Melbourne, o que fazer e roteiro de 3 dias

Esra cidade me surpreendeu por ser uma megalópole, eu não eperava! Leia neste post sobre: Melbourne, o que fazer e nossa veja nossa sugestão de roteiro de 3 a 4 dias. Um roteiro de 3 dias em Melbourne já dá pra ter uma idéia legal da vida na cidade e conhecer várias atrações turísticas.

Leia o post completo ou clique para ir direto:

Roteiro de 3 ou 4 dias em Melbourne

  • 1o DIA – Australia Open
  • 2o DIA – Queen Victoria Market + Melbourne Museum + Street Art
  • 3o DIA – Spencer Outlet + Docklands
  • 4o DIA – South Wharf, Southbank + Jardim Botânico

Na verdade meu roteiro são de 4 dias em Melbourne porque fui em Janeiro e tive a opotunidade de assistir ao Open da Australia de tênis.

Se for em janeiro também, já anota essa dica, se não, siga o roteiro à partir do dia 2.

Se você precisa de um roteiro de 2 dias em Melbourne, junte o dia 3 + 4 de uma maneira mais corrida ou seletiva.

1 dia – Australia Open

Um dos maiores eventos mundiais de tênis é o Australia Open, em português: Aberto da Austrália. (Pra quem não sabia – como eu – os outros grandes eventos de tênis são Wimbledon, Roland Garros e US Open).

São 2 semanas de competições – masculino e feminino. Os jogos acontecem o dia todo e simultaneamente em várias arenas e quadras. O ingresso geral te dá acesso à área comum e às quadras menos famosas. Pra entrar em um jogo TOP, tem que comprar o ingresso separado, e esse pode ficar bem salgado – tipo uns 200 dólares. Nosso ingresso na geral custou 50 dólares australianos e as crianças entraram de graça.

A galera da geral pode entrar em alguns jogos mais selecionados mas tem que ficar esperando numa fila, quando vaga lugar. A gente ficou uns 45 minutos na fila da Melbourne Arena e conseguimos assistir aos últimos 2 sets do jogo do austríaco Thiem – que descobrimos depois é o quinto no ranking mundial.

Além dos jogos, o espaço é super animado e legal. Tem váááários restaurantes, bares, espaço kids (onde inclusive as crianças batem uma bolinha), tem palco de show, lojas e muita – mas muita gente andando pra cima e pra baixo.

É um mega evento que vale super a pena conhecer – até pra quem não manja nada do esporte. Que era meu caso, mas depois da minha experiência, saí um pouco mais iluminada no assunto.

Fica de olho nas datas no site oficial: AO.

2 dia – Queen Victoria Market, Melbourne Museum, Street art

Queen Victoria Market – me surpreendi com este mercadão. É enorme, tem muitas lojas de roupas, souvenir, coisinhas fofas, cafés, praça de alimentação, açougue, frutas e etc.

Mas o mercado é super organizado, limpo e as coisas que tem lá pra vender são realmente mais baratas e de qualidade.

Atenção aos dias de funcionamento: terça, quinta, sexta, sábado e domingo. Nas quartas-feiras tem a feira noturna. Endereço: na Queen St.

Passamos a manhã no mercado, almoçamos lá e fomos ao museu, pois é bem pertinho.

Queen Victoria Market

Melbourne Museum – é o museu de história natural e cultura. Um dos melhores que já conheci. É uma excelente programação especialmente para quem tem crianças. Além do assunto dinossauros e bichos despertarem a curiosidade de todos, tem uma área interativa para os pequenos de até 5 anos brincarem.

Vale super a pena conhecer, recomendo para todos, com ou sem crianças. Pagamos 15 AUD por adulto e crianças até 16 anos não pagam.

Endereço: 11 Nicholson St. Aberto diariamente das 10:00 às 17:00.

Museu de Melbourne

Street Art – na volta do museu, passamos em alguns pontos de arte de rua. Sinceramente, foi um pouco decepcionante, mas como era caminho pra casa – não custou nada passar.

O beco mais famoso é o AC/DC lane.

Quem gosta muito do assunto, pode baixar este guia em PDF: Melbourne_StreetArt.pdf com todos os pontos artísticos.

AC/DC Lane

3 dia – Spencer outlet, Docklands

Spencer Outlet – me surpreendeu este shopping. Tem muitas lojas e com preços ótimos. Vale super a pena pra quem quer fazer comprinhas. Camisetas de 5 AUD pras crianças no Cotton On, tênis à partir de 50 aud na New Balance, Fila, Skechers e um tanto de outras lojas de sapatos. Tem roupas das marcas australianas com Rip Curl e Volcom. Além de lojas de casa, departamento e etc.

Com praça de alimentação e loja outlet da Lindt yummy!

