Motorhome na Nova Zelândia: roteiro Ilha Sul com crianças
Nova Zelândia Oceania

Motorhome na Nova Zelândia: roteiro Ilha Sul com crianças

[su_wiloke_sc_company_website target=”_self”]Montar um roteiro de motorhome com crianças na Ilha Sul da Nova Zelândia é muito diferente do que um roteiro sem crianças. Aprendi isso na prática.

Esse roteiro de campervan na Ilha Sul não foi o planejado e está longe de ser o ideal, mas foi o possível para nossa família.

Fui com as crianças com 1 e 4 anos, e a mais nova só chorava na cadeirinha. Teve um dia em que levamos mais de 5 horas para dirigir 250 kms. Por aí dá pra entender porque tivemos que mudar o roteiro e nos adaptarmos.

Recomendo que também leia: Motorhome na Nova Zelândia: tudo o que você precisa saber antes de ir

Isso foi o que fizemos:

Roteiro de 1 semana na Ilha Sul com motorhome

  • Dia 1: Christcurch – Rakaia
  • Dia 2: Rakaia – Lake Tekapo
  • Dia 3: Lake Tekapo – Queenstown
  • Dia 4: Queenstown
  • Dia 5: Queenstown – Wanaka
  • Dia 6: Wanaka – Twizel
  • Dia 7: Twizel – Lake Tekapo
  • Dia 8: Lake Tekapo – Ashburton
  • Dia 9: Ashburton – Christchurch

Dia 1: Christcurch – Rakaia

O primeiro dia foi chegar no aeroporto, retirar o motorhome, fazer uma compra de mercado e pegar um pouco de estrada para sair da cidade.

Dica #1: Separe ao menos meio período do dia para esse processo de aeroporto e retirada do motorhome. Quando você chegar, vai ao portão A onde todas as vans buscam os clientes para levá-los ao estacionamento das locadoras de motorhome.

Lá na locadora você vai ficar um tempão para retirar a campervan. Além do procedimento ser demorado, na alta temporada tem muita gente, o que aumenta ainda mais a espera. Nós ficamos umas 3/4 horas na Mighty. Tem que preencher vários documentos, assistir uns vídeos informativos, fazer uma provinha, inspecionar a van com o funcionário, ajeitar as malas e cadeirinhas e só então pode ir.

Onde dormimos: Nosso plano era dirigir até Geraldine, mas como saímos mais tarde do que o planejado, ficamos em Rakaia. No Rakaia River Holiday Park. A única coisa que tem pra fazer nessa minúscula cidade é pescar. O parque foi bem gostoso, é bem limpo, tem cozinha, banheiros arrumados, sala de TV, piscina e parquinho.

Esq: loja da Mighty para retirara motorhome / Dir: café da manhã em Rakaia

Dia 2: Rakaia – Lake Tekapo

Neste dia acordamos e paramos na cidade para ir ao centro médico. A bebê torceu o pé ao subir na campervan e estava sem andar. Pagamos 90 NZD para a enfermeira dar uma olhada e a filha da mãe sair andando do consultório. Coisas de viajar com crianças. (Por isso sempre destaco a importância de ter um seguro de viagem!)

Paramos para almoçar no meio da estrada, sabe onde?! No motorhome. Tem muitas áreas para os motorhomes pararem na estrada. Encostamos e fizemos nosso primeiro almoço, aquele macarrão básico.

Onde dormimos: No Lake Tekapo, dormimos no único camping que tem lá: Lake Tekapo Motel & Holiday Park. É enorme, tem acomodações para todo tipo: motorhome, barraca, quartos individuais e dormitório do backpackers. Os banheiros são arrumados e a cozinha também. Não tem parquinho mas tem duas camas elásticas e uma caixa de areia. Tem churrasqueiras de frente para o lago.

O que fizemos: Visitamos o Tekapo Springs. Um conjunto de piscinas de água quente, saunas e um escorregadorzão de lona. Foi uma delícia ficar nas piscinas, mesmo no frio. É um pouco caro (como tudo na Nova Zelândia), mas é a melhor atração para fazer com crianças pequenas. Pagamos 25 NZD por adulto 15 por criança (menores de 3 anos não pagam). No inverno tem patinação no gelo e snow tubing (um escorregador de neve).

As outras opções de turimos em Lake Tekapo são trilhas lindas da região ou encarar as águas gélidas do lago. No check-in do camping você recebe um mapa com as trilhas.

Vale a pena parar no Lake Tekapo, um dos pontos altos da Ilha Sul.

