém na família tiver claustrofobia, não recomendo. A subida e descida é feita de elevador.

Clique aqui e garanta as entradas para o Mirador de Colombo.

5. Museu de Cera

Inaugurado em 1973 e está localizado em um emblemático edifício onde ficava o Banco de Barcelona, um palacete construído no século XIX que guarda um ar de mistério e encanto perfeito para abrigar um Museu de Cera.

Com mais de 300 personagens em cera, vocês vão encontrar desde reis, bailarinos de flamenco, aventureiros, cantores, até artistas catalães, como Salvador Dalí. A visita é super interativa, com projeções e efeitos sonoros que farão as crianças vibrarem.

Clique aqui e garanta as entradas para o Museu de Cera de Barcelona.

6. Museu Marítimo

Do lado esquerdo do Monumento a Colombo, instalado no antigo estaleiro de Barcelona (séculos XIII e XVIII), está o Museu Marítimo, um lugar para conhecer a evolução da cidade de Barcelona através do mar mediterrâneo. Aqui vocês poderão aprender sobre cultural naval através de maquetes de navios, filmes, instalações interativas que mostram quais eram os tipos e como eram feitos os navios na época da expansão dos reinos de Aragón através do esplendor naval da Catalunha durante os séculos XIII-XV.

O ponto alto do museu é caminhar pela réplica em escala real da Galera Real que venceu a Batalha de Lepanto contra os otomanos em 1571.

As entradas para o Museu Marítimo de Barcelona são compradas na hora. Todo domingo a partir das 15h a entrada é gratuita.

7. Museu do Chocolate

No Museu de la Xocolata conheça a origem do cacau, como este veio para na Europa e como aqui foi utilizado e transformado em chocolate. Aprenda curiosidades como o uso do chocolate pelas tropas do exército Bourbon no século XVIII, entre outras. As atividades propostas pelo museu permitem aos visitantes experimentar e interagir em todos os sentidos com os produtos.

Localizado no bairro do Born, próximo ao Parque Ciutadella, o museu fica no antigo convento de Sant Agusti, na calle Comerç 36. Acho que criança alguma nesse mundo irá se opor a este passeio.

Clique aqui e garanta as entradas para o Museu de la Xocolata

8. Museu de Ciência Cosmocaixa

É um museus incrível do começo ao fim, inúmeras áreas interativos para estimular todos os sentidos, o museu propõe uma viagem de descoberta e saber para crianças e adultos. Mantido pelo banco “La Caixa”, a entrada custa apenas 6€ e pode ser comprado na hora.

As exposições permanentes Bosque Inundado e Sala Universo são o ponto alto da visita. O bosque habitado por peixes, aves e insetos amazônico formam um ecossistema completo e a forma como os visitantes podem ver e percorrer pelo bosque é espetacular. Já a Sala Universo nos convida a reviver o Big Bang e entender os seus impactos até os dias de hoje.

barcelona-com-crianças-cosmocaixa
Família se divertindo no Museu Cosmocaixa

Há várias atividades paralelas para crianças, tem também cafeteria e área para brincar na em fontes de água durante os meses de verão.

Não fica em uma região central e de fácil acesso, mas vale a pena. A ida ao CosmoCaixa pode ser casada com a ida ao Parque de diversões Tibidabo, exemplo: Tibidabo de manhã e CosmoCaixa após o almoço.

Veja aqui endereço, horário de funcionamento e exposições

9. Aquário de Barcelona

O Aquário de Barcelona oferece uma viagem pelo fundo do mar mediterrâneo. Diferentes espécies de corais, tubarões e arraias presentes no mediterrâneo podem ser vistas neste passeio. O ponto alto é uma esteira que te leva pra passear por dentro do tanque de tubarões, peixe lua e arraias.

O Aquário oferece ainda uma área de lanchonete, uma réplica de submarino onde as crianças poderão entrar para brincar e até alimentar carpas.

O Aquário fica na região do Port Vell e pode ser unido ao dia que forem passear pela La Rambla ou pelas Praias.

Clique aqui e garanta as entradas para o Aquário de Barcelona

p.s: No MC Donalds você pode pegar um cupom de desconto para o Aquário, um cupom vale para até 5 pessoas e dá 3€ de desconto por pessoa. Caso você não encontre o cupom, compre online.

barcelona-com-crianças
Aquário de Barcelona em parceria com @visitbarcelona

10. Parque de la Ciutadella

Situado próximo ao bairro do Born, entre a Estação de França, o Arco do Triumfo e a Vila Olímpica, o Parque de la Ciutadella foi construído em cima de uma antiga fortaleza militar (dai o nome Cidadela) para a Exposição Universal de 1888, numa altura em que Barcelona se revelava ao mundo internacional.

O parque conta uma uma grande extensão de gramados, jardins, um lago onde se pode alugar um barco para passear com as crianças para ver os patos, uma majestosa Cascata Monumental, projeto de Antoni Gaudí, bem como amplas sombras de árvores para fazer um picnic e ficar a toa.

O acesso ao parque é gratuito e a entrada principal está após o final do Passeig de Lluís Companys o mesmo onde encontra-se o Arco do Triumfo. No final do parque encontra-se o Zoológico de Barcelona.

11. Zoológico de Barcelona

O famoso Jardim Zoológico de Barcelona concentra-se em três temas principais: a divulgação de informações, a pesquisa e a proteção dos animais em risco de extinção. O zoológico abriga mais de 4 mil animais de mais de 400 espécies, incluindo golfinhos, pássaros tropicais, répteis e os descendentes do gorila albino Floco de Neve.

O zoológico oferece uma série de atividades e serviços, como: restaurantes, bares, passeios de pônei, ferrovias em miniatura, lojas e áreas de piquenique.

Clique aqui e garanta as entradas para o Zoológico de Barcelona

12. Parque del Laberinto de Horta

O do Parque do Laberinto é o mais antigo parque da cidade, construído entre os séculos XVIII e XIX. Tem pontes, riachos, esculturas, lagos, mas o grande destaque fica pro jardim do labirinto, conservado até hoje. Nele a criançada vai correr até não aguentar mais, procurando o centro do labirinto.

Dica: vista as crianças com roupas escuras e tênis, porque eles vão ficar imundos de tanto correr e brincar. Delícia, né?

Tem banheiro para troca de roupa e na entrada do parque tem uma pequena lanchonete. Dá pra levar uns comes e bebes pra fazer um picnic também.

O parque fica aberto o ano todo e custa apenas 2,5 euros pra entrar. A entrada é comprada na hora em dinheiro. Veja aqui o horário de funcionamento pra programar bem seu pedido.

13. Gaudí para Crianças: Sagrada Família

Uma vez vi uma criança saindo do metrô Sagrada Família e assim que ele se virou e viu a igreja disse: “MEU DEUS, COMO ELA É GRANDE!!”

A reação de espanto e fascínio com que ele olhada pra Sagrada Família me chamou muito a atenção e ali percebi que a Sagrada Família é sim um lugar pra se visitar com as crianças. Tudo vai depender de como os pais contam a história sobre esse passeio, né?

Pra te ajudar nessa história: a Sagrada Família não é uma igreja normal, não há santos e nem ouro em seu interior. Pelo contrário, ao entrar na igreja você se sentirá em um bosque com altas árvores. Há vários elementos na decoração que remetem a natureza, de plantas a insetos. Ambas fachadas, contam a história de Cristo, de um lado seu nascimento e do outro a paixão, através de esculturas. Aqui, sugiro aos pais irem ouvindo a história no audio guia e incentivarem as crianças a encontrarem os elementos que o audioguia vai narrando.

barcelona-com-crianças-sagrada-familia
Pelas carinhas dá pra ver que gostaram de visitar a Sagrada Família. né?

Compre o ingresso para Sagrada Família aqui. Crianças menores de 11 anos não pagam.

Leia também: Dicas de hotéis familiares para se hospedar próximo a Sagrada Família

14. Gaudí para Crianças: Casa Batlló

A Casa Batlló é mais um passeio que facilmente se pode fazer com crianças, já que se trata do tour mais interativo que as atrações de Barcelona oferecem. Construída pelo arquiteto modernista Catalão, Antoni Gaudí, o mesmo que construiu a Sagrada Família e a La Pedrera, a Casa Batlló foi uma casa privada construída para a família Batlló, em 1906.

Inspirada na lenda do São Jorge e o Dragão, a fachada da casa lembra as escamas de um dragão, as colunas que sustentam as sacadas fazem alusão a ossos, e há um sem fim de elementos lúdicos como: flores, cores, texturas, ou seja, kit completo pra você deixar as crianças com a imaginação aflorada.

Minha sobrinha Duda pirando no tour 3D da Casa Batlló

O tour pela casa é sensorial, com audioguia em 3D e vale a pena se você tiver curiosidade para conhecer um pouco mais sobre o Modernismo Catalão e o como este movimento transformou a cidade, assim como conhecer mais sobre Antoni Gaudí.

Economize comprando seu ingresso para Casa Batlló aqui. A entrada online custa 4€ a menos que comprado na hora.

A loja da Casa Battló tem vários artigos para crianças, livros para colorir inspirados no estilo de Antoni Gaudí, lápis colorido, peças únicas e que estimulam bem a criatividade.

15. Gaudí para Crianças: Park Güell

Inspirado na natureza, do mar a montanha, é um parque com vistas espetaculares de Barcelona, uma grande área verde para explorar, além da área da Zona Monumental, área paga onde se tem acesso a arquitetura modernista de Gaudí.

É na Zona Monumental onde está a esplanada de bancos de azulejos da foto. É nesta área onde vocês poderão ver de perto a incrível arte de mosaicos coloridos característica de quase todas as obras de Gaudí, como a Escadaria do Dragão com a sua famosa salamandra.

barcelona-com-crianças
Sobrinhos no Park Güell 🧡

A entrada nessa área é paga e com hora marcada. O ideal é comprar o ingresso online para evitar as filas da bilheteria e também porque com este ingresso vocês tem direito ao translado do metrô Alfons X até a entrada do parque. Caso contrário, recomendo irem de táxi, pois o parque fica em uma área de difícil acesso de transporte público.

Garanta as entradas por Park Güell sem filas e com transfer do metrô ao parque aqui.

Embora você tenha que entrar no parque no horário de sua reserva, você poderá permanecer no local por quanto tempo quiser para conferir tudo que ele tem a oferecer.

Leia também: Roteiro Gaudí em Barcelona

16. Praias de Barcelona

Barcelona tem 11 praias em total e que dependendo da época do ano podem ser uma maravilha ou um caos. Na verdade só tem uma época do ano em que é um caos e essa época é no ápice do verão, de julho a final de agosto.

praias-de-barcelona
foto via Hotel SB Icária

Então se você vier em qualquer época que não seja julho a final de agosto, pode passear e ir pra qualquer uma das 8 praias com as crianças tranquilamente. Agora se sua viagem for exatamente nesses meses, recomendo que vocês evitem as praias mais próximas ao centro como Barceloneta, Somorrostro até Nova Icária.

Vocês terão um pouco mais de sossego em Nova Mar Bella ou Llevant. A praia de Sant Sebastià, bem ao pé do Hotel W (hotel vela) é uma praia nudista.

Agora se quiser paz e tranquilidade mesmo, peguem um trem na estação de Sants para aproveitarem o verão em alguma das Praias da Costa Brava ao norte de Barcelona ou nas Praias da Costa Dourada ao sul de Barcelona.

Leia também: post completo com as melhores praias perto de Barcelona e como chegar

17. Ônibus Hop-on Hop-off

A quem diga que é a melhor coisa da vida quando o assunto é fazer turismo com crianças, já que em um ônibus hop-On hop-Off você tem um ambiente controlado, sobe no ônibus, desce no ponto turístico que deseja, sobe de volta e segue pro próximo destino sem stress de se perder no metrô ou de entrar na linha pro lado contrário ao que precisava ir, sobe e desce escada pra lá e pra cá… Enfim, cada um sabe o ritmo da própria família.

Assim como toda grande cidade turística, Barcelona também oferece esse tipo de tour: o Hop-on Hop-off de Barcelona conta com três circuitos diferentes e mais de 40 paradas. Ou seja, os 3 circuitos cobrem todos os principais pontos turísticos da cidade.

Vocês podem desembarcar em qualquer parada que desejarem e ficarem o tempo que quiserem. A frequência dos ônibus é a cada 25 minutos e vocês podem alternar entre circuitos no mesmo dia. Exemplo: começar o dia na linha vermelha e depois mudar pra linha azul porque o ponto turístico que querem ir está dentro do roteiro da linha azul. E depois voltar pra vermelha, etc…

Confira aqui os pontos turísticos dos 3 circuitos e valores do bus turistico Hop-on Hop-off de Barcelona.

18. Catalunha em Miniatura

Não é um passeio caro e pode ser bem interessante, principalmente se não tiver dado tempo de ver as principais atrações turísticas da cidade. Ou bem, pra que as crianças vejam as mesmas atrações, porém de uma perspectiva mais lúdica, do tamanho deles.

A Catalunha Miniatura é um parque temático em miniatura, onde há uma exposição de maquetes dos edifícios e monumentos mais importantes e representativos de toda a Catalunha e principalmente de Barcelona. Miniaturas da Sagrada Família, Montserrat, Camp Nou, Rupit e o Monumento a Colombo, estão entre os mais de 48 miniaturas, que contam até com maquetes das Ilhas Baleares.

O parque também oferece outros serviços, como: área de piquenique, bar, restaurante, trem, anfiteatro e playground.

Garanta as entradas pra sua família para o parque temático Catalunha em Miniatura aqui.

19. Teleférico de Montjüic

É uma forma especial de descobrir os encantos de Barcelona. O teleférico liga a cidade ao topo da montanha de Montjuïc, chegando no castelo de mesmo nome. São 750 metros de área percorrida em teleférico chegando a uma altura máxima de 85m.

Além do meio de transporte em si já ser diferente pra fazer com as crianças, do teleférico vocês poderão desfrutar de vistas únicas de Barcelona, de onde se pode ver os edifícios mais emblemáticos da cidade, como: a Sagrada Familia, o Camp Nou e até mesmo as Fuentes Mágicas na Praça Espanha, além das vistas pro mar mediterrâneo.

O teleférico possui três estações: Parc de Montjuïc (ponto inicial e acessado facilmente através do Funicular de Montjüic no metrô Paral-lel), Miramar e Castell de Montjüic.

Compre aqui o ticket de ida e volta  do Teleférico de Montjuïc. Menores de 4 anos não pagam.

20. Castelo de Montjuïc

A última parada do Teleférico de Montjuïc é o Castelo de Montjuïc. Vale super a pena descer, fazer um passeio pelo castelo antes de voltar a descer pelo Teleférico. Vale até levar comidinhas pra fazer um picnic nos arredores do Castelo.

O castelo passou de farol a forte militar em 1640 e se tornou um castelo durante o século XIX.  Teve uma papel importante em sua primeira guerra em 1641 durante a Revolta Catalã e muito outros durante os séculos XVIII, XIX, a Guerra Civil Espanhola, se tornou até um museu militar na época da ditadura de Franco, até finalmente se tornar um local público e para o povo.

 

barcelona-com-crianças-castelo-montjuïc
Irmão mais velho trolando o mais novo? Temos! 😎

No verão aconselho que o passeio seja com roupas leves e muito protetor solar, já que o passeio pelo castelo é quase todo externo e não há muitas áreas de sombra, a não ser no jardim.

O ticket para o Castelo de Montjuïc pode ser comprado na hora, custa apenas 5 euros. A visita é gratuita todo domingo a partir das 15h e gratuita o dia todo cada primeiro domingo do mês.

21. Fontes Mágicas de Montjuïc

Também localizada na montanha de Montjuïc, mas precisamente aos pés do Museu de Arte Nacional da Catalunha (MNAC), estão as Fuentes Mágicas. É um passeio gratuito e bem legal pra fazer com as crianças.

Se trata de um show de águas que “dançam” ao som de músicas e cores, desde músicas catalãs até músicas internacionalmente famosas como Barcelona do Queen.

Há fontes por todo o caminho da Praça Espanha até o MNAC. A maior concentração de pessoas fica ao redor da fonte principal do museu, que é onde as águas “dançam”.

Atenção aos pertences pessoais, pois todo lugar onde há muita gente os “mão-leve” fazem a festa.

Veja aqui os dias e horários de funcionamento.

Para chegar desça na estação de metrô Plaza España, L1, linha vermelha. Saída sentido Fira de Montjuïc e caminhe em direção ao Museu.

22. Tibidabo

Tibidabo é o nome da montanha que domina a paisagem de Barcelona. Com 512 metros é o ponto culminante da Serra de Collserola e o ponto mais alto da cidade, de onde se tem lindas vistas da cidade e do litoral.

Para as crianças, além da vista da cidade, há um parque de diversões, o Parque do Tibidabo. No topo da montanha, colada ao parque, em uma área de acesso gratuito há também uma Igreja Católica, o templo do Sagrat Cor. Projetada por Enric Sagnier, a igreja levou 60 anos para ser construída e tem no seu topo uma escultura do Sagrado Coração feita por Josep Miret Llopart.

O Parque de diversões é o mais antigo da cidade e tem a maior parte das atrações ainda originais, muitos dos quais datam do início do século XX, em 1901. Ainda que modernizado, a atmosfera do parque ainda é de um parque temático antigo, criando uma atmosfera bem nostálgica.

O ingresso de 1 dia dá acesso a todas as atrações do parque que são mais de 25, com opções para todas as idades.

Compre aqui os ingressos de acesso ao Parque de Atrações do Tibidado. Crianças com menos de 90cm têm entrada gratuita e entre 90-120cm pagam o ingresso infantil.

23. Bate e volta: Port Aventura e Ferrari Land

São 2 parques temáticos que estão em Tarragona, há 1h desde Barcelona, onde a família poderá passar um tempo de relax e diversão explorando aventuras incríveis.

Sobre o Parque PortAventura: são 6 mundos de aventura completamente diferentes: Mediterrània, Polinésia, SésamoAventura, China, México e Velho Oeste. São mais de 40 atrações, entre show e brinquedos que quebram records de altura, velocidade e tamanho.

Sobre o Ferrari Land: pra vocês se seintirem dentro do Mundo da Ferrari. O parque conta com o acelerador vertical mais alto e mais rápido da Europa e tem um circuito de corrida em uma pista de 570 metros. Se sobrar coragem, tem ainda 8 simuladores de velocidade que criam uma autêntica experiência de dirigir um carro de Fórmula 1.

barcelona-com-crianças-port-aventura

Caso vocês resolvam alugar um carro e se hospedar na cidade próxima ao parque para ir mais de 1 dia, clique aqui para comprar direto só o ingresso para ambos parques, pela quantidade de dias que desejam.

Também dá pra comprar ingresso bate e volta desde Barcelona, fazendo uma excursão de 1 dia.

Pelo Booking também há ofertas de hospedagem direito no PortAventura Resort. O resort oferece opção de hospedagem em 4 diferentes hotéis temáticos e fazendo a reserva por este link acima, vocês já tem incluído as entradas para o PortAventura e FerrariLand, além da hospedagem.

24. Las Golondrinas

‘Las Golondrinas’ é um clássico com mais de 130 anos no Porto de Barcelona. Se trata de um passeio de barco pelo Porto e o litoral de Barcelona, a bordo de uma emblemática embarcação. Ótimo passeio para ser feito com as crianças, além de ser um passeio diferente, é super barato.

Garanta os ingressos da sua família para o passeio de barco Las Golondrinas aqui.

25. Estádio F.C Barcelona Camp Nou

Um passeio pra fazer quem é fã do time virar fanático e quem não é fã do time ou de futebol também fanático, hehe.

Brincadeiras a parte, é um passeio que a criançada pira porque é uma visita onde o público passa pelos ambientes do estádio e podem sentir a emoção de um partido do Barça, de uma forma mais barata, já que ir a um clássico é um pouco mais salgado ($).

Leia também: como é a visita pelo Camp Nou, o estádio do Barcelona

A visita pelo Camp Nou, contempla sala de troféus e títulos do clube, acesso ao estádio, ao campo, banco do time reserva, banheiro do time visitante, sala de imprensa, museu do clube com taças, troféus e história, área interativa e termina em uma mega store do clube.

barcelona-com-crianças-camp-nou
Há uma parte do tour onde você pode ter uma experiência 3D de como é um partido do time, o valor é pago a parte do ingresso, na hora.

Clique aqui e garanta as entradas ao Camp Nou Experience. Os tickets são com dia e hora marcados, com limite de pessoas por sessão, pra não ficar sem, compre com antecedência. Crianças menores de 5 anos não pagam.

26. Dica Extra – Rotas no Google Maps

Sugestões de passeios por proximidade dos pontos turísticos para facilitar o passeio com as crianças:

  1. La Rambla, Boqueira, Praça Reial, Museu de Cera, Monumento a Colombo e Museu Marítimo: salve essa rota no Google Maps
  2. La Rambla, Boqueira, Praça Reial, Monumento a Colombo e Aquário de Barcelona: salve essa rota no Google Maps
  3. La Rambla, Boqueira, Praça Reial, Monumento a Colombo,  Museu Marítimo e Las Golondrinas: salve essa rota no Google Maps
  4. Museu de la Xocolata, Arc de Triomf/Parque Ciutadella e Zoológico de Barcelona: salve essa rota no Google Maps
  5. Parque Tibidabo e Museu de Ciência CosmoCaixa (ir de taxi): salve essa rota no Google Maps
  6. Teleférico, Castelo e Fuentes Mágicas de Montjuïc: salve essa rota no Google Maps

Eaí, gostou do post?

Espero que ele te ajude a planejar um roteiro bem massa para curtir Barcelona com as crianças.
Qualquer dúvida é só mandar aqui nos comentários que te ajudo.

📧 Leia também:

As melhores praias de Barcelona
Roteiro Gaudí em Barcelona
Onde comer Paella em Barcelona
Como visitar o estádio do Barcelona, o famoso Camp Nou
Roteiro de 3 dias em Barcelona
Onde comer tapas em Barcelona
Como ir do aeroporto ao centro de Barcelona
5 melhores praias perto de Barcelona na Costa Brava
Onde comer brunch em Barcelona
Onde comer comida vegetariana e/ou vegana em Barcelona

Dê uma olhada também em nosso exclusivo Guia de Viagem Se Lança para Barcelona e tenha no seu celular todas as dicas para desfrutar de tudo o que Barcelona tem a oferecer.

O Se Lança visitou as atrações Monumento a Colombo, Aquário de Barcelona e Museu de Cera de Barcelona com apoio da Oficina de Turismo Oficial, a Barcelona Turisme.

 

~ Se Lança ~

 

Auckland, o que fazer e roteiro de 2 dias

Auckland, o que fazer pela maior cidade da Nova Zelândia?

Veja esse post completíssimo:

Roteiro de 2 dias em Auckland
Outras atrações turísticas em Auckland
O que fazer em Auckland com crianças
Onde fazer compras em Auckland
Hospedagem em Auckland
Locomoção
Mais dicas para aproveitar Auckland

Roteiro de 2 dias em Auckland

Dia 1 em Auckland

Sky Tower – a atração turística mais conhecida e visitada de Auckland. A torre tem 328 metros, no entanto a área de visitação está a 220 metros de altura. Oferece uma visão de 360 graus da cidade. De lá se vê até 80 kilômetros de distância.

Na torre também tem um restaurante, para quem vai visitá-lo, não precisa comprar o ingresso do observatório.