Endereço: 201 Spencer St. Abre todos os dias às 10 da manhã e fica aberto até às 18 – com exceção de quinta e sexta que fica aberto até às 19.

Docklands – um pier com restaurantes, um shopping e uma roda gigante. Sinceridade seja dita, ficamos um pouco decepcionados, achamos tudo meio vazio. Mas pode ter sido eu quem fui no horário errado.

De qualquer maneira, tomamos um cerveja com vista para o pier – que foi bem bacana. Depois caminhamos pelo shopping e tomamos um sorvete.

A roda gigante Star Observation Wheel, é a principal atração. Meia hora de passeio com vistas para toda a cidade. O ingresso custa 36 AUD e pode ser comprado com antecedência neste link. Depois é só apresentar o voucher no celular.

Star Observation Wheel

4 dia – South Wharf, Southbank, Royal Botanic Gardens

South Wharf – uma das áreas mais vibrantes e legais da cidade. Tem muitos restaurantes e bares na beira do rio, mas muitos mesmo! E todos pareciam lotados de gente. Vale super a pena se planejar pra almoçar – ou melhor ainda – curtir um fim de tarde no South Wharf. Mas chegue cedo pra pegar uma mesa legal.

Southbank – Além dos restaurantes tem um shopping e artistas de rua. A caminhada pela beira-rio é muito legal.

Royal Botanic Gardens – um enorme parque no meio da cidade. Bonito para caminhar, descansar ou fazer um piquenique. Infelizmente não encontramos nenhum parquinho infantil, só o gramado, laguinhos e patinhos. Fique de olho na programação no site, quem sabe na data da sua viagem tem algum evento legal rolando no parque.

O que fazer em Melbourne com crianças

O melhor passeio com as crianças foi sem dúvida o Museu de Melbourne. Foi simplesmente sensacional, elas amaram brincar lá, ver os animais, fósseis, planetas e etc. Um “must go” para famílias.

Nós aproveitamos os parquinhos da cidade também. Fomos no parquinho da Flagstaff Gardens, que fica bem ao lado do Queen Victoria Market. (entre as ruas King e William).

 

🚑 Atenção: veja aqui um post sobre Seguro de viagem Internacional e vá pra Australia sem preocupação.

Atrações para as crianças em Melbourne:

* Luna Park e St Kilda Beach – o mesmo Luna Park de Sydney, com brinquedos cheio de pisca-pisca e animação. Carrosel, montanha russa e etc. O parque fica em St Kilda, então aproveite e já conheça a praia.

* Collingwood children’s farm – um programa de local! É uma fazenda dentro da cidade. As crianças podem tirar leite da vaca e conhecer outros animais da fazenda. Adulto paga 12 AUD para entrar e criança 7.

* Sea Life Aquário – esse fica bem no centro da cidade, mas não fomos por achar o ingresso caro – 44 AUD. Mas claro que é um passeio maravilhoso para fazer com os pequenos, só tirar o escorpião do bolso e comprar antecipado aqui 😉

* Zoológico Werribee – um zoológico ao ar livre onde se faz um safari para conhecê-los. Atenção para economizar: nos fins de semana crianças menores de 16 anos não pagam o ingresso de 38 AUD. Durante a semana somente os menores de 3 anos entram grátis. Compre o ingresso antecipado aqui. 

* Legoland – um espaço com estátuas e maquetes feitas de legos, 2 “rides”, além de 11 espaços de brincar super criativo com os legos. A entrada custa 32,50 AUD, mas a vale a pena entrar e ver os preços no site oficial antes de ir – tem certos dias e horários que tem desconto.

Para ainda mais dicas do que fazer com crianças em Melbourne leia esse post do blog Kids2gether.

Onde ficar em Melbourne

Eu havia lido nas minhas pesquisas que o melhor lugar para ficar era na movimentada Flinders St. Pegamos um apart-hotel e no fim foi uma boa opção por ser no meio do caminho para as atrações turísticas.

O bom de ficar na Flinders é que tem um TRAM que é grátis que passa nela. Este tram circula pelo centro da cidade e você subir e descer à vontade desde que não saia da zona grátis. O resto fizemos tudo à pé!

Este foi nosso apartamento: City Lights. O apartamento era completo com cozinha e máquina de lavar/secar. Cozinhar em casa sempre quebra um galho! Tinha uma vista linda do rio. A cama era muito confortável, mas o sofá cama para as crianças não. Acabamos colocando o colchão no chão e deu tudo certo. Achei um bom custo x benefício no final.

Veja mais opções de hospedagem em Melbourne aqui.

Passeios bate-e-volta de Melbourne

A coisa que mais tem são passeios de 1 dia na região, bate-e-volta da cidade. Eu fiquei aguando em fazer todos estes que eu pesquisei. Mas, eu particularmente não fui porque são passeios muito demorados e eu estava com minha filha de 1 ano que não iria aguentar…

Vai ficar para a próxima, mas seguem as dicas:

Phillip Island – o ponto alto deste passeio é ver um desfile de pinguins, que saem todos os dias por volta das 17h e marcham pela ilha.

