Bombinhas (Santa Catarina) com crianças pequenas

É muito difícil escolher qual é a melhor praia de Santa Catarina para visitar, não é mesmo? É uma praia mais linda que a outra. Nós escolhemos conhecer Bombinhas, mas queríamos uma viagem tranquila, pois estávamos com nossa filha que na época tinha 1 ano e meio. Achamos que a escolha foi perfeita!

Melhores praias de Bombinhas com crianças

Canto Grande – esta foi a praia que nós escolhemos para chamar de nossa. Ficamos hospedados nesta região, no meio das duas praias de Mar de Fora e Mar de Dentro. É um pouco mais afastada do centro de Bombas e Bombinhas e o mar (de dentro principalmente) é bem calmo. Isso faz com que seja uma praia bem tranquila e propícia para os pequenos.

Tem também bastantes mercadinhos e lojinhas se precisar comprar alguma coisa de última hora.

Praia Mar de Fora em Canto Grande

Zimbros – é uma baía de águas bem calmas, ideal para os pequenos. A única desvantagem (ao meu ver) é a grande quantidade de barcos de pesca.

Baía de Zimbrós

Essas foram as duas praias que conheci, mas são MUITAS praias em Bombinhas. As mais badaladas, são Bombas e Bombinhas, ficam no fervo da cidade, onde estão a maioria das casas e comércios. Tem também as Praias de Quatro Ilhas e Mariscal – que são as mais propícias para o surfe.

O que saber antes de ir a Bombinhas

Trânsito na cidade

Nós fomos em Março e estava bem tranquilo. Depois de conhecer, eu não teria coragem de ir na altíssima temporada. Bombinhas é uma península, e não tem muito espaço para os carros transitarem. Na alta temporada está cheia de turistas e deve ser horrível andar de carro por lá. Se for, pegue um local bem legal que você possa estacionar o carro e fazer tudo à pé. Loucura ficar dirigindo por lá.

Pra quem está chegando de avião (em Navegantes, Joinville ou Florianópolis) – recomendamos alugar carro com a RentCars.

Taxa de Preservação Ambiental

Ao chegar na cidade de carro, você verá um posto policial. Tem que parar e cadastrar seu carro e pagar uma taxa de R$26,50 por veículo. Essa taxa só é paga entre 15 de Novembro e 15 de Abril. Se você não passou por esse posto policial na chegada, tem outros pontos de pagamento. Também é possível pagar antecipado pelo site da prefeitura. Leia mais sobre a TPA neste link.

Onde dormir em Bombinhas

Pousada Ala Moana – escolhemos esta pousada pelo custo x benefício que apresentava – e foi uma ótima escolha. É uma pousada simples, porém aconchegante com o pessoal super prestativo. Tem estacionamento, piscina e churrasqueira para os hóspedes, além de emprestarem cadeiras e guarda-sol para levar à praia. Fica super bem localizada, dá pra fazer tudo à pé. Diária foi 280 reais.

Piscina e estacionamento da Pousada Ala Moana

Veja aqui outras opções de hospedagem em Bombinhas.

Onde comer em Bombinhas

Essas sugestões são para quem está hospedado do lado de Canto Grande, Morrinhos e Zimbrós. Para quem está em Bombas/Bombinhas – acho que fica meio longe ir.

Tatuiranosso favorito! Um restaurante rústico, pé na areia com um menu delicioso. Um dia meu marido estava a fim de comer carne (eu sei… carne na beira da praia ;/) e estava também delicioso. Os preços são um pouco mais altos que a média, mas vale a pena jantar aqui ao menos um dia. Endereço: Rua João José da Cruz 1700

Tatuira

Berro d’água – é um dos restaurantes mais famosos da região. É grande e vive cheio, também tem uma entrada pela praia e algumas  mesas na areia. A comida é boa, mas com tanta propaganda, esperávamos mais. O ponto alto do restaurante é o parquinho (quem viaja com crianças sabe como isso ajuda…). Restaurante é bem bonito e vale a pena conhecer. Endereço: Rua Juquiá 578

Berro D’água

Armazém do Pescador – opção de comida mais conta, ambiente informal e descontraído e é pertinho da praia. Comemos um filé de peixe que estava muito bom. Fica na Rua Figueira.

Armazém do Pescador

Mar de Fora Pastelaria e Choperia – como o próprio nome diz, bom lugar para comer petiscos acompanhado de um bom chopp. Tem vários chopps artesanais da região. Av. Flamboyant 1347

O que mais fazer em Bombinhas

Nós fizemos um passeio bem tranquilo, só praia, restaurante e hotel – foi para descansar mesmo! Mas peguei as informações pra passar o que mais tem em Bombinhas:

Trilhas em Bombinhas: Trilha da Galeta, Trilha da Sepultura, Trilha do Retiro dos Padres, Trilha de Quatro Ilhas, Trilha do Morro do Macaco, Trilha da Tainha e Trilha da Costeira de Zimbros.