Essa foto à direita é o Sky Jump. É uma espécie de bungee jump, mas é um pulo só da torre ao chão. Não quica de volta. Pra quem quiser encarar, custa 225 NZD e pode ser comprado aqui. Pra quem (como eu) prefere observar, os funcionários da torre chamam os turistas para a janela quando alguém vai pular.

A Sky Tower faz parte do complexo Sky City. Além das atrações acima, tem um casino e hotel chiquérrimo.

Queen Street – a rua mais movimentada do centro, cheia de lojas e alguns restaurantes. Não é chique nem nada, mas é caminho pra chegar no pier.

o que fazer me auckland roteiro de 2 dias
Queen St

Giapo – sorveteria mais famosa da cidade. O seu dono quer transformar sorvete em arte e arte em coisas cotidianas. A experiência é muito legal.

Ao entrar na sorveteria as atendentes expõem os 12 sorvetes do menu para você degustar todos. Te mostra todas as artes, ou seja, como o sorvete pode ser servido. E então você escolhe e espera do lado de fora. Olha o meu aí, sorvete para selfie, super instagramável, além de delicioso.

Queens Wharf – é o waterfront da cidade com lojinhas e muitos restaurantes. Quando fomos essa área estava toda em reforma, então foi na verdade um pouco estressante caminhar por ela. Mas assim que acabarem as obras, parece que vai ser um espetáculo. Fica de olho que às vezes tem alguns eventos legais por lá.

Hobson Wharf – o cais logo ao lado da Queens Wharf, com mais opções de restaurantes. É também onde está localizado o Museu Marítimo. O museu tem lindas exposições, custa 20 NZD para adultos e 10 para as crianças.

Hobson Wharf

Dia 2 em Auckland

Esses são dois passeios mais longe. Sugiro ir de uber ou até o ônibus turístico.

Auckland Museum – vale a pena conhecer este museu para aprender mais sobre a cultura local das ilhas do pacífico. Um museu diferente mesmo pra quem já viajou bastante. Tem artefatos das ilhas, histórias de guerra, modo de vida da ilha e exposições temporárias.

Para as crianças, tem uma seção  especial chamada “Wierd & Wonderful”. É um espaço interativo, onde as crianças abrem gavetas, fuçam, colocam as mãozinhas em tudo e descobrem o mundo.

Uma opção cultural muito bem recomendada é comprar o ingresso do museu junto com uma performance Maori. O bilhete fica num total de 45 NZD e pode ser comprado neste link.

 

Sea Life Kelly Tarlton’s – esse aquário é muito legal, principalmente a parte com os pinguins. Vale a pena conhecer. O lado negativo é que é um pouco longe. Nós fomos de Uber, depois andamos um pouco com as crianças até um parquinho lá perto, no Orakei Domain, onde as crianças brincaram um pouco antes de voltarmos.

aquario em auckland o que fazer

Outras atrações turísticas em Auckland

Se você tiver mais dias na cidade, essas são outras atrações que você incluir em seu roteiro em Auckland.

Mount Eden – um monte que é na verdade um vulcão inativo. Para subi-lo é preciso uma caminhada leve, não é difícil e é possível fazer com carrinho de bebê.

No cume conhece-se a cratera do vulcão, hoje toda coberta em grama. Aprecia-se também a vista da cidade.

Cume do Mt Eden
Foto por Henry McIntosh no Unsplash

Parnell Road – uma rua com construções antigas da cidade, hoje com cafés, restaurantes e lojas. Confesso no entanto, que não achei que valeu a pena…

atracoes turisiticas em auckland
Parnell Road

Devonport – uma linda vila a beira-mar. Vale a pena passar meio período aqui. Vá de manhã para uma caminhada no waterfront, almoce e volte. Tem também uma linda vista do mar e cidade.

Como chegar – Para quem compra o ônibus turístico (mais abaixo), inclui também o bilhete do ferry boat. Caso contrário, tem que ir ao Pier 1 e comprar o bilhete. Tem ferry a cada 30 minutos e dura só 12 minutos de viagem. O bilhete custa 15 nzd (ida e volta) e pode ser comprado neste site do Fullers.

O que fazer com crianças em Auckland

Esse roteiro de 2 dias em Auckland acima dá pra fazer tranquilamente com os filhos. Mas vou deixar mais algumas opções de passeios com crianças em Auckland:

MOTAT – é o museu de transporte e tecnologia. Eu adoro conhecer estes museus mundo afora, ótima opção para ir com crianças. Custa 19 NZD por adulto e 10 por criança acima de 5 anos.

Zoológico de Auckland – nós não fomos ao zoo, mas deixo de sugestão para as pessoas que gostam deste passeio. Costuma sempre fazer sucesso com crianças.

O MOTAT e o ZOO ficam juntos, então é possível combinar esses passeios no mesmo dia.

Whoa Studios – eu estava doida pra conhecer este lugar, mas não conseguimos infelizmente. Lá tem parques urbanos e muitos shows. Os shows são principalmente durante o período de férias escolares. Mas fique de olho no site para ver se tem algum evento legal durante sua estadia na cidade.

São shows de marionetes, música, oficinas pras crianças – além dos super estruturados parques.

Myers Park – não achamos muitos parques espalhados no centro, mas aí está o que encontramos

Onde fazer compras em Auckland

Westfield St Lukes – O shopping não é muito grande, mas tem algumas lojas boas por lá.  O principal, tem um Kmart. Melhor loja da Nova Zelândia. Nós fomos de uber pra lá, mas o ônibus turístico também vai.

Westfield Newmarket –  O shopping mais novo do pedaço. Bem maior que seu irmão de St Lukes.  Também um pouco mais afastadinho, tem que pegar transporte até lá.

Outlet Dress Smart – é o shopping de descontos em Auckland. Fica mais ou menos na metade do aeroporto e centro da cidade. 15 minutos (de carro) do centro pra lá, ou 15 minutos do aeroporto pra lá.  Tem muitas lojas de esportes, como Adidas, Fila, New Balance, Nike e Puma. As mais famosas de roupas são Lewis, Country Road, Quicksilver entre outras.  Pra quem quer ficar mais tempo nas compras, pode contar com a praça de alimentação.

Hospedagem em Auckland

Nós ficamos em dois lugares durante nossa estadia. 3 dias em um hotel e depois 4 dias num apartamento. Os dias de hotel foram de descanso da cozinha…

Grand Millennium – este hotel é maravilhoso. O quarto é super confortável, tem frigobar, cortinas com blackout como nunca antes vi, piscina e o mais importante, 2 restaurantes dentro do hotel. Jantamos todas as noites no hotel.  Fica a 10 minutos andando da Sky Tower.

Bianco Off Queen Aparments – um apart hotel ok. O apartamento era arrumadinho e tem serviço de faxina a cada dois dias. Não tem nenhum luxo, mas ficamos bem hospedados. Fica uns 20 minutos andando do harbour. Uma vantagem foi ser perto de um parque (Myers Park) onde levamos as crianças, além do preço muito mais em conta que hotel.

A Flávia quando foi ficou no albergue Base localizado no centro da cidade.

Veja mais opções de hospedagem em Auckland aqui.

onde ficar em auckland
Saguão do Grand Millennium visto do alto

Locomoção

Nós andamos à pé bastante por estarmos no centro da cidade. Quando queríamos ir para pontos mais longes, usávamos o Uber que funciona super bem lá.

Uma sugestão muito boa é pegar o ônibus turístico e rodar a cidade. Ele dá a volta em todos os pontos turísticos. Você pode comprar o bilhete por 24 ou 48 horas. Pode comprar com antecedência (clique aqui) e mostrar o voucher no celular.

Veja só o roteiro do ônibus turístico, vai para todos os pontos turísticos. Você tem direito à rota azul e vermelha.

Uma outra opção seria alugar carro na cidade, mas pessoalmente não acho que valeria a pena. Só vale a pena se você quiser rodar para algumas localidades mais longe da cidade. Aí sim. Veja na RentCars, eles sempre tem excelentes preços.

Para irmos ao aeroporto usamos o Skybus. Compre aqui o bilhete antecipado, o ônibus costuma estar cheio. Pode comprar um bilhete para o dia e utilizar em qualquer horário.

o que fazer em auckland

No geral, há bastante o que fazer em Auckland. No entanto, ainda assim, não recomendo ficar mais que 2 ou 3 dias por lá. Eu dedicaria mais dias a visitar a Ilha Norte ao invés de ficar muitos dias na cidade.

Mais dicas para aproveitar Auckland

Faça seu seguro de viagem.

Eu sei que é aquele tipo de coisa que ninguém quer usar, mas que é importante ter.

Nós usamos o portal SEGUROS PROMO, pois faz cotações trazendo um comparativo de preços e benefícios.

Pra vocês terem idéia, um seguro de 7 dias na Nova Zelândia custa à partir de 76 reais. Não é caro. Eu precisei levar minha filha em uma consulta e custava 90 dólares se precisasse pagar particular. Ou seja, vale a pena

Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto. E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 para ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo.

E outra dica é compre o chip de internet ainda no aeroporto.  Nós compramos da Vodacom. Mas já aivso, que internet móvel na Nova Zelândia não é lá aquelas coisas…

Leia mais sobre a Nova Zelândia

10 dias pela Ilha Sul da Nova Zelândia
5 dias pela Ilha Norte da Nova Zelândia
Queenstown o que fazer com crianças
Se lança para a Nova Zelândia Djáh!
Guia de sobrevivência na Nova Zelândia
Cavernas de Waitomo
Hotel perto do Aeroporto de Auckland
Viajar para a Nova Zelândia com bebês e crianças pequenas
Motorhome na Nova Zelândia: tudo o que você precisa saber antes de ir

 

~ Se Lança ~

10 lugares fotogênicos em Barcelona

Se você está planejando uma viagem a Barcelona e já andou vendo a hashtag de Barcelona no Instagram, acho que você não vai achar um exagero se eu disser que Barcelona é uma das cidades mais lindas do mundo, vai?

A arquitetura dos edifícios, as curvas das praias,  o paisagismo dos parques, os grandes monumentos construídos na época do Modernismo Catalão, deixaram, além de uma herança cultural, uma herança fotogênica que fascina moradores e turistas.

Neste post reuni 10 lugares fotogênicos em Barcelona para te inspirar a fazer fotos bem Instagramáveis durante sua viagem.

No post você também vai conhecer contas de Instagram de meninas que moram em Barcelona e produzem um conteúdo lindo sobre a cidade. Um post pura inspiração, hein?

Se você gostar dessa lista e quiser ver mais lugares, não deixe de ver o ebook digital Guia Barcelona Instagramável onde proponho 6 roteiros que passam por 27 lugares para fazer fotos bem lindas em Barcelona, além de dicas de horários, hashtags, fotógrafos na cidade e muito mais.

1. Sagrada Família

O monumento mais importante de Barcelona é uma igreja, na verdade uma basílica. Sim, a Basílica da Sagrada Família, projeto do arquiteto catalão Antoni Gaudí, está em construção há mais de 130 anos (previsão finalização 2026), é sem dúvidas o ponto turístico mais fotografado da cidade.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por MARTA SIERRA (@marta__sierra) em

No Guia Barcelona Instagramável mostro 3 lugares para fazer fotos junto a Sagrada Família, esse da foto da Marta Sierra é um deles, em frente ao lago na Plaça Gaudí.

Recomendo muito que você entra na Basílica da Sagrada Família, não é barato, mas é algo único no mundo e vale cada centavinho de euro investido, juro.

Clique aqui para garantir seu ingresso.

Melhor horário para fotos na Sagrada Família:

Quanto mais cedo, mais chances de você conseguir fazer suas fotos em paz. Em frente ao lago sempre há umas filas de grupos de turistas, se você chegar no horário de pico, terá que ter um pouco de paciência. Mas aí te re-lembro que você está de férias e todo mundo quer tirar foto no mesmo lugar, então paciência

De terça a quinta o movimento é menor, exceto nos meses de alta temporada, julho a setembro, e final de ano.

2. Casa Batlló

Também construída pelo gênio do Modernismo Catalão, Antoni Gaudí, a Casa Batlló é inspirada na lenda do São Jorge e o Dragão. A fachada da casa lembra as escamas de um dragão, as colunas que sustentam as sacadas fazem alusão a ossos, há flores, cores, texturas, kit completo pra você fazer um click bem colorido e inspirador.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Albert & Raquel (@lanoiadelbarret) em

O tour pela casa é bem sensorial, com audioguia em 3D e vale a pena se você tiver curiosidade para conhecer um pouco mais sobre o Modernismo Catalão e o como este movimento transformou a cidade, assim como conhecer mais sobre Antoni Gaudí. A entrada online custa 4€ menos que comprado na hora.

Economize comprando seu ingresso para Casa Batlló aqui.

Melhor horário para fotos na Casa Batlló:

Essa foto da Raquel do @lanoiadelbarret foi feita bem cedo, antes mesmo do comércio abrir. Quanto mais cedo, mais chances de você conseguir tirar fotos sem muitas pessoas em frente a casa e carros passando na rua. De terça a quinta o movimento é menor.

3. Park Güell

Adivinha de quem é esse parque super Instagramável? Acertou, também foi feito pelo Gaudí. Inspirado na natureza, do mar a montanha, é um parque com flores instagramáveis, azulejos instagramáveis, formas instagramaveis. É lindo, delicado, feminino, colorido, com certeza você vai ficar umas 3 horas fazendo fotos nesse lugar.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por by Soledad Abella (@thebarcelonadiaries) em

Há várias áreas no parque para fazer fotos, porém a Zona Monumental, que é essa da foto da Sol do @thebarcelonadiaries, é paga.

Garanta seu ingresso pro Park Güell aqui.

Melhor horário para fotos no Park Güell:

Assim como quase todos os pontos turístico, quanto mais cedo você for, mais chances de sucesso. Além do que, a luz da manhã também traz um tom mais bonito pras fotos. A dica é: assim que entrar no parque já vá direto pra Zona Monumental, depois explore a área gratuita do parque.

Leia mais sobre as obras de Gaudí no post: Roteiro Gaudí em Barcelona

4. Casa Vicens

A última obra de Gaudí dessa lista, a Casa Vicens foi a primeira casa particular que ele construiu. Antes da Casa Batlló e Casa Milá. Tem um estilo misturado entre o modernismo Catalão e algo de influência árabe, evidenciando uma fase do Gaudí onde ainda estava encontrando seu estilo arquitetônico.

A casa fica em uma rua estreita e movimentada do bairro de Gràcia. Encontrar um ângulo para uma boa foto na sua fachada por ser um pouco frustrante. A parte boa é que não precisa chegar cedo ou fazer fila pra tirar fotos em frente a casa.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Se Lança | Viagem (@selanca.blog) em

Ela foi a última a ser aberta ao público e é bem menos conhecida do que as outras, o que a torna menos movimentada também.

Clique aqui e garanta seu ingresso para Casa Vicens.

Leia mais sobre: Casa Vicens, a primeira casa de Gaudí em Barcelona

Melhor horário para fotos na Casa Vicens:

Por ter menos movimento, você pode chegar a hora que quiser, porém não tire fotos apenas na fachada, as fotos mais bonitas são de dentro da casa. Eu recomendo a visita a Casa Vicens por volta das 12h-14h, pois a posição do sol neste horário favorece a entrada de luz natural na casa.

5. Carrer del Bisbe

Junto a Sagrada Família, a Carrer del Bisbe é um dos cartões postais de Barcelona e um dos lugares mais clicados. É ultra movimentada independente da época do ano, pois está em uma rua de passagem entre a Praça Jaume, onde está a prefeitura de Barcelona e a Praça da Catedral de Barcelona, no meio do bairro Gótico.

Fazer uma foto aqui vai te requerer paciência pra esperar um momento com menos gente passando ou técnicas avançadas de photoshop para retirar algumas pessoas da sua foto, hehe

Ainda assim, o clique vale a pena:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Brigitte Desanne (@brigittedesanne) em

Melhor horário para fotos na Carrer del Bisbe:

Com a luz da manhã e sem ninguém, assim como a foto da Brigitte, só bem cedo mesmo, por volta das 7h da manhã.

6. Palau de la Musica Catalana

É uma sala de concertos de música construída entre 1905-1908 pelo arquiteto Lluís Domènech i Muntaner, professor de Gaudí. Se o cara era o professor do Gaudí você já pode imaginar o que vem por aí, né?

Formas orgânicas inspiradas na natureza, ladrilhos coloridos formando figuras de flores, janelas com cristais coloridos que brincam com a luz natural do sol.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Se Lança | Viagem (@selanca.blog) em


O prédio fica em uma rua super estreita do bairro do Born, bem difícil fazer uma foto da fachada. Recomendo que você entre no espaço da cafeteria e vá até o banheiro, para poder ver um pouco do prédio. Para fazer uma foto entre essas colunas, como a minha, é preciso pagar para fazer o tour. E adivinha? Vale a pena.

Compre aqui o seu tour pelo Palau de la Musica Catalana.

Melhor horário para fotos no Palau de la Musica Catalana:

Por volta das 11h-13h é o melhor horário, por conta da luz natural do sol. Ainda que não incida diretamente no Palau, é a hora do dia que o sol está passando bem perpendicular a ele, trazendo claridade pra sua foto.

O tour pelo Palau tem um número de pessoas limitado por horário, por isso é importante você comprar com antecedência a entrada. Quando estiver no tour, tente sempre ficar por último para fazer as fotos, assim a maioria das pessoas já terá feito seus cliques e sobrará espaço para você tirar fotos sem se preocupar com os figurantes, hehe

7. Parc Ciutadella

Eu havia comentado acima que a Casa Vicens era a última obra de Gaudí dessa lista, né? Pois, então… eu menti haha

A Cascata Monumental do Parque Ciutadella é com certeza a área mais instagramável do parque. Feita por Gaudí, não tinha como ser diferente, né?

No Guia Barcelona Instagramável eu mostro alguns ângulos e lugares para fazer fotos no parque, mas abaixo mostro pra vocês a foto da querida da @milavasconcellos que comprou o nosso guia e arrasou nas fotos que fez em Barcelona.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por ✮ (@milavasconcellos) em

Essa foto da Mila no Ciutadella é uma das minhas preferidas porque mostra como nem sempre a gente vai ter um dia com céu azul lindo pra tirar foto, mas se a gente sabe o ângulo certo, a roupa, a postura e faz uma edição legal, podemos transformar o mood da foto. Todas essas dicas estão no nosso guia

Melhor horário para fotos no Parque Ciutadella:

Eu sempre prefiro fotos de dia com sol. De um jeito fácil de explicar, em Barcelona o sol nasce no mar e se põe na montanha. Ele estará passando por cima do Parque Ciutadella, entre 8h-15h no inverno e entre 9h-17h no verão.

Aproveita que tá no parque e faz uma pausa pra um pic-nic.

8. Bunkers del Carmel

O que um dia já foi um refúgio militar utilizado durante a Guerra Civil Espanhola, hoje, as ruínas dos Bunkers del Carmel, são um dos lugares mais trendys da cidade única e exclusivamente por conta da super vista panorâmica de Barcelona e do mar mediterrâneo que banha a cidade. É um local público e não paga nada pra entrar.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Se Lança | Viagem (@selanca.blog) em

Melhor horário para fotos no Bunkers del Carmel:

O dia todo, o ideal é você programar de ir em um dia que a previsão do tempo seja de sol firme e poucas nuvens no céu, já que o ponto alto de ir fazer foto no bunker é a vista.

Importante: aos finais de semana lota muuuuito, principalmente no fim da tarde onde os xóvens se reunem para estourar um banza e ver o por do sol. Aqui só trabalhamos com verdades. And, nada contra.

9. Recinto Modernista Hospital Sant Pau

Não rejeite a ideia ao ler a palavra hospital. Apesar de ser ter sido construído e funcionado como um dos principais hospitais de Barcelona, hoje, o local carrega apenas a graça de ser um dos edifícios Modernistas mais bonitos abertos ao público. Difícil é imaginar que aquilo tudo, um dia foi um hospital de verdade.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Sol ☼ (@ssolalessa) em


Também construído pelo arquiteto Lluís Domènech i Muntaner, o Hospital Sant Pau fica em uma das extremidades da Avenida Gaudí, a outra é a Sagrada Família. Então fica a dica de um roteiro, faça Sagrada Família e na sequencia suba até o Sant Pau.

É umas das pérolas do modernismo Catalão e patrimônio da Unesco, tamanha beleza e inovação arquitetônica pra época. São vários espaços que se pode visitar, desde sala de cirurgia a sala de concertos. No Guia Barcelona Instagramável eu mostro alguns espaços e ângulos bem lindos para fotografar.

Compre aqui seu ingresso para entrar no Recinto Modernista Hospital Sant Pau.

Melhor horário para fotos no Hospital Sant Pau:

Entre 10h-14h você terá a luz natural do sol mais linda incidindo sobre o Hospital Sant Pau. Vai na fé.

10. Tibidabo

O Tibidabo é uma parque de diversões que fica na montanha de Tibidabo, o ponto mais alto de Barcelona.

Foi construído em 1899 e inaugurado em 1905, época que o modernismo catalão estava bombando. As características dessa época são presentes até hoje no estilo de decoração e até mesmo nos tipos de brinquedos do parque. É meio vintage e super nostálgico.

O parque é um dos mais antigos do mundo ainda em funcionamento e subir até ele, apesar de longe, é recompensador. Tem uma das vistas mais bonitas da cidade, parecida as do Bunker, porém mais alto.

Olha só quem foi fazer fotos comigo lá no Tibidado:

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por Amandinha • Prefiro Viajar (@prefiroviajar) em

Nos meses de verão é preciso pagar o acesso a área panorâmica, que é essa aí da foto da Amandinha do @prefiroviajar. Nos outros meses do ano, somente o acesso aos brinquedos é pago.

Compre aqui seu ingresso para o parque de diversões Tibidabo.

Melhor horário para fotos no Tibidabo:

O dia todo, o ideal é você programar de ir em um dia que a previsão do tempo seja de sol firme e poucas nuvens no céu pra que as fotos captem bem a vista da cidade.

 

Se você ainda não reservou seu hotel em Barcelona, veja nossas dicas dos melhores bairro e hoteis para se hospedar em Barcelona aqui.

 

Espero que tenha gostado da lista de 10 lugares fotogênicos em Barcelona. Comenta nesse post se você gostou.

E não esqueça que no Guia Barcelona Instagramável tem mais 27 lugares divididos em 6 roteiros para fazer fotos bem lindas em Barcelona, além de dicas de horários, hashtags, fotógrafos na cidade e muito mais.

Barcelona Guia de viagem Compre e Ganhe
COMPRE E GANHE: COMPRE O GUIA DE LUGARES ESPECIAIS PARA TIRAR FOTOS e GANHE O GUIA TURISTÍCO DE BARCELONA, CLIQUE AQUI E GARANTA O SEU

E se você quiser aprender mais sobre luz, ângulos e alguns segredinhos que podem te ajudar a fazer fotos mais bonitas usando apenas o seu celular, leia o post 7 dicas para arrasar nas fotos com o celular.

 

Leia também: 5 lugares diferentes para conhecer em Barcelona

 

LEMBRETE

Seguro de viagem é obrigatório para alguns países da Europa. Nós usamos o portal SEGUROS PROMO, pois faz cotações com várias seguradoras trazendo um comparativo de preços e benefícios.