Yarra Valley – região produtora de vinhos. Aproveite o dia para conhecer vinícolas, degustar vinhos e almoçar na região do rio de mesmo nome, Yarra. Esse passeio tem visita às vinícolas e fazendas, degustando além dos vinhos queijos e chocolates. O preço inclui um almoço gourmet na vinícola também. Atenção – estes passeio não é recomendado para fazer com pequenos =(

Great Ocean Roads e 12 Apóstolosesse é o passeio mais clássico. TEM QUE SER FEITO! O que mais me doeu no coração perder. Se tiver que escolher só um, é este. Uma das estradas mais lindas da Austrália, cheia de praias, florestas e belezas de tirar o fôlego. São

12 Apóstolos – Foto por Hugo Kruip no Unsplash

Aluguel de carro para os passeios de um dia

Outra opção ao invés de fazer passeios com operadoras, é alugar um carro e fazer tudo por conta própria.

Fica mais barato dependendo do número de pessoas viajando no seu grupo. Outra vantagem é ter mais liberdade.

A desvantagem é perder todo conhecimento que o guia te passa, além de ir mais relaxado não tendo que se preocupar com direção – que na Austrália é mão inglesa. De qualquer maneira, orçe agora um aluguel de carro no RentCars e veja o que vale mais a pena pra você.

Ufa! Tem coisa pra fazer nesta cidade e região né?!

Leia mais um post relacionado:

Sydney com crianças: 7 atrações imperdíveis
Guia de sobrevivência na Nova Zelândia
10 dias pela Ilha Sul da Nova Zelândia
5 dias pela Ilha Norte da Nova Zelândia
Viajar para a Nova Caledônia, dicas antes de partir
7 dicas para tirar lindas fotos de viagem com o celular
Seguro de Viagem Internacional – vale a pena?
Sua saúde e farmácia de viagem

Se ficou alguma dúvida ou se quiser apenas deixar um palavrinha carinhosa pra gente, escreva nos comentários aqui abaixo.

Ah, e não deixe de seguir nossas andanças pelo mundo no Instagram. Sempre tem dica boa por lá também.

~ Se Lança ~

Ilhotas perto de Nouméa

Tem muitas ilhotas perto de Nouméa que são possíveis de visitar para passar o dia, pernoitar em hotel ou acampar.

As principais atividades a fazer nas ilhotas são snorkel, kayak, stand-up paddle e o bom e velho esticar no sol.

Cada ilha tem sua particularidade e tipo de estrutura diferente, leia abaixo e se organize para conhecer todas!

Île aux Canard

É a ilhota mais perto da cidade, essa que se vê da praia de Anse Vata. O taxi boat sai pra lá a cada 10 minutos e em 3 minutos se chega na ilha.

A ilha em si é bem pequena, não é a mais bonita, mas é a mais prática pra se visitar sem dúvida. Além da facilidade em chegar, na ilha tem um restaurante e estrutura de aluguel de cadeiras, guarda-sois e equipamentos de snorkel.  Então não tem que ter muito preparo prévio, só acordar e ir.

Pra quem não quer gastar, também é possível levar tudo de casa e esticar a canga num cantinho.

O snorkel da ilha é um dos mais bonitos. É tudo demarcado com bóias pra você ir seguindo a rota.

Uma das desvantagens da ilha é que não tem sombra. Se você não alugar um guarda-sol, vai se esturricar.

A ilha tem muitas pedrinhas e corais mortos, então tem que levar o sapatinho de praia. Pras crianças pode ficar um pouco mais difícil a brincadeira também, não tem como fazer aquele castelinho de areia.

No geral achei que valeu a pena, foi um bom passeio. Perto, prático, rápido e barato pra quem leva suas próprias coisas.

Preços na Île aux Canards

  • Taxi Boat: 1250 francos ida e volta
  • Aluguel de máscara de snorkel: 1100 francos por 1 hora
  • Diária para duas cadeiras e um guarda-sol: 3200 francos
  • Média de prato principal no restaurante Le Filao: 2500 a 3000 francos

Mais informações no site da ilha.

Dia nublado na ilha Canards

Îlot Maître

É a Ilha do hotel de bangalôs, o hotel L’Escapade. A ilha em si é muito bonita. Como tem um hotel na ilha, também tem bastante infra-estrutura.

Além do hotel, tem uma área de piquenique, um quiosque de aluguel de pranchas e kayaks e venda de alguns sanduiches, batatas e afins.

Você pode ir com o taxi boat por conta própria e levar sua comida e canga – ou então fazer o pacote de diária do hotel que inclui o translado e uma refeição (café da manhã ou almoço dependendo do horário).