Mirantes: Mirante Morro do Macaco, Mirante de Bombas e o Mirante de Marsical.

Museus: Museu e aquário marinho, Museu naval casa do homem do mar, Museu comunitário engenho do sertão e o Museu e mirante eco-360.

Você já foi?! Deixe sua dica aqui pra gente.

Se Lança…

Leia mais estes posts também:

Cânions do Sul do Brasil
Oktoberfest de Blumenau com Bebê
5 passeios para fazer em Joinville e região com crianças pequenas
Osterfest, festa da Páscoa em Pomerode
Barco Príncipe com Crianças – Joinville
10 dicas para viajar de avião com bebê
Sua saúde e farmácia de viagem

Barco Príncipe com Crianças – Joinville

O Barco Príncipe é um passeio tradicional em Joinville. Como moradora da cidade por 2 anos, tive que conhecer antes de partir não é mesmo?

Fui com minha pequena, que na época tinha recém completado 2 anos de idade.

(Para quem não mora em Joinville e vai alugar um carro, sugiro cotar na RentCars).

Rota do Barco Príncipe

O barco sai do Pier no bairro dos Espinheiros. A saída é às 10:30, mas já se pode começar a embarcar à partir das 9:30. Tem estacionamento no local, mas o carros ficam todos engavetados.

Ao desembarcar, o barco príncipe passeia pela Baía da Babitonga, passando próximo às 14 ilhas.  desembarca em São Francisco do Sul, uma das cidades mais antigas do Brasil. Lá em São Francisco, o barco fica atracado por 1h e meia e depois retorna para Joinville. A rota da volta é diferente da ida e é mais rápida. A chegada em Joinville é por volta das 15h.

Preço do Ingresso

O ingresso custa 158 reais por adulto, inclui o passeio e almoço. Bebidas são à parte. Crianças até 5 anos não pagam, e crianças de 6 a 12 anos pagam meia.

Tem que comprar com antecedência e ligar na empresa reservando qual data você quer realizar o passeio. Veja aqui o site oficial deles.

DICA PARA ECONOMIZAR –> No site de cupons Abuze, sempre tem ingresso à venda com desconto. Atualmente custa 95 reais pelo site. Também tem que ligar na empresa e fazer reserva do passeio.

Serviço e almoço no barco

O pessoal do barco é excelente! Todo mundo muito simpático, todo mundo se esforça para que você e sua família estejam confortáveis, todo mundo super prestativo! Só posso elogiar.

O almoço é um buffet com comidas variadas – o almoço está incluso no valor do ingresso. É bem bom, melhor do que eu esperava. As bebidas são pagas à parte.

O que fazer a bordo do Barco Príncipe

Essa parte que pega… Não tem muito o que fazer à bordo do barco com crianças pequenas. São duas horas indo pra São Francisco e mais ou menos 1h e meia para voltar. É muito tempo para uma criança pequena se entreter em um barco. Uma hora você mostra as ilhas, o mar, o céu – mas aí cansa né. Por sorte minha pequena resolveu tirar um cochilo. Talvez as crianças maiores aproveitem mais.

Pra quem vai fazer o passeio sem crianças, é uma maravilha. Você fica lá sentadão, tomando cerveja e batendo papo enquanto aprecia a paisagem. Só vida boa.

O que fazer em São Francisco do Sul

Como temos pouco tempo na cidade, nós optamos por fazer o passeio de trem pela cidade. Assim deu pra dar uma voltinha e conhecer a cidade meio rapidinho.

Também tomamos um café ali na orla e demos um pulinho super rápido no Museu do Mar.

O que eu mais gostei

A vista chegando em São Francisco é única! Só se tem essa linda vista da cidade ao chegar por barco. Foi um passeio em família bem gostoso.

E você, como foi sua experiência? Conta aqui pra gente!

Veja neste link opções de hospedagem em Joinville.

Se Lança…

Veja estes posts que vão te interessar também:

5 passeios para fazer em Joinville e região com crianças pequenas
Cânions do Sul do Brasil
Oktoberfest de Blumenau com Bebê
Osterfest, festa da Páscoa em Pomerode
10 dicas para viajar de avião com bebê
Sua saúde e farmácia de viagem

Osterfest, festa da páscoa em Pomerode

A Osterfest é a festa da páscoa em Pomerode, uma festa de tradições germânicas. Na tradição alemã, durante a páscoa, as famílias enfeitam árvores com cascas de ovos que juntaram durante aquele período. Esta árvore chama-se Osterbaum. A árvore representa a morte de Cristo e os ovos coloridos a ressureição. Pomerode criou esta linda festa para relembrar e reviver os costumes dos imigrantes alemães – e fizeram isso com maestria.