Pra vocês terem idéia, um seguro de 7 dias na Europa custa à partir de 55 reais. Não é caro.
Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto).
É só inserir o cupom SELANCA5 para ganhar.
Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

 

Outros posts sobre Barcelona que podem te interessar:

As melhores praias de Barcelona
Roteiro Gaudí em Barcelona
Onde comer Paella em Barcelona
Como visitar o estádio do Barcelona, o famoso Camp Nou
Roteiro de 3 dias em Barcelona
Onde comer tapas em Barcelona
Roteiro de 1 dia em Barcelona
Como ir do aeroporto ao centro de Barcelona
5 melhores praias perto de Barcelona na Costa Brava
Como ir de Barcelona a Paris em trem

Melbourne, o que fazer e roteiro de 3 dias

Esra cidade me surpreendeu por ser uma megalópole, eu não eperava! Leia neste post sobre: Melbourne, o que fazer e nossa veja nossa sugestão de roteiro de 3 a 4 dias. Um roteiro de 3 dias em Melbourne já dá pra ter uma idéia legal da vida na cidade e conhecer várias atrações turísticas.

Leia o post completo ou clique para ir direto:

Roteiro de 3 ou 4 dias em Melbourne

  • 1o DIA – Australia Open
  • 2o DIA – Queen Victoria Market + Melbourne Museum + Street Art
  • 3o DIA – Spencer Outlet + Docklands
  • 4o DIA – South Wharf, Southbank + Jardim Botânico

Na verdade meu roteiro são de 4 dias em Melbourne porque fui em Janeiro e tive a opotunidade de assistir ao Open da Australia de tênis.

Se for em janeiro também, já anota essa dica, se não, siga o roteiro à partir do dia 2.

Se você precisa de um roteiro de 2 dias em Melbourne, junte o dia 3 + 4 de uma maneira mais corrida ou seletiva.

1 dia – Australia Open

Um dos maiores eventos mundiais de tênis é o Australia Open, em português: Aberto da Austrália. (Pra quem não sabia – como eu – os outros grandes eventos de tênis são Wimbledon, Roland Garros e US Open).

São 2 semanas de competições – masculino e feminino. Os jogos acontecem o dia todo e simultaneamente em várias arenas e quadras. O ingresso geral te dá acesso à área comum e às quadras menos famosas. Pra entrar em um jogo TOP, tem que comprar o ingresso separado, e esse pode ficar bem salgado – tipo uns 200 dólares. Nosso ingresso na geral custou 50 dólares australianos e as crianças entraram de graça.

A galera da geral pode entrar em alguns jogos mais selecionados mas tem que ficar esperando numa fila, quando vaga lugar. A gente ficou uns 45 minutos na fila da Melbourne Arena e conseguimos assistir aos últimos 2 sets do jogo do austríaco Thiem – que descobrimos depois é o quinto no ranking mundial.

Além dos jogos, o espaço é super animado e legal. Tem váááários restaurantes, bares, espaço kids (onde inclusive as crianças batem uma bolinha), tem palco de show, lojas e muita – mas muita gente andando pra cima e pra baixo.

É um mega evento que vale super a pena conhecer – até pra quem não manja nada do esporte. Que era meu caso, mas depois da minha experiência, saí um pouco mais iluminada no assunto.

Fica de olho nas datas no site oficial: AO.

2 dia – Queen Victoria Market, Melbourne Museum, Street art

Queen Victoria Market – me surpreendi com este mercadão. É enorme, tem muitas lojas de roupas, souvenir, coisinhas fofas, cafés, praça de alimentação, açougue, frutas e etc.

Mas o mercado é super organizado, limpo e as coisas que tem lá pra vender são realmente mais baratas e de qualidade.

Atenção aos dias de funcionamento: terça, quinta, sexta, sábado e domingo. Nas quartas-feiras tem a feira noturna. Endereço: na Queen St.

Passamos a manhã no mercado, almoçamos lá e fomos ao museu, pois é bem pertinho.

Queen Victoria Market

Melbourne Museum – é o museu de história natural e cultura. Um dos melhores que já conheci. É uma excelente programação especialmente para quem tem crianças. Além do assunto dinossauros e bichos despertarem a curiosidade de todos, tem uma área interativa para os pequenos de até 5 anos brincarem.

Vale super a pena conhecer, recomendo para todos, com ou sem crianças. Pagamos 15 AUD por adulto e crianças até 16 anos não pagam.

Endereço: 11 Nicholson St. Aberto diariamente das 10:00 às 17:00.

Museu de Melbourne

Street Art – na volta do museu, passamos em alguns pontos de arte de rua. Sinceramente, foi um pouco decepcionante, mas como era caminho pra casa – não custou nada passar.

O beco mais famoso é o AC/DC lane.

Quem gosta muito do assunto, pode baixar este guia em PDF: Melbourne_StreetArt.pdf com todos os pontos artísticos.

AC/DC Lane

3 dia – Spencer outlet, Docklands

Spencer Outlet – me surpreendeu este shopping. Tem muitas lojas e com preços ótimos. Vale super a pena pra quem quer fazer comprinhas. Camisetas de 5 AUD pras crianças no Cotton On, tênis à partir de 50 aud na New Balance, Fila, Skechers e um tanto de outras lojas de sapatos. Tem roupas das marcas australianas com Rip Curl e Volcom. Além de lojas de casa, departamento e etc.

Com praça de alimentação e loja outlet da Lindt yummy!

Endereço: 201 Spencer St. Abre todos os dias às 10 da manhã e fica aberto até às 18 – com exceção de quinta e sexta que fica aberto até às 19.

Docklands – um pier com restaurantes, um shopping e uma roda gigante. Sinceridade seja dita, ficamos um pouco decepcionados, achamos tudo meio vazio. Mas pode ter sido eu quem fui no horário errado.

De qualquer maneira, tomamos um cerveja com vista para o pier – que foi bem bacana. Depois caminhamos pelo shopping e tomamos um sorvete.

A roda gigante Star Observation Wheel, é a principal atração. Meia hora de passeio com vistas para toda a cidade. O ingresso custa 36 AUD e pode ser comprado com antecedência neste link. Depois é só apresentar o voucher no celular.

Star Observation Wheel

4 dia – South Wharf, Southbank, Royal Botanic Gardens

South Wharf – uma das áreas mais vibrantes e legais da cidade. Tem muitos restaurantes e bares na beira do rio, mas muitos mesmo! E todos pareciam lotados de gente. Vale super a pena se planejar pra almoçar – ou melhor ainda – curtir um fim de tarde no South Wharf. Mas chegue cedo pra pegar uma mesa legal.

Southbank – Além dos restaurantes tem um shopping e artistas de rua. A caminhada pela beira-rio é muito legal.

Royal Botanic Gardens – um enorme parque no meio da cidade. Bonito para caminhar, descansar ou fazer um piquenique. Infelizmente não encontramos nenhum parquinho infantil, só o gramado, laguinhos e patinhos. Fique de olho na programação no site, quem sabe na data da sua viagem tem algum evento legal rolando no parque.

O que fazer em Melbourne com crianças

O melhor passeio com as crianças foi sem dúvida o Museu de Melbourne. Foi simplesmente sensacional, elas amaram brincar lá, ver os animais, fósseis, planetas e etc. Um “must go” para famílias.

Nós aproveitamos os parquinhos da cidade também. Fomos no parquinho da Flagstaff Gardens, que fica bem ao lado do Queen Victoria Market. (entre as ruas King e William).

 

🚑 Atenção: veja aqui um post sobre Seguro de viagem Internacional e vá pra Australia sem preocupação.

Atrações para as crianças em Melbourne:

* Luna Park e St Kilda Beach – o mesmo Luna Park de Sydney, com brinquedos cheio de pisca-pisca e animação. Carrosel, montanha russa e etc. O parque fica em St Kilda, então aproveite e já conheça a praia.

* Collingwood children’s farm – um programa de local! É uma fazenda dentro da cidade. As crianças podem tirar leite da vaca e conhecer outros animais da fazenda. Adulto paga 12 AUD para entrar e criança 7.

* Sea Life Aquário – esse fica bem no centro da cidade, mas não fomos por achar o ingresso caro – 44 AUD. Mas claro que é um passeio maravilhoso para fazer com os pequenos, só tirar o escorpião do bolso e comprar antecipado aqui 😉

* Zoológico Werribee – um zoológico ao ar livre onde se faz um safari para conhecê-los. Atenção para economizar: nos fins de semana crianças menores de 16 anos não pagam o ingresso de 38 AUD. Durante a semana somente os menores de 3 anos entram grátis. Compre o ingresso antecipado aqui. 

* Legoland – um espaço com estátuas e maquetes feitas de legos, 2 “rides”, além de 11 espaços de brincar super criativo com os legos. A entrada custa 32,50 AUD, mas a vale a pena entrar e ver os preços no site oficial antes de ir – tem certos dias e horários que tem desconto.

Para ainda mais dicas do que fazer com crianças em Melbourne leia esse post do blog Kids2gether.

Onde ficar em Melbourne

Eu havia lido nas minhas pesquisas que o melhor lugar para ficar era na movimentada Flinders St. Pegamos um apart-hotel e no fim foi uma boa opção por ser no meio do caminho para as atrações turísticas.

O bom de ficar na Flinders é que tem um TRAM que é grátis que passa nela. Este tram circula pelo centro da cidade e você subir e descer à vontade desde que não saia da zona grátis. O resto fizemos tudo à pé!

Este foi nosso apartamento: City Lights. O apartamento era completo com cozinha e máquina de lavar/secar. Cozinhar em casa sempre quebra um galho! Tinha uma vista linda do rio. A cama era muito confortável, mas o sofá cama para as crianças não. Acabamos colocando o colchão no chão e deu tudo certo. Achei um bom custo x benefício no final.

Veja mais opções de hospedagem em Melbourne aqui.

Passeios bate-e-volta de Melbourne

A coisa que mais tem são passeios de 1 dia na região, bate-e-volta da cidade. Eu fiquei aguando em fazer todos estes que eu pesquisei. Mas, eu particularmente não fui porque são passeios muito demorados e eu estava com minha filha de 1 ano que não iria aguentar…

Vai ficar para a próxima, mas seguem as dicas:

Phillip Island – o ponto alto deste passeio é ver um desfile de pinguins, que saem todos os dias por volta das 17h e marcham pela ilha.

Yarra Valley – região produtora de vinhos. Aproveite o dia para conhecer vinícolas, degustar vinhos e almoçar na região do rio de mesmo nome, Yarra. Esse passeio tem visita às vinícolas e fazendas, degustando além dos vinhos queijos e chocolates. O preço inclui um almoço gourmet na vinícola também. Atenção – estes passeio não é recomendado para fazer com pequenos =(

Great Ocean Roads e 12 Apóstolosesse é o passeio mais clássico. TEM QUE SER FEITO! O que mais me doeu no coração perder. Se tiver que escolher só um, é este. Uma das estradas mais lindas da Austrália, cheia de praias, florestas e belezas de tirar o fôlego. São

12 Apóstolos – Foto por Hugo Kruip no Unsplash

Aluguel de carro para os passeios de um dia

Outra opção ao invés de fazer passeios com operadoras, é alugar um carro e fazer tudo por conta própria.

Fica mais barato dependendo do número de pessoas viajando no seu grupo. Outra vantagem é ter mais liberdade.

A desvantagem é perder todo conhecimento que o guia te passa, além de ir mais relaxado não tendo que se preocupar com direção – que na Austrália é mão inglesa. De qualquer maneira, orçe agora um aluguel de carro no RentCars e veja o que vale mais a pena pra você.

Ufa! Tem coisa pra fazer nesta cidade e região né?!

Leia mais um post relacionado:

Sydney com crianças: 7 atrações imperdíveis
Guia de sobrevivência na Nova Zelândia
10 dias pela Ilha Sul da Nova Zelândia
5 dias pela Ilha Norte da Nova Zelândia
Viajar para a Nova Caledônia, dicas antes de partir
7 dicas para tirar lindas fotos de viagem com o celular
Seguro de Viagem Internacional – vale a pena?
Sua saúde e farmácia de viagem

Se ficou alguma dúvida ou se quiser apenas deixar um palavrinha carinhosa pra gente, escreva nos comentários aqui abaixo.

Ah, e não deixe de seguir nossas andanças pelo mundo no Instagram. Sempre tem dica boa por lá também.

~ Se Lança ~

Sydney com crianças: 7 atrações imperdíveis

Sydney é uma excelente cidade para viajar com as crianças. Sydney com crianças é agradável, muitas opções de lazer, clima agradável, praias próximas, parques e etc. Eu adoro conhecer cidades que levaram as necessidades das crianças em consideração em seu planejamento urbano.

Essa é uma lista dos lugares que fomos as crianças com 1 e 4 anos e que recomendamos para os pequenos e maiores também.

O que fazer em Sydney com crianças

1. Darling Harbour

Um excelente centro de entretenimento em Sydney. Lá tem pavilhão de eventos, restaurantes, lojas, jardim chinês, pedalinho, parquinho, aquário, mini zoológico, museu de cera e o pier em si.

É coisa pra caramba pra fazer, e se quiser ver tudo, tem que passar o dia todo lá.

Um dos pontos altos é o parquinho, além da área com balanço e trepadeiras, tem uma área aquática. Leve roupa de banho e uma toalha. É como se fosse uma grande poça de água. São três dedos de água pras crianças correrem e se molharem. Elas adoram.

Depois vale a pena sentar pra comer e aproveitar o fim de tarde. No restaurante Fratelli Fresh (na parte nova) as crianças comem de graça todos os dias. Basta comprar um prato adulto que tem um prato kids grátis junto. Se programe pois às segundas-feiras tem disconto de 50% no prato adulto.

E é lá que se encontra o Hard Rock Cafe, o queridinho dos brasileiros, esse fica na parte antig, perto do pier.

Ou seja, diversão não falta!

2. Powerhouse Museum

O museu aplicado de artes e ciência de Sydney é muito bacana. As crianças (até 16 anos) entram de graça, adultos pagam 15 AUD.

Tem trens antigos, aviões, motos, foguetes, máquinas antigas e tudo mais que um tunel do tempo pode ter. No entanto, a melhor parte são as áreas interativas.

As crianças podem fazer experimentos e ao mesmo tempo aprender sobre eletricidade, magnetismo, mecânica, robótica, além da área digital interativa.

Vale a pena passar umas 2 horas no museu.

Museu de ciência e tecnologia de Sydney

3. Maritime Museum

O museu marítimo é sensaional para ir com crianças. Lá é possível entrar em um submarino e navio de guerra e conhecer tudo por dentro. No entanto, crianças menores de 85 cm não podem entrar.

Tem um cinema 3D com os “monstros marinhos” e uma exposição de mesmo tema – que são os animais aquáticos pré-históricos. Muito interessante, além da exposição ser também interativa.

No museu tem também a exposição permanente que traz diversos objetos usados na navegação além de objetos pessoais de tripulantes e passageiros usados em navios. Para as crianças pequenas tem uma área de brincar.

Além disso, tem uma área de atividades para crianças (pescaria, montar bichos de papel, etc) que é inclusa quando compra-se um ingresso.

A exposição permanente do museu é grátis, mas nós compramos o ingresso de 25 AUD por adulto para ter acesso à todas às áreas (navios, cinema 3D e exposições temporárias). O museu fica no Darling Harbour.

4. Manly Beach

Conhecer a praia australiana é um programa mandatório. Manly Beach é menos famosa que a badalada Bondi Beach, mas é linda igual.

Manly é mais kids friendly na minha opinião. Apesar da orla de Bondi ter mais opções de restaurantes e lojas, Manly não deixa a desejar no quesito.

Ambas as praias são de extensa areia branca e mar bravo. A diferença é que em Manly existem muitas outras “prainhas” que não tem onda. Sugiro Shelly Beach e Manly Cove. Outra opção bacana em Manly é a piscina de pedra Fairy Bower Pool.

Ao lado da piscina tem uma ducha de água doce, trocador e banheiro.

Pra chegar em Manly tem que pegar o ferry na Circular Quay – o que por si só já é um passeio. No ferry é que se tem uma linda vista da Ópera House – prepare a máquina. Nós pegamos o fast ferry, que custou 9,90 por adulto. Foi tão rápido que mal deu pra tirar as fotos do caminho, chegamos em 10 minutinhos. O ferry comum leva uns 20 minutos e custa 7.60 AUD.

5. Taronga Zoo

Um dos programas preferidos das crianças. Eu particularmente não curto muito um zoo, mas como não levar as crianças pra verem coalas e cangurus? E além desses, encontra-se por lá outros animais nativos da Austrália, como o Taz e o ornitorrinco, além de roedores, pássaros e etc.

O zoo conta também com elefantes, girafas, gorilas e até nossas capivaras. Tem pinguins e show de focas.

Um atrativo bacana é fazer o “sky safari” – que nada mais é que uma votla de teleférico sobre o zoológico de Sydney.

É um passeio de um dia todo, bastante cansativo. Recomendo levar o carrinho, mesmo para as crianças um pouco maiores. Se você não tiver, a loja da entrada aluga por 15 AUD o dia. Leve uma garrafa de água, lá tem muitos bebedores espalhados para reabastecer. E capriche no protetor solar e tênis confortável.

Dica preciosa: compre o ingresso antecipado neste link. Além de evitar fila, alguns dias tem até desconto. Eu paguei 49 AUD lá na hora e no link estava 44. Não precisa nem imprimir, só salvar a entrada no celular.

Para chegar pegue o ônibus M30 – é a última parada. Outra opção é pegar um ferry no Circular Quay.

6. Royal Botanic Gardens

Jardim lindo e super bem cuidado – é o jardim botânico mais antigo da Austrália. Muito gostoso para passear e fazer um piquenique. Lá dentro tem também um café e lojinha. Tem banheiros e bebedouros.

Infelizmente não tem parquinho infantil, mas tem um trenzinho que passeia pelo parque. Custa 10 AUD. Eu queria muito ter feito o passeio, mas a fila de espera estava muito grande.

Dica: na pontinha do parque, em direção ao ponto ” Mrs Macquarie’s Chair” tem-se uma das vistas mais lindas da Ópera House e Harbour Bridge.

7. Australian Museum

Este aqui eu deixo de dica para vocês conhecerem e me contarem depois. Infelizmente ele está fechado para reforma por todo primeiro semestre de 2020. Perdi.

O que me atraiu nele foi a idéia de ver fósseis de dinossauros e conhecer sobre a história da Austrália.

Entre no site do museu (aqui) e veja se já re-abriram antes de ir.

Outras atrações em Sydney com crianças:

Essa lista acima são as atrações que eu daria prioridade, mas segue uma listinha de outras idéias.

* Art Gallery of NSW – o museu de arte da cidade, sempre tem várias atividades para as crianças. Confere no site antes de ir. A exposição permanente é gratuita. Eu gostei bastante.

* Centennial Parklands – alugar uma bicicleta e andar pelo parque – além de brincar no maior parque de natureza da cidade.

* Sea Life Aquarium – o aquário de Sydney que está no Darling Harbour. Tem tubarões, tartarugas, arrais e mais de 600 espécies. A fila é ENORME. Vale a pena comprar o ingresso antecipado. Eu não fui pois achei muito caro, 40 AUD. Outra opção é comprar o ingresso do aquário casado com outra atração (wild life, madame tussauds ou torre 360), aí sai por 60 AUS, ou seja, 30 cada.

* Wild Life Sydney – um pequeno zoo ao lado do aquário no Darling Harbour.

* Madame Tussauds – o museu de cera.

* The Grounds of Alexandria – o restaurante mais lindo que já conheci. São na verdade dois restaurantes em um espaço de jardim maravilhoso. No recinto tem também uma padaria e floricultura. É ótimo pra tirar fotos. A lado ruim é que é fora de mão e longe de qualquer outra atração turística.

* Escalar a Harbour Bridge – essa é para os adolescentes. É possível subir a torre da Harbour Bridge com uma excursão guiada, custa por volta de 170 AUD por pessoa. É caro, mas tem-se vistas espetaculares além da adrenalina claro. (Não recomendado para menores de 8 anos).

à esquerda e centro: Galeria de Arte de NSW / à direita: Grounds of Alexandria

 

🚑 Atenção: veja aqui um post sobre Seguro de Viagem Internacional e vá pra Australia sem preocupação

 

E você, tem alguma dica pra nos deixar?!

 

Leia mais um post:

10 dias pela Ilha Sul da Nova Zelândia
5 dias pela Ilha Norte da Nova Zelândia
Se lança para a Nova Zelândia Djáh!
Guia de sobrevivência na Nova Zelândia
Cavernas de Waitomo
Hotel perto do Aeroporto de Auckland
Ilot Maitre, ilhota perto de Noumea
Noumea com crianças, melhores passeios
Ilha dos Pinhos na Nova Caledônia

Narbonne e Les Grands Buffets

Quando você começar a planejar sua viagem pra Barcelona tenha em mente que vale a pena considerar pelo menos um dia pra fazer um tipo de turismo que é bem diferente pra nós, brasileiros: a possibilidade de fazer bate e volta de trem.

Devido a posição geográfica da Catalunha, bem ao norte da Espanha, fazendo fronteira com a França, há uma infinidade de pequenas e históricas cidades tanto na Catalunha como no sul da França que merecem ganhar o seu roteiro e uma delas é a charmosa Narbonne.

Narbonne ou Narbona, em português, é uma cidadezinha do sul da França e ainda bem pouco conhecida pelos brasileiros. A cidade fica há 2 horas de trem bala desde Barcelona e é uma ótima opção pra quem quer aproveitar a estadia em Barcelona para conhecer algo mais.

narbonne-e-grands-buffets-centre-ville
Narbona já foi parte Império Romano que dominou inúmeras cidades do mediterrâneo do século I ao V d.c. Traços desse época são vistos a céu aberto em um passeio pelo centro da cidade, com pedaços de colunas romanas (foto esquerda) e a réplica da lenda da Loba que deu origem a Roma (foto direita).

E algo mais é justamente o que a cidade oferece. Além de ser uma cidade com uma bagagem histórica do período do Império Romano que pode ser visto passeando pelo centro da cidade, Narbona conta também com um grande atrativo gastronômico: o primeiro restaurante buffet livre da França, o Les Grands Buffets.

Hmmm grandes coisas “buffet livre”, você pode estar pensando.
Gente, atenção, é um buffet livre na França, então esqueça qualquer conceito que você tenha sobre buffet livre, porque o que vou te mostrar neste post é na verdade uma orgia gastronômica.

Roteiro de 1 dia em Narbona: como chegar, o que fazer na cidade e o Les Grands Buffets

Como chegar em Narbonne?

Para chegar a Narbona em um bate e volta sucesso desde Barcelona você terá que pegar um trem bala na estação de Sants. O trem é operado pela empresa Renfe-SNCF, você precisa comprar a passagem pelo site da empresa com antecedência e chegar no dia da viagem 15 minutos antes do trem partir.

Os trens Barcelona-Narbonne saem diariamente da estação de Sants. Esses trens conectam na verdade Madrid a Paris, sendo Barcelona e Narbonne algumas das paradas.

narbonne-e-grands-buffets-renfe
Principais cidades de parada do trem bala da Renfe-SNCF que liga Espanha a França: Madrid, Barcelona, Girona, Figueres, Perpignan, Narbonne, Montpellier, Lyon, Paris.

Aliás, fica aqui mais essa dica pra quem esteja planejando uma eurotrip: você pode optar por fazer o trecho Barcelona-Paris de trem. Eu já fiz essa viagem e escrevi como foi a experiência neste post.

Eu peguei o trem que sai da estação de Sants em Barcelona as 10h15 da manhã e em 1h59minutos exatamente, cheguei em Narbonne. Pra voltar, escolha qualquer trem após as 18h que dará tempo suficiente de fazer esse roteiro + almoço no Les Grands Buffets.