Vale a pena conhecer pela beleza, facilidade de chegar e infraestrutura.

Preços na Îlot Maître

  • Taxi Boat: 2900 francos ida e volta
  • Pacote de café + transfer = 4900 por adulto e 3900 por criança
  • Pacote almoço + transfer (no fim de semana) 11000 por adulto 8900 por criança
  • Diárias para pernoitar no hotel: à partir de 20.000 francos. Veja disponibilidade e preços aqui.
  • Batata frita na barraquinha: 600 francos
  • Aluguel de kayak por 1 hora: 2000 francos

Îlot Signal

Um pouquinho mais longe que as outras duas ilhas, Ilot Signal é linda, paradisíaca e deserta.

Não tem estrutura nenhuma. Tem que se levar tudo pra lá. O máximo que se encontra na ilha são alguns poucos quiosques com mesas. E só. Ou seja, tem que levar comida, água e todas as tralhas que usará durante o dia.

Para ir com o taxi boat, tem que ligar e reservar com antecedência. São 30 minutos até a ilha, um pouco desconfortável, mas dá pra encarar. O retorno é às 15 horas. (Mais informações abaixo)

Preços na Îlot Signal

  • Taxi Boat: 4000 francos ida e volta por adulto, 2500 por criança (1 a 5 anos)

Pharee Amedée

A mais linda de todas!

Sem dúvida você verá enormes tartarugas marinhas por aqui. (Nas outras ilhas pode ser que você veja, mas nesta é certeza!)

Excelente estrutura na ilha, banheiro, parquinho infantil, espreguiçadeiras e o restaurante pra quem vai com o pacote turístico.

Nesta ilha existem duas opções, ir por conta própria no taxi boat, ou então comprar o pacote “all-inclusive” da operadora de turismo Mary D. Eu fiz a segunda opção, e apesar de caríssimo, valeu super a pena! Um passeio super bem estruturado, com muita atenção dos funcionários, almoço e todo tipo de bebida incluso, suco, cerveja, vinho, água e etc.

Mas como nem tudo é um paraíso, é preciso avisar que tem muitas cobras na ilha. A cobra típica da Nova Caledônia, chama Trico Rayé. Ela é uma cobra coral e é venenosa, porém dócil e não ataca humanos. É algo que tem que se conviver na ilha. Eu devo ter visto umas 7. Não tenho fobia, mas digo que não é a coisa mais agradável do mundo.

Ainda assim, é um dos melhores passeios que se pode fazer saindo de Nouméa. Recomendo.

Preços na Îlot Amédée

  • Taxi Boat: 5000 francos ida e volta por adulto, 3500 por criança (1 a 5 anos)
  • Passeio com o Mary D: 12950 francos (inclui translado, passeio em barco com fundo de vidro pela ilha, almoço (com bebida alcóolica), cadeiras e guarda-sois, apresentações típicas e café no retorno)
  • Bilhete para subir no farol: 300 francos

🚑 Atenção: Veja aqui um post sobre Seguro de viagem Internacional e vá pra Nova Caledônia sem preocupação.

Como chegar nas Ilhotas perto de Nouméa

Taxi Boat de Anse Vata

O taxi boat é a maneira mais rápida e prática de chegar às ilhas. É só chegar lá, comprar o ticket e pronto. No entanto, o taxi boat vai apenas para Ilê aux Canard e Ilot Maître.

Taxi Boat de Port Moselle

Em Port Moselle tem várias empresas que levam para as ilhotas mais longe, como a Ilôt Signal. A que conhecemos é a Coconut.

Barco próprio da Ilha / Operadora de turismo

As ilhas com mais estrutura de turismo, que são a Maître e Pharee Amédee tem barcos próprios para fazerem o translado dos turistas. São barcos grandes, confortáveis com ar condicionado e banheiro, que transportam dezenas de pessoas.

Porém o transporte não é vendido separadamente, faz parte do pacote turístico que inclui também a alimentação e a infraestrutura.

Fretar um Catamarã

A opção mais patrão é fretar um catamarã. Claro que não é a opção mais barata, mas se você conseguir uma galera pra ir em lotação máxima, fica super acessível.

Tem conforto pra passar o dia, geralmente tem quartos, banheiros, cozinha – além de não quicar tanto no mar como o taxi.

Você pode ir no seu ritmo e horário. Bem conveniente. É possível fretar o catamarã por alguns dias e conhecer todas as ilhas também.

Nós usamos a Aito Charters e fizemos um passeio de um dia para a Îlot Signal. Custou 110.000 francos a diária (com o skipper claro) e dividimos entre 15 pessoas.

Taxi boat ou catamarã?