Tekapo Springs

Dia 3: Lake Tekapo – Queenstown

Este foi o fatídico dia de estrada, mais de 5 horas para dirigir os 250 kilômetros entre Lake Tekapo e Queenstown. No caminho vimos o lago Pukaki da estrada – que também é maravilhoso. Almoçamos no motorhome no caminho.

Onde dormimos: No primeiro dia dormimos no TOP 10 Queenstown. Este TOP 10 é uma rede de campings pela Nova Zelândia. O bom dele (como qualquer hospedagem de rede) é que você sabe exatamente o que vai encontrar, que tudo vai estar conforme o padrão. O ruim dele é que não tem muita autenticidade – mas eu diria que é uma excelente opção para pernoitar com o motorhome, principalmente para calouros como nós. A desvantagem deste TOP 10 é que não é na cidade, tem que pegar uma van do estabelecimento até é. É grátis e funciona bem.

O que fizemos: no primeiro dia fomos para a cidade e subimos no teleférico. Você pode ler tudo sobre Queenstown neste post.

Queenstown vista do teleférico

Dia 4: Queenstown

Onde dormimos: mudamos para outra camping para estarmos dentro da cidade. Fomos para o Queenstown Lakeview Holiday Park.  Pra ser honesta não tinha nada de autêntico neste camping também, pelo contrário, era enorme com um zilhão de motorhomes estacionados. Porém, a localização dele é imbatível, vai-se a pé para a cidade.

O que fizemos: passamos o dia em Queenstown conhecendo a cidade, fizemos o passeio de barco rápido no Shotover River, almoçamos, fomos no bar de gelo, no jardim e parquinho. Leia também: Queenstown com crianças: guia completo. 

Foi um dia muito gostoso na cidade.

Dia 5: Queenstown – Wanaka

Inicialmente o roteiro era ir para Milford Sound. Mas devido ao mau tempo e mau humor da neném, resolvemos começar a subir de volta para Christcurch. Nós tentamos os 2 dias na cidade fazer este passeio de avião para Milford Sound , mas não deu.

Sendo assim, acordamos cedo e fomos para Wanaka passar o dia e pernoitar. Pegamos chuva na cidade, então não deu para aproveitar muito.

O que fizemos: pela manhã brincamos no parque dos dinossauros e pela tarde fizemos este passeio de barco no lago Wanaka com caminhada na ilhota Ruby. Verdade seja dita foi um programa de índio debaixo de chuva. Em um dia ensolarado deve ser um lindo passeio.

Onde dormimos: eu queria uma experiência de ficar em um camping um pouco menos “comercial” mas ao mesmo tempo sem perder conforto. Optamos pelo Lake Outlet Holiday Park. Este camping é na beira do rio, tem patos e lebres por todo lado. Lá pode-se pescar e fazer caminhadas. As instalações são confortáveis e limpas – minha única reclamação seriam os chuveiros que funcionam com moedas. Mas no geral eu recomendo.

Dia 6: Wanaka – Twizel

Essa parada em Twizel foi simplesmente para quebrar a viagem e vou te dizer que foi uma boa opção.

Onde dorminos: Twizel Holiday Park. Não tinha parquinho, mas tinha uma churrasqueira em um gramadinho bem gostoso.

O que fizemos:  Além do churrasco em família, aproveitamos para lavar toda a roupa e estender no varal. Por ser um camping menor, ficamos bem à vontade das crianças irem e virem sozinhas.

 

Churrasco no camping em Twizel
Churrasco no camping em Twizel

Dia 7: Twizel – Lake Tekapo

Pé na estrada e resolvemos parar no Lake Tekapo outra vez porque não tem muitos outros lugares turísticos nessa região e o lago é super lindo.

No caminho tem o Lago Pukaki, onde paramos para uma foto, mas não tem camping por lá então seguimos.

O que fizemos: Como já havíamos ido nas piscinas térmicas, dessa vez exploramos mais o lago e até arriscamos molhar os pés. Curitmos mais o camping e também fizemos um churrasco com vista para o lago.

Onde dormimos: Lake Tekapo Motel & Holiday Park o único do lugar.

Dia 8: Lake Tekapo – Ashburton

A parada em Ashburton foi também para quebrar a viagem. Não queríamos chegar cedo em Christchurch e honestamente não tinha mais pra onde ir. Foi, digamos assim, um dia perdido.

O que fizemos: brincar no parquinho do camping e preparar o motorhome para devolução no dia seguinte.