O que fazer em Narbonne?

Narbona é uma cidade pequena de 55 mil habitantes, não há muito o que se fazer por lá, por isso passar um dia na cidade já é o suficiente, mas Narbona já foi um importante porto na época do Império Romano que dominou inúmeras cidades do mediterrâneo do século I ao V d.c.

Essa bagagem histórica tornou a cidade um ponto turístico da região da Occitania, no sul da França. Relíquias do período serão expostas dentro de alguns meses com a abertura do Musée de la Romanité (Museu Romano de Narbona), projetado pelo arquiteto Norman Foster (arquiteto do estádio do Camp Nou em Barcelona).

Após sair da estação de trem, siga as placas caminhando em direção ao Centre de Ville, que é o centro da cidade. Lá você poderá ver os principais pontos turísticos da cidade:

Cathédrale Saint-Just et Saint-Pasteur

É a 3ª catedral de estilo gótico mais alta da França e sua construção começou no ano 1272, porém o projeto nunca foi concluído, porque para isso teriam que derrubar parte da muralha da cidade. Por isso o que acabamos vendo dela é  somente essa parte lateral da foto. A Catedral é aberta ao público e a entrada é gratuita, tanta a catedral quanto ao jardim.

narbonne-e-grands-buffets-catedral
Cathédrale Saint-Just et Saint-Pasteur

Canal de la Robine

Continue caminhando, passe pela praça da Prefeitura, pela Via Domitia, e siga em direção ao Canal de la Robine, até chegar em uma espécie de calçadão de pedestres as margens do rio Aude. Este é o Cana de la Robine.

narbonne-e-grands-buffets-canal-robine
Canal de la Robine e Pont des Marchands

Este canal foi construído no século XVII e é hoje patrimônio mundial da Unesco. Ele liga o rio Aude ao canal midi e este ao Mar Mediterrâneo favorecendo a troca de mercadorias na época.

As quintas-feiras e domingos você irá encontrar feirinha de produtos locais ao longo do canal.

Pont des Marchands

Atravessando o canal, você poderá ver a Pont des Marchands (ponte dos comerciantes). Ela foi construída entre a antiga cidade romana de Narbo Martius, na margem direita do rio, e a antiga vila medieval na margem esquerda. Na época romana, a ponte tinha seis arcos, mas atualmente só tem um, cerca de 15 m. É uma das poucas pontes ainda habitadas da França. Repare nas casinhas acima dela.

Les Halles Marché

Do outro lado do Canal de la Robine você verá um imponente edifício em estilo artnoveau. Construído no século XX, este é o mercadão municipal de Narbona. Lá você encontrará tudo o que há de bom na França: queijos, vinhos e pães. Além disso, há alguns restaurantes especializados em frutos do mar. Aconselho que você aguente a larica e reserve sua fome para o tesouro gastronômico de Narbona e assunto do nosso próximo tópico.

narbonne-e-grands-buffets-les-halles
Les Halles Marché

🏨 Dica: Se você curtiu Narbonne e quiser dormir uma noite na cidade pra aproveitar com mais calma, clique aqui e veja algumas opções de hospedagem

Les Grands Buffets: o tesouro gastronômico do sul da França

Depois dessa passeada a pé pelo centro de Narbona, é hora de matar quem está te matando: a fome!

Do Les Halles, pegue um táxi com destino ao primeiro buffet livre da França, o Les Grands Buffets. São menos de 10 minutos de táxi, não sai mais de 10€.

Ao chegar você vai achar que eu te enganei, mas não julgue um livro pela capa.
A entrada é bem comum, uma espécie de meia-pirâmide do Louvre que não dá pra entender bem se chegou ao lugar certo ou não. Sim, você chegou!

narbonne-e-grands-buffets-entrada
Entrada do Les Grands Buffets

Ao entrar, a hostess irá te receber a la francesa (educada, delicada, sorridente), pedir sua reserva (sim, é preciso reservar antes de ir) e te explicar como funciona enquanto apresenta a casa, que eu acho mais digno chamar de palácio.

Essa foi a impressão que tive ao entrar no restaurante, um palácio. Eu esperava algo no estilo buffet livre que conhecemos muito bem no Brasil, mas ao entrar, parecia que estava chegando para almoçar no salão do Palácio de Versailles a convite da Maria Antonieta. Não tô zuando.

narbonne-e-grands-buffets-interior
Alguns detalhes da decoração do salão principal do Les Grands Buffets, parece ou não um palácio?

O grande diferencial do lugar é o seguinte: tem comida pra todo mundo, a vontade, com grande variedade e máxima qualidade.

O restaurante se orgulha de ter a maior oferta de queijos franceses e do mundo, são 111 variedades pra provar assim, livremente, com direito até a dicas de um especialista que está ali solicito pra te apresentar a sessão de queijos.

A oferta é realmente a maior oferecida por um restaurante e isso aparentemente é tão impressionante que estão a ponto de entrar para o Guiness Book.

narbonne-e-grands-buffets-queijos
Mais de 111 variedades de queijos do mundo todo, mas principalmente da França

Além dos queijos, o restaurante ostenta ainda: uma cascata de lagostas, algumas quantas variedades de pata de jamón com diferentes anos de maturação, área de carnes assadas de todos os tipos, pratos quentes típicos da culinária francesa como ovo bio poché ao molho de vinho (maravilhoooooso), vegetais cultivados na região e livre de agrotóxicos and uma parte onde me acabei: mais de 100 diferentes doces, com direito a fonte de chocolate e tudo.

Perdi a classe na sobremesa, confesso. Voltei com dois pratos, a foto abaixo não me deixa mentir 🙈

narbonne-e-grands-buffets-doces

O restaurante atende em média 600 pessoas para almoço e 600 para jantar. No verão esses números sobem pra 1000 pessoas por período. No entanto você não se sentirá em um lugar barulhento. Não sei o que acontece com o som ambiente lá, talvez seja o efeito sonoro do palácio 😜

Tem ambiente Kids para os papais que queiram comer em paz enquanto os filhos se divertem. E outro diferencial legal é que criança até 5 anos não pagam.

Por falar em pagar, essa orgia gastronômica toda é super acessível. Por 37,90€, você come o que quiser e o quanto quiser.

As bebidas são a parte e valem cada centavo. Assim como tudo o que o Les Grands Buffets oferece, os vinhos também são franceses e de vinícolas próximas.

Quando você pedir uma taça de vinho, repare nas sutilezas. Ela virá com o nome do vinho e da vinícola. Se você quiser levar uma caixa do vinho pra casa, saiba que o preço será o mesmo, sim, o mesmo, se fosse comprado na vinícola, e de quebra, não pagará pelo vinho que tomou. A ideia é estimular as pessoas a conhecerem e valorizarem os vinhos da região.

Comer no Les Grands Buffets é como se estivesse comendo em sua casa, em um grande almoço de domingo em família.

Não sei você, mas só de escrever esse post, já estou morrendo de fome e de vontade de ir ao Les Grands Buffets de novo.

Me conta aqui nos comentários como eu deixei as suas lombrigas? As minhas estão revoltadíssimas!

Ah, e não esquece o mais importante de tudo: tem que fazer reserva com antecedência. Deixo o link direto pra reserva do Les Grands Buffets aqui.

 

Leia também: Seguro de viagem Internacional e vá pra Europa sem preocupação.

Veja aqui outros posts que podem te interessar:

Como ir de Barcelona a Paris em trem
Roteiro de 3 dias em Barcelona
5 melhores praias perto de Barcelona na Costa Brava
Roteiro de 1 semana no sul da França
Fast-Paris: o que fazer em 3 dias

Dê uma olhada também em nosso exclusivo Guia de Viagem Se Lança para Barcelona e tenha no seu celular todas as dicas para desfrutar de tudo o que Barcelona tem a oferecer.

 

Nota: O Se Lança viajou a Narbonne de trem a convite da Renfe-SNCF. Este conteúdo foi criado com base na experiência da viagem como um todo, sem interferência da empresa nas opiniões expressas no texto.

 

~ Se Lança ~

O que conhecer em Tóquio: 5 lugares imperdíveis

Um post rápido e direto ao ponto: o que conhecer em Tóquio, ou pelo menos, 5 lugares que são imperdíveis e deveriam estar no roteiro de todo mundo que vai a capital do Japão.

Inumeráveis templos, museus, restaurantes, cafés, bairros, lojas, comidas, artesanatos… e tudo isso é somado a um nível cultural que eleva qualquer padrão que você achava conhecer sobre qualidade e expertise, a outro patamar. Essa é Tóquio.

Tóquio é uma cidade que me surpreendeu absurdamente, acho que já deu pra perceber bem isso em todos os meus posts sobre Tóquio, né?

Então vamos lá, abaixo os 5 lugares que mais amei conhecer em Tóquio e que amaria ter a chance de voltar.

O que conhecer em Tóquio: 5 lugares imperdíveis

1.HARAKUJU&TAKASHITA STREET:

Harakuju é o bairro onde o que nós do ocidente pensamos sobre o futuro acontece, ali mesmo, no presente. É o bairro da moda, a da moda vintage misturada com a moda futurística. É hipster, é a zona de adolescentes criativos, irreverentes. Jovens que tem coragem o suficiente de desafiar milênios de um comportamento padrão e repleto de tabus e expor a sua personalidade através de suas roupas, cabelos, jeito de andar.

Vá passear pelo bairro de Harajuku e principalmente pela Takashita Street se você quiser ver cosplays e comer algodão doce colorido. Quando entrei nessa rua, tive a certeza que estava entrando em um jogo de videogame e não queria mais sair.

o-que-conhecer-em-Tóquio-harakuju
Takashita Street no bairro de Harakuju

Além de gente diferente, na Takashita você verá prédios inteiros com várias lojinhas diferentes, um tema por andar, de tudo o que você imaginar, ou melhor, de tudo o que você nunca imaginou que existia.

Não deixe de passear pela Omotesanto Avenue onde há várias lojas de luxo das marcas Dior, Ralph Lauren, Louis Vuitton, eu sei, você já tá cansado de ver essas marcas aqui no nosso mundo ocidente, mas se for uma pessoa curiosa como eu, vale ir pra ver como elas se adaptam ao público oriental.

Destaques do que fazer no bairro de Harajuku:

  • ver muitos cosplays.
  • comer no Ichiran Ramen.
  • comer algodão doce colorido em qualquer barraquinha de rua.
  • passear pelas pequenas ruas e lojas.
  • andar a Takashita Street de ponta a ponta.
  • dar uma espiada em como vivem e compram os japoneses abastados na chiquérrima Omotesanto Avenue.
  • veja opções de hospedagem em Harajuku aqui.
  • caminhe e se perca pelo bairro – observe a vida cotidiana e descubra algo que não tenha lido em lugar nenhum 😉

2. SHINJUKU:

É o bairro mais frenético de Tóquio, dos negócios a diversão. Muita diversão e tudo misturado.
É um bairro bem turísticos, a maioria dos blogs que li antes de ir a Tóquio recomendavam se hospedar em Shinjuku. Nós não seguimos a recomendação, porque não queríamos ficar tão no meio do fervo. Mas caso você queira ficar bem localizado, próximo a muitos lugares pra sair à noite, saiba que Shinjuku é uma ótima opção.

Prédios de escritórios, infinitos prédios de games, produtos eletrônicos, bares, compras e uma vida noturna frenética que fazem de Shinjuku uma bairro que tem vida 24 horas por dia.

É neste bairro que tem o famoso Pokemon Bench de Tokyo. Um lugar com vários bancos decorados com o logo do desenho onde os aficionados sentam pra jogar (Shinjuku Station’s West Exit, bem na frente da loja Yodobashi Camera).

o-que-conhecer-em-Tóquio-pokemon-bench
Gachapons na Capsule Toy Jungle e Pokemon Bench de Tokyo (Shinjuku Station’s West Exit, bem na frente da loja Yodobashi Camera)

Não deixe de se perder nas ruelas de Golden Gai. As ruas são praticamente becos com largura suficiente pra esticar os braços. Até 1958, os bares em Golden Gai eram conhecidos por prostituição ilegal nos andares de cima. Embora hoje em dia o distrito já seja limpo e seguro e esteja super na moda, ainda mantém esse ambiente nostálgico, com ar de “prostíbulo” underground. No começo ficamos meio receosos, mas depois entramos na vibe do lugar e foi uma noite memorável.

o-que-conhecer-em-Tóquio-shinjuku
Entrar pra jogar um pouco de video game em um dos mil prédios e andares dedicados a jogos, tomar uns sakês em Golden Gai, passear pelas ruas ultra iluminadas de Shinjuku. Um bairro fervente, dia e noite.

Se perca também na Tokyo Hands e seus 6 andares de produtos com absolutamente tudo o que você pode imaginar. Só no andar da papelaria eu fiquei umas 2h 🙈

Destaques do que fazer no bairro de Shinjuku:

  • tomar uns sakes nos micro bares da Golden Gai.
  • passear pelo Gyoen Garden.
  • Capsule Toy Jungle: lojinha subterrânea com mais de 500 máquinas de Gachapon
  • Pokemon Go Bench: bancos pros fãs de pokemon jogarem – bem na frente da loja Yodobashi Camera
  • desbravar todos os diferentes andares da loja Tokyo Hands. É uma perdição, produtos que você nunca imaginou existir, existem e são TOP.
  • se perder no laberinto de ruas estreitas cheias de pequenos restaurantes da Omoide Yokocho Alley. Similar a Golden Gai, porém mais focado em restaurantes pra comer frango frito entre outras iguarias japonesas. Fica  perto da saída oeste da estação de Shinjuku.
  • visitar o Hanazono Shrine (santuário xintoísta).
  • caminhe e se perca pelo bairro – observe a vida cotidiana e descubra algo que não tenha lido em lugar nenhum 😉

3. SHIBUYA:

É o bairro onde tem o mais famosos e populoso cruzamento do planeta – Shibuya Crossing. Lá também onde rodaram o épico racha de Velozes e Furiosos.

É um cruzamento barulhento, cheio de luzes e muita gente. Todos os outdoors falam ao mesmo tempo, é uma bagunça organizada, mas bagunça. Muitos turistas com os celulares pra cima, filmando o cruzamento. Você será mais um.
Eu atravessei algumas vezes, por todas as faixas, hahah. Nem todas filmando, algumas só cruzando mesmo, pra ver as pessoas, pra sentir aquele lugar.

o-que-conhecer-em-Tóquio-shibuya
O cruzamento mais famosos e populoso cruzamento do planeta – Shibuya Crossing – veja mais dicas sobre nosso roteiro completo por Tóquio e como foi nossa experiência no Shibuya Crossing nos stories Japão no nosso Instagram clicando aqui.

Depois de atravessar por todas as faixas, recomendo subir até o Starbucks que fica bem em uma das esquinas ou no Shibuya Crossing View, pra melhores vistas do formigueiro humano. O Shibuya Crossing fica no último andar do prédio Magnet, fácil de localizar em uma das esquinas do cruzamento. Se você olhar pra cima, já vai ver onde é. Você sobe pelo elevador e lá na entrada paga 300 yens para entrar na área de vidro de onde se vê o cruzamento.

Destaques do que fazer no bairro de Shibuya:

  • atravessar todas as vezes que sua paciência e curiosidade permitir pela Shibuya Crossing.
  • subir no rooftop da Magnet para melhores vistas do cruzamento.
  • conhecer a mega store Don Quijote – tem em vários bairros, mas a de Shibuya é uma das maiores.
  • Meiji Sanctuary – pra ir de dia. É gigante, vale caminhar pelos jardins além da área central.
  • tire a sorte no Meiji Sanctuary (500 yens – paga na hora).
  • caminhe e se perca pelo bairro – observe a vida cotidiana e descubra algo que não tenha lido em lugar nenhum 😉

4. ASAKUSA:

É o bairro mais legal pra você poder comparar o Japão dos anos 50 com o Japão mais moderno de Ginza ou Odaiba.

É neste bairro que está o templo budista mais antigo de Tóquio, o Senso-Ji. Andando pelas ruas próximas ao templo, você se sentirá em um parque temático, por conta do visual e da música instrumental japonesa que toca em alto e bom som o tempo todo.

Neste bairro também está a Tokyo Sky Tree, a estrutura mais alta do Japão. De lá dá pra ver a imensidão da cidade de Tóquio. Há observatório em 2 plataformas, a Tembo Deck  que fica a 350 metros de altura e a Tembo Galleria, a 450 metros. Bem abaixo da Torre está o Rio Sumida, de onde também se pode pra fazer passeios de barco pela baia de Asakusa até a ilha artifical de Odaiba.

Dividimos nossos 6 dias em Tóquio nos hospedando em 2 hotéis diferentes pra conhecer mais opções pra recomendar pra vocês. Ambos em Asakusa que é um bairro mais afastado, porém mais barato pra se hospedar. Escolhemos um hotél mais em conta e outro mais chiquezinho.

Pra quem for do time hotéis mais em conta, recomendo o APA Hotel Asakusa Ekimae. Fica exatamente em frente a estação de metrô de Asakusa e há 2 quarteirões do Templo Senso-ji. É muito bem localizado. O APA é uma rede de hotel com ótimo custo benefício e tem vários APAs em todos os bairros de Tóquio. Os quartos são pequenos, mas super confortáveis e bem equipados. É uma rede que se posiciona como “luxo-acessível”.
O outro hotel mais chiquezinho que ficamos foi também em Asakusa e contei mais sobre ele neste post aqui.

Acho que a pluralidade cultural do Japão se encontra e se mescla todinha nesse bairro tão tradicional que é Asakusa. Acho que por isso amei tanto ter me hospedado lá.

o-que-conhecer-em-Tóquio-tokyo-asakusa
Nas fotos: a entrada principal do templo Senso-ji, o rio Sumida com a Sky Tree ao fundo, uma pessoa amarrando a “má sorte que tirou na visita ao templo”, eu na entrada do templo de dia e depois de noite (que comentei pra vocês acima como fica lindamente vazio e fantasmagórico).

Destaques do que fazer no bairro de Asakusa:

  • visitar os templos Senso-ji e Kaminarimon.
  • caminhar e comprar na Nakamise – shopping street.
  • caminhar pelas ruas laterais ao templo Senso-ji, deixar-se guiar pela música ambiente e os cheiros da rua.
  • alugar um kimono em qualquer uma das lojinhas ao lado do templo pra fazer umas fotos maneirudas.
  • subir no observatório da Tokyo Sky Tree.
  • ver o skyline de Tóquio a partir de um cruzeiro de barco pelo Rio Sumida de Asakusa a Odaiba, passando pela ponte Arco Iris.
  • se gostar de parque de diversões: Hanayashiki Amusement Park.
  • fazer um passeio com o típico Riquixá, só tem em Asakusa. É uma carroça guiada por um humano. Passa por vários pontos turísticos do bairro, além do próprio passeio ser uma aventura.
  • se você se hospedar em Asakusa*, vale programar um passeio a noite pela rua principal do templo, fica vazia, com as luzes acessas criando uma atmosfera fantasmagóricamente linda.
  • caminhe e se perca pelo bairro – observe a vida cotidiana e descubra algo que não tenha lido em lugar nenhum 😉

5. TOKYO STATION:

Não é um bairro, mas é um dos lugares que mais pirei em conhecer. É uma estação de metro que nem se você somar os shoppings Morumbi, Ibiraquera e Eldorado juntos, daria pra ter a quantidade de lojas que tem apenas nessa estação do metrô. E o mais legal: são lojas incríveis!

Roupas, sapatos, papelaria, cosméticos, brinquedos, gachapon, farmácia, tem de tudo!
Mas o ponto alto e que torna a Tokyo Station muito famosa é uma rua cheia de restaurantes que servem ramen (lamen no Brasil) – a Ramen Street. É um restaurante atrás do outro. Simplesmente imperdível e o melhor ramen que comi em Tóquio foi lá.

o-que-conhecer-em-Tóquio-tokyo-street
Melhor ramen que comi em Tóquio (restaurante Soranoiro na Ramen Street dentro da Tokyo Station)

Destaques do que fazer no bairro de Tokyo Station:

  • se perder pelas inúmeras ruas subterrâneas da estação e ver os diferentes tipos de lojinhas
  • comer um ramen na Ramen Street (nós comemos no Soranoiro).
  • dentro da estação também tem a Tokyo Gachapon Street. Se divirta comprando alguns brinquedinhos encapsulados. Gachapon é uma feeeebre no país e apesar de algo totalmente inútil, pode ser um souvenir legal pra trazer pros amigos. Custam em média 300 yens.
  • saia da estação e caminhe pelo bairro – observe a vida cotidiana e descubra algo que não tenha lido em lugar nenhum 😉.

Ufa! É isso, aí estão os 5 lugares que acho imperdíveis pra você que está querendo saber o que conhecer em Tóquio 😉
Espero que este post tenha aguçado ainda mais a curiosidade de vocês.

 

🚑 Atenção: veja aqui sobre Seguro de Viagem Internacional e vá pro Japão sem preocupação

Outros posts sobre Tóquio que podem te interessar:

Melhor hotel em Tóquio: review The Gate Hotel Asakusa
Tour Curiosidades Culturais em Tóquio
26 Dicas rápidas de Tóquio: O que preciso saber antes de ir
Seguro de Viagem Internacional – vale a pena?
15 dicas para uma viagem segura e saudável
7 dicas para tirar lindas fotos de viagem com o celular

 

~ Se Lança ~

 

O que fazer em Lisboa: um guia rápido de cada bairro

Pra quem já sabe onde ficar em Lisboa ou pra quem quer apenas saber o que fazer em Lisboa, esse guia rápido de cada bairro vai te ajudar a aproveitar quase tudo o que a cidade tem a oferecer.

Pra começar, compartilho com você o mapa de Lisboa com seus principais bairros, assim você já pode ter uma ideia de como a cidade se distribui.

Diferente das grandes capitais Européias onde além dos bairros, há muitos monumentos grandiosos para se visitar, em Lisboa, é nos bairros que está todo o charme da cidade.

E pra ilustrar quão charmosa é Lisboa, trago esse mapa do blog Milk With Mint:

Mapa_Lisboa_o_que_fazer_bairros

O que fazer em Lisboa: bairro Príncipe Real

Um dos bairros mais “cool chics” de Lisboa hoje em dia. Bem localizado entre o Chiado, o Largo do Rato (acesso ao metro Rato), Santos e Lapa. Para ir até o Baixa/Chiado, basta ir descendo se perdendo entre uma ruazinha e outra até chegar ao centro.

  • Tomar um solzinho no fim de tarde na Praça do Jardim do Príncipe Real.
  • Passear pelas lojinhas bacanas que estão próximas a Praça do Jardim do Príncipe Real, como a Embaixada Concept Store e a Benamôr.
  • Andar pelo Jardim de São Pedro de Alcantara e parar para contemplar as vistas de lisboa no miradouro.
  • Fazer uma foto bem lisboeta com o bondinho da Glória na Rua da Glória (ao lado do miradouro).
  • Passear pelo Jardim Botânico de Lisboa (entrada 3€) e depois comer uma das delícias vegetarianas/veganas do Naked Café.
  • Pra comer: Tapisco, Cevicheria ou pros mais abastados, no Decadente.
  • Pra beber: Gin Lovers ou The Insólito (fica no rooftop do hotel The Independente).
Miradouro_São_Pedro_Alcantara_Lisboa
Por do sol no Miradouro São Pedro de Alcântara e foto no bondinho da Rua da Glória

O que fazer em Lisboa: Bairros Santos, Lapa, Estrela e Campo de Ourique

Santos, Lapa, Estrela e Campo de Ourique, são os bairros onde moram os “locais” de Lisboa. Sabe aquela lisboa cheia de casinhas com azulejos na fachada? Nesses bairros é um festival, uma seguida da outra.