Leia mais um post:

Ilha dos Pinhos na Nova Caledônia
O que fazer em Nouméa
Ilot Maitre, ilhota perto de Noumea
Noumea com crianças, melhores passeios
Hotel perto do Aeroporto de Auckland
15 dicas para uma viagem segura e saudável
7 dicas para tirar lindas fotos de viagem com o celular

 

~ Se Lança ~

O que fazer em Nouméa

Ah Nouméa! Uma linda cidade pra se viver – mas fazer turismo já tá bom também. Veja neste post o que fazer em Nouméa, algumas sugestões de passeios e as principais atrações turísticas. Dicas de quem morou por aqui!

Neste post você vai ler:

Praias em Nouméa

As principais praias na cidade são:

  • Anse Vata – pequena extensão de areia, mar aberto, local de prática de windsurfe e stand-up paddle. Tem um lindo calçadão pra fazer caminhada. Tem dois espaços de ginástica a céu aberto, algumas mesas de piquenique, ducha de água doce e alguns banheiros químicos. Eu particulamente gosto de caminhar por ela, mas para tomar banho de mar não – pois tem MUITO vento.
  • Baie de Citron – a minha preferida para ir com as crianças. É uma baía e não costuma ter muito vento. A água é calma, é possível fazer snorkel (tem corais nas laterais da baía). É a praia mais frequentada por banhistas. Tem um posto de salva-vidas e duchas de água doce. Fica em frente a diversos restaurantes.
  • Praia do Meridien / Château Royal – água transparente, larga faixa de areia e um pier pra caminhar pra dentro do mar. Não tem muito estrutura.
  • Kuendu – é a praia mais longe. A água é tão calma que parece uma piscina. Lá é mais cheio durante os fins de semana. Tem uma linda paisagem ao redor. No local tem também o Beach Resort, onde é possível nadar nas piscinas e tobogãs pagando por hora.
Taxi Boat, Praia de Anse Vata e Kuendu Beach

Ilhotas perto de Nouméa

Dediquei um post especial só para explicar tin tin por tin tin sobre as ilhotas perto da cidade de Nouméa: Ilhotas perto da Nouméa

É possível fazer passeios de um dia nas ilhas, onde se encontra excelentes regiões para snorkel. Algumas ilhas tem infra-estrutura e outras não. As ilhas mais fáceis de chegar são a Ilôt Canard e Ilôt Maître. É só pegar um taxi-boat na praia de Anse Vata e pronto. E não precisa se preocupar com infra, nessas duas ilhotas tem restaurantes e infraestrutura pra passar o dia. Veja o post para saber mais sobre cada ilha.

Parques e Mirantes

Ouen Toro – uma montanha ao sul da cidade onde em seu topo tem um canhão e linda vista de 360 graus da cidade. Na montanha tem também diversas trilhas pra fazer. As trilhas são em geral fáceis, os moradores da cidade vão lá inclusive para fazer caminhada. Além disso, ao lado do estacionamento, tem uma área de onde é possível ver o por do sol. Também muito frequentado pelos locais para fazer piquenique.

Parque Zoológico e Florestal – É um dos meus lugares preferidos na cidade pela paisagem e tranquilidade. O forte do parque é a natureza, são pedaços de floresta típica da Nova Caledônia onde você pode entrar pela trilha, ou então se manter no asfalto principal. Tem também uma rota panorâmica que dá vista para o mar. Ótima opção para caminhada. Entrada custa 600 francos e criança paga meia.

Parques Infantis – são inúmeros parques infantis espalhados pela cidade. O maior deles fica próximo à praia do Meridien. Lá tem brinquedos para todas as idades, e uma ótima opção de lazer para as crianças. Leia mais sobre os parquinhos nesse post: Nouméa com crianças: melhores passeios.

Museus e atrações em Nouméa

Aquário de Nouméa – um pequeno aquário localizado entre a praia de Anse Vata e a Baía de Citron. No aquário é possível conhecer as espécies de corais da ilha assim como outros peixes. Na parte externa tem um tanque onde as tartarugas são cuidadas. O principal objetivo do aquário é oferecer à população o conhecimento sober as espécies da ilha, além de trabalhar com educação e pesquisa. A entrada custa 1500 francos por adulto e criança paga meia.

Centro Cultural Tjibaou – esse centro cultural conta a história e costumes do povo Kanak. É um lugar muito bonito, com jardim e museu. A arquitetura do lugar em si é uma atração também. Houve uma competição entre arquitetos para desenvolver o melhor projeto. Uma vez por mês tem uma feira livre e a entrada é grátis.

Museu Marítimo – como diz o nome, é um museu sobre navios, navegação e a história do mar com a ilha. Conta sobre as migrações em navios, a guerra, tem exposições de equipamentos de navegação e muitas fotos. O museu é todo interativo, um ótimo lugar para levar as crianças.