A Osterfest em Pomerode foi uma das festas mais legais e mais lindas que eu fui na região!

festa da pascoa em pomerode osterfest arvore de cascas de ovos
Osterbaum

Onde, Quando e Como chegar na Osterfest

Neste ano de 2021 o evento começará em 11/02/2021 e vai até dia 04/04/2021. O evento acontece na praça central da cidade, não tem como não ver. Ali está o Centro Cultural de Pomerode, na Rua Hermann Weege. Mais infos no site oficial da cidade.

Para chegar em Pomerode de carro é mais tranquilo, mas a viação Catarinense tem ônibus pra lá. Fomos de carro de Joinville (onde morávamos na época). Apesar do trajeto possuir somente 80 kms, levamos umas 2 horas. A estrada é bem chata, pista simples, passa por dentro de várias cidades… mas enfim, com um pouco de paciência chega-se bem.

De Florianópolis são mais ou menos 3 horas de carro. Pra quem estiver chegando dos aeorportos de Joinville ou Navegantes, sugiro alugar um carro pela RentCars.

Entrada da Festa da Páscoa em Pomerode
Entrada da Festa da Páscoa em Pomerode

O que fazer na festa da Páscoa em Pomerode

Gente, tem muita coisa pra fazer! Dá pra passar o dia todo lá curtindo o evento. Nós chegamos na cidade por volta das 11:30 e ficamos até umas 15h. Aliás, essa foi uma excelente estratégia, este horário a feira ainda não estava muito cheia e conseguimos vaga para estacionar, local para almoçar – tudo bem tranquilo. O período da tarde é mais cheio.

Atividades paras as crianças

As crianças vão se divertir bastante na feira, olha a lista de coisas pra fazer:

  • Oficina de pintura de casquinhas naturais,
  • Contação de histórias,
  • Mini Cidade de brinquedos,
  • Foto com Coelho da Páscoa,
  • Mini fazendinha com coelhos de verdade,
  • Passeio em Pônei
  • Espaço de briquedos da Calesita (e loja, prepare o bolso)
  • Apresentações de música e dança
Pintura de casquinhas de ovos

Diversão para os adultos

  • Compras na feira – Ostermarkt (chocolates Nugali, artesanatos, loja da Calesita, Karsten e outros)
  • Barracas de comidas
  • Barraca de chopp da Opa
Chopp Opa

É isso, resumindo, criança brinca e se diverte e adulto come e bebe 😉

Onde ficar em Pomerode durante a Osterfest

Para quem mora mais longe e vai pernoitar na cidade, deixo essas duas sugestões de pousadas:

Pousada Pomerode – é uma pousada relativamente nova, um lugar super fofo e que te dá uma sensação de casa. É bem limpa e organizada, diárias por volta de 285 reais durante a Osterfest. A desvantagem é que fica longe do Centro Cultural, precisa de carro pra chegar lá.

Pousada Oma Helga – uma pousada bem simples, mas que oferece excelentes preços (diárias por votla de 100 reais na época da festa). A grande vantagem é que está bem localizada, no centro da cidade. É possível deixar o carro no estacionamento do hotel e fazer tudo a pé.

Veja aqui outras opções de hospedagem em Pomerode.

Onde comer em Pomerode

Conheçi dois restaurantes na cidade que deixo como sugestões:

Restaurante Típico Colonial WunderWald – pelo enorme nome já deu pra perceber que é comida típica alemã né!? Eu ADORO comida alemã, acho que se você vai até Pomerode, tem que experimentar. Vá de joelho de porco ou marreco. O restaurante é muito gostoso e tem um pequeno espaço pras crianças brincarem enquanto esperam a comida. Preços são um pouco salgados, mas os pratos bem servidos.

Schornstein Kneipe – ótimo lugar para um almoço acompanhado de cerveja artesanal da cidade. Fica convenientemente em frente ao evento da Osterfest. Geralmente o restaurante é à la carte, mas nos fins de semana da festa é servido um buffet com preço único. Lembre-se, em dia de eventos tudo é mais caro e cheio né.

Restaurante Schornstein

Vale MUITO a pena conhecer este lindo evento. Foi um dia muito gostoso e feliz em família. Super recomendo!

Leia mais estes posts:

Oktoberfest de Blumenau com Bebê
5 passeios para fazer em Joinville e região com crianças pequenas
Bombinhas (Santa Catarina) com crianças pequenas
Cânions do Sul do Brasil
10 dicas para viajar de avião com bebê
15 dicas para uma viagem segura e saudável

~ Se Lança ~

Oktoberfest de Blumenau com Bebê

Ano passado nós nos aventuramos na Oktoberfest de Blumenau com bebê. Minha filhota estava com 1 ano e 2 meses quando fez sua estréia na Oktober.

Eu estava super receosa de levá-la, mas por estar morando em Joinville, não queria perder essa chance de conhecer a maior festa alemã do Brasil! (PS – veja aqui 5 passeios em Joinville pra fazer com crianças pequenas).

No final das contas foi ótimo! Então vou passar algumas dicas do que fez este passeio dar certo.