Esses bairros tem muitas ladeiras, na rua você vai cruzar com vários senhorzinhos de idade subindo e descendo ladeiras com maestria, então prepara os gambitos e força!

São bairros de fácil acesso pelos bondes 25 e 28. O bonde 28 é, inclusive, a rota de bonde mais clássica de se fazer em Lisboa.

Oquefazer_Lisboa_Bonde28
O tradicionalíssimo Bondinho 28

Os bairros Lapa e Santos são beeem residenciais, mais pra quem gosta de andar e ficar vendo os prédios e as fachadas de azulejos fofos. Fora isso não há muito mais o que fazer. Então abaixo vou colocar algumas dicas do Jardim da Estrela e do Campo de Ourique, que além de serem residenciais, tem muita coisa nova legal acontecendo.

O que fazer no Jardim da Estrela:

  • Se você pegar o Bondinho 28, cole os olhinhos na janela pra ver o bairro da Estrela pelo bonde.
  • Tomar um café da manhã ou faça um brunch no Fauna&Flora, na Rua da Estrela 33.
  • Passear pelo Jardim da Estrela (gratuito)
  • Conhecer o brechó Reuse, bem na frente do Fauna&Flora.
  • Passear e admirar o prédio da Assembleia da Republica.
oquefazer_Lisboa_FaunaFlora
Quero morar nesse brunch do Fauna&Flora

O que fazer no Campo de Ourique:

  • Conhecer a Maria Granel, lojinha de produtos sustentáveis e a granel.
  • Comprar uma canga na Futah, que fabrica cangas de praia de uma qualidade muito diferente a que estamos acostumadas nas nossas praias.
  • Provar o croissant do Moço dos Croissants.
  • Fazer um brunch no Amélia, que junto com o Nicolau e o Basílio formam o trio mais doglover de Lisboa.
  • Tomar um café da manhã na Padaria da Esquina. Não deixe de provar o queijo São Jorge.
  • Jantar no Mercado Campo de Ourique. Esse mercado é a versão “local” do TimeOut Lisboa. Sempre tem musica ao vivo e uma atmosfera muito especial nesse lugar.
  • Conhecer a Casa Fernando Pessoa, na rua Coelho da Rocha 16.
  • Provar o Pastel de Nata vegano do Vegan Nata.
  • Pra quem come peixe, a Peixaria da Esquina merece sua visita.
Oquefazer_Lisboa_Campo_de_Ourique
Mercado do Campo de Ourique, ótima opção para jantar e a fofíssima entrada do restaurante café Amélia

O que fazer em Lisboa: Bairro Alto, Chiado e Cais do Sodré

Bairros onde o turismo e a balada moram ao lado. Se sua preocupação não for barulho e ruas cheias, dá pra encarar.

São os bairros mais boêmios, com bares e restaurantes mais tradicionais. O Lisboeta real oficial não vai pra lá.

O que fazer no Bairro Alto/Chiado/Baixa Chiado:

  • Tire uma foto clássica com o bondinho da Bica na rua da Bica.
  • Na rua Garret passe pela Livraria Bertrand, a livraria mais antiga do mundo em funcionamento.
  • Na mesma rua, tire uma fotinha com a estátua de Fernando Pessoa em frente ao centenário Café à Brasileira.
  • Visite a Igreja e Convento do Carmo. A igreja foi destruída no terremoto de 1755 e nunca foi restaurada. É a principal igreja gótica de Lisboa e uma viagem no tempo a céu aberto.
  • Não deixe de visitar a lojinha vintage mais linda de Lisboa, a Vida Portuguesa.
Oquefazer_Lisboa_Chiado
Foto clássica com o bondinho da Bica e ao lado o interior do Convento do Carmo.
  • Fazer uma tatuagem no El Diablo Tattoo Club ;)~
  • Caminhar pela Pink Street de dia pra tirar foto e de noite pra tomar drinks.
  • Pegar uma baladinha na Pensão do Amor que fica no número 19 da rua do Alecrim. Também há entrada pela Pink Street.
  • Comer ou tomar um café no Nicolau ou no Basílio.
  • Conhecer a marca de cosméticos lisboeta Benamôr.
Oquefazer_Lisboa_Baixa_Chiado
Caminhando pela Pink Street e ao lado, segundos antes de fazer uma nova tattoo 😉

O que fazer no Cais do Sodré/Alcântara:

  • Tomar café da manhã ou almoçar no restaurante vegano O Botanista. É maravilhoso. Juro!
  • Comer no Time Out Lisboa. Os 4 restaurantes ao fundo do mercado, são dos chefs mais famosos de Portugal. Os preços são super acessíveis. Um lugar pra ir pelo menos umas 3 vezes durante sua estadia na capital.
  • Passear e fazer uma foto bem linda na Praça do Comércio.
  • Ver um por do sol no Cais do Sodré ou no Quiosque Ribeira das Naus.
  • Comer uma pizza no recém inaugurado Lupita Pizzaria. Os donos são brasileiros, o restaurante é bem pequeno com uma decoração de interior bem minimalista. A pizza é uma das melhores que comi na vida. Não deixe de pedir um pedaço de cheesecake de sobremesa. É o cheesecake dos cheesecakes 😋
  • Ir no LX Factory, uma antiga fábrica de tecidos de 1846 que hoje se transformou em uma ilha criativa para empresários e turistas. Lojas, bares, restaurantes, espaço de co-working. Tem de tudo. Pra passear e se inspirar. Não deixe de conhecer: Organii, loja de cosméticos 100% orgânico, a Benamôr, loja de cosméticos portugueses que abriu sua 3ª loja em Lisboa no LX, a livraria Ler Devagar e o bar Rio Maravilha para uns drinks e pica pica. Vistas incríveis do Tejo e da ponte 25 de Abril. Vibe bem xóvem.
Oquefazer_Lisboa_CaisSodre
Duas primeiras fotos em vertical são no O Botanista – se liga nesse waffle de snickers vegano, de comer ajoelhado. E ao lado o terraço do bar Rio Maravilha e a livraria Ler Devagar no Lx Factory

O que fazer em Lisboa: bairro Alfama

Tudo o que o bairro da Alfama tem de charmoso tem também de difícil acesso. Prepare as pernas para altas ladeiras.

O que fazer na Alfama:

  • Subir até o Castelo de São Jorge. O site oficial não vende entradas online e por isso há sempre muuuita fila. A entrada custa 10 euros. Se tiver a fim de investir um pouco mais e perder menos tempo, compre online pelo Get Your Guide e ganhe ainda uma introdução de 15 minutos sobre o Castelo. Custa um pouco mais caro mas você perde menos tempo e recebe mais informações.
  • Entre na Igreja da Sé.
  • Descanse no Miradouro de Santa Luzia.
  • Passear pela famosa Feira da Ladra. Objetos novos, usados, souvenirs típicos, tem de tudo e mais um pouco. Acontece todas terças e sábados no Campo de Santa Clara, das 10h às 16h.
  • Caminhar e se perder pelas ladeiras da Alfama.
  • Tirar fotos das roupas penduradas na janela.
  • Ver um fado. O Parreirinha da Alfama é, desde os anos 50, uma referência no mundo do fado. Aberto de 3ª feira a Domingo. Ligar ou mandar email para fazer reserva.
Oquefazer_Lisboa_Alfama
Miradouro de Santa Luzia, Catedral da Sé e um lembretinho pela rua de que você está no – coração da Alfama 😉

O que fazer em Lisboa: bairro Belém

Belém é bairro das embaixadas e fica mais afastado do centro turístico de Lisboa. Ainda assim, é um bairro super turístico, já que é onde temos o famoso Pastel de Belém. E mais…

O que fazer em Belém:

  • Obviamente comer o verdadeiro pastel de Belém na Pastéis de Belém. Literal, não? A fila de Take Away é grande mais é super rápida. Sentar pra comer lá no café exigirá um bocadinho de paciência.
  • Ver por fora ou entrar no Mosteiro dos Jerónimos. Assim, óh, de verdade, acho que por fora já tá de buenas. É bonito, mas não é imperdível. Dentro está o túmulo do Fernando Pessoa. Entrada 10 euros na hora (perdendo muito tempo em fila) ou 12 euros sem fila pelo Get Your Guide.
  • Depois do Mosteiro, ir caminhando até o monumento Padrão dos Descobrimentos. Tem gente que sobe, eu não achei necessário. A entrada custa 6 euros e pode ser comprada na hora, não há muita fila.
  • Seguir caminhando até a Torre de Belém.
  • Pra almoçar: no prédio do Museu Coleção Berardo almoçar no restaurante Este Oeste, que oferece pizza, sushi e lindas vistas pro Tejo. Conhecer o museu vale super a pena também. Outra opção de almoço na região é o Queijadas de Belém.
Oquefazer_Lisboa_Belem
A torre de Belém, construída em 1514 para defesa da barra do Tejo nos relembra de um país que já foi uma potência global. A direita, o famoso pastelzinho de Belém que fica bem próximo ao Mosteiro dos Jerónimos, na última foto.

O que fazer em Lisboa: bairro Parque das Nações

O Parque das Nações é uma região super moderna e nova de Lisboa. É certo que está muiiiito longe dos principais pontos turísticos e você vai acabar perdendo muito tempo de deslocamento, porém cada vez mais, o Parque das Nações oferece mais atrações aos turistas, além de shows, feiras e shoppings.

O que fazer no Parque das Nações:

  • Aprecie as vistas do Tejo no 16.º do Sky Bar no Hotel Tivoli Oriente.
  • Conheça a loja EcologicalKids e descubra um mundo verdíssimo de fraldas reutilizáveis, toalhitas, material descartável, acessórios para a praia e brinquedos eco pros pequenos.
  • Todo sábado de manhã rola a feira Agrobio junto à Torre Vasco da Gama.
  • Veja o Parque das Nações das alturas do teleférico Telecabine Lisboa. São 30m de altura com trechos que passam por cima do Tejo, por apenas 6 euros ida e volta.
  • Visite o Oceanário de Lisboa, um dos maiores e mais visitados da Europa. Um bom programa para fazer com crianças. A entrada custa 19 euros pelo Get Your Guide.

Dicas extras que podem te salvar turistando por Lisboa:

Para se locomover pagando mais barato do que taxi use qualquer um desses apps: Kapten ou Bolt. Dentro desses apps vira e mexe rolam cupons de desconto.

Já ouviu falar em TukTuk? É um triciclo elétrico bem comum nos países asiáticos para locomoção de passageiros. Pois bem, em Lisboa, a moda pegou forte. São inúmeros oferecendo serviço de passeio turístico em TukTuk. Em uma cidade que é pura ladeira, acredito que essa moda veio pra ficar.

Um passeio de tuk tuk turístico em Lisboa custa entre 70-90 euros e cabem até 6 pessoas.

Mais posts que vão te ajudar a planejar sua viagem por Portugal:

O que fazer em pouco tempo em Lisboa, dicas de uma Lisboeta
O que fazer no Porto
Melhores Praias de Cascais
O que fazer em Cascais
O que fazer com 2 dias em Coimbra Portugal
Como ir de Lisboa a Sintra: aquele bate e volta imperdível
Onde ficar em Lisboa: melhores bairros e hotéis

 

~ Se Lança ~

Roteiro de 1 dia em Barcelona: o que ver em uma escala

Como você estará em trânsito, fazendo apenas uma escala, te mostraremos neste post um Roteiro de 1 dia em Barcelona bem otimizado, para que você possa aproveitar ao máximo essa escala.

Pensando que é uma escala, esse roteiro foi montado considerando que você tem umas 10h para passear pela cidade, nessas 10h já contamos o tempo de trânsito de ida e volta do aeroporto. Fique esperto com os tempos de imigração, tá? O roteiro de 1 dia em Barcelona a seguir contempla 10h de muita bateção de perna, ajuste de acordo a sua disponibilidade de tempo.

ROTEIRO DE 1 DIA EM BARCELONA

Primeiro passo, é preciso saber o jeito mais rápido de ir do Aeroporto ao centro de Barcelona. Há 5 maneiras: táxi, ônibus, trem, metrô e transfer particular. Veja no post – Como ir do aeroporto ao Centro de Barcelona – os prós e contras de cada uma pra escolher a opção que melhor cabe no seu bolso e tempo.

Nosso roteiro começará indo primeiro pra Sagrada Família, o ponto turístico mais visitado de Barcelona. Depois serguirá para um bairro que chama Eixample, onde você verá as duas principais obras do Gaudí: Casa Batlló e La Pedrera, além de caminhar pelo Passeig de Gràcia (a Champs-Élysées de Barcelona) e por fim, irá pro centro onde você andará pela famosa Las Ramblas e pelo bairro do Gótico até chegar ao mar.

Roteiro_de_1_dia_em_Barcelona
Essas duas áreas vermelhas no mapa são as duas principais áreas que você irá bater perna neste Roteiro de 1 dia em Barcelona, depois de visitar a Sagrada Família.

Pra quem só tem apenas 1 dia em Barcelona, ou melhor, 10h como sugiro nesse roteiro, passeando por essas ‘três partes’ da cidade, você vai poder ter uma visão geral do que Barcelona tem a oferecer.

Tá, agora que você já sabe por onde caminhará, bora começar esse roteiro.

| ROTEIRO DE 1 DIA EM BARCELONA | PRIMEIRA PARTE

Do aeroporto, vá direto para a Sagrada Família, a maneira mais rápida de chegar seria de táxi, mas de metrô também é bem simples: pegue o metrô no aeroporto, desça na estação CollBlanc, linha azul e sem sair da estação vá em direção a linha azul sentido Vall d’Hebron. Desça na estação Sagrada Família.

roteiro-1-dia-em-barcelona-sagrada-familia
Vá até o lago da Praça Gaudí, próximo a calle Marina, para fazer uma foto como esta, com a Sagrada Família ao fundo.

A Sagrada Família é o ponto turístico mais visitado de Barcelona e um dos mais visitados do mundo. A Basílica está em construção a mais de 130 anos, tem prevista a finalização das obras em 2026, ano em que se comemorará 100 anos da morte de seu idealizador, o arquiteto Catalão Antoni Gaudí.

Dispensando apresentações, é uma igreja que desbanca aquela piada sem graça de que “igreja é tudo igual”. Não há nada parecido a esta no mundo. Cada estátua, cada coluna, cada torre, todos elementos presentes na fachada da igreja fazem menção a história da bíblia, sendo a fachada da calle Marina a que conta a história do nascimento de Cristo e a fachada da calle Sardenya a que conta a história da paixão de Cristo.

Sendo você crente ou não, não há como passar pela Sagrada Família e não se emocionar com tamanha beleza.

| ROTEIRO DE 1 DIA EM BARCELONA | SEGUNDA PARTE

Depois de visitar a Sagrada Família, pegue o metrô Sagrada Família na linha azul em direção a Cornellà Centre. Desça na estação Diagonal, são apenas 2 estações da Sagrada Família. Saia na saída sentido L3/Passeig de Grácia.

Agora é a vez de uma importante casa particular, a Casa Milá. Também construída por Antoni Gaudí, está localizada no número 92 do Passeig de Gràcia, bem próximo a estação de metrô Diagonal.

Roteiro_1_dia_em_Barcelona_La_Pedrera

A Casa Milá, também conhecida como La Pedrera, é aberta para visitas todos os dias. O edifício foi encomendado a Gaudí por Pere Milà, por volta de 1905-1907 para ser a moradia de sua família.

A construção rompeu vários paradigmas na sua época porque o edifício todo não possui uma linha reta sequer. A casa é quase uma escultura, de tão detalhista, de tão ousada (para uma residência). A fachada da casa é um deleite aos olhos, vista desde o Passeig de Gràcia, é como se ela fosse uma rocha esculpida pelas ondas do mar.

ROTEIRO_DE_1_DIA_BARCELONA_LAPEDRERA_BCN
Cruze a rua para fazer uma foto com a La Pedrera ao fundo.

Não deixei de chegar perto da casa para apreciar melhor a textura e as curvas desse edifício que é hoje, patrimônio da UNESCO.

Depois de ver a Pedrera, é hora de seguir caminhando, descendo o Passeig de Gràcia até o número 43, onde você verá o segundo ponto de interesse nesta charmosa avenida.

A Casa Batlló foi construída, na verdade, reformada, em 1906 por Antoni Gaudí para ser a residência de Josep Batlló Casanovas, um importante industrial do setor têxtil da época. Hoje é um monumento aberto ao público.

Por dentro, a casa é super sensorial, é possível ver os elementos da natureza que inspiraram o arquiteto em cada detalhe da reforma, os vitrais coloridos que fazem um jogo de luz com o sol e tornam os ambientes encantadores, mas em um roteiro de apenas 1 dia não recomendo a entrada, pois o passeio por dentro da casa te tomaria pelos menos 1h.

 

CASA_BATLLO
Essa é a carinha dela 😉

Vê-la somente por fora também pode satisfazer sua curiosidade já que a fachada da casa também é pura imaginação e história. Diz a lenda que o telhado tem a forma das costas de um dragão com escamas, às sacadas têm vigas em forma de ossos e rosas fazendo uma completa alusão à história de São Jorge e seu Dragão.

Se por acaso você estiver confiante quanto ao seu tempo de turismo na cidade e queira entrar em pelo menos uma das obras do Gaudí, sugiro que entre na Sagrada Família ou na Casa Battló e que compre as entradas com antecedência pra não perder tempo na fila.

| ROTEIRO DE 1 DIA EM BARCELONA |TERCEIRA PARTE

Pronto, agora você já viu 3 das grandes obras que o Gaudí deu de presente pra Barcelona.

É hora continuar descendo o Passeig de Gràcia. Na descida, não deixei de cruzar a rua para ver a Battló por um outro ângulo, como este do click abaixo.

ROTEIRO_DE_1_DIA_BARCELONA_CASABATLLO_BCN
um dos melhores ângulos pra ver a Battló é do outro lado da rua.

Continue sua descida até a Praça Catalunha. Uma vez que chegar na praça, cruze-a pelo meio em diagonal, indo pra extremidade direita da praça até chegar na famosa: Las Ramblas.

Serão uns 18 min de caminhada até chegar ao início das Ramblas. Você pode descer exatamente em linha reta pelo Passeig de Gràcia, ou seguir qualquer uma dessas outras duas rotas sugeridas pelo Google Maps e assim desbravar um pouco outras ruas.

Mas só faça isso se você tiver um bom senso de direção, caso contrário, poderá se perder e acabar perdendo seu precioso e corrido tempo pra voltar pro aeroporto.

Roteiro_1_dia_em_Barcelona_LasRambas

Uma vez que você chegar na La Rambla, é hora de descer caminhando por esse “calçadão”, olhando pra direita e pra esquerda e observando todo o ritmo da cidade acontecendo a sua volta.

Pelas Ramblas você verá muitos turistas, muitas pessoas que trabalham por ali etc.. por isso dobre sua atenção com seus pertences pessoais, ok?

ROTEIRO_DE_1_DIA_BARCELONA_LASRAMBLAS_
La Rambla vista do bar no rooftop do Hotel 1989

Para saber se você está descendo a La Rambla, você deve olhar pra cima e ver a montanha, isso significará que o mar está pra baixo e então é só começar a descer.

A La Rambla é tipo um calçadão de pedestres, que divide dois bairros bem turísticos da cidade: a direita o bairro Raval e a esquerda o bairro Gótico.

Sugiro algumas paradas pela La Rambla como você verá abaixo:

las_ramblas_barcelona

Na descida você verá a direita, na altura do metrô Liceu, o mercado municipal da La Boqueria. Entre para tomar um suco de frutas, comer uns taquitos de jamón ou só observar a culinária local mesmo.

É o mais antigo mercado municipal de Barcelona, data de 1840. Está aberto todos os dias das 8am-20pm e fechando apenas aos domingos.

Barcelona-La-Boqueria
Foto La Boquería via Culture Bite

Descendo um pouco mais pela La Rambla, a esquerda, você verá uma entrada para a Praça Reial, entre, sente-se na fonte, observe os postes desenhados por Gaudí e depois volte pra La Rambla porque a ideia é descer até o mar, marujos.

Se por acaso você pulou algum dos pontos turísticos sugeridos neste roteiro, ou se tá de boa de descer até o mar e quiser fazer uma pausa para almoçar na Praça Real, eu sugiro o menu do dia do Les Quinze Nits. Mas lembre-se, seja rápido, é só uma escala.

Se achar apertado parar pra comer, na La Rambla tem, além da Boqueria, opções de fast-food como KFC e McDonalds e bem em frente da Praça Catalunha abriram um Five Guys. Não é o ideal, mas a gente bem sabe que os fast-foods nos salvam nessas correrias, né? Evite a qualquer custo os restaurantes da La Rambla que oferecem paella congelada. São péssimos e caros.

Para os vegetarianos ou veganos, tem o Honest Greens na Praça Catalunha, é maravilhoso.

Plaça Reial em Barcelona. Foto via Monika Krampf, uma amiga querida que mora em BCN. Muitas das fotos que ilustram nosso Guia de Viagem para Barcelona, são dela.

Caminhando um pouco mais, você chegará até o final da La Rambla e vai ver bem no meio dela o monumento a Cristovão Colombo. Olhe pra cima e veja ele (supostamente) apontando pras Américas.

Passando o Colombo, você verá uma parte de Porto Velho. Atravessando a rua em direção ao porto, você verá uma passarela de madeira que dá acesso ao Maremagnum, um shopping center bacana, mas onde eu não perderia tempo indo conhecer, porque, de novo, é passear por lojas de roupas.

Minha sugestão é que você vá até o Colombo, veja dali o Porto Velho e comece a voltar, porque ainda há uma parte do bairro Gótico bem legal pra ver na subida de volta pra pegar seu meio de transporte de volta pro aeroporto.

Suba a La Rambla de volta até a Carrer de Ferran (tem um McDonalds e um KFC bem na esquina). Entre por essa rua e comece sua pequena exploração pelo bairro Gótico.

Os principais pontos turísticos no Gótico são: o palácio do Governo da Catalunha e a prefeitura de Barcelona que ficam na Praça Sant Jaume quase no final da Carrer de Ferran (La rambla 64 na imagem abaixo).

Passando a praça, há uma ruazinha a esquerda chamada Carrer del Bispe, se você seguir reto nela cairá na praça da Catedral de Barcelona. Dá pra se perder bastante pelo caminho, passar pela Praça de Sant Felip Neri, que tem uma igreja que foi toda bombardeada durante a guerra civil espanhola, antes de ir pra praça da Catedral, dá pra ir para o Portal del Ángel ver lojas (por fora, rs), esse portal fica em uma ruazinha a esquerda logo após a praça da Catedral, e por ai vai…

No mapinha abaixo coloco algumas possibilidades de caminhada, mas a ideia é que você vá explorando, entrando pelas ruas que chamarem mais sua atenção. É como se fosse um labirinto, você verá que ora ou outra cai de novo em alguma rua que já passou.

Roteiro_1_dia_Barcelona_Gotico
Do mar até a Praça Catalunha por dentro do bairro Gótico de Barcelona

Repare que todo esse trajeto leva uns 14min, então considerando que você vai parando pra fazer algumas fotos, conte com pelo menos 30-45min pra subir do mar até a Praça Catalunha por dentro do Bairro Gótico.