Outros museus são: Musée de la Ville de Nouméa, Musée de la Nouvelle Caledonie e Musée de la Seconde Guerre mondiale

* O Museu da Nova Caledônia está fechado para reforma já tem quase 1 ano. Verifique antes de ir se reabriu ao público. 

Outros pontos turísticos

Marché de Nouméa – é o famoso “mercado municipal”. É lá que se encontra a maior variedade de frutas e os peixes frescos. Tem venda de flores, tem um café, muitas barracas de artesanatos e aos fins de semana tem até uma musiquinha. Aos sábados e domingos fica bem cheio, durante a semana é mais frequentado pelos locais que fazem a feira.

Place des Cocotiers – uma praça no meio da cidade cercada de coqueiros e com um coreto no meio. Lá tem também um café. Apesar de ser um dos cartões postais da cidade, honestamente não tem muito o que ver ou fazer.

Centro de Nouméa e Chinatown – ao redor da praça, tem a Rue D’Alma que é a rua das compras. É a rua mais arrumadinha. Ao lado contrário, tem a Chinatown, que tem uma entrada bonita – mas as lojas são mais de bugigangas mesmo.

Onde ficar em Nouméa

Já saiba que os hotéis em Nouméa não tem café da manhã incluso e poucos tem internet grátis. DIto isso, seguem minhas recomendações:

Onde ficar em Anse Vata

Ramada – hotel com apartamentos e infraestrutura de cozinha. Eu fiquei aqui quando cheguei na cidade. Não é luxuoso, mas é muito bom! A piscina também é linda. Eu recomendo.

Hilton – apartamentos modernos com linda vista pro mar! Super bem localizado.

Nouvata – opção para quem só quer um quarto, não apartamento em Anse Vata. É um pouco mais simples que seus vizinhos e tem melhor preço.

Onde ficar na Baía de Citron

Casa del Sole – local por onde morei durante minha estadia no país. Tem apartamentos mobiliados de 1, 2 ou 3 quartos. É muito bem localizado, mas confesso que a manutenção poderia ser melhor, ele deixa a desejar.

Beauarivage – hotel duas estrelas, o mais em conta perto da praia! É em frente mesmo, só atravessar a rua.

Outros hotéis em Nouméa

Meridien, Chateau Royal são resorts ao pé da praia. Gondwana no centro da cidade.

 

🚑 Atenção: veja aqui um post sobre Seguro de viagem Internacional e vá pra Nova Caledônia sem preocupação.

Leia mais um post:

Ilha dos Pinhos na Nova Caledônia
Ilot Maitre, ilhota perto de Noumea
Noumea com crianças, melhores passeios
Hotel perto do Aeroporto de Auckland
15 dicas para uma viagem segura e saudável
7 dicas para tirar lindas fotos de viagem com o celular

 

~ Se Lança ~

Rarotonga, um paraíso nas Ilhas Cook

Se lança pra Rarotonga!

A primeira vez que ouvi falar, pensei: “RARO, o que? Eita nome esquisito”.
Bom, Rarotonga é apenas uma pequena ilhazinha no meio de outras ilhazinhas, no meio do nada, bem ao lado do fim do mundo…

De verdade agora, Rarotonga fica no meio do Oceano Pacífico Sul a nordeste da Nova Zelândia, onde sua população de pouco mais de 14mil habitantes, vive (muito bem obrigada!) no tal do P A R A Í S O.

Localização de Rarotonga no Mapa

Viu ai?

Nunca tinha ouvido falar neste lugar, até que minha prima que mora na Nova Zelândia resolveu se casar por lá e me presenteou com a descoberta deste lugar que, por curiosidade, é um dos destinos mais procurados para casamentos no mundo. São mais de 4mil ao ano, se anima?

Sobre Rarotonga

Já na imigração, você sente o clima paradisíaco do lugar. Foi a imigração mais relax que já passei. Ao som de uma guitarra havaiana, a primeira frase do “seu guarda” foi: “Welcome to Paradise”.

Na hora achei meio prepotente para aquele aeroporto simples, abafado e tão informal, mas no dia seguinte ao ver o mar, entendi absolutamente tudo.

Ah, no aeroporto te dão um colar de flores (de verdade) de “boas vindas”. Pensa num povo fofo? Então…

Rarotonga_colar

É justamente essa simplicidade que torna este pequeno pedaço de terra que se ergueu no meio do nada, em um lugar tão especial e paradisíaco (vou usar muito essa palavra neste post).

Ainda pouco habitada, a ilha tem 32km de circunferência e é rodeada por uma barreira de corais gigantesca, que faz com que ela tenha uma “lagoa particular” de água cristalina, tranquila e abarrotada de vida marinha. Sim galera, é isso mesmo, esse lugar é O LUGAR para fazer snorkel e mergulho.

Snorkel_Cook_Island

No inverno a temperatura fica em torno de uns 25°C, portanto, nesta ilha é verão o ano todo.