Onde dormir em Blumenau durante a Oktober com bebês

Nós reservamos o hotel com 2 meses de antecedência e quase não conseguimos lugar. Tudo lota muito cedo. Então a regra de ouro é, se programe para ir, assim terá mais opções de estadia.

Durante o fim de semana os hotéis não reservam apenas uma noite, então tivemos que pagar por duas noites, apesar de termos dormido apenas 1 noite na cidade. No entanto, aproveitamos que a diária estava paga e chegamos cedo no hotel.

Muita gente faz bate e volta de Joinville ou de Balneário Camburiú pra festa – não recomendo fazer isso com bebês ou crianças pequenas. A estrada fica cheia e pode ser bem estressante.

Ficamos no hotel Steinhausen, fica um pouco afastado da Oktober pra ir à pé, mas dá uns 10 reais de taxi. Acomodaram a nossa bebê em um colchão no chão – o que funcionou bem pra nós. O café da manhã também era bem gostoso. O nosso quarto em particular era um pouco antigo, mas pra uma noite estava ótimo. Veja outras opções de hospedagem em Blumenau aqui.

oktoberfest em blumenau com bebês

Melhor horário pra ir pra Oktoberfest com Crianças

Vá de dia! Chegamos lá por volta das 13:30 e só tinham famílias. Um clima super gostoso, as crianças correndo e dançando, famílias se divertindo, super legal!

Por volta das 17/18:00 começam a chegar os jovens, solteiros e a turma mais animada pra bagunça. Foi por volta dessa hora que fomos embora.

Esse ano de 2019 a Oktober começa dia 10 de Outubro e vai até 27 de Outubro. Claro que sábado e domingo são os dias mais cheios, mas também os mais legais!

Criança paga pra entrar na Oktober?

Não! Menores de 16 anos acompanhados dos pais tem acesso livre.

DICA PRA ECONOMIZAR – se você entrar até às 13:00, não tem que comprar bilhete de entrada – ou seja – dá uma bela economia, afinal, cada adulto paga mais de 40 reais pra entrar no sábado! A gente não sabia e perdeu esse benefício por meia hora… paciência.

Os pavilhões só abrem às 13, porém o acesso à Vila Germânica já está liberado, então você pode entrar grátis antes da 1 da tarde e já almoçar por lá. Se precisar sair por alguma razão, na hora de voltar tem que comprar o ingresso.

Alguns dias durante o evento também tem entrada gratuita, tem que ficar de olho no site oficial.

Dá pra levar carrinho de bebê na Oktober?

SIM!!! Essa era minha maior dúvida, se iria conseguir andar lá dentro com o carrinho, pois imaginei que estaria super muvucado e não conseguiria me locomover com o trambolho.

Não foi nada disso. Como disse acima, este horário tem muita família, e não está lotadasso, então tem muito espaço para os carrinhos de bebês. Pode levar tranquilo!

Como não sabíamos, levei a bebê no sling, que no final das contas foi ótimo, pois ela dormiu ali quase 2 horas enquanto a gente curtiu a festa despreocupados.

Outras estruturas para bebês e crianças na Oktober

Para trocar fralda precisamos usar um banco de madeira mesmo, não encontrei trocador na festa. Também é interessante levar sua própria comida, não é proibido entrar com lanche. Lá vendem comidas e bebidas típicas, além de salgados e coisas desse tipo. Nada muito legal pros pequenos.

Nós levamos uma mochila com fraldas, troca de roupa, água e comida da bebê.

Outras dicas sobre a Oktoberfest de Blumenau

Se por alguma razão só conseguir chegar depois das 13 horas, compre seu ingresso online pra evitar filas. Salve o ingresso com código de barro no seu celular, é só mostra-lo pra entrar.

Leve dinheiro em espécie. Geralmente a fila pra comprar fichas de cerveja e comida é mais curta no guichê de dinheiro do que de cartão.

Não se esqueça de beber água e aproveite junto dos pequenos!

Ein Prosit!

Esqueci de alguma coisa?! Deixe sua dica aqui também!

~Se Lança~

Veja estes outros posts que podem te interessar:

Osterfest, festa da Páscoa em Pomerode
Bombinhas (Santa Catarina) com crianças
10 dicas para viajar de avião com bebê
Barco Príncipe de Joinville com crianças
5 passeios em Joinville e região pra fazer com crianças pequenas
Cânions do Sul do Brasil
15 dicas para uma viagem segura e saudável

5 passeios em Joinville e região para fazer com crianças pequenas

Depois de um tempo morando em Santa Catarina, descobri estes 5 passeios em Joinville e região para fazer com crianças pequenas.

Este post é pra quem mora por aqui, não estou dizendo que você deva sair de São Paulo e vir pra cá quando rolar aquela promoção de passagem aérea, mas pros moradores, são opções bem bacanas.

1 – Rancho Alegre

Este sítio abre suas portas aos fins de semanas para receber a garotada. É um passeio muito divertido onde as crianças tem acesso livre para interagir com animais.