Onde dormimos: Ashburton Holiday Park. Com certeza o camping mais “local” e menos turístico que ficamos. Nada de especial, apesar de ter um laguinho com patos e parquinho que foi bacana, mas bem ajeitado com cozinha e banheiros ótimos. Tiham várias pessoas que podíamos ver que moravam ali, pouquíssimos turistas.

Dia 9: Ashburton – Christchurch

Chegamos cedo em Christchurch e fomos devolver o motorhome. Para isso, tem que fazer alguns procedimentos como: esvaziar o depósito de água suja, encher o reservatório de água, esvaziar o banheiro químico, tirar todo lixo, encher o tanque de gasolina e comprar um butijão de gás novo.

Feito isso, a devolução do veículo e chaves é muito tranquilo. Bem mais rápido que a retirada. De lá pagamos um transporte de van que nos levou até nosso hotel em Christchurch – o Aaston Motel – que super recomendo.

No total ficamos um dia e meio na cidade, andamos a pé por lá e conhecemos os parques. Leia tudo sobre isso aqui: O que fazer em Christchurch.

De Christchurch voamos para Auckland onde passamos alguns dias: Auckland, o que fazer e roteiro de 2 dias

Como montar seu roteiro de motorhome com crianças na Ilha Sul

Me insipirei em vários roteiros super legais (como esse aqui da Flavia), apenas pra chegar no destino e não conseguir fazer nenhum deles.

O plano era dirigir de Christchurch até Milford Sound e voltar, mas quando chegamos em Queenstown, achamos melhor começar a voltar. Lá em Queenstown tentamos voar até Milford Sound (neste passeio bate-e-volta) mas as condições aéreas não permitiram.

Paciência. Mas o lindo do motorhome é isso, liberdade – ou como eu gosto de dizer: faz o melhor que pode com o que tem.

Perguntas para ajudar montar seu roteiro de motorhome na Nova Zelândia

Comece pensando onde você vai pegar e devolver o motorhome. Depois pense em quais principais pontos gostaria de passar. Existem várias rotas possíveis para fazer na ilha. Você quer ver neve? Ir à priaia? Ir aos fiordes?

Pense quantos dias terá pela Ilha Sul. Eu recomendo de 7 a 10 dias para poder fazer um roteiro bacana. Pense quanto quilômetros quer dirigir por dia equanto tempo de estrada as crianças aguentam.

Também é importante ver quais as atrações que as crianças são aceitas e a idade mínima permitida.

Uma vez feito isso – jogue no lixo! Brincadeiras à parte, tem que ter uma noção do roteiro, mas também vá disposto a mudar tudo se preciso for.

Leia: Viajar para a Nova Zelândia com bebês e crianças pequenas

Lições importantes: Como viajar de motorhome com crianças e bebês

Como qualquer coisa na vida, planejamento e preparo é tudo. Seguem minhas lições aprendidas:

  1. Viajar nos horários de sono. Se suas crianças são pequenas e dormem depois do almoço, esse é um bom horário para por o pé na estrada. Assim elas aguentam mais a viagem.
  2. Ter comidinhas fáceis de dar enquanto se viaja. Minhas filhas viciaram naquelas papinhas de bebê, os purês de fruta. Chamados carinhosamente de chup-chup. Quando começavam a ficar chatinhas, eu dava um pra cada.
  3. Tenha um kit de banheiro pronto pra usar nos campings. Quando chegar o horário do banho, é super prático ter uma bolsinha pronta com os shampos, sabonete, toalha, escova de dente e cabelo, pasta de dente e mais alguma coisa que você julgar necessário. Assim a cada banho não tem que sair catando tudo pra ir.
  4. Procure sempre campings que tenham parquinho infantil, ajuda muito. As crianças maiores brincam umas com as outras. Essa interação com outras famílias é muito legal.

No fim, apesar dos pesares, foi uma viagem maravilhosa em família que ficará para sempre gurdada em nossos corações.

Leia mais sobre a Nova Zelândia

Motorhome na Nova Zelândia: tudo o que você precisa saber antes de ir
O que fazer em Christchurch
Queenstown com crianças: guia completo
Auckland, o que fazer e roteiro de 2 dias
Viajar para a Nova Zelândia com bebês e crianças pequenas
10 dias pela Ilha Sul da Nova Zelândia
5 dias pela Ilha Norte da Nova Zelândia
Se lança pra Nova Zelândia, djáh!
Guia de sobrevivência na Nova Zelândia

~ Se Lança ~

Deixe uma resposta