O clima é bem abafado, o mar é morno, transparente e não há aquela brisa que te deixa grudenta. Faz muito calor sim, mas é diferente, é o calor do paraíso 🙂

Como chegar a Rarotonga

Há duas companhias aéreas que chegam em Rarotonga, a Air New Zealand e a Virgin Australia.

Cuidado na hora de comprar as passagens. Rarotonga tem um fuso horário diferente de Austrália ou Nova Zelândia (lugares que possivelmente você pode partir para chegar a ilha). Nós fomos da Nova Zelândia para lá, saindo de Auckland no dia 07 e chegamos em Rarotonga no dia 06. Na volta, perdemos um dia. Foi tipo viajar no tempo, rs

Se você for emendar um vôo em outro, fique de olho, ainda mais porque a maioria dos voos são noturnos, então rola aquela confusão com meia noite e tal. Parece difícil, mas faz com cuidado que dá certo. Good luck.

Como se virar em Rarotonga

A ilha é muito pequena e stress não cabe nela, então se virar aqui é muito simples.

Acho que as dicas mais preciosas pra se virar bem nesta ilha são: roupa bem leve, biquíni, protetor solar, chinelo, chapéu/boné, snorkel e pé de pato. Se você não curtir pé de pato, compre aquelas sapatilhas de neoprene para nadar tranquilo, pois como há muitos corais você pode machucar o pé. A maioria dos hotéis emprestam o kit para snorkel + pé de pato. Veja no seu hotel antes de comprar.

O dólar aceito na ilha é o da Nova Zelândia ou o dólar da ilha, que vale o mesmo do NZD.

Outra dica boa: na lista telefônica tem o telefone de todos os lugares da Ilha, de restaurantes e empresas de turismo até telefone dos quartos dos hotéis e resorts.

Locomoção em Rarotonga

Na saída do aeroporto há várias empresas que fazem o transfer entre o aeroporto e seu hotel. Geralmente quando você reserva o hotel eles já sugerem o transfer, aceite. Na hora ou pelo hotel, o valor é o mesmo: em torno de 20nzd por pessoa.

Para rodar a ilha, a opção mais legal pra você entrar no clima dos locais, é alugar uma scooter. Há várias empresas de aluguel de motos e custam em torno de 15nzd por dia. Nós alugamos na Polynesian Bike Hire.

Além de alugar a moto e ficar livre para andar pela ilha, você terá que tirar uma carta pra poder conduzir no Ilha. Essa é a parte mais legal, você vai com a scooter até o departamento de polícia, tira uma foto, paga 20nzd e sai com um souvenir da ilha: sua carteira de habilitação das Ilhas Cook. Demais, né?

CookIsland_Licence_Drive

Lembre-se: em Rarotonga é mão inglesa, por isso, vá tranquilo, não corra e na dúvida olhe para os dois lados antes de atravessar 😉

Se você não se animar a dirigir por lá, há serviço de transporte público. Os ônibus percorrem a estrada principal da ilha e o valor da passagem é em torno de 3nzd.

Onde comer em Rarotonga

Sails – restaurante pé na areia em frente ao Captain Tama. Abaixo, a foto do típico Fish&Chips.

Sails_fish_and_chips

Trader Jacks – pizza, peixe e frutos do mar.

Flame Tree – meio carinho, mas dizem que o top aqui é comer enguia (é gigante). Ambiente interessante, ao ar livre.

Le Bon Vivant – ou LBV, é um pedacinho da França em Rarotonga. Não deixe de provar o Iced Chocolate e o Big Breakfast.

O que fazer em Rarotonga

Curtir o mar, a vista, os peixes, a vida. Ah, e comer pão de banana. Que saudade.

Todo o circuito da ilha é bem plano e com paisagens de tirar o fôlego. De um lado o mar piscininha com areia branquinha e do outro a montanha de vegetação tropical.

As praias mais lindas e com maior diversidade de peixes estão na parte sul da Ilha, na Muri Lagoon.

Captain Tama’s Lagoon Cruise – passeio de barco com fundo de vidro para ver os peixes, fazer snorkel e almoçar bem. Foram 55 dólares por pessoa. O passeio começa às 10h30 e acaba às 15h. Ele vai bem pertinho da barreira de corais, ao redor da ilha de Taakoka e faz algumas longas paradas para snorkeling.

Captain_Cook_boat

É incrível a variedade de vida marinha desse lugar, se você gosta disso, vai amar o passeio. Na hora do almoço, eles param em uma parte mais “privada” da Ilha onde um churras de atum, banana e vegetais estarão te esperando. O almoço está incluso no valor do passeio.

E os guias, são um show a parte…

Captain_Cook_barbecue

Desta mesma empresa, em um outro dia, alugamos um paddleboard ou standup board. Foram 15nzd por hora. Foi muito gostoso passear de standup por essas águas tranquilas e ver os mais um pouco de peixes, muitos peixes.