É possível dar uma voltinha no cavalo ou ponei, segurar coelinhos, dar comida para os porcos, patos, galinhas… Assistir à ordenha da cabra, além de conhecer muitas outras espécies que tem ali.

Tem uma área para piquenique, então leve sua toalha e comidinhas pra aproveitar. Aos sábados tem um café colonial.

As crianças amam, vale muito a pena.

Informações básicas:
  • Horário – sábado, domingo e feriados das 14 às 17h.
  • Endereço – Estrada Piraí 2551, Vila Nova. É só colocar Rancho Alegre no Waze que você acha. Está a 15 kms do centro da cidade.

2 – Estrada Bonita

Uma pequena estrada de 5 kms de extensão com opções de restaurantes simples, venda de artesanatos, queijos e cucas. No fim da estrada tem um riacho, no verão é possível até se banhar.

Em uma das primeiras propriedades à esquerda, você encontrará a Propriedade Ango Kersten. Lá tem um pequeno museu de coisas antigas da roça, interessante pra ver. Tem alguns animais que as crianças podem conhecer e a fábrica de melado. Eles ofercem também um passeio de trator pela propriedade com uma pequena pausa para balançar sob a árvore enorme!

A entrada no museu e visitação aos animais e fábrica custa apenas 12 reais. O passeio de trator custa 60 reais para um grupo de 1 a 5 pessoas, passando de 5 pessoas, tem um custo adicional de 12 reais cada um. O passeio de trator inclui a entrada do museu. É preciso reservar com antecedência em feriados e fins de semana. Mais informações e reservas pelos telefones: (47) 34641432 / (47) 996912658.

Logo na entrada da estrada tem o Restaurante Grun Wald com opções de comida típica alemã e também um buffet de comida brasileira. É bem simples mas saboroso.

Outros restaurantes perto do rio são o Tia Marta e Recanto Estrada Bonita, são simples mas ajeitadinhos.

Informações básicas:
  • Endereço – Rodovia BR-101, Km 20 – Rio Bonito
  • Pousadas: Grun Wald e Recanto Estrada Bonita.

3 – Cachoeira Casarão e Vila da Glória

A Vila da Glória faz parte da cidade de São Francisco do Sul, está no continente entre a mata atlântica e Baía da Babitonga.

É uma região de trilhas e cachoeiras, além de ter uma praiazinha bem tranquila. Boa opção para passar o dia na natureza e depois sentar nos restaurantes à beira do mar pra comer peixe e camarão!

Nós conhecemos a Cachoeira Casarão, que tem este nome por causa da linda casa antiga datada de 1900 na propriedade. Pra chegar na propriedade vindo de Joinville tem que pegar o ferry boat no Vigorelli. Depois de cruzar a baía, é só descer com o carro da balsa e seguir na estrada principal. Depois de uns 12 kilômetros, começam a aparecer placas com direção da cachoeira. Veja detalhes de como chegar nete link.

A trilha pra chegar na cachoeira é de mais ou menos uns 200 metros, bem fácil, só exige cuidado pra não escorregar, cair, etc. Nós levamos a filhota no colo, vocês sabem, crianças pequenas não sussegam, então não quisemos arriscar. Custa 10 reais por adulto pra entrar.

Depois de conhecer a cachoeira, voltamos para a estrada principal e almoçamos no Restaurante do Helias. Foi um dia de passeio muito legal.

4 – Agrícola da Ilha

Este viveiro de plantas tem um pequeno espaço interativo, parquinho, pedras que saem água, passagem feita de bambus, tudo pra despertar os sentidos.

Como eles também criam carpas, tem um pequeno espaço onde as crianças podem se agachar para alimentá-las.

Tem um café que abre somente às sextas e sábados. Custa 12 reais por adulto pra entrar na propriedade.

É legal ficar de olho no facebook deles, pois sempre tem programações legais pra crianças, como uma oficina de briquedos de madeira que nós participamos.

Endereço:

Rua Tenente Antônio João, 4257 / Fone: (47) 3473-0628

5 – Parque Malwee em Jaraguá do Sul

Este parque é da Empresa Malwee e é aberto à população de maneira gratuita.

É um parque muito lindo e bem cuidado. Tem lago com pedalinho, 2 restaurantes – um de comida alemã e um self-service mais variado, tem parquinho, campinho, labirinto de plantas – um lugar bem bacana de conhecer e passear.

A única desvantagem na minha opinião, é a estrada até lá. São apenas 60 kms de Joinville até o Parque Malwee, porém este trajeto pode levar de 1 a 2 horas. A estrada é pista simples e passa no meio de vários municípios e demora demais pra chegar se tiver trânsito. Confesso que foi por este motivo que fui apenas 1x no parque.

Barco Príncipe em Joinville com crianças

Leia neste post nosso relato sobre o passeio no Barco Príncipe com crianças pequenas. Dou dicas para economizar e dá pra refletir, será que vale a pena!?