Roteiro_1_dia_em_Barcelona_praca_catalunha

| ROTEIRO DE 1 DIA EM BARCELONA | DICA EXTRA

Pra você que tá de boa de caminhar tudo isso aí e curte a ideia de um hopOn-hopOff, Barcelona, assim como toda grande cidade tem aqueles ônibus turísticos que, na minha opinião, são uma super alternativa pra quando temos pouco tempo e queremos ver o máximo de coisas possíveis neste tempo.

O Bus Turístico de Barcelona, é de 2 andares, sendo o teto aberto para que você possa apreciar melhor as vistas da cidade. Eles oferecem 2 rotas e cada rota (supondo que você não descerá em nenhum ponto turístico) dura 2 horas.

Ou seja, se você quiser ter uma vista geral da cidade, consegue colocar em seu roteiro de 1 em Barcelona as duas rotas abaixo feitas pelo Bus Turístico. Mas, se você ficar com vontade de descer, também é super tranquilo, você desce de um ônibus e entra no seguinte, eles passam a cada 6-15 minutos.

Bus_Turistico_Roteiro_1dia_Barcelona

Bom, e pra quem tiver tempo para dormir uma noite em Barcelona, recomendo que se hospede em um hotel pelo Born, o Chic&Basic é uma ótima opção custoxbenefício. Assim você pode dar uma voltinha à noite por essa área super charmosa da cidade, ir a um barzinho, comer uns tapas na Calle Argenteria etc…

Um comentário bem chato/triste, mas bem importante, até por isso coloco bem no começo do post:

Não dê bobeira com bolsa, carteira, celular, mochila e documentos pessoais (como seu passaporte) nessa sua escala em Barcelona. Tem carteiristas aqui, e eles costumam atuar no: metrô, trem, pontos turísticos, enfim… Quase sempre estão em 2 (homens ou mulheres), enquanto um te distraí, o outro abre sua mochila sem você nem sentir e leva tuas coisas. Portanto, fique esperto.

É isso, espero que esse roteiro te ajude a aproveitar ao máximo sua escala em Barcelona e qualquer dúvida, mande aqui nos comentários que te ajudo.

Estes posts também podem ajudar seu Roteiro de 1 dia em Barcelona:

Onde ficar em Barcelona: melhores bairros para se hospedar
As melhores praias de Barcelona
Oktoberfest de Barcelona
Roteiro Gaudí em Barcelona
Onde comer Paella em Barcelona
Como visitar o estádio do Barcelona, o famoso Camp Nou
Roteiro de 3 dias em Barcelona
Onde comer tapas em Barcelona
Onde comer Brunch em Barcelona
10 atrações que você precisa conhecer em Barcelona
Casa Vicens, a primeira casa de Gaudí em Barcelona
Como ir do aeroporto ao centro de Barcelona
Seguro de Viagem Internacional

~ Se Lança ~

Roteiro de 5 dias no Atacama

Hola, ¿que tal?
Já começamos assim, hablando um pouco de Espanhol, que é pra entrar no clima do Chi-chi-chi-le-le-le e aproveitar ao máximo esse Roteiro de 5 dias no Atacama.

Esse é um post para você, coleguinha de mochila, que tá planejando a tão sonhada viagem ao Deserto do Atacama no Chile, mas tá perdidinhx com o tanto de passeio que tem pra fazer e não sabe bem ao certo quais são imperdíveis, quais dá pra deixar passar, quantos dá pra fazer num dia só, e por ai vai.

Antes de mais nada, é importante ressaltar que não adianta se prender muito ordem dos passeios desse roteiro de 5 dias no Atacama e tentar fazer exatamente nessa ordem porque tudo no Atacama depende da natureza, ou seja, os passeios podem estar sujeitos a mudanças de acordo a época do ano da sua viagem (nós fomos em Setembro), a algum evento específico, feriado e principalmente, a ordem/disponibilidade dos passeios da agência que você vai contratar.

“Mas, Flávia, pra que você fez esse post então?” – você pode estar se perguntando, não é mesmo?

Pra mim, o objetivo desse post onde compartilho com você meu roteiro de 5 dias no Atacama, é que você leia sobre o lugar, veja as fotos, os passeios e assim possa definir o que mais te atrai, o que mais tem a ver com o tipo de viagem que você tá imaginando. Sacou?

Então bora lá.

Vamos começar com uma dica preciosa pra quem está planejando a viagem ao Atacama: não feche nenhum passeio ainda no Brasil, espere chegar lá para fazer isso ao vivo, cara a cara com os tiozinhos das agências. Isso vai te sair bem mais barato.

Negociar o valor do pacote todo de passeios que você vai fazer com a agência, é parte da experiência da viagem.

Então vamos lá, papel e caneta na mão (app de notas do celular aberto pros mais tecnológicos) para anotar os passeios que gostar mais.

É sério, anote todos os passeios que gostou. Chegando em San Pedro de Atacama leve sua lista na agência e lá na hora junto com eles, monte seu próprio roteiro.

No final do post tem um adicional dos passeios que não fizemos, mas que você pode gostar e encaixar se tiver mais dias.

⚠ Não deixe de ler o post –  Deserto do Atacama: como planejar essa viagem – para entender mais sobre os passeios, dicas de agências, onde se hospedar, quanto custa essa viagem, onde comer e tudo mais.

| DIA 01 | CHEGADA EM SAN PEDRO DO ATACAMA E ESCOLHA DE AGÊNCIA PARA FAZER OS PASSEIOS

  • Calama – San Pedro de Atacama – Agência para fechar passeios.
    Chegamos em uma segunda-feira fim da tarde ao aeroporto de Calama e de lá pegamos um transfer para nosso hotel em San Pedro de Atacama onde deixamos as malas e fomos direto para a Calle Caracoles no centro da cidade para orçar/escolher a agência com a qual faríamos nosso roteiro.
Aeroporto_Calama_Atacama
Aeroporto de Calama, que fica há 1h30 de San Pedro de Atacama

Se você está começando agora a planejar a viagem ao Atacama, vale a complementar a leitura com o post Deserto do Atacama Chile: como planejar essa viagem.
Nele eu explico em detalhes tudo o que você precisa saber antes mesmo de comprar sua passagem de avião. Também explico em detalhes como escolher a agência pra fazer os passeios, onde comer, onde se hospedar, quando ir e tudo mais. É o famoso – post completão sobre o Atacama –  sabe?!

| DIA 01 | REAL OFICIAL

| DIA 01 | MANHÃ: VALLE ARCOIRIS

  • Saída do hotel às 8h30 da manhã com destino ao Valle Arcoiris.
    São 50 min de estrada até o vale. É um passeio pouco turístico, para ser feito se você tem dias sobrando. Nós fizemos por engano, eu confundi com o Valle Arcoiris no Peru (dá zero pra ela, Kiko). Foi bacana, nós curtimos ver os petroglifos e tal, mas não é um daqueles passeios “must do”. Esse passeio inclui primeira parada no Petroglifos de Yerbas Buenas. Petro (pedra) glifo (desenho), ou seja, desenhos em baixo relevo feito nas pedras há mais ou menos 3.500 anos AC. Os desenhos mostram o que os viajantes que passavam por ali viam pra lá da Cordilheira dos Andes.
  • Depois o passeio segue para o tranquilo Valle Arcoiris, onde se faz um pequeno trekking de 30min pelas formações de cerros avermelhados, esverdeados e cinzas, resultado de anos de acúmulo de minerais. A paisagem, assim como outros lugares do Atacama, é de Marte. É muita imensidão, um chão de terra avermelhada bem forte, pouca vegetação e muita rica-rica, ervinha aromática típica dos Andes.

 

Valle Arcoiris Atacama
Petroglifos de Yerbas Buenas e Valle Arcoiris, no Deserto do Atacama

| $ Valor do tour Vale Arcoiris por pessoa |
25.000 oficial (18.000 valor que negociamos) + 3.000 pagos na entrada do vale.

| DIA 01 | TARDE: LAGUNA CEJAR – INCLUINDO OJOS DEL SALAR E LAGUNA TEBINQUINCHE

  • Saída às 15h30 para o segundo passeio do dia: Laguna Cejar, que passa ainda por Ojos del Salar e Laguna Tebinquinche. A primeira parada é na Laguna Cejar, que fica há apenas 20min de San Pedro de Atacama. Este é o famoso passeio às lagoas de sal onde é possível boiar no meio do deserto. Apesar de levar o nome do passeio – Cejar – a lagoa onde todo mundo boia não é a Cejar e sim a Piedra. A Cejar, além de sal, possui uma quantidade muito grande de arsênico, prejudicial a saúde. Mas a Piedra é inofensiva, então dá pra curtir bem esse passeio. Além da beleza cênica das lagoas rodeadas por formações de sal, água transparente no raso e azul petróleo nas partes mais fundas, a temperatura da água é algo que vale a menção aqui por ser especialmente, digamos, muito-bem-bastante-fria. Prepare-se para boiar e bater o queixo ao mesmo tempo.
  • Dicas importantes pro mergulho: levar chinelo porque o sal cristalizado pode cortar o pé. Não passar protetor solar pra não contaminar a lagoa. Tem duchas de água doce – e gelada –  pra tirar o sal do corpo. Já ir com roupa de banho pra não ter que encarar a fila pra troca de roupa 2 vezes.

 

Laguna_Cejar_Atacama
Laguna Cejar, Deserto do Atacama
  • Depois da Laguna Cejar, o passeio segue para os Ojos del Salar, onde não é necessário pagar nenhuma entrada já que são duas lagoas que ficam no meio da estrada entre a Cejar e a Tebinquinche. Visto de cima, é como se fossem dois grandes olhos no meio do Salar do Atacama, por isso ganharam este nome. É liberado nadar em uma delas ou em um dos olhos (rs), mas aqui a água é semi doce, então nada de flutuação. A atração do outro “olho” são as fotos espelhadas como as abaixo.
Ojos_del_Salar_Atacama
Ojos del Salar, Deserto do Atacama
  • Ficamos ali no Ojos del Salar uns 20min e logo partimos pro último destino desse tour, o pôr do sol na Laguna Tebinquinche, que é na verdade um gigantesco lago de sal. Esse lugar demais, não é de entrar na lagoa, a visita aqui é só para caminhar até próximo a lagoa e assistir ao maravilhoso pôr do sol que acontece nela. Geralmente é nessa última parada que as agências fazem um pequeno café da tarde com direito a pisco ou champagne, dependendo da sofisticação da sua agência, rs. A nossa serviu um delicioso pisco, com salgadinhos a amendoins.

 

LAGUNA_TEBINQUINCHE_DESERTO_ATACAMA
Laguna Tebinquinche e seu estonteante pôr do sol

| $ Valor do tour Laguna Cejar por pessoa |
18.000 oficial (13.000 valor que negociamos) + 17.000 que são pagos na hora na Laguna Cejar + 2.000 pagos pra entrada da Laguna Tebinquinche. Total dos passeios da tarde: 32.000 por pessoa. Esse é um dos passeios mais caros do Atacama, mas vale a pena.

| DIA 02 | GÉISERS DEL TATIO

  • Saída às 5h30 da manhã para o Géiser del Tatio, que fica a quase 1h30 de distância de San Pedro. Esse é um dos poucos passeios em que é necessário madrugar, mas é absolutamente recompensador. Os géisers ficam a cerca de 4.320m de altitude, o que pode dar uma certa tontura, então prepara o chá de coca ou de chacacoma pra tomar no caminho. No post Deserto do Atacama Chile: como planejar essa viagem eu expliquei onde comprar. Além disso vá muito, mas muito mesmo, bem agasalhado, porque a temperatura lá em cima varia entre zero e -20°C. Os géisers estão em maior atividade bem de manhãzinha que é quando a temperatura externa está negativa e eles estão em torno de 85°C. Os géisers borbulham e chegam a “cuspir” suas ferventes a uns 10m de altura. Respeite os limites de aproximação dos géisers, ok? São mortais.
    Nem tudo pela selfie, gente.
Geisers_Del_Tatio_Atacama
Géiser del Tatio e um cachecol que virou saia porque tava mais frio nas pernas do que no pescoço, Deserto do Atacama
  • Após ver os géisers em atividade o tour continua e a próxima parada é nas piscinas de águas termais que tem ali também. A temperatura da água é de 40°C enquanto fora deve estar por volta de -5°C. Então, pros corajosos, aqui é a hora de tirar a roupa e relaxar nas águas quentinhas. Há vestiários para se trocar. Nessa parte do tour também é que as agências oferecem um delicioso café da manhã com vistas para o nascer do sol.
  • O passeio não acaba aí não, depois do café da manhã, passamos ainda pelo Géiser de Argila e o Géiser del Diablo e uma paradinha no povoado de Machuca, onde a atração fica por conta do espetilho de llama e empada de queijo de cabra.

 

Geiser_Del_Diablo_Atacama
Géiser de Argila e Géiser del Diablo e uma blusa gigante emprestada do guia 😉
  • No total são umas 9h de passeio, voltamos a San Pedro por volta das 15h. Dá para emendar outro tour, mas como levantamos muito cedo, preferimos ficar andando pelo centro da cidade e ir voltar cedo pro aproveitar um pouco do hotel.

| $ Valor do tour Géisers del Tatio por pessoa |
25.000 oficial (18.000 valor que negociamos) + 10.000 pagos na entrada do vale.

| DIA 03 | SALAR DE TARA

  • Saída às 7h30 da manhã e volta a San Pedro por volta das 17h. Se esse não é o primeiro post que você lê sobre o Atacama, provavelmente já deve ter lido que o Salar de Tara está fechado. E está mesmo. Mas o que nos explicou o guia da agência é que a estrada principal que leva a ele é que está fechada por ordem governamental. Há apenas 3 agências  que conseguem fazer um caminho alternativo ao Tara e quando digo alternativo, é alternativo mesmo, pelo meio do deserto, sem placa alguma. Ou seja, só quem sabe muito sobre o local conhece o caminho que se transforma a cada dia por conta da mudança das areias (lembre-se, é um deserto, ventou, o caminho muda).

 

Guardian_Salar_De_Tara
El Indio ou El Guardián de La Pacana: uma formação rochosa com cara de índio totalmente esculpida pelo vento. Assim o Salar de Tara te dá as boas vindas.

 

  • São quase 2h de estrada de San Pedro até o Salar de Tara. No meio do caminho, há parada pro café da manhã em frente ao Vulcão Licancabur. Por conta de sua altura de quase 6mil metros, ele praticamente domina a paisagem do Atacama, podendo ser visto de onde quer que você esteja. É ainda um vulcão semi-ativo, sua última erupção foi em 2015.

 

vulcao_licancabur_atacama
Parada pro café da manhã a caminho do Salar de Tara com vista pro vulcão Licancabur
  • Esse foi um dos passeios mais emocionantes e de maior conexão com a natureza que senti de todos que fiz no Atacama. Estar no meio do nada, sentir aquela imensidão toda, a beleza poderosa de uma natureza quase intacta. Era um dos passeio que eu mais queria fazer e simplesmente amei.

 

Salar_de_Tara_Deserto_Atacama
Salar de Tara: na primeira foto ao fundo – Las Catedrales de Tara – que são esses paredões enormes de origem vulcânica e na segunda foto a lagoa parte da Reserva Nacional Los Flamencos. Não há fiscalização no local, mas não é permitido chegar próximo a lagoa. Respeite. A foto é o máximo que nossa câmera conseguiu dar zoom. Senti falta de um binóculo.

| $ Valor do tour Salar de Tara por pessoa |
40.000 oficial (37.000 valor que negociamos). Na volta a San Pedro, estava incluso no valor do passeio o almoço em um restaurante próximo a agência. Comidinha caseira, bem honesta. Almoço as 17h, tá? Leve algo para comer durante o dia, pois a única refeição oferecida no caminho é o café da manhã.

| DIA 04 | PIEDRAS ROJAS, VALLE DE LA LUNA E ASTRONÔMICO

| DIA 04 | MANHÃ: PIEDRAS ROJAS – INCLUINDO LAGUNAS ALTIPLÁNICAS E LAGUNA CHAXA

  • Saída às 8h e volta a San Pedro às 15h, com café da manhã no restaurante Santa Barbara no povoado de Socaire. Este é um dos tours mais completos do Atacama, são muitas paradas, em um lugar mais lindo que o outro.
  • Depois do café da manhã seguimos em direção a Piedras Rojas, mããããs no meio da estrada há uma placa escrito: Trópico de Capricornio. A tal famosa placa na estrada infinita. Paradinha rápida, click click click e seguimos.
Tropico_Capricornio_Atacama
A famosa placa do Trópico de Capricórnio e a estrada sem fim que atravessa do Deserto do Atacama
  • Esse também é outro tour que muitas agências acabam não fazendo alegando que a estrada está fechada e acabam fazendo apenas uma parte dele, sem chegar até Piedras Rojas efetivamente.
  • Pra você entenderem a real: não é a estrada que está fechada, é o acesso ao mirante principal de onde era possível chegar bem próximo as pedras avermelhadas e a lagoa de flamingos. Nos meses de inverno sim, a estrada pode fechar, por conta da neve ou gelo na estrada.

Mas então porque dizem que a estrada está fechada? Por 3 motivos:

  1. Filmagem do canal off fazendo kitesurf nas lagoas – e era proibido. Reno Romeu e João Daniel Edde, que vergonha, vocês mandaram malzaço.
  2. Muitas pessoas acampavam e deixavam muito lixo no local – proibido obviamentchy.
  3. Vândalos começaram a pixar as pedras.

 

Piedras Rojas: vista do mirante já que não é mais permitido descer próximo a lagoa e aos flamingos.

Resultado: a estrada que dava acesso ao mirante próximo as pedras foi fechado e hoje em dia o passeio vai até um outro mirando de onde se pode ver de longe, a lagoa ao fundo, as pedras e os flamingos.

  • Mais uma curiosidade sobre esse lugar é o seu nome: Piedras Rojas, Salar de Talar ou Águas Calientes. O mesmo nome pro mesmo lugar. Então anota aí pra ninguém te confundir.

 

Piedras_Rojas_Deserto_Atacama
Piedras Rojas: vista pro outro lado do lago.
  • Depois de uns 15minutos neste mirante, voltamos à estrada para a segunda parada deste tour: Lagunas Altiplânicas: Miñiques e Miscanti. Ambas possuem o mesmo nome dos vulcões que as cercam e tornam a paisagem uma pintura.
  • A Miscanti é a primeira logo após a entrada da reserva e está separada da Miñiques por uma pequena estrada de terra. Não é possível chegar próximo as lagoas.
  • As Lagunas Altiplânicas ficam a 4 mil metros de altitude e é uma parada bem rápida na volta do Piedras Rojas. É uma parada para contemplação da natureza mesmo, não há muito o que fazer por lá além de caminhar um pouco pelas trilhas demarcadas admirando a paisagem das lagoas e seus vulcões.

 

Lagunas_Altiplanicas_Atacama
Lagunas Altiplânicas: na primeira foto a Laguna Miñiques e seu vulcão e na segunda foto a Laguna Miscanti e seu vulcão. Terceira parada do tour a Piedras Rojas.
  • De volta ao carro, mais uns 40min de estrada até chegarmos na terceira parada: Laguna Chaxa ou Los Flamencos National Reserve.
  • Essa parada é surreal de linda. É uma reserva natural de flamingos, aqueles bem rosinhas que vimos de longe em quase todas as lagoas nos passeios pelo Atacama. Só que aqui, por ser uma reserva natural, um lugar protegido, eles estão bem próximos as trilhas e em grande quantidade. A lagoa fica no meio de um salar gigante, deixando a paisagem ainda mais especial.

 

Laguna_Chaxa_Atacama
Laguna Chaxa ou Los Flamencos National Reserve: terceira parada do tour a Piedras Rojas.

 

  • Quarta e última parada: povoado de Toconao. Paradinha rápida também, só paracomprar algum artesanato local, ver um cacto gigante no meio da praça (motivo de muito orgulho), ver uma senhorinha que vende artesanato e tem uma llama no fundo do quintal e também tomar um sorvete de rica-rica, erva típica da região, caso você ainda não tenha provado o da Sorveteria Babalu em San Pedro.

 

Llama_Atacama
Selfie com llama? Temos! Povoado de Toconao, última parada do tour a Piedras Rojas

| $ Valor do tour Piedras Rojas por pessoa |
40.000 oficial (33.000 valor que negociamos) já incluso almoço na volta no restaurante próximo a agência + 3.000 pagos na entrada das Lagunas Miscanti e Miñiques e + 2.500 na entrada da Laguna Chaxa.

| DIA 04 | TARDE: VALLE DE LA LUNA

  • Depois do almoço, partimos por volta das 16h para o segundo tour do dia: Valle de la Luna.
  • A altitude do valle é de 2.250m, então é um passeio bem recomendado para ser feito nos primeiros dias no deserto, para ir se acostumando a altitude.
  • Há um trekking de 30min aproximadamente até um dos pontos mais altos do valle para apreciação da vista digna de MadMax. Depois do trekking o tour foi até a Caverna de Sal para mais um pequeno trekking de uns 20min por dentro do que? Da caverna. Pulei essa parte por pura claustrofobia. Disseram ser escuro, frio, mas tranquilo. Podiam ter me dito que o Ryan Gosling estava lá dentro, eu não conseguiria ir de forma alguma. O tour pelo Valle de la Luna termina com assistir o pôr do sol no um mirante próximo a Piedra del Coyote.

 

valle_de_la_luna_atacama
Valle de la Luna: Piedra del Coyote, o vale que parece as crateras da lua, bastaaante vento e um pôr do sol de fazer os olhinhos enxerem de água.

| $ Valor do tour Valle de la Luna por pessoa |
18.000 oficial (13.000 valor que negociamos) + 3.000 na entrada.

| DIA 04 | NOITE: ASTRONÔMICO

  • O nosso quarto dia no Deserto do Atacama foi puxado. A noite emendamos ainda o passeio Astronômico.
  • Difícil falar qual passeio é imperdível, porque todos são, portanto vou falar que esse é muito imperdível. Quantas vezes na vida você terá a chance de conseguir ver a olho nu um céu tão estrelado como o do Atacama?
  • Todas agências oferecem o astronômico, mas recomendo que este seja o único que você faça por fora, com as mais especializadas como a Space Obs ou com a Una Noche con las Estrellas.  Nós orçamos nas duas, mas acabamos escolhendo a Una Noche con las Estrellas porque além do dono ser da associação de astronomia do Chile, o tour dele oferece foto e umas bebidinhas pra esquentar o corpo enquanto se observa o céu. A Space Obs parece ser a que possui os telescópios mais de ponta, mas o que eles oferecem como parte da experiência e do entretenimento deixa desejar. Conhecemos pessoas que fizeram o astronômico com agências, não se arrependeram, mas eu só posso te indicar o que eu fiz e valeu a pena.
  • O tour astronômico demora umas 3h. Começa tarde entre 21h e 23h, dependendo da lua e termina tarde. Faz bastaaaante frio, mas óh, juro, tudo vai valer a pena assim que você conseguir ver Saturno. Eu até dei um gritinho.

| $ Valor do tour Astronômico por pessoa |
25.000 oficial (20.000 valor que negociamos), este valor já inclui 1 foto. Se você quiser mais fotos, eles fazem também pelo adicional de 3.000 mil pesos cada.