Go Cook Island – é um mini book com várias opções de entretenimento na ilha e vouchers de desconto. De restaurantes a passeios turísticos. Geralmente tem no quarto do hotel ou em alguns comércios. Pode pegar, é de graça.

Go_Cook_Island

Para quem quiser se aventurar pelo lado montanhoso da Ilha, há um trekking chamado The Needle ou Rua Manga, são 413m acima do nível do mar de onde se pode observar o belo mar que rodeia a ilha e desfrutar de um outro tipo de contato com a Natureza. Se resolver se lançar nessa trilha, leve água, comida e protetor solar. Vá de bota ou algum tênis de caminhada e calça, não é uma trilha fácil.

Ah, não opte por fazer essa trilha sozinho e de ressaca. Reza a lenda que um brasileiro despencou 3m barranco abaixo, perdeu seus pertences, se quebrou todo e nunca mais foi visto. A única coisa que encontraram foi uma câmera de fotos, essa foi a última tirada…

trilha em rarotonga

Isso tudo acima é uma piada, gente. Esse ai da foto é um primo meu que se aventurou nessa trilha sozinho e pediu para avisar que é melhor ir com mais pessoas e não ir de ressaca.

Entre julho e outubro as baleias Jubarte aparecem para dar um show nas águas do arquipélago. Nós estivemos por lá em Março, por isso não vimos nenhuma :/

Mercado de Punanga Nui: saborear sucos típicos enquanto negocia artesanato local e balançar os quadris com música ao vivo – assim são as manhãs de sábado em Rarotonga. Aqui também fica o famoso Mercado de pérolas da ilha. Endereço: Ara Tapu, Avarua District.

Para uma experiência cultural bem divertida com direito a show pirotécnico, dança e comida local, não deixe de ir ao Te Vara Nui. Fica em Muri Beach e o valor do jantar/show é de 99nzd por pessoa.

te_vara_nui

Veja também aqui no Get Your Guide uma lista de atividades e excursões que podem ser contratadas antes de viajar.

Onde se hospedar em Rarotonga

Pé na areia: Muri beach Comber e Muri beach Resort (esse foi o resort que minha prima casou, se você se animar, olha lá no site a sessão de weddings. Ah, e não esquece de me convidar! rs).

Pé na “montanha”: Muri Retreat – esse foi o que nos hospedamos. O casal dono do nosso “retiro” é fofo demais. Sobre o lugar: são 4 apartamentos, com cozinha integrada. Chegamos de madrugada e como não tinha nada aberto na cidade, eles colocaram umas frutas na mesa caso estivéssemos com fome. Super atenciosos. O ventilador de teto não estava funcionando bem, falamos com eles no dia seguinte e consertaram na hora. Nos deram várias dicas do que fazer na ilha, nos emprestaram o kit pro snorkel, um dia trouxeram tomates de sua horta pra gente, enfim… fizeram de tudo para que nos sentíssemos em casa. Foram incríveis. Tem uma piscina e uma pequena biblioteca lá também. Super recomendo esse lugar.

Na maioria dos resorts você pode ir só para comer: café da manhã, almoço ou jantar. Vale a pena um jantar no Muri Beach Resort.

Veja outras opções de hospedagem em Rarotonga neste link.

Emergências

Emergence_Rarotonga

Não se esqueça de fazer o seguro de viagem antes de partir! Eu sei que é aquele tipo de coisa que ninguém quer usar, mas que é importante ter, com saúde não se brinca! Nós usamos o portal Seguros Promo, pois faz cotações com várias seguradoras trazendo um comparativo de preços e benefícios.

Pra vocês terem idéia, um seguro de 7 dias na Oceania custa à partir de 69 reais. Não é caro!
Na Seguros Promo você pode pagar em 12x no cartão ou ter 5% de desconto pagando no boleto.

E, tem mais…

Nossos leitores tem direito a um desconto de 5% (adicional ao do boleto). É só inserir o cupom SELANCA5 pra ganhar. Ou seja, fica bem acessível contratar este serviço para viajar tranquilo. Clique aqui para fazer sua cotação.

E agora algumas fotos pra vocês terminarem de se convencer de que esta Ilha é DEMAIS e merece a sua visita:

[Mikado id=’13’]

 

Se lança nesses outros posts também:

Se lança pra Nova Zelândia, Djáh!
Guia de sobrevivência na Nova Zelândia.
5 dias pela Ilha Norte da Nova Zelândia.
10 dias pela Ilha Sul da Nova Zelândia.
Cavernas de Waiotomo.
Sua saúde e farmácia de viagem
Seguro de Viagem Internacional

Ainda não sabe pra onde ir?
A gente te ajuda! Escolha um destino.