Passeios perto de Joinville

Sei que quem é novo na cidade pena pra achar coisas pra fazer, por isso quis deixar aqui essas sugetões de pequenos “day trips” pra sair da cidade e conhecer a região.

Veja este post super legal sobre a Osterfest em Pomerode!

Oktoberfest de Blumenau com bebê e crianças pequenas

E você, tem mais alguma pérola? Deixe aqui sua sugestão para aumentar a lista!

Se Lança…

Veja também:

Bombinhas com crianças pequenas
Cânions do Sul do Brasil
10 Dicas para viajar de avião com bebê
Como viajar bem e barato pelo mundo?
Blog – Uma turista local em Joinville

Cânions do Sul do Brasil: Itaimbezinho e Fortaleza

Nessa época de dólar, euro e libra na casa da mãe Joana, nada melhor do que aproveitar pra conhecer seu próprio país. Neste post, te apresento os Cânions do Sul do Brasil, que ficam nas cidades de Cambará do Sul (RG) e Praia Grande (SC).

Já ouviu falar em Cânion Malacara, Cânion Itaimbezinho e Cânion Fortaleza?

Eu os conheci em setembro de 2015 e o que descobri é o que muitos já sabem: o Brasil é mesmo um país fantástico! E neste post você vai se apaixonar mais um pouquinho pelo nosso país.

Mas vamos ao que interessa: você sabia que no Brasil temos Cânions? E que eles são lindos? E que tem estrutura de turismo bacana? E que a maioria dos turistas que frequentam são gringos? Sim, nossos cânions são mais conhecidos lá fora do que aqui dentro.

Neste post você verá:

  • Quais Cânions conhecer
  • Como chegar aos Cânions do Sul do Brasil
  • Como são os Cânions, o que tem pra ver e fazer neles
  • Quanto custa cada passeio
  • Onde se hospedar em cada cidade

Uma viagem pelo sul do Brasil: Cânion Malacara, Cânion Itambezinho e ao Cânion Fortaleza

Malacara, Itaimbezinho e Fortaleza são os nomes dos 3 Cânions que temos no Sul do Brasil, entre as cidades de Praia Grande no estado de Santa Catarina e Cambará do Sul, no estado do Rio Grande do Sul. Parece longe mas não é, as cidades são vizinhas.

Os cânions ficam dentro do Parque Nacional de Aparados da Serra e da Serra Geral. Estão abertos o ano todo, mas é preciso confirmar bem os dias e horários de visita pois algumas trilhas tem limite de horário para entrada, assim como algum dia da semana em que estão fechadas. Deixo aqui o site oficial para que você cheque essas informações antes de ir. 

Nos meses de primavera e verão as Andorinhas e Andorinhões – aves migratórias – vem aos Aparados da Serra para escapar do inverno no Hemisfério Norte e proporcionam um espetáculo à parte junto às Cachoeiras do Canyon Itaimbezinho.

Cânion Malacara

Este cânion é menos conhecido, portanto um dos menos visitados. De uma beleza única e ainda muito selvagem, possui 3,5km de extensão e uma profundidade de 700 metros aproximadamente.

Trilha do Cânion Malacara

Trilha do rio do boi
Foto marrenta com cajado e tudo durante a trilha do Cânion Malacara

Onde fica: Praia Grande, SC.

Como é: a trilha só pode ser feita com o guia. Nós fizemos com o Giovani Bittencourt da Tribo dos Canyons. Um sujeito tranquilo, simpático e que conhece esses cânions como ninguém. Aqui era seu playground quando criança. Rapaz sortudo.

Quanto custa: o passeio dura em média 4h e custa em torno de R$85 por pessoa. Depende se você fechar direto com o guia ou via pousada. Sugiro que vá direto com o guia.  Contato: [email protected]

O percurso é suave, não tem muitas subidas. Pode confiar.

Onde se hospedar: para fazer o passeio por este cânion, o melhor é se hospedar na cidade de Praia Grande mesmo. Nos hospedamos na Pousada Aracema. A pousada é super bem cuidada, possui uma área verde bem bonita, um espaço para fazer uma fogueira e ficar contemplando as estrelas com o estalar da lenha de trilha sonora. Café da manhã delicioso.

Pousada Aracema - Praia Grande SC
Pousada Aracema em Praia Grande, Santa Catarina.

Cânion Itaimbezinho

Você pode conhecer o Cânion Itambezinho por cima e/ou por baixo. Nós fizemos os dois passeios e abaixo mostro como são as trilhas e formas de conhecê-lo.

Conhecendo o Cânion Itaimbezinho por cima:

 

Itaimbezinho

Onde fica: Cambará do Sul, RS

Como é: este é o cânion mais famoso do Parque Nacional dos Aparados da Serra e também o maior da América do Sul com uma extensão de 5800m e uma largura que alcança os 200m. Seu nome vem do Tupi Guarani que significa pedra afiada. As paredes rochosas do Itaimbezinho chegam a uma altura de até 700m.