 

Astronomico_Atacama
Tour astronômico: feito com Una Noche con las Estrellas. Poderiamos ter feito uma foto mais romântica, dando um beijo bem gostoso, por exemplo? Poderia, mas na hora fiquei tímida, rs

| DIA 05 | CENTRINHO DE SAN PEDRO E LAGUNAS ESCONDIDAS DE BALTINACHE

| DIA 05 | MANHÃ

  • Na manhã do nosso último dia íamos a Termas de Puritama. Havíamos deixado pro último dia, pra relaxar nas águas termais, mas infelizmente não conseguimos ir. Estivemos no Atacama em uma data festiva pra eles, as Fiestas Pátrias, em 19/Set. Como é um feriado grande pra eles, o Atacama simplesmente lotou, abarrotou, estrumbou de turistas e nosso Termas foi cancelado, de tanta gente que havia. Como plano B, passeamos a manhã toda pelo centro de San Pedro de Atacama e visitamos o feirinha central.

 

Centro_San_Pedro_de_Atacama
Voltinha pelo centrinho de San Pedro de Atacama e uma última visitinha a Feirinha de Artesanato.

| DIA 05 | TARDE

  • Saída às 15h para o último passeio do nosso Roteiro de 5 dias no Atacama: Lagunas Escondidas de Baltinache. São 45 min de estrada de San Pedro até as lagoas, que estão completamente escondidas mesmo, no meio do Deserto.
  • Esse é outro daqueles passeios ainda meio fora da rota turística no Atacama, porque a prima famosa, Laguna Cejar, apesar de ser mais cara, ainda é a mais visitada quando se fala em “boiar nas lagoas de sal do Atacama.” Nós mesmos, só ouvimos falar nas Lagunas Escondidas quando chegamos lá. Bom, o que posso dizer após ter feito Lagunas Cejar e Escondidas, é que a paisagem e as lagoas das Escondidas são bem mais impressionantes do que a Cejar. No entanto, o  tour da Cejar te leva também ao Ojos del Salar e ao incrível por do sol na Tebinquinche. Conclusão: faça as duas, rs.
  • Voltando as Escondidas: só é possível nadar nas lagoas 1 e 7. A densidade de sal é de 7 vezes mais que o mar, enquanto na Cejar são 4 vezes mais. Ou seja, aqui você flutua mais ainda e se tiver qualquer arranhãozinho, ele vai arder 73 dias, rs. Brincadeira, mas arde, hein?!

 

Lagunas_Escondidas_Atacama
Lagunas Escondidas de Baltinache: partiu flutuar mais um pouquinho antes de ir embora?
  • E pra você que está se perguntando “como essas lagoas se formado assim no meio do deserto mais árido do mundo??” – na verdade elas foram criadas na década de 80 para extração de lítio. Hoje em dia não há mais extração de lítio no local, por isso se tornaram um ponto turístico. O Salar de Atacama é o segundo maior produtor de lítio do mundo, ou seja, praticamente do Atacama direto pras baterias dos nossos celulares, computadores, relógios… A extração do lítio é uma das maiores ameaças a sobrevivência dos flamingos da região 😢
  • Levar chinelo para caminhar entre as lagoas, água pra beber, protetor solar só depois de mergulhar e toalha. A água também é bem fria, como na Cejar.

| $ Valor do tour Lagunas Escondidas de Baltinache por pessoa |
25.000 oficial (15.000 valor que negociamos) + 5.000 para entrada.

| FALTARAM DIAS | OUTROS PASSEIOS CLÁSSICOS QUE NÃO FIZEMOS:

. Vale de la Muerte: parecido ao Valle de la Luna, conhecido entre quem curte fazer sandboard.
. Subida ao vulcão Lascar: é preciso bastante fôlego pra subir 5mil metros de altura. Deve ser incrível.
. Crater de Monturaqui: é uma cratera formada por um meteorito de ferro que caiu há menos de 1mi de anos.
. Pukara de Quitor: passeio sussa que dá pra ir a pé ou de bike desde San Pedro, fica a 1,5km.
. Termas de Puritama 😢: um verdadeiro oásis de águas termais, o tão merecido relaxamento após tantos dias de acordar cedo e tanto caminhar.

Cada vez mais, surgem novos passeios no Deserto do Atacama, portanto com certeza ainda há muitos outros que nem nessa lista entraram. O que mais tenho visto acompanhando meus amigos blogueiros de viagem é que, cada agência está buscando seu lugarzinho ao sol oferecendo desde um serviço diferenciado até a oportunidade de conhecer um pico ainda pouco explorado. Tudo pra manter o Atacama no radar dos brasileiros e garantir que a gente, turistas, tenhamos a melhor experiência possível por lá.

| CUSTO TOTAIS | RESUMO DA BUFUNFA INVESTIDA EM PASSEIOS:

  • Roteiro de 5 dias: 167.000 mil pesos (~R$960) pra agência + 35.500 mil pesos (~R$205) nas entradas que são pagas em cada um dos pontos turísticos.
  • Passagem aérea: varia de acordo a época do ano, mas o normal é entre R$800-R$1300, São Paulo-Santiago-Calama.
  • Gastos com alimentação: entre 10mil-15mil pesos (~R$60-80) por dia, por pessoa. Considerando almoço e jantar.
  • Gastos com transporte: transfer Calama-San Pedro-Calama – 20 mil pesos (~R$115).

 

pesos_chilenos

Eaí, bora se lançar no Deserto do Atacama?

LEMBRETE

Seguro de viagem não é obrigatório pra entrada no Chile, mas você está indo pro Deserto pra fazer passeios de aventura, melhor previnir, né?

Nós usamos o portal Seguros Promo, pois ele faz as cotações com várias seguradoras e traz um comparativo de preços e benefícios. Bem fácil de ver e escolher.

Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais… leitor do Se Lança tem mais desconto, yeah yeah 🙂

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 para ganhar.

Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo.
Clique aqui para fazer sua cotação.

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Roteiro de 3 semanas no Peru e no Chile
Como ir de Machu Picchu para o Deserto do Atacama
Do Atacama ao Salar de Uyuni
7 Passeios em Santiago e Região
Roteiro de duas semanas no Chile + Dicas de viagem
Circuito dos Lagos Andinos no Chile
Deserto do Atacama: como planejar essa viagem
9 restaurantes onde comer no atacama

 

~ Se Lança ~

Roteiro de 3 dias em Barcelona

Se você está planejando uma viagem à Barcelona e chegou a este post, seu roteiro acabou de ficar ainda mais especial, pois aqui vai um Roteiro de 3 dias em Barcelona bem caprichado, com muitas dicas do o que fazer, onde comer, onde se hospedar e algumas dicas extras, pra deixar seu roteiro mais flexível.

Que Barcelona é uma cidade cheia de maravilhas todo mundo já sabe. É tanta maravilhosidade que na hora de planejar o roteiro, fica difícil saber o que escolher dentre tantos lugares, né?!

Mas, Flá, 3 dias em Barcelona é o suficiente pra conhecer bem a cidade?

É claro que não, eu te diria pra considerar pelo menos 5 dias (essa dica vale pra todas grandes cidades Européias), mas se tiver apenas 3 dias, esse roteio aqui vai te ajudar pra que sejam os 3 melhores dias da sua trip.

Atenção: os roteiros abaixo sugerem caminhadas a pé. Tente dar uma preparada no fôlego antes de ir viajar, pra não se cansar tão rápido. Caminhar bastante faz parte de quase toda viagem pelas cidades da Europa.

Roteiro de 3 dias em Barcelona: | DIA 1 |

No primeiro dia em Barcelona, a sugestão é que você comece andando pelo centro da cidade, assim você tem uma visão mais ampla do que a cidade tem a oferecer e vai se familiarizando com o movimento da cidade.

Esse é o roteiro que vamos caminhar no primeiro dia pelo centro de Barcelona, que vai da Praça Catalunha até o Mirador de Colombo ou até o Shopping Maremagnum. Você escolhe.

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_la_rambla

Chegue na estação de metrô Praça Catalunha e desça em direção a La Rambla. Para saber se você está descendo a La Rambla, você deve olhar pra cima e ver a montanha, isso significa que o mar está pra baixo, e então é só começar a descer. A La Rambla é tipo um calçadão de pedestres, que divide dois bairros bem turísticos da cidade: a direita o bairro do Raval e a esquerda o bairro Gótico.

Neste post sugiro algumas paradas pela La Rambla, mas no Guia Se Lança pra Barcelona, dou mais dicas sobre outros outros lugares que de acordo ao seu interesse, podem valer a pena incluir, como: o melhor waffle de Barcelona na Sweet Gaufre, o bar temático El Bosc de les Fades, o Museu de Cera, o Museu Marítimo etc… Não vale entrar em detalhe aqui porque são interesses mais específicos, por isso sugiro o Guia.

Na descida pela La Rambla você verá a sua direita, na altura do metrô Liceu, o mercado municipal La Boquería. Entre para tomar um suco de frutas, comer uns taquitos de jamón ou só observar os ingredientes locais mesmo.

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_boqueria
La Boquería em Barcelona. Foto de Jessica Oto via unsplash.com

Descendo um pouco mais, a esquerda há uma entrada para a Praça Real, entre, sente-se na fonte, observe os postes desenhados por Gaudí e depois volte pra La Rambla porque vamos descer até o mar.

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_Plaza_Reial
Plaça Reial em Barcelona. Foto de Monika Krampf, muitas das fotos que ilustram nosso Guia de Viagem para Barcelona, são dela.

Caminhando um pouco mais, você chegará até o final da La Rambla e vai ver bem no meio dela o monumento a Cristovão Colombo. Olhe pra cima  e veja ele (supostamente) apontando pras Américas. Há como subir no Monumento a Colombo (Mirador de Colón), mas como o roteiro está apertado, sugiro que você não entre, pois terá outras oportunidades de vistas bacanas da cidade no 2° e no 3° dia deste roteiro em Barcelona.

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_colombo
Mirador de Colombo bem no final da La Rambla. Foto de Benjamin Voros via unsplash.com

 

Passando o Colombo, você verá uma parte de Porto Velho. Atravessando a rua em direção ao porto, você verá uma passarela de madeira que dá acesso ao Maremagnum, um shopping center bacana, mas onde eu não perderia tempo.

E ainda não acabou…
Agora é hora de subir de volta a La Rambla, porque vamos entrar no Bairro Gótico pra se perder e conhecer um pouco esse bairro.

No roteiro de 3 dias em Barcelona, não sugiro que você troque o Gótico pelo Raval. O Gótico tem mais pontos turísticos pra conhecer e é mais seguro. Ainda que haja um forte movimento de revitalização do Raval há anos, ainda não é um bairro que você deveria entrar pra conhecer se só tem 3 dias na cidade.

Suba a La Rambla de volta até a Carrer de Ferran (tem um McDonalds e um KFC bem na esquina). Entre por essa rua e comece sua exploração pelo bairro Gótico.

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_centro
Volte a pé pela La Rambla do Colombo até a Carrer de Ferran para começar a explorar as ruazinhas do bairro Gótico

Pelo fato das ruas do Gótico serem estreitas e algumas até um pouco escuras, algumas pessoas podem ter medo, porém a principal dica para conhecer o Bairro Gótico é, se lance pelas ruazinhas sem medo de se perder. De verdade, o bairro é super seguro e muuuuito turístico.

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_gotico
Ruas do Gótico, se lança sem medo.

Os principais pontos turísticos no Gótico são: o palácio do Governo da Catalunha e a prefeitura de Barcelona que ficam na Praça Sant Jaume quase no final da Carrer de Ferran (La rambla 64 na imagem acima).

Passando a praça, há uma ruazinha a esquerda chamada Carrer del Bispe, se você seguir reto nela sairá na praça da Catedral de Barcelona. Dá pra se perder bastante pelo caminho, passar pela Praça de Sant Felip Neri, que tem uma igreja que foi toda bombardeada durante a guerra civil espanhola, antes de ir pra praça da Catedral, dá pra ir para o Portal del Ángel ver lojas, esse portal fica em uma ruazinha a esquerda logo após a praça da Catedral e por ai vai…

No mapinha abaixo coloco algumas possibilidades de caminhada, mas a ideia é que você vá explorando, entrando pelas ruas que chamarem mais atenção. É como se fosse um labirinto, você verá que ora ou outra cai de novo em alguma rua que já passou.

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_mapa_gotico
Roteiro 3 dias em Barcelona, dia 1, sugestão de pontos turísticos no Bairro Gótico

 

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_carrer_del_bispe
Carrer del Bispe em Barcelona. Foto de Monika Krampf.

 

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_sant_felip_neri
Praça de Sant Felip Neri Barcelona. Foto de Monika Krampf.

E pra finalizar do primeiro dia, se bater aquela fome monstra, aqui vai a primeira dica extra: vá comer as maravilhosas tostadas (tipo bruschetta só que 28 mil vxs melhor) na La Alcoba Azul (atenção, fecham aos domingos) e depois tome um sorvete de na Gelaaati di Marco (o sorvete de doce de leite, meu [email protected]…).

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_alcoba_azul
Como ir a pé da La Alcoba Azul a Gelaaati di Marco.

Roteiro de 3 dias em Barcelona: | DIA 2 |

No seu segundo dia em Barcelona, é chegada a hora de conhecer alguns dos principais pontos turísticos da cidade, as obras do arquiteto mais conhecido do mundo: Antoni Gaudí. Esse é o nome completo do cara que construiu as obras mais belas que visitamos hoje em Barcelona: Sagrada Família, Casa Battló, La Pedrera, Park Güell, Casa Vicens, entre outras tantas…

Em apenas um dia não dá pra conhecer todas, mas se você seguir as sugestões desse roteiro, já vai dar pra ter uma bela ideia da genialidade desse cara e se apaixonar perdidamente pela sua obra. Nesta parte do roteiro, não vou colocar o mapa a pé do Google, pois terá pontos turísticos que você precisará ir de metrô e outros a pé. Explico certinho como chegar em cada um deles abaixo. E coloquei uma sugestão de horário pra chegar em cada passeio, além de quanto tempo dura mais ou menos cada visita, pra você ter uma ideia de que dá sim pra fazer esses 3 passeios no mesmo dia.

 

  • 8h30 Park Güell: comece o dia pelo Park Güell, metrô linha verde, L3, Estação Lesseps. Da estação você pode caminhar 650m até o parque, pegar um táxi ou pegar o ônibus 24, 31 ou 32 que chegam até bem próximos a entrada oficial do parque. O ponto de ônibus fica bem na saída da estação de metrô. Para entrar no parque é preciso comprar o ingresso online com antecedência, veja aqui a tabela de preços e abertura do parque ou leia no post Roteiro Gaudí em Barcelona mais dicas em detalhe. Caso queira uma versão um pouco mais exclusiva, com guia, confira as opções de tours do Get Your Guide aqui. O passeio pelo Parque Güell leva umas 3h.
Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_park_guell
Park Güell em Barcelona

 

  • 12h00 Casa Batlló ou a La Pedrera: depois do Güell, é hora de descer pro metrô Lesseps outra vez em direção a estação Diagonal, linha verde, L3. Aqui você vai precisar decidir entre conhecer a Casa Batlló ou a La Pedrera (Casa Milá). No post Roteiro Gaudí em Barcelona você pode entender bem o que esperar de cada uma e decidir em qual vai querer ir. Mãããs, se eu fosse você, escolheria a Casa Battló, a experiência em 3D e a riqueza visual dela é superior a La Pedrera, que por sua vez conta com o rooftop muito mais charmoso.  Te confundi? Então, corre no Roteiro Gaudí, se informe melhor e decida qual tem mais a ver com o seu gosto/vontade de conhecer. Independente da escolha, esse passeio deve tomar mais umas 2h do seu dia.

Independente da sua escolha, entrar na La Pedrera ou na Casa Battló, quando você descer na estação de metrô Diagonal, você irá sair no Passeig de Gràcia, que é a avenida onde ficam as duas casas. Na descida, você terá a sua esquerda na esquina com a calle Provença a La Pedrera e descendo mais 3 quarteirões a sua direita estará a Casa Batlló.

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_La_pedrera
La Pedrera ou Casa Milá em Barcelona

 

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_casa_Batllo
Casa Batlló em Barcelona. Foto via Monika Krampf.

 

  • 14h Almoço no El Nacional: antes de ir pro último destino Gaudí do dia, aí vai a segunda dica extra. Se você estiver bem com os horários sugeridos, continue descendo no Passeig de Gràcia pela calçada da esquerda até o número 24 bis e chegue ao El Nacional. Aqui será a parada para descansar um pouco e comer maravilhosamente bem. O El Nacional é um complexo com 4 restaurantes diferentes e mais uns “quiosques/bares” no centro que funcionam em um local onde antes era um estacionamento. Apesar de aparentar meio caro, os preços são bem justos, entre 20-30 euros por pessoa. Nós comemos na La Taperia (é o último restaurante ao fundo a direita). Além da comida ser mara (tapas), os garçons fazem parte do show, pois passam “cantando” o nome das tapas quentes dando um clima de mercadão ao local. É como se fosse um bingo, o cara grita o nome do prato que tá passando e você levanta a mão pra sinalizar que quer. Caso seu roteiro atrase e não dê pra comer no El Nacional, que vai tomar mais umas 2h do seu dia, você pode comer Tapas 24, na calle Diputació 269. Os tapas lá são maravilhosos também.

 

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_El_Nacional
Essa é a vista do fundo do salão pra frente. Bem ai no meio estão os “quiosques” que comentei.

 

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_tapas
La Taperia, o restaurante que comemos no El Nacional

 

  • 16h Sagrada Família: última parada Gaudí do dia: La Sagrada Família. A igreja mais famosa da Espanha e talvez do mundo, fica na estação de metrô com o mesmo nome, na linha roxa, L2 ou linha azul L5. O jeito mais fácil de chegar a Sagrada Família saindo do El Nacional ou de qualquer ponto no Passeig de Gràcia é pegar a linha roxa no Passeig de Gràcia que vai direto para Sagrada Família. Pra entrar na Sagrada Família também é preciso a compra do ingresso online com antecedência. No site oficial tem várias opções de ticket, eu sugiro o ticket “entrada audioguiada” caso você só queira conhecer a igreja por dentro mesmo ou o ticket “las mejores vistas” caso tenha vontade de subir nas Torres para ter acesso a uma vista panorâmica de Barcelona. Particularmente, acho que vale a pena subir na Torre. Fique atento aos horários de funcionamento que mudam bem de acordo a época do ano. Chegando até as 16h, no pior dos casos que é de novembro a fevereiro, você terá 2h para conhecer a Sagrada Família, nas outras épocas do ano, como fecham mais tarde, o tour pela igreja poderá ser menos corrido. Não deixei de visitar o museu da igreja, que fica próximo a saída.
Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_Sagrada_familia
La Sagrada Família. Foto de Danil Sorokin via unsplash.com

 

E vamos a terceira dica extra do post: se depois desse dia looongo ainda tiver pique pra jantar, você pode voltar lá pro Raval pra comer uma comidinha mexicana topzera no Rosa do Raval ou a asiática concorridíssima do Mosquito, no Born. No Guia Se Lança para Barcelona, há várias sugestões de restaurantes com endereço, como chegar, dica de prato pra pedir, etc. Desses dois aí acima, inclusive.

Roteiro de 3 dias em Barcelona: | DIA 3 |

Terceiro e último dia em Barcelona. É hora de bater perna pelos pontos turísticos ao ar livre de novo, mas antes vamos a quarta dica extra do Roteiro 3 dias em Barcelona, que é: começar o dia tomando um brunch beeeem gostoso. Sabe aquela comidinha que é meio café da manhã e meio almoço?

Breakfast+Lunch = BRUNCH.

Pois então, brunchs estão na moda no mundo todo, mas em Barcelona, a coisa está pra lá de organizada. Há brunchs em vários lugares, óbvio, mas o Passeig de San Joan tem se tornado o point dos brunchs mais cools de Barcelona.

Sugiro dois: o GranjaPetitBo ou o ChichaLimoná. Coloquei o link do Instagram deles porque brunch a gente decide “comendo com os olhos”.

O Granja PetitBo é o mais famosinho e por tanto, mais lotado. Você pode acabar pegando um pouco de fila de espera. Já o ChichaLimoná fica bem ao lado do Granja, é um pouco menos concorrido.

A estação de metrô mais próxima a ambos é a Girona, L4, linha amarela.
Para evitar filas e poder aproveitar com tempo o seu último dia em Barcelona, se programe para chegar ao Brunch às 9h durante a semana ou 10H se for fim de semana.

Há outras opções de brunch em Barcelona neste post, veja se estão mais próximos ao seu hotel. Gosto bastante do La Esquina.

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_brunch
Restaurante para Brunch em Barcelona: Granja PetitBo. Foto via TrendMap

 

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_brunch_chichalimona
Restaurante para Brunch em Barcelona: Chicha Limoná. Foto via Comuniza

Depois de um café da manhã reforçado como esse, é hora de queimar as calorias, porque esse roteiro aqui vai te levar caminhando até a praia de Barceloneta.

No mapinha abaixo está todo o percurso que passa pelo Arc de Triomf, Parc de la Ciutadella, Mercat del Born, Passeig del Born, Basílica de Santa Maria del Mar, Port Vell, até chegar, por fim, a praia de Barceloneta, onde você poderá descansar apreciando a vista do mar em algum dos Chiringuitos a beira mar. Chiringuitos são barzinhos a beira mar. Há alguns na orla de Barceloneta, todos servem drinks e um ou outro serve tapas. Escolha o que tiver mais a ver com a sua vibe.

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_mapa2
Roteiro 3 dias em Barcelona: percurso a pé do terceiro dia

 

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_Arco_Triunfo
Após o brunch, desça o Passeig de San Joan até chegar ao Arco do Triumfo. Foto de Toa Heftiba via unsplash.com

 

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_Park_Ciutadella
Passe pelo Arco e continue descendo até chegar ao Parc de la Ciutadella. Entre, passe pela fonte e continue atravessando o parque. Saia “pelos fundos”a direita, em direção ao Born.

 

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_Mercat_del_Born
Chegando ao Mercat del Born. Pode entrar sem necessidade de ticket. Atravesse o local por essa entrada do meio, observe as ruínas romanas e saia no Passeig del Born.

 

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_Born
Caminhe pelo Passeig del Born, passe pela entrada do Museu Picasso e chegue a Igreja de Santa Maria del Mar.

 

Roteiro_de_3_dias_em_Barcelona_Barceloneta
Chegando ao destino final que é praia de Barceloneta. Foto de Monika krampf em um fim de tarde na praia.

Veja aqui outras praias pra conhecer em Barcelona

Onde se hospedar em Barcelona?

Fique nos bairros mais cêntricos da cidade, como: Eixample, Gótico ou Born. São bairros seguros e também onde você caminhará mais durante os dias que estiver em Barcelona.

Nós sempre reservamos nossa hospedagem pelo nosso parceiro BOOKING.COM
Mas acima de tudo, fique sempre atento às políticas de cancelamento, pois isso varia de hotel para hotel. Nós sempre damos preferência por hotéis que permitem o cancelamento gratuito.

Coloquei 4 opções de hospedagem, do mais barato pro mais caro, pra você escolher de acordo ao que planeja gastar:

Kabul – albergue na Praça Real, no coração da La Rambla. Perto da maioria dos pontos turísticos e com preços justos. A maioria dos hospedes são jovens, mochileiros, grupos de amigos. Não é um ambiente familiar, é um ambiente de “festa” e diversão.