Há duas principais trilhas, a do Vértice com 45min de caminhada que dá acesso as bordas do cânion chegando até a cascata das Andorinhas e a do Cotovelo, que foi a que fizemos. A trilha do Cotovelo, apesar de ter 6km ida e volta é beeeem leve. A mesma chega até o Mirante do Cotovelo que proporciona uma visão panorâmica do cânion.

Quanto custa: a entrada ao cânion custa R$7 por pessoa + R$5 pelo carro. Aberto de terça a domingo, das 8h às 17h. O último horário de saída para trilha é às 15h.

Onde se hospedar: há várias opções de pousadas fofas em Cambará do Sul. Nós resolvemos gastar investir um pouco mais e nos hospedamos no Parador Casa da Montanha. Além de estar super bem localizado entre os cânions Itaimbezinho (9km) e Fortaleza (23km), oferece a experiência de “acampar” em meio à natureza sem a parte do perrengue de dormir em saco de dormir, tomar café coado na meia, passar frio na madruga e tal, rs…

Hotel Parador Casa da Montanha
Hotel Parador Casa da Montanha em Cambará do Sul

As barracas são térmicas, inspirada nos lodges Africanos. A decoração é absurdamente charmosa, cada barraca tem uma decoração diferente. Tudo feito com muita atenção aos detalhes e com muita qualidade.

No fim da tarde, eles fazem um encontro para celebração do por do sol. Os hóspedes ficam em volta da lareira, contemplando o dia que se vai, tomando um vinhozinho, jogando conversa fora, lembrando de agradecer a vida…

O café da manhã é incrívelmente incrível, além da variedade de deliçuras pra comer, a decoração, as louças, as vistas, tudo, é lindo demais. Rústico, com um quê de luxo. Acho que essas palavras definem melhor.

Ah, o hotel oferece ainda jacuzzi, casa de banho pros hóspedes que estão em barracas que não possuem chuveiro próprio (não faz cara de nojinho, é super limpo, estamos falando de um hotel top), cavalos pra fazer uma passeio pela propriedade, fondue pra jantar, enfim… já te convenci, né?!

Chalé Hotel Parador Casa da Montanha

Eu amei! Quero voltar e ficar mais dias. Ficamos apenas uma noite.

Conhecendo o Cânion Itaimbezinho por baixo:

Trilha do Rio do Boi

Trilha do Rio do Boi - Canion Malacara

Onde fica: também em Praia Grande, SC

Como é: esta trilha é por dentro do caniôn Itaimbezinho, no Parque Nacional Aparados da Serra. A caminhada é feita dentro da fenda do Itaimbé e no leito do Rio do Boi. É indiscutivelmente uma das mais belas caminhadas do parque pela variedade da paisagem: de Mata Atlântica a cachoeiras que formam piscinas de águas límpidas e naturais.

A trilha começa com uma subida de 3km mata adentro até chegar às margens do rio. Do rio até o “ponto final” são mais 4km. O percurso de ida e volta é de 14km, com parada para lanche, contemplação e fotos, muitas fotos. Tempo total: 7h aprox.

Considerada de alto grau de dificuldade. A maior parte da caminhada é feita nas pedras que margeiam o rio e cobrem seu leito. Há ainda necessidade de atravessar o rio, 18 vezes no total, e em alguns pontos a profundidade da água chega a altura dos joelhos. Parece assustador, mas não é, é bem do gostoso. Ah, muito importante, se puder ir com bota impermeável é melhor do que ir de tênis.

Trilha do Rio do Boi - Canyon Itaimbezinho
em uma das 18 travessias pela Trilha do Rio do Boi, no Cânion Itaimbezinho

Quanto custa: R$135 aprox. Mesmo esquema da trilha Malacara que expliquei acima.
Sugiro que vá direto com guia. O nosso foi o Giovani Bittencourt da Tribo dos Canyons. Contato: [email protected]

Cânion Fortaleza

Por último, e o mais famoso dos Cânions do Sul do Brasil: o Cânion Fortaleza.

E aqui conto a trágica, se não fosse cômica, experiência que tivemos.

Fizemos a trilha da parte de cima Itaimbezinho pela manhã, depois passamos numa padoca na cidadezinha de Cambará do Sul, pegamos um sanduba natural e partimos pro Cânion Fortaleza.

Estrada sinuosa, pista simples, 23km até chegar na entrada do parque. Duuuu-nada, já na estrada de terra do parque, avisto uma nuvem linda, branca, gigantesca atravessando a estrada. Grito: “PÁRA! PÁRA! PÁRA!” – a la João Kleber – pro marido para o carro.

Obviamentchy preciso fazer uma foto S A I N D O da nuvem, no meio da estrada, neste visu super bucólico. Olha a foto abaixo se não compensou?