Banys Orientals –  hotel 3 estrelas, bem no comecinho do bairro do Born. Assim você estará bem próximo ao bairro Gótico, ao Born, a La Rambla. Enfim, uma área bacana pra se hospedar.

Chic&Basic Born – hotel 3 estrelas, também no bairro do Born. Pertinho do Arco do Triumfo, Parc Ciutadella e há poucos minutos da praia de Barceloneta. Várias opções de lojinhas, cafés e restaurantes próximo. A Chic&Basic é uma rede e você pode achar em outros bairros de Barcelona.

H1898 – 4 estrelas bem no meio da La Rambla. Em 1929 o edifício se converteu na sede da Companhia Geral de Tabacos das Filipinas. Em 1998 foi adquirido e reformado e em 2005 abriram o H1898, ano do fim do domínio espanhol nas Filipinas. A decoração do hotel é inspirada na historia da Companhia de Tabacos, navios, império e poder. Escolha essa opção se estiver a fim de investir um pouco mais.

Ah, vale comentar também que pelo BOOKING.COM também é possível alugar casas, mesmo esquema do AirBnb. O que sempre fazemos é comparar os preços nos dois sites. Já consegui a mesma casa por um preço mais barato no Booking do que pelo Airbnb. Então, compare mesmo.

Pesquise aqui opções de hospedagem pelo Airbnb em Barcelona e ganhe R$130 reais de desconto na reserva da sua acomodação. Termos e condições do Airbnb.

Mais dicas extras que podem ser inseridas no seu roteiro de acordo a sua ‘velocidade’ nos pontos turísticos ou aos seus interesses mesmo:

  1. Você ama futebol e seu sonho é conhecer o estádio do Barcelona? Então o post Como Visitar o Estádio do Barcelona, o famoso Camp Nou pode te ajudar a decidir se o Camp Nou entra ou não no roteiro.
  2. Você é mega da balada, vai estar em Barcelona em uma segunda-feira e quer ir na melhor balada de Barcelona? No final do post O que fazer em Barcelona tem uma dica pra você Rei/Rainha do Camarote.
  3. Ficou na dúvida sobre quais obras do Gaudí vale a pena visitar… Neste caso, o post Roteiro Gaudí em Barcelona explica cada obra em detalhe. Com mais informações vai ficar mais fácil a escolha.
  4. Puts, mas ir até Barcelona e não comer nenhuma paella? Primeiramente, não coma nenhuma paella na La Rambla, elas são congeladas, vai ser tipo comer lasanha congelada da Sadia. Não faça isso. Segundamente, nós temos a solução para matar sua larica de Paella bem aqui no post Onde comer Paella em Barcelona.
  5. Gostou tanto desse Roteiro de 3 dias em Barcelona que resolveu ficar mais dias na cidade e quer ter acesso a mais dicas de onde comer, onde se hospedar, baladas, bares, pontos turísticos comuns e uns não tão comuns… enfim… quer ter acesso a tudo isso num lugar só pra então planejar bem seu roteiro? Então baixe nosso ebook em formato PDF e leve o Guia Se Lança para Barcelona no seu celular, pra consultar a qualquer momento e planejar bem sua viagem por essa cidade maravilhooooousa. E ainda, ele pode ser compartilhado com seus companheiros de viagem.

Um último comentário bem chato/triste, mas bem importante:

Não dê bobeira com bolsa, carteira, celular, mochila e principalmente passaporte nessa sua escala em Barcelona. A cidade tá cheia de carteiristas (homens e mulheres), cheia mesmo e em qualquer lugar: no metrô, no trem, nos pontos turísticos, em restaurante, enfim… eu nunca fui furtada aqui, mas não cabem nos dedos a quantidade de amigos que tenho que infelizmente já foram. E a maioria deles foi no metrô. Quase sempre estão em 2, um te distraí enquanto o outro abre sua mochila, ou coloca a mão na sua bolsa sem você nem sentir e leva tudo. Portanto, fique esperto.

Se tiver dúvidas ou quiser apenas deixar um palavrinha carinhosa pra gente, escreva nos comentários aqui abaixo.
Escreve, escreve, escreve 😉

Esse é o nosso Guia de Viagem Se Lança para Barcelona

Estes posts também podem ajudar a montar seu Roteiro de 3 dias em Barcelona:

Onde ficar em Barcelona: melhores bairros para se hospedar
As melhores praias de Barcelona
Oktoberfest de Barcelona
Roteiro Gaudí em Barcelona
Onde comer Paella em Barcelona
Como visitar o estádio do Barcelona, o famoso Camp Nou
Onde comer tapas em Barcelona
Onde comer Brunch em Barcelona
Roteiro de 1 dia em Barcelona
10 atrações que você precisa conhecer em Barcelona
Casa Vicens, a primeira casa de Gaudí em Barcelona
Como ir do aeroporto ao centro de Barcelona
Como ir de Barcelona a Paris em trem

Dê uma olhada também em nosso exclusivo Guia de Viagem Se Lança para Barcelona e tenha no seu celular todas as dicas para desfrutar de tudo o que Barcelona tem a oferecer.

 

~ Se Lança ~

Roteiro de 1 semana em Berlim

Com um roteiro de uma semana em Berlim dá pra conhecer bastante coisa!

Já fui duas vezes, na primeira fiquei 3 dias durante o inverno. Na segunda, fiquei logo 30 dias! Que diferença né? Mas olha só, se você vai à Alemanha e quer conhecer Berlim, uma semana é o ideal. Dá pra fazer tudo sem pressa e ver muita coisa legal na cidade, e partir pra conhecer outros lugares também.

Segue minha sugestão de roteiro de 6 dias em Berlim:

1º dia em Berlim

Free Walking Tour

Comece sua viagem em Berlim com um free walking tour. Essa é a melhor dica que eu tenho! Existem algumas operadoras que fazem este passeio, os guias são voluntários e trabalham por gorjetas. E são guias excelentes, a nossa última estava fazendo mestrado em Berlim e nas horas livres levava os turistas pra conhecer a cidade e sua história. Posso recomendar: The Original Berlin Tours ou Sandemans. Detalhes do horário e local de partida podem ser vistos no site deles.

Este passeio é fundamental para se contextualizar em Berlim. Você vai à vários pontos importantes e históricos na cidade, e vai ouvir aprender muito sobre o passado de Berlim e da Alemanha. Com isso feito, qualquer outra atração na cidade será mais rica depois desse aprendizado inicial. Este passeio dura meio período e nele você vai a muitos pontos famosos como: Check-point Charlie, Torre de Bradenburgo, Memorial às vítimas do Holocausto, Bunker do Hitler, Universidade, Gendanmermarkt, Bebelplatz e outros. Vai começar com o pé direito, vá por mim!

Torre de Bradenburgo

Reichstag e Tier Garten

Aproveite que vai estar ali no centrinho histórico e depois do almoço vá ao duomo de vidro no Reischtag. Atenção! Tem que fazer sua reserva com antecedência (se for alta temporada – pelo menos 1 mês). A entrada é grátis, a reserva faz-se neste site e no dia precisa levar o passaporte para entrar.

Depois de ver a cidade do alto, faça uma caminhada pelo Tier Garten, que é ao lado do Reischtag. O Tier Garten é enorme, era o antigo parque de caça da realeza. No verão é especialmente bonito.

Duomo de vidro no Reishtag

2º dia em Berlim

Museu de História Natural

Essa é uma recomendação pessoal, nem todo mundo curte né? Mas nós amamos o Museu de História Natural de Berlim. Tem dinossauros, animais empalhados, vídeos sobre geologia, sistema solar e coisas afins. As crianças adoram.

Almoço no Hackescher Markt

Depois faça uma caminhada de 20 minutos pela Oranienburger Strasse até o Hackescher Markt. No caminho pare para ver a Sinagoga. Gaste um tempinho no Hackescher Markt, escolha um restaurante e aproveite o almoço nesta linda praça de pedestres.

Alexanderplatz e Torre da TV

Depois do almoço, estique as pernas mais um pouquinho até a Alexanderplatz. São dois lados. De um, tem uma fonte de água no centro e várias lojas ao redor. Bom para quem quer comprar alguma coisinha. Pra quem procura uma pechincha, recomendo entrar e fuçar na TK Maxx, uma loja tipo outlet com várias marcas, tem roupas, coisas pra casa, malas, acessórios, brinquedos – eu adoro fuçar, mesmo que não leve nada (o que fica difícil).

Alexanderplatz

Do outro lado da estação de trem, a praça continua, e encontra-se a Fernsehturm, a Torre da TV. Custa 20 euros para subir, ou você pode comprar o ingresso que fura fila por 21,50 antecipadamente neste link.

Em Setembro também tem uma pequena Oktoberfest na Alexa

Torre da TV

3º dia em Berlim

Muro de Berlim – East Side Gallery

Este museu a céu aberto é o maior trecho do Muro de Berlim em seu local original. O muro foi todo pintado por diversos artistas. O duro deste local é que ele não é muito perto de outros pontos turísitcos. Vai ter que tirar uma manhã pra ir pra lá, ver o muro, e depois rumar de metrô pra outra atração.

Museu DDR

Aproveite o clima de Berlim Oriental e visite o Museu DDR pela tarde. Este museu é muito legal – um dos meus favoritos na cidade. Ele tem várias coisas da antiga Alemanha Oriental. Um carro Trabi, objetos da época, fotos e muitos relatos. Tem um sala de interrogatório, uma sala de creche e até um apartamento padrão. É super interativo e educativo. Vale a pena conhecer. Os ingressos podem ser comprados antecipados por este link ou no site do próprio museu.

Berliner Dom, Lustgarten, Rio Spree e Museum Insle

Ali do lado do Museu DDR tem mais um monte de coisa pra ver. Faça uma caminhada pela Igreja e jardim em frente. Depois siga beirando o rio Spree até a Ilha dos Museus. A vista da Friedrichsbrücke (ponte) também é super bonita.

Berliner Dom vista da ponte Friedrichsbrücke

4º dia em Berlim

Museu Judaico de Berlim – separe algumas horas pra conhecer a história e sofrimento do povo judeu, principalmente durante a segunda guerra mundial. Nem preciso dizer que este é um passeio triste né? Prepare o lenço. Além da parte educativa do museu, este local também é famoso pela sua arquitetura. A entrda custa 8 euros por adulto.

Almoço no Augustinerexcelente restaurante de comida típica alemã. O local é uma graça, o serviço é muito bom, e o melhor de tudo, os preços são acessíveis também. Duas pessoas sem muita fome podem rachar um joelho de porco, já se tiverem famintos, melhor pedir 2 pratos.

Potsdamer Platz, Sony Center e Mall of Berlin – Uma praça com lojas, escritórios e prédios bem modernos. Também está aqui o Sony Center, um galeria de arquitetura bem moderna, com cinema, a Legoland, restaurantes, cafés, livraria e etc. Não é muito grande em termos de estabelecimentos, mas vale conhecer seu recinto, é bem lindo. E pros que gostam de compras, não deixe de conhecer o Mall of Berlin – um dos maiores shoppings da cidade, com todas as lojas que você já conhece: Zara, H&M, lojas de brinquedos, praça de alimentação e por aí vai.

5º dia em Berlim

Visita a Potsdam

Sugiro em um dos dias visitar Potsdam. É uma cidade super fofa que fica a 45 minutos de trem de Berlim. É lá que se encontram os castelos, são mais de 10! Caminhe pelos parques, conheça os castelos prussianos, tome um sorvete na praça e aproveite o dia em Potsdam.

Neste post eu conto tudo sobre Potsdam – o que ver, onde comer, quais palácios visitar, como chegar e etc.

jardim do parque sanssouci
Palácio Sanssouci em Potsdam

6º dia em Berlim

Bom, se você chegou até aqui, fez a grande maioria dos principais passeios em Berlim. Como sugestões para o último dia, ficam as seguintes:

  • Se for domingo – vá ao Mauer Park. O nome significa Parque do Muro. Aos domingos tem uma feira das pulgas e de comidinhas no parque. Tem bastante artistas performando também, e um trecinho do muro de Berlim.
  • Museu de Ciência e Tecnologia – excelente local para visitar com crianças e/ou curiosos por tecnologia. Este museu é super interessante e interativo. Dá pra mexer em um monte de experimentos, e também acompanhar a evolução de diferentes tecnologias.
  • Spandau – este passeio não é tão batido pelos turistas. Spandau é um bairro mais afastado de Berlim, que na verdade nem parece Berlim. Você tem a impressão de estar em uma antiga cidadezinha européia – não tem o ar de modernidade da cidade. Veja neste post eu conto detalhes do que ver e fazer em Spandau.
  • Kurfürstendamm – é uma espécie de Oscar Freire de Berlim. Lojas chiques, cafés, carros chiques… Pra quem tem $$ pode se aventurar a fazer uma compra – eu só parei pra tomar um café na rua rs.

Ou aproveite este dia para revisitar os pontos que mais gostou da melhor cidade do mundo!

Centro de Spandau

Berlim com crianças

Eu passei 1 mês em Berlim com minha filha de 2 anos, e nós nos divertimos horrores nesta cidade! Se está viajando com os kinder, dê uma lida nesses posts, você vai adorar:

O que fazer em Berlim com crianças
Melhores parques em Berlim, com parquinhos infantis
3 cafés para ir com crianças pequenas e bebês em Berlim

Se Lança…

LEMBRETE

Seguro de viagem é obrigatório na Europa! É aquele tipo de coisa que ninguém quer usar, mas que é importante ter. Nós usamos a Seguros Promo, pois faz cotações com várias seguradoras trazendo um comparativo de preços x benefícios. Pra vocês terem idéia, um seguro de 7 dias na Europa custa à partir de 55 reais. Não é caro!

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional aos 5% do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

Roteiro de 5 dias na Grécia

Criar um roteiro de 5 dias na Grécia não é fácil, quando se começa a pequisar e olhar fotos, dá vontade de ficar 5 meses! A parte fácil é que qualquer lugar que você escolher na Grécia será lindo!

Essa viagem foi a primeira que Flá e eu fizemos juntas! Faz muito tempo… E como até hoje é um dos destinos que mais nos pedem dicas, finalmente resolvi escrever este post.

Nós começamos a viagem em Barcelona, onde ela e meu irmão moravam na época. Pegamos um vôo da Vueling para Athenas (na época 180 euros) e de lá começamos a jornada grega. Esse foi nosso roteiro:

  • 1 dia em Santorini
  • 3 dias em Creta
  • 1 dia em Atenas

Quais ilhas visitar na Grécia

O que eu sempre respondo é: DEPENDE. Depende se é viagem em casal, galera, solteiros, família, se gosta de natureza, balada, história… Cada lugar tem sua particularidade. (Além das ilhas acima, também conheci Corfu em outra viagem).

Santorini tem que estar no roteiro de primeira viagem para a Grécia. É aquela mini ilha fofa com as casinhas brancas de telhados azuis, tipo no musical do Mamma Mia.

Nós escolhemos também Creta pois queríamos um lugar para esticar ao sol, além do apelo histórico da ilha. E de bonus, descobrimos que Creta tem o maior desfiladeiro da Europa. Por isso dedicamos 3 dias pra ilha.

E Mykonos?? É um destino para solteiros em busca de balada! Claro que a ilha é linda e paradisíaca, mas todas as ilhas gregas são – então optamos por não visitar Mykonos.

Em outra viagem, fiquei 4 dias em Corfu. Essa ilha é mais afastada das outras, então quem vai a Corfu dificilmente vai a qualquer outra ilha, pois a logística fica bem difícil. Mas Corfu também é top – é pra lá que vão os europeus. Tem praia, restaurantes, parque aquático para as crianças, um pouquinho de história e muito sol!

Como ir de uma ilha para outra na Grécia?

Diferentemente do que parece no mapa, as ilhas são longe umas das outras. Mesmo se a distância não é grande, o tempo de navegação é geralmente longo.

Tem 3 maneiras de se locomover entre as ilhas gregas: Avião, Lancha e Navio.

Chegamos em Santorini de avião, chegando de Athenas com a Aegean Airlines. Na época pagamos 60 euros em um vôo super cedo, chegando em Santorini junto com o nascer do sol.

De Santorini para Heraklion (em Creta) fomos de navio. Pegamos um navio noturno para ir dormindo, pois seriam mais de 8 horas de viagem. Saímos meia-noite de Santorini pra chegar de manhã em Creta. MAS ATENÇÃO! Aqui cometemos um erro! Foi muito difícil comprar os assentos no navio pois a descrição não era clara. Compramos uma tal de “geral” e pasmém, isso significa viajar de pé. Quando a esmola é muita, o santo desconfia. Custou só 20 euros. Por sorte estava vazio e conseguimos dormir em uns sofás na área do bar.

Em Creta fomos de Heraklion para Chania de ônibus por 12 euros. Essa viagem é bem tranquila, não precisa comprar com antecedência, só chegar na rodoviária e comprar o bilhete. São 2 horas de viagem.

E para voltar para o continente, fomos de navio de Chania para Athenas. Essa viagem durou umas 10 horas. Fomos dormindo também, mas dessa vez compramos um bilhete tipo leito, com poltronas que reclinavam. UFA! Preço 38 euros.

Onde comprar bilhetes dos ferries com antecedência?

Nós usamos a Danae e a Greek Ferries. Pagamos tudo no cartão de crédito e levamos os comprovantes impressos. Deu tudo certo.

O que fazer em 1 dia em Santorini

Em Santorini passamos 1 dia inteiro, o vôo chegou às 6 da manhã e partimos no ferry da meia-noite. Nem preciso dizer que no fim do dia estávamos exaustos né?! Pensando hoje, provavelmente passaria a noite em Santorini pra aproveitar um pouco mais sem correr.

Passeio de barco para conhecer a ilha e ao redor. O passeio todo dura 7 horas, inclui uma parada para caminhar no vulcão e outra para nadar em águas termais. Saímos do porto de Athinios e terminamos o passeio em Oia – onde optamos por ficar para ver o pôr do sol. É possível comprar o passeio com antecedência neste link e custa 40 euros por pessoa.

Assistir o melhor pôr do sol da Grécia – reza a lenda que o melhor pôr do sol grego é em Oia. É bem legal, todo mundo se junta no mesmo cantinho e ficam lá assistindo o espetáculo da natureza. Também vale a pena caminhar pela vila que é bem fofa.

Onde dormir em Santorini

Se você tiver mais tempo, passe pelo menos 1 noite em Santorini, vale a pena pra curtir melhor o local. Pelo que nós vimos, estes lugares são bem recomendados, na cidade de Oia (ou região). Ou seja, dá pra fazer o roteiro acima, chegar em Oia e descansar.

Charisma Suites – lugar todo branco e imaculado, com piscina ao ar livre e vista privilegiada para o Mar Egeu. Preço salgado, média de 500 USD a noite para 2 pessoas.

Atriva Canava 1894 – apart-hotel contruído em edifício histórico – também com piscina ao ar livre e vista para o Mar. Opção bem luxuosa, preço médio de 700 USD a diária para 2 pessoas.

Finikia Memories Hotel – Fica na vila de Finikia, logo depois de Oia. Lugar familiar com atendimento bem pessoal, além de ser bem fofo. Opção 3 estrelas e com preços mais acessíveis, à partir de 100 USD a diária para duas pessoas.

O que fazer em Creta

Creta é uma ilha que surpreende, pois não é tão famosa quanto Santorini e Mykonos, mas é espetacular. A ilha é grande, tem várias praias lindas, além das cidades. Então lá recomendo alugar um carro pra se locomover facilmente pela ilha. Tem diárias à partir de 25 euros na alta temporada na RentCars.

Heraklion

É a capital da ilha. Lá visite o Palácio de Knossos – um sítio arqueológico da civilização Minoica. Como aqui tem vários caminhos que sugerem labirintos, reza a lenda que era aqui que morava o Minotauro. A entrada custa 15 euros por pessoa.

Outra opção é fazer um tour guiado de 6 horas, que inclui  city tour, visita a Knossos e o museu de Heraklion por 20 euros – a entrada do sítio (15 euros) e do museu(1 euro) você paga à parte – mas ir com o guia é vantajoso pois ele te explica tudo sobre a cidade e antigas civilizações. Eu acho que vale a pena. Detalhes do passeio aqui.

Chania

Desfrute a cidade em volta do Old Harbour.  A cidade meio que se move em volta desse lugar, é muito gostoso passar o dia ali, tem varios restaurantes, feirinhas, museus, tudo em volta dessa entrada de mar.

Chania, a Veneza grega

Essa também é a melhor região para dormir em Chania, próximo ao pier para poder curtir os restaurantes e movimento de pessoas. Recomendamos o Narkissos pelo excelente custo-benefício e localização. Diárias à partir de 80 USD para duas pessoas.

Na região de Chania tem muitas praias bacanas pra visitar. A grande vantagem é que as praias são de areia. Nós conhecemos Elafonisis, que é super linda. Levamos canga pra esticar, pois não tem muita infra-estrutura, mas tem um butequinho lá que paramos para almoçar.

Quem quiser dormir em Elafonisis pode optar pelo “Elafonisi Resort by Kalomirakis Family” hotel a 650 metros da praia. Tem restaurante também.

Palaiochóra é uma cidadezinha fofa e com praia também. Tem mais opções de hospedagem e de restaurantes. É possível se hospedar aqui e ir de taxi para Elafonisis passar o dia. Veja opções de hospedagem em Palaiochóra aqui.

Em Chania está também o maior desfiladeiro da Europa: Samaria Gorge. É um lugar lindo onde a natureza caprichou, vale muito a pena conhecer, mas só para quem está em boa forma física, pois a caminhada leva de 5 a 7 horas! É bastante chão! Pra quem curte hiking, é um paraíso – eu ainda quero voltar.

Neste post contamos mais detalhes sobre o Samaria Gorge, confira.

1 Dia em Atenas

Athenas é uma cidade enorme, nós ficamos apenas 1 dia pois o roteiro era curto. Lá deixamos as malas em um locker na estação de metro ao lado do porto. Subimos para a parte alta da cidade onde está a Ácropole. Também conhecemos o Museu Arqueológico Nacional – que é sensacional, tem que conhecer.

Veja neste post mais dicas do que fazer e onde ficar em Atenas.

Dicas de viagem na Grécia

A culinária grega é maravilhosa! Coma muita coisa boa!! Moussaka, Kleftiko, Salada Grega, Queijo Feta, Iogurte, Azeitonas… e por aí vai.

Se prepare pro calor! LÁ É MUITO QUENTE DEMAIS DA CONTA! Principalmente Atenas, as Ilhas ainda tem uma brisa que alivia. Mas de qualquer maniera,  tem que beber muita água, levar chapéu, protetor solar e etc.

Essa viagem toda foi bem corrida. Éramos (ainda mais) jovens e quisemos fazer o máximo possível em 5 dias! No fim estávamos exaustos. Diria que para fazer este roteiro tranquilamente, uns 7 a 8 dias seria melhor.

Leia este post super legal do Blog Segredos de Viagem pra te ajudar a escolher quais ilhas visitar.

LEMBRETE

Seguro de viagem é obrigatório na Europa! Eu sei que é aquele tipo de coisa que ninguém quer usar, mas que é importante ter, com saúde não se brinca! Nós usamos o portal Seguros Promo, pois faz cotações com várias seguradoras trazendo um comparativo de preços e benefícios.

Pra vocês terem idéia, um seguro de 7 dias na Europa custa à partir de 55 reais. Não é caro! Neste site você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

Se Lança…

[Mikado id=’38’]

Ainda não sabe pra onde ir?
A gente te ajuda! Escolha um destino.