Neblina Canyon Fortaleza

Tá querendo uma igual, né? rs

Voltando…. passamos a nuvem, mas a nuvem não passou a gente. Continuamos dirigindo bem devagar até o ponto onde você deixa o carro e continua a pé, até chegar ao Mirante do cânion Fortaleza. Na caminhada, mais e mais nuvens, impedindo a visibilidade. Se meu braço tivesse mais de 1m, não daria pra ver os dedos, pra você ter uma ideia de como estava bacana.

Caminhamos por mais uns 10min e encontramos um casal voltando. Perguntamos sobre a vista e eles nos incentivaram: “enfrentem as nuvens, porque lááááá na frente as nuvens desaparecem e vocês vão chegar ao mirante onde se vê um dos cânions mais lindos do mundo”. Essa frase me pegou, continuamos na caminhada, literalmente à cegas.

Nessa caminhada percebi que o Brasil não tá naquele preparo todo pro turismo de aventura, ainda. A trilha até o mirante é de 30min aproximadamente e não tem um corrimão, uma plaquinha sinalizando o caminho, um caminho de pedrinhas pra seguir, não tem nada. Nada. É um sobe e desce no meio de mato, barranco, “trilhas” gastas… e a coisa só piora com a falta de visibilidade.

Bom, dado momento, começou uma subida, subimos muito, não dava pra ver um passo a frente, eu quase me perdi do marido. E dai que começou a dar um desespero né, como não? Desespero de pensar que estava em um cânion, isso significa que a qualquer hora o chão vai acabar, o abismo vai aparecer. Eu tava subindo pra onde? O fim da subida tava distante ou próximo? O que era o fim da subida? Apavorei sim, não vou negar.

Como se não bastasse todo o “quase pânico”, entre aspas, pra encorajar meu espírito aventureira ferido, duuuu-nada (outra vez), aconteceu outra coisa: começou a C H O V E R!!!

Mas a chuva era tímida, chovia pouco, o que dificultou no meu trabalho de convencimento do marido a voltarmos. Tive que compartilhar meus pensamentos de morte por queda com ele pra que ele entendesse que realmente tava sofrido pra mim, precisávamos  desistir e voltar. Relutante, aceitou.

Antes de voltar, ele faz uma foto do meu medo:

Olha a chuva!
Apesar de todo pânico dentro de mim, eu amo essa foto.

Se a ida estava tensa, é porque você não faz ideia do que foi a volta. A chuva aumentou muito e não apenas em quantidade de água, começou a chover granizo! Sim, começou a chover G R A N I Z O, tem noção?

Era cada pedrada na minha cabeça, braço, perna, cara, que por um momento entendi o que deve ser, ser metralhado. Sem zueira. E eu só pensava no carro, lá parado, tomando esses tiros…

Enfim… nunca tentei correr tanto na minha vida, nunca mesmo, porque o chão virou lama, então não rolava correr. Imagina além de tudo ainda correr cair, quebrar algo… Sem chances de manter a positividade naquela experiência gente, foi foda.

Chegamos ao carro ensopados, a chuva agora além de água abundante e granizo, também contava com a ajuda do amigo vento. Entramos no carro e ficamos lá molhados, com frio, sem roupa seca e morrendo de medo real. O carro balançava de tanto vento.

Esperamos a chuva amenizar pra sair do parque, o que também foi tenso. A estrada até o cânion Fortaleza é de terra e nós não estávamos num 4×4. Eu só imaginava o carro atolando e a gente tendo que dormir lá até alguém aparecer pra resgatar a gente, porque celular também não pega lá, claro.

E detalhe: ninguém da nossa família ou amigos sabia que estávamos lá, que esse era o nosso passeio do dia. E aprendemos uma lição: nunca fazer um turismo de aventura sem compartilhar nosso roteiro com alguém da família.

Bom, por estar aqui escrevendo este post, vocês podem perceber que SOBREVIVEMOS. Obrigada a todos os santos protetores dos turistas de aventura despreparados.

Portanto, após esse pseudo filme de terror, agora vocês podem entender porque a beleza do Fortaleza ficará pra uma próxima oportunidade pra mim, né?

De maneira alguma essa história é pra te desencorajar, pelo contrário. Eu fui em setembro e dizem que nos meses de setembro e outubro é assim mesmo. Então minha gente, planeje essa viagem pra qualquer um dos 10 meses restantes do ano.

Ah, eu fui dirigindo de São Paulo até lá, durante uma viagem por Santa Catarina – mas para quem voar até lá, depois pode alugar um carro para chegar nos cânions. Cote na RentCars, eles fazem uma comparação de várias locadoras.

Leia mais um post no Se Lança

Oktoberfest de Blumenau com Bebê
5 passeios para fazer em Joinville e região com crianças pequenas
Osterfest, festa da Páscoa em Pomerode
Como chegar aos Lençóis Maranhenses
Jericoacoa no Ceará

 

Ainda não sabe pra onde ir?
A gente te ajuda! Escolha um